27/04/2015

"Astro City" (Parte 2): Uma das HQs Mais Premiadas de Todos os Tempos....


Uma das histórias em quadrinhos mais badaladas dos anos 90 está de volta as bancas brasileiras: ASTRO CITY, a obra-prima de Kurt Busiek, com desenhos de Brent Anderson e capas e concepção de design de Alex Ross!

Porque essa série é tão badalada? Porque é um dos gibis mais premiados já publicados nos Estados Unidos, um tremendo sucesso dentro da crítica especializada de quadrinhos, e tornou-se um verdadeiro “cult” entre o seleto grupo de fãs que curte hqs autorais!

Confira abaixo.... A 2º parte desta postagem sobre "Astro City" (agora em colaboração especial assinada por "Nano Falcão"):
 
Para muitos, Astro City é a “sequência bastarda” de MARVELS, a famosa mini-série que Kurt Busiek e Alex Ross lançaram em 1994 recontando as origens do Universo Marvel aos olhos de uma pessoa comum, no caso, um fotógrafo do jornal Clarim Diário. Em dado momento, o retrato que temos da cidade de Nova York em Marvels é como se ela fosse uma cidade mitológica, como a Atenas das lendas gregas, lar de uma nova geração de semi-divindades, a serem amadas, odiadas, toleradas ou simplesmente ignoradas pelos moradores comuns. O senso espacial de que tudo está acontecendo ali e que é possível para um nova-iorquino esbarrar com quase todo universo Marvel se tiver sorte, era muito forte. Astro City é a extensão desta ideia levada ao limite e além. Não apenas vemos os super-heróis, super-vilões e o que há entre isso aos olhos de pessoas comuns, como os próprios heróis, vilões e associados também narram as histórias. A cidade deixa de ser apenas um palco e também torna-se um personagem. Toda a sua história, culturas, arquitetura, geografia, é inventada do zero e está umbilicalmente ligada à saga de seus fantásticos moradores. Não precisando mais se resumir numa cronologia já criada e alheia, Busiek pode criar a própria cronologia, muito mais amarrada, lógica e temporalmente real do que em Marvels. O tempo PASSA em Astro City. Os personagens envelhecem em “tempo real”.

Como as histórias podem se passar em diferentes momentos do tempo, do século XIX aos dias de hoje, todas as “eras” dos quadrinhos são revisitadas a cada novo arco ou história, mostrando cada geração de heróis devidamente no seu lugar: os heróis da era de ouro estão nos anos 30 e 40, os da era de prata nos anos 50 e 60, os de bronze nos anos 70 e 80, e os modernos surgiram na cidade a partir dos anos 90. Assim, não só é permitido à série lidar com um universo inteiro de personagens, como evitar a superpopulação super-heróica, pois heróis e vilões vem e vão. Com exceção de alguns poucos “imortais” eles não estão aí para sempre como acontece na cronologia normal dos super-heróis de quadrinhos, onde o tempo não passa, eles não envelhecem nunca e estão sempre jovens. Aqui, até as crianças crescem. Os personagens são baseados em heróis e vilões arquetípicos da Marvel e DC, além de até figuras esquecidas da Charlton, Fawcett, Archie, Nodor, Quality e outras editoras que já publicaram super-heróis serem vez ou outra homenageadas, ou fundidas para criar um personagem novo. Na fusão de conceito, aliás, é que Busiek e Ross (criador do design dos personagens) chegaram à raiz de cada personagem, do típico vigilante urbano ao semi-deus espacial, do super-herói incompreendido ao misterioso personagem místico sobrenatural. Astro City é, por assim dizer, “o melhor do universo Marvel e DC reunidos num único lugar”, e não por acaso um lugar cativante para os fãs inveterados de super-heróis conhecerem.

Desde seu lançamento inicial, como uma mini-série em seis edições, a partir de agosto de 1995 pelo selo Homage (futura Wildstorm) da editora Image, Astro City ganhou imediatamente as graças da crítica especializada. Era um tempo em que os super-heróis das grandes editoras Marvel e DC estavam em decadência, vivendo sagas apocalípticas que “mudariam tudo que você conhece até o próximo evento na semana que vem”, como a Morte do Superman, A Queda do Morcego, a Saga do Clone do Aranha, a retirada do adamantium de Wolverine, etc. A fundação da Image havia decretado a vitória do visual sobre os roteiros. Um dos fundadores da empresa, Rob Liefeld, inclusive diria em entrevista, satisfeito: “As histórias já eram!”. O que importava era o visual (e por isso o nome da editora: Image). Ao invés de combater isso com melhores enredos, as grandes, principalmente a Marvel, entraram numa espiral de tentar “emular” o estilo Image, nivelando quase todo o gênero por baixo. Os heróis eram quase tão vilanescos quanto os bandidos e muitos desses ganhavam revista própria (Venon e Exterminador são dois bons exemplos dos anos 90) porque já não havia diferença entre alguns criminosos e alguns dos pretensos “heróis”. Muitas vezes violentos, raivosos, num mundo terrivelmente cínico, habitado por heroínas em trajes mínimos que não tinham outra função do que despertar a libido dos pré-adolescentes e adolescentes que eram o público-alvo dessas revistas.

Quem diria que a renascença dos super-heróis viria justamente de um gibi lançado pela (então) amaldiçoada Image? ASTRO CITY também foi o início da redenção da editora, que se hoje é famosa por várias séries autorais de qualidade e sucesso, das quais Walking Dead (Os Mortos-Vivos) é somente a mais famosa, nos anos 90 era sinônimo de visual exagerado, personagens estereotipados e histórias ruins. Mas por ser uma editora de material autoral, era possível que justamente uma hora iriam aparecer quadrinistas dispostos a irem contra a corrente. E esse criador era KURT BUSIEK. Nascido em 1960, Busiek, no entanto, só começou a ler quadrinhos aos 14 anos mas entrou de cabeça pra valer no universo dos super-heróis. Acometido desde sempre por vários problemas de saúde que lhe valiam internações em hospitais, para aliviar o tédio, Busiek acabava por devorar não só cada gibi publicado da Marvel ou DC, como também de outras editoras. Isso lhe valeu um conhecimento ímpar de cronologia e da natureza do mito dos super-heróis, além de uma ativa presença em sessões de cartas, onde teria sido o leitor que sugeriu que Fênix e Jean Grey fossem entidades separadas, possibilitando o retorno da heroína.

Esse conhecimento de cronologia foi extremamente importante na concepção de dois projetos que atrairiam a atenção dos fãs: a já citada mini-série MARVELS e a revista “Untold Tales of Spider-Man” (“Os Arquivos Secretos do Homem-Aranha”), voltadas para a era de prata do universo Marvel. Contrário à tudo que via, então, no universo dos super-heróis, Busiek preferia se voltar para o passado. Como as editoras (ainda) não lhe davam as séries do presente, onde Busiek pudesse recuperar esses personagens, a solução era criar uma série própria onde pudesse mostrar a força do mito original do super-herói e recuperar o gênero nas suas bases, que desde os anos 80 vinha numa lenta espiral decadente.

Os anos 90 eram, por outro lado, o boom das séries autorais. Quase tudo de bom que foi publicado na época eram séries autorais, principalmente pelo selo Vertigo, da DC Comics, ou por editoras menores como a Dark Horse e Fantagraphics. Com seu nome ganhando reconhecimento com Marvels, a hora de apresentar Astro City surgiu em 1995, através da proposta inicial de uma mini-série. O amigo Alex Ross, parceiro de Marvels, não tinha pique para desenhar uma série mensal e já estava sendo sondado para ser contratado a peso de ouro pela DC, onde produziria “O Reino do Amanhã”, outra obra importante no que foi considerada a renascença dos super-heróis em meados dos anos 90. Ele ficaria então responsável pelas capas de Astro City e concepção de design dos super-heróis e da cidade. Busiek então recrutou Brent Anderson, discípulo da “escola naturalista” de Neal Adams, que seria capaz de dar verossimilhança à uma cidade de personagens tão fantásticos quanto Astro City.

ENTENDENDO A SAGA
A HQ já foi publicada antes em terras brasileiras por pequenas editoras com tiragens menores, como Pandora, Devir e mais recentemente a Pixel, mas nunca emplacou. Por conta disso, muitos fãs dedicados de quadrinhos não conseguiram acompanhar a série, pois seus álbuns sempre foram lançados de forma irregular e a dúvida de “por onde começar a ler”, afastou alguns do interesse de conhecer o gibi. Para complicar, a publicação nos EUA também foi esparsa, com o relançamento contínuo da série ao longo dos anos com vários números um, volumes, mini-séries, etc. O volume 1 de fato de Astro City foi a mini-série homônima, em seis edições, lançada em agosto de 1995, pelo selo Homage (futura Wildstorm) da editora Image. Foi essa mini-série que a editora Pandora trouxe ao Brasil em 2002 e depois a reuniu num “encalhernado”, no mesmo ano.

Quando a Devir assumiu, resolveu publicar o premiado arco “Confession” (Inquisição) originalmente publicado nos Estados Unidos nas edições 4 a 9 da primeira revista mensal de Astro City (considerada o volume 2 da série). O encadernado seguinte da editora brasileira também foi de outro arco premiado, “Tamished Angel” (Anjo Caído), trazendo as histórias dos números 14 a 20 da revista americana. Em suma, a Devir achou que publicar um “the best of” era uma boa forma de angariar fãs para a série. Já a Pixel espalhou bem o material até então não publicado, nas revistas: Pixel Magazine, Fábulas Pixel, e edições especiais one-shot. Como Astro City não tem uma continuidade sequencial, de fato, havia a grande vantagem de poder publicar quase todos os seus arcos e histórias em separado em momentos diferentes, que isso não confundiria o leitor. Isso é algo importante a se salientar:

NÃO EXISTE ORDEM DE LEITURA para Astro City. Porém, muitos leitores brasileiros estão tão viciados na continuidade sequencial da Marvel e da DC que ficam com medo de acompanhar séries que não sejam “do começo”. Mas Astro City não tem bem um começo. A primeira mini-série, que constitui o volume 1 lançado agora pela Panini, não passa de uma coletânea de seis histórias INDEPENDENTES. Cada uma delas funciona sozinha, não fazendo parte de uma trama maior. Foi essa razão que também levou a série logo de cara a ser premiada e encantar tanta gente: numa época em que todas as histórias são arrastadas e transformadas em arcos de 5, 6, 7 e 8 edições, Astro City frequentemente consegue a proeza de contar uma história completa em apenas 24 páginas de um gibi! (Como nos bons e velhos tempos).

Quando o leitor chega em Astro City, no volume 1, nos “dias de hoje” (no caso os anos 90 naquele momento) a cronologia já existe, só não a conhecemos – como acontecia em tempos passados que leitores sempre pegaram o bonde andando das cronologias Marvel e DC e nem por isso deixaram de ser conquistados por esses gibis. O segredo para isso funcionar é justamente entender que a cronologia não pode ser muleta para as histórias e todo gibi pode ser a primeira HQ de uma pessoa. A cronologia de Astro City é estruturada e bem amarrada mas não passa de um mapa cuja configuração vai sendo nos revelada aos poucos. Ela não é o elemento principal da série, sem a qual um leitor poderia ficar confuso para entender a história.

Os elementos principais são as histórias, o ambiente e a caracterização (extremamente humana) dos personagens. Ao contrário do que fazem a Marvel e a DC, que criam personagens com intenção de explorá-los ad infinitum criando franquias, em Astro City eles podem estrelar uma história ou um arco simplesmente para desaparecerem logo em seguida ou serem revistos apenas como cameos ou coadjuvantes. Assim, não importa se o leitor vai começar a ler a série a partir do volume 1, 2, 3 ou 4 que a Panini lançar, ele sempre vai pegar histórias que funcionam sozinhas, sem precisar ter lido nada antes.

Como diz Busiek num dos recordatórios: “Todos os dias, sempre estão chegando pessoas novas à Astro City”. A exceção fica por conta do arco “Dark Ages” inédito no Brasil, que se constitui em quatro mini-séries com quatro edições cada uma, centradas na saga de dois irmãos, um que vira policial, outro bandido, e suas vidas no período mais sombrio da história de Astro City, os anos 70 e 80 (justamente quando os super-heróis começaram a ficar todos tristes, complexados e violentos). Elas foram posteriormente reunidas em dois encadernados: os volumes 6 e 7. Então, os leitores podem ficar tranquilos sobre a ordem de leitura a acompanhar.

PRÊMIOS E LEGADO
Logo de cara, a primeira mini-série de Astro City (volume 1), ganhou os dois maiores prêmios dos quadrinhos norte-americanos, o Eisner e o Harvey, de melhor nova série no ano de 1996. Diga-se de passagem é bem raro uma gibi ganhar AMBOS os prêmios no mesmo ano. É como um mesmo filme ganhar o Oscar e o Globo de Ouro! Essa mesma mini-série, quando encadernada, ganhou o prêmio Harvey de melhor encadernado e o prêmio da revista Comics Buyer’s Guide na mesma categoria. A primeira história deste volume (“Sonhos”) ganhou o prêmio Harvey de melhor história fechada em 1996. Só não ganhou o prêmio Eisner de melhor história fechada porque este foi para “Safeguards” (Talismãs), a história do número 04 desta mini-série!

O arco “Confession” (Inquisição) foi ganhador do prêmio Eisner e do prêmio do Comics Buyer’s Guide de melhor arco de histórias. Esta fase também levaria os prêmios Eisner (1997 e 1998) e Harvey (1998) de melhor série. A história “The nearness of you”, presente nesse arco, também ganhou a votação dos leitores da Comics Buyer’s Guide de melhor história fechada. Após as primeiras indicações, Kurt Busiek ganharia o prêmio de melhor escritor, pelo Harvey Awards (1998) e finalmente o Eisner Awards (1999). Alex Ross ganharia o prêmio Eisner de melhor capista em 1996, 1997 e 1998, sendo que a principal série que fez mais capas era justamente Astro City. Voltaria a ganhar, no ano 2000, tanto o Eisner quanto o Harvey na mesma categoria. 

O volume “Álbum de Família”, trará por sua vez as premiadas: “Welcome to Astro city” (Prêmio Eisner de melhor história fechada em 1997) e “Show 'Em Al” (Prêmio Eisner de melhor história fechada em 1998). O álbum também ganhou nos EUA o prêmio do Comics Buyer’s Guide de melhor encadernado. Astro City mostrou que os super-heróis não eram um gênero antiquado e superado e ainda poderiam render muitas boas histórias. Por conta disso, proporcionou o fenômeno que foi chamado de “renascença dos super-heróis” junto com revistas (posteriores) como "Supremo" (de Alan Moore) e o relançamento da "Liga da justiça da América" (de Grant Morrison). Em seu livro “Super Deuses”, Grant Morrison prefere dividir a história dos super-heróis dos quadrinhos em Eras de Ouro, Prata, das Trevas e Renascença.

Para ele, a era de bronze e o princípio da chamada “era moderna” foram um período de decadência para os super-heróis, salvos justamente por ele  próprio com sua "Liga da Justiça da América", lançada com muito sucesso em 1996 (um ano depois de Busiek ter lançado Astro City e dois anos depois do mesmo ter lançado Marvels). Morrison por sua vez não menciona nem o nome de Busiek ou as séries "Marvels" ou "Astro City" em seu livro (nem "Supremo" de Alan Moore, que também precedeu a Liga da Justiça e que também trazia elementos da renascença dos super-heróis). Talvez, porque Busiek tenha levado um Eisner de melhor escritor, coisa que até hoje o escocês tão amado pelos editores brasileiros jamais ganhou (dor de cotovelo é fogo)!

Se houve de fato uma renascença dos super-heróis, essa começou com Kurt Busiek já prenunciada em Marvels e totalmente posta em prática com Astro City, um ano depois. Não por acaso, quando a Marvel percebeu o grande erro que foi relançar seus super-heróis no estilo Image e cancelou a linha “Heróis Renascem”, promoveu o evento: “Heróis Retornam” com o relançamento e reintegração de alguns dos seus principais heróis ao Universo Marvel. Kurt Busiek, então, finalmente foi contratado para escrever e relançar as revistas dos Vingadores e do Homem de Ferro, com enorme sucesso: principalmente na primeira (ao lado de George Perez). Posteriormente, essa dupla voltaria para produzir o último grande crossover entre Marvel e DC: “Vingadores / Liga da Justiça”, uma verdadeira ode à tudo de melhor que existe nas histórias em quadrinhos de super-heróis.

Após o fim da primeira revista mensal (Astro City volume 2) a série voltou em alguns one-shots especiais, centrados em alguns do seus personagens mais populares (como o Samaritano), além de mini-séries em duas, quatro ou cinco edições (Local Heroes). Mais recentemente, a série voltou a ganhar revista mensal, agora pela Vertigo. Uma das razões apontadas para esses lançamentos esparsos são tanto os problemas de saúde de Busiek, que o impedem de manter o pique em séries mensais, quanto a diretriz de sempre produzir a melhor história possível para Astro City, sem aquela necessidade de linha de produção que as séries mensais tem. Outra característica é manter sempre o desenhista Brent Anderson no lápis, e Alex Ross nos designs e capas, tornando Astro City numa verdadeira série autoral, fruto da mesma equipe criativa, que está ali desde o começo do gibi.

Até+

PS: O "Submundo" agradece a colaboração de Nano Falcão na 2º parte desta matéria sobre "Astro City".... Agora em uma análise mais aprofundada sobre a importância desta premiada HQ (que finalmente retorna ao Brasil em uma nova e imperdível coleção)!!! 

134 comentários:

  1. Matéria em andamento... e os nerd 'pira'! Kkk

    ResponderExcluir
  2. "Matéria em andamento... "


    Já tá na mão agora, rs.... Só vou fazer uma pausa pro café e volto pra uma rápida revisada de texto (mas já tem bastante coisa pra se ler e se divertir na madrugada, hein)?

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Com certeza Leo,

    amanhã à tarde tecerei um comentário mais elaborado após ler tudo, eheh.

    Ah, só lembrando aos amigos q a Image não era uma editora, mas um selo autoral da Malibu Comics, essa sim uma editora.

    Foi nela q Jim Lee, Liefield, McFarlane e outros artistas estrela da Marvel se congregaram pra dar origem a uma nova (e famigerada, rsrss) forma de fazer HQs de herois.

    Abs Zé.

    ResponderExcluir
  4. Fala, Léo!
    Sem mais delongas...simplesmente fuderosa esta postagem!
    Que dupla, você e o Nano!
    Queremos mais...
    abs.

    ResponderExcluir
  5. E ai meu amigo, dessa vez vc se puxou em e me faz querer cair na tentação de querer comprar essa série. Eu somente tive um vislumbre dela com algumas histórias que foram publicadas na época da Pixel, mas não corri atrás de material antigo quando não foi adiante as publicações na época. Vou ver se poderei comprar, pois ando comprando muita leitura e filmes ultimamente.

    Li recentemente Fabulas 20 e pelo visto, a próxima edição ficarei órfão de boas histórias.

    Visitem o meu blog de cinema: http://cinemacemanosluz.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Fala Leo,blz?

    Grandes matérias já são a marca desse blog,parabéns por mais essa que nos mostra a importância de Astro City.

    Mas confesso que até agora essa série não me conquistou,até agora li algumas histórias nas mensais da Pixel e esse volume 1 da Panini...Acho que não sou mt fã do Busiek rs,mas só a cutucada do Nano nos "Morrisetes" da Panini valeu a leitura kkkkkkk

    Até mais!

    ResponderExcluir
  7. Crítica com comentário sobre o Demolidor mais sincero e que eu concordei bastante.Sem spoilers da série.Sinto a mesma coisa que o autor.Comparando os filmes com os seriados de tv da Marvel e das brigas bestas entre Dc e Marvel.
    https://popipca.wordpress.com/2015/04/24/criticas-e-comentario-sobre-a-serie-demolidor-ou-tire-a-familia-da-sala-e-va-assistir-o-demolidor-da-netflix-por-andre-cruz/#more-3705

    Fernando

    ResponderExcluir
  8. Leo, tem um erro ali que escapou da revisão, na frase "Logo de cara, a primeira mini-série de Astro City (volume 1), ganhou os dois maiores prêmios dos quadrinhos norte-americanos, o Eisner e o Awards, de melhor nova série no ano de 1996", o correto é O EISNER E O HARVEY.

    Desculpem a nossa falha...

    ResponderExcluir
  9. "a Image não era uma editora, mas um selo autoral da Malibu Comics, essa sim uma editora. "


    E aí, ZÉ Carlos.... blz?

    Sim, tamos sabendo, hehe.... Mas a gente fala q a "Image" era uma editora só pra simplificar as coisas mesmo (já pensou ter q explicar tudo isso a cada vez de mencionarmos a - famigerada - "Image" em cada comentário)? rs!

    Seja como for, "Astro City" agora ostenta o selo VERTIGO na capa (o q eu achei uma sacada bem inteligente da DC: Até pra agregar um alto nível maior entre as séries atuais da Vertigo). Acho q tanto a série (Astro) qto o selo (Vertigo) se beneficiam mutuamente com a junção!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza! Faz tempo que a Vertigo perdeu um pouco daquela vibe dos tempos de Monstro do Pântano (que originou o selo), Sandman, Hellblazer, Invisíveis e outros títulos que lhe deram renome...

      Excluir
  10. "Sem mais delongas...simplesmente fuderosa esta postagem!"


    E aí, Victor.... blz?

    Brigadão mesmo por ter curtido as postagens.... Elas foram feitas com estilos e propostas bem diferentes: A 1º parte foi mais "resumida" pra atingir mais rápido uma parcela de leitores de outras redes (especialmente grupos do face) q compartilham textos mais curtos e condensados (o pessoal se assusta com textos mto longos por lá, rs). Já esta 2º parte faz uma análise bem mais completa e aprofundada da série: E q atenderá perfeitamente ao leitor mais exigente q tenha interesse em saber mais sobre essa fascinante HQ!

    Tbm aproveitei q o texto do Nano era mais extenso.... E joguei mais 14 CAPAS do Ross aqui (além das 10 q eu tinha selecionado pra 1º parte) pra ilustrar esta postagem. Era a desculpa q eu precisava pra exibir aqui todas essas belas imagens, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  11. "Li recentemente Fabulas 20 e pelo visto, a próxima edição ficarei órfão de boas histórias."


    E aí, Marcelo.... blz?

    Eu pensei q "Fábulas" fosse acabar na ed. 150.... Mas parece q encerrou na 149 (q é até onde irá o próximo Vol). Tenho q pesquisar melhor sobre isso (pra ver se a série acabou mesmo e tal). Seja como for, "Fábulas" deixará saudades mesmo!

    Só não ficarei órfão de boas histórias.... Pq temos "Astro City" agora, rs! Aliás, a Vertigo tá mandando bem com as séries q ficam: "MP" (Moore), "Hellblazer" (Ennis), "Invisíveis", e o "Despertar" (q conclui agora no Vol. 2)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  12. "Grandes matérias já são a marca desse blog,parabéns por mais essa que nos mostra a importância de Astro City."


    E aí, bruno.... blz?

    Valeu mesmo por estar curtindo as matérias aqui do blog.... Essas colaborações especiais estão mesmo saindo melhor q a encomenda, hein? E por falar nelas, ainda tem prontas mais 2 do Nano (sobre as Eras de "Bronze" e "Moderna" da DC), 2 do Zé Carlos (sobre o "Authority"), uma do Cesar Leal (em andamento - sobre as origens das HQs), e umas 20 e poucas do "Colecionador Fantasma", hehe (essas em fase de finalização de texto e seleção de imagens)!

    Q pena q vc não se enturmou mto com "Astro City".... Mas isso acontece, pois por mais méritos q uma HQ tenha, nem sempre irá agradar à todos: Da mesma forma q eu nunca curti mto os "Supremos" (embora seja uma das HQs mais elogiadas pela maioria esmagadora dos leitores, hehe), mas é claro q mesmo não curtindo tanto, reconheço as qualidades da série!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí Leo,

      espero que a galera curta o artigo do Authority. Foi feito com muito carinho por um fã incondicional da série.

      Tem muita informação exclusiva extraída direto das edições importadas e sites gringos.

      Aqui no Brasil não vi muita coisa, acho que o Submundo vai largar na frente de novo com material próprio, inédito e sem copy-cola ou mera tradução, eheh!

      Abs, Zé.

      Excluir
  13. "Crítica com comentário sobre o Demolidor mais sincero e que eu concordei bastante."


    E aí, Fernando.... blz?

    Mesmo sabendo se tratar de uma ótima série de TV.... Ainda vou demorar um tempão pra assistir o "Demolidor", pois tenho q ver cerca de 10 séries ANTES (q tão atrasadas e se eu não parar pra ver agora, perderei a vontade de assisti-las depois do "demo", rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A série do Demo é tão boa que me tirou até a vontade de ver o filme dos Vingadores, o que eu acabei fazendo mais por obrigação nerdística do que pela empolgação (rs).

      Excluir
  14. "o correto é O EISNER E O HARVEY. "


    Oi, Nano.... Tá corrigido então (valeu pelo aviso, rs)!

    Tbm acabei editando (ontem) um parágrafo sobre a ordem dos NOVOS encadernados da Panini.... Pois diferente da coleção anterior de encadernados nos EUA, a própria DC resolveu alterar a ordem deles nesse atual relançamento: Agora o "Álbum de Família" passará a ser o Vol. 2 (já confirmado pela Panini pra junho) e não mais o 3º (como era antigamente). Assim, não sei q outras alterações farão tbm daqui pra frente, rs!

    Ah, a DC tem trocado as CAPAS dos encadernados tbm.... E postei as 2 do "Álbum de Família" acima (a de fundo vermelho é a antiga e a q abre esta postagem é a NOVA - q será usada pela Panini)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  15. Leo que texto bom, sua primeira parte, com uma geral muito boa e a segunda do Nano Falcão, muito detalhada, mostrando para quem não conhece que a série vale a pena ser comprada. Comprei alguma coisa na época da Pixel, mas não li acredita e ainda tenho elas aqui em casa e isso se deve a famosa falta de tempo, pois para eu dar conta de tanta coisa que está na lista de espera para leitura, o dia teria que ter no mínimo 48 horas. O blog mais uma vez mostra que é o melhor da atualidade, em informação e curiosidades e fico imaginando como vc consegue dar conta de tanta coisa ao mesmo tempo, postando matérias e nos respondendo o tempo todo. Outra coisa, o Nano Falcão veio para enriquecer ainda mais este já maravilhoso blog. Abraços amigo.

    ResponderExcluir
  16. "fico imaginando como vc consegue dar conta de tanta coisa ao mesmo tempo, postando matérias e nos respondendo o tempo todo."


    E aí, Marcilio.... blz?

    Valeu mesmo por ter curtido as postagens, brother.... E qdo vc arrumar um tempinho, tente ler essas ed. de "Astro" q vc tem pela Pixel (mas te entendo perfeitamente nessa, já q na minha PILHA atrasada tbm tem gibis de quase 10 anos atrás, hehe)!

    E falando em "tempo".... Não tem jeito mesmo: A única forma de eu continuar mantendo o blog (atualizando as matérias, pesquisando os lançamentos, e respondendo os comentários) é tendo de abrir mão de outras coisas, rs. O blog passou a ser a minha prioridade na internet: Sacrifiquei a minha participação em outras redes (no face eu apareço a cada 2 dias e é uma passada rápida de apenas 15 min. em alguns grupos) e reduzi minhas horas na frente da TV e vídeo-games....

    Acredite, amigo: É impressionante a quantidade de TEMPO q arrumamos só ao largarmos um pouco as bobagens de internet (especialmente as gracinhas e inutilidades do face). A TV e os games tbm nos tiram um tempo precioso sem percebermos (eu apenas direcionei esse tempo antes desperdiçado pra coisas mais produtivas aqui no blog - e não me arrependi, hehe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cuidado Leo,

      "All work and no play makes Jack a dull boy" (essa eu tirei de "O Iluminado", lembra? rsrss)

      Abs, Zé.

      Excluir
  17. Ufa Leo e Nano,

    terminei a leitura! Nano, seus textos lembram aquela longa viagem que a gente tem pela frente e, no final, a gente percebe que foi divertido o percurso, eheh.

    Estou cada vez mais fascinado por essa série, que demorei muito pra conhecer, mas como disse no post anterior, estou em busca de redenção. Se a Panini der continuidade, pretendo acompanhar, com certeza.

    Astro City tem características muito interessantes. Primeiro por apresentar logo de cara um universo pronto, enorme, que a gente vai 'desembrulhando' aos poucos. Universos como Marvel e DC foram construídos ao longo de décadas e levaram muito tempo p/ ter coesão e uma cronologia (e olha que muitas vezes vira uma bagunça... rsrss). Segundo, o fato de contar histórias isoladas ou arcos curtos de ótima qualidade, sem necessidade de pré-leitura de qualquer coisa ou interligações com 'trocentas' revistas. O único outro autor de quadrinhos que me vem à mente em termos de escrever boas histórias one-shot é Warren Ellis.

    Outro ponto superpositivo pra mim é a tendência a manter o mesmo time criativo Busiek-Ross-Anderson. As melhores séries de quadrinhos da atualidade foram aquelas que preservaram a equipe criativa ao longo da continuidade, de preferência com início, meio e fim. Por ex.: Preacher, Planetary, 100 Balas, etc.

    Torço de coração p/ que Astro City NUNCA seja adaptada pra TV ou pro cinema. Duvido que alguém conseguiria transpor estes conceitos de maneira fiel, traduzindo o espírito de amor aos super-heróis. Sem falar que os heróis análogos Marvel e DC trariam uma grande dor de cabeça com direitos autorais, eheh....

    Parabéns ao Submundo e ao Nano, por mais essa fantástica postagem!!! Uma análise pormenorizada e brilhante de uma série tão rica.

    Nano, com tudo que vc faz aqui, no HQ Vintage e outras paragens virtuais vc já é nosso "Personal Super-Hero", eheh.

    Abraço,

    Zé.

    ResponderExcluir
  18. Em tempo,

    Leo que foda essa capa que abre a matéria (da Primeira Família). Tomara que a Panini use em algum encadernado...

    ResponderExcluir
  19. "Faz tempo que a Vertigo perdeu um pouco daquela vibe dos tempos de Monstro do Pântano (que originou o selo), Sandman, Hellblazer, Invisíveis e outros títulos que lhe deram renome..."


    Verdade.... Ainda tem séries mto boas na Vertigo (O "Despertar" é um ótimo exemplo), mas é visível q os "bons tempos" do selo já passaram!

    Porém, "Astro City" tem potencial pra manter a dignidade de outrora na linha Vertigo.... Até pq, apesar dos relançamentos, a série ainda tá em andamento com mto material inédito!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho Monstro do Pântano, Sandman, Preacher e Hellblazer os pontos altos do selo Vertigo,mas, acredito que a qualidade do selo se mantém em várias outras séries como Sweet Tooth (que acho fantástica), Y- O último homem, 100 balas, Inescrito, Fábulas...O selo é uma ótima pedida para quem aprecia histórias fechadinhas e roteiros inteligentes fora do circuto "super". Pra mim pelo menos o que vem estampado Vertigo no minimo desperta a curiosidade. Espero em algum momento possam publicar alguma matéria do tipo "As melhores séries do selo Vertigo". Acho que muitos iriam apreciar um roteiro básico desses. Um abraço a todos.

      Excluir
  20. "All work and no play makes Jack a dull boy" (essa eu tirei de "O Iluminado", lembra? rsrss)"


    Lembro sim, hehe....

    Umas "férias" ajudariam.... Mas eu acho uma cretinice os blogs e sites q tiram "férias" (qdo as notícias e assuntos relacionados nunca param). O melhor é tentar conciliar as coisas mesmo (e evitar entrar numa espiral de loucura, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  21. "Outro ponto superpositivo pra mim é a tendência a manter o mesmo time criativo Busiek-Ross-Anderson. "


    Verdade, ZÉ Carlos....

    As melhores séries são mesmo essas q mantiveram a mesma equipe o tempo todo: O q reforma a minha teoria de q os gibis pioram qdo ficam passando mto tempo de mão em mão. É preferível q uma HQ demore pra ter um novo arco ou história, mas q mantenha os mesmos criadores ou equipe q esteja funcionando frente à ela!

    Acho q a Panini dará à "Astro City" a devida continuidade agora.... Pois segundo o "X-9" ainda tem pelo menos mais 2 ed. pra sair este ano. Mas acredito q essa série até viesse a funcionar bem na TV "SE" fosse idealizada por pessoas competentes (sei q seria difícil, mas não é impossível). Falo isso, pq durante a leitura de um arco como" Anjo Caído", vemos o qto poderia render uma temporada de um bom seriado na telinha! Se não me engano, li em algum lugar sobre pretensões algo assim (pra cinema ou TV) - mas faz tempo, e pode ter sido arquivado!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho muito difícil também,

      veja o caso de "Powers", conseguiram cagar uma série que já tava pronta na HQ!!! Bendis já escreve em forma de roteiro de seriado, porra, é só transcrever.

      Tinha q ser um lance doido tipo "Sin City", que eu não considero uma adaptação, mas sim uma transcrição. Mas falo isso num sentido positivo, pq ficou fodastico (mbora muita gente tenha torcido o nariz...).

      Excluir
    2. A única coisa que vejo de positivas em adaptações é que elas ajudam a divulgar as hqs... A não ser que sejam fracassos como Powers, que infelizmente de tão ruim, não trará pra cá os encadernados que a série mereceria.

      Hoje o mercado brasileiro está muito condicionado a base da "moda", só vendendo o que tem filme, séries de tv e desenhos animados. Um bom exemplo é que a excelente Invencível não vendeu bem por aqui, enquanto Walking Dead, do mesmo escritor, deslanchou após o seriado de TV.

      Excluir
  22. "Leo que foda essa capa que abre a matéria (da Primeira Família). Tomara que a Panini use em algum encadernado..."


    Essa será a capa do Vol. 2 da Panini: "Álbum de Família".... q tá previsto pra sair em junho (e é uma capa mto fóda mesmo)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  23. "espero que a galera curta o artigo do Authority. Foi feito com muito carinho por um fã incondicional da série."


    Acho q essas matérias vão bombar sim.... Ainda não as li inteiras, mas do q vi já achei num ótimo nível de pesquisa e informação: Te confesso q nunca li nada tão completo sobre "Authority" em outros sites/blogs (brigadão mesmo por ter escolhido o "Submundo" pra compartilhar essas postagens, rs)!

    Aliás, falando nisso.... Tbm vale ressaltar q esta 2º matéria de "Astro City" (do Nano Falcão) deve ser a MAIOR postagem já feita sobre a série em blogs e sites nacionais. Pelo menos eu procurei bastante, e não encontrei nenhuma maior q esta por aí: São 6 pág do Word só de texto - fora as imagens (sobre "Astro City" nunca vi nada sequer parecido, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leo,

      o nível de qualidade e profundidade vistos aqui, num blog sem firulas, nem anúncios, nem trolls ou haters, q responde TODOS os comentários, acho q podemos dizer q é raro no Brasil. Se não for único!

      Tenho prazer em servir e fazer parte desta comunidade.

      Excluir
    2. Li tudo do authority. Essa sérei foi um "divisor de águas", o próprio Grant Morrison admite no seu livro que ela foi a "inventadora do super-herói do século XXI". Coisas como Supremos só vieram na esteira do Authority, não a toa a Marvel foi lá e contratou gente que participou da equipe criativa da revista para sua versão ultimate dos Vingadores.

      Também estou no aguardo da matéria e parabéns ao autor pela iniciativa.

      Excluir
  24. "veja o caso de "Powers", conseguiram cagar uma série que já tava pronta na HQ!!! Bendis já escreve em forma de roteiro de seriado, porra, é só transcrever."


    Essa eu nem quis ver.... Se a série é tão ruim qto dizem, passarei longe, pois já ando sem tempo de assistir as boas (q dirá as q não prestam)!

    Só acho lamentável mesmo q as HQs mais simples.... acabem sendo justo as mais complicadas de serem adaptadas (por caírem nas mãos de gente incompetente)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema de séries e filmes é que sempre tem muita gente dando pitaco. E nesses caso, manda quem tem mais $$$.

      Nunca li nem vi "Powers", mas esse trecho da crítica do Judão é suficiente para saber o deu errado (e porque):

      "Ao invés de uma série policial que tem super-heróis como pano de fundo, o que eu vi foi uma série de super-heróis que tem policiais como pano de fundo"

      Excluir
    2. Oi Semi,

      eu tb li essa crítica do judão e achei mto pertinente!

      Excluir
  25. Fala, Leo...

    Não adianta... Kurt Busiek é o cara... Eu sempre faço a comparação entre os Vingadores dele ( e do Perez ) e do Bendis e na minha comparação o Bendis leva um " couro". Não que ele não seja bom, mas ele funciona melhor nas historias urbanas como Demolidor, e não se da muito bem nas sagas cósmicas.
    Veja por exemplo o Invasao Secreta dele e aquela bobagem do capuz dando um pau em todo mundo...
    Compara com a saga de Ultron, a saga de Kang ( quando ele quase extermina toda a populaçao de Washington ), quando traz o Ceifador de volta e por ai vai, naquelas historias que saiam na Premium... o cara é bom de historia e de cronologia...
    Falando em assuntos ruins.. fiz a besteira de comprar o tal " Complexo de Frankenstein" do Homem de Ferro envolvendo o Ultron, pra descobrir que a historia é do Frank Tieri ( um dos piores argumentistas que eu conheço ) e um desenho porco que só...
    Abraços e felicidades, Luiz Henrique
    Terra Rica/PR

    ResponderExcluir
  26. "acho q podemos dizer q é raro no Brasil. Se não for único!"


    Valeu mesmo, ZÉ Carlos....

    Tbm fico feliz de poder contar aqui com a presença de leitores q saibam realmente se expressar e trocar ideias com conteúdo sem partirem pra "medição de forças" ao tentarem IMPOR suas opiniões aos demais!

    Ainda acho q o respeito mútuo entre todos os participantes e a exclusão no ambiente de trolls e retardados de internet em geral.... São os 2 principais fatores pra se manter um espaço bem frequentado (responder todos os comentários - valorizando a participação de quem comenta - tbm ajuda, é claro, hehe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  27. "Não adianta... Kurt Busiek é o cara... Eu sempre faço a comparação entre os Vingadores dele ( e do Perez ) e do Bendis e na minha comparação o Bendis leva um " couro"


    E aí, Luiz Henrique.... blz?

    Concordo plenamente, e considero tbm a fase Busiek/Pérez uma das melhores dos "Vingadores" em todos os tempos.... Pena q durou pouco, mas a boa notícia é q essa fase tem grandes chances de ser republicada aqui em encadernados (pra mim será ótimo, pois tenho ela salteada e incompleta nas revistas "premium" e em formatinhos da Abril)!

    Sou fanzaço do Busiek desde q li "Marvels".... Bem numa época (metade dos anos 90) onde eu recém estava recomeçando minha coleção de gibis (após um afastamento de 10 anos). De lá pra cá, tenho curtido tudo q ele escreve: Pois compartilho da mesma admiração e respeito q ele tem pelo gênero dos super-heróis!

    E sobre os "assuntos ruins".... Bah, essa fase do "HF" do Frank Tieri é de amargar mesmo, hehe. Eu até queria comentar esse gibi do "complexo" aqui no blog, só q não encontrei nenhum exemplar fora do plástico (e não achei pra baixar): Mas só de ver a equipe criativa, nem pensei em me arriscar, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse HF até seria legalzinho se a arte não fosse tão ruim. É aquela história, por mais bonitas que sejam as flores se você cagar no meio delas, o jardim terá cheiro de merda.

      E nesse caso que os desenhos são uma merda e o roteiro está muito longe de ser flor que se cheire, já dá para ter uma noção (rs)...

      Excluir
  28. Acabei de ler os dois volumes de "o despertar".

    Tão bom que nem parece o Snyder.

    ResponderExcluir
  29. Confesso que eu era completamente leigo em relação a qualquer informação sobre Astro City e essa mega postagem me induziu a adquirir esse primeiro volume para dar uma chance a série(tive sorte em encontrar uma ultima edição em banca,ufa), eu sempre via como "imitação" de herois que eu conhecia e isso não me agradava muito tanto que eu odeio aquele "amálgama" da Marvel e DC que saiu a algum tempo(rs), vou permitir que esse encadernado fure a fila de outras edições que estão na fila para leitura, espero que eu goste e parabéns para vc Leo e o Nano pela excelente postagem!

    ResponderExcluir
  30. Oi Leo!

    Parabéns a você e ao Nano Falcão pela excelente matéria!

    Astro City não é só uma série de quadrinhos a mais, é um verdadeiro "UNIVERSO" de novos super-heróis, um amálgama da Marvel e DC, com a sua própria versão dos principais heróis das duas editoras, mas, com identidade própria.

    Não vou atrás de scans desta série, vou deixar ela me surpreender (assim como foi na primeira edição!) à medida em que forem saindo os encadernados da série.

    Vi que o "Inquisidor" aparece ao lado da "Vitória Alada" e do "Samaritano" numa das imagens postadas acima, revelando a "Trindade". Como você já tinha me respondido numa outra postagem que ele é a versão do Batman de Astro City, fiquei curioso em relação a ele, e fui pesquisar um pouco e descobri que ele tem habilidades do Batman e os hábitos alimentares do animal que inspirou o herói da DC. Espero que este arco "Inquisição" saia logo!

    Fiquei sabendo pelo facebook da Panini que a CHM Quarteto Fantástico não está muito certa de sair. Se isto for verdade, é porque a Panini não está botando fé no filme (aliás, quase ninguém está!) e teme que isto possa se refletir nas vendas dos especiais do grupo, já que as publicações dos personagens não estão vendendo bem há anos!


    Comprei a parte dois de Despertar e o último número da coleção do Batman do Jim Aparo. A do Neal Adams eu preciso ver de fato o que será publicado, já que tenho várias histórias ilustradas por ele espalhadas na coleção em Contos do Demônio, DC - A Era de Bronze, dentre outras, e não quero mais material repetido na coleção!

    Você postou num dos comentários que comprou a miniatura do Alan Scott, e fiquei feliz por isso, pois, achei que você ia pular esta peça muito bacana por sinal.

    Essa miniatura e era uma das que eu mais aguardava, já que gosto do personagem. Comprei a Viúva Negra na Comix e estou esperando a encomenda chegar, mas, com este feriado na sexta-feira na certa só chegará na semana que vem!

    A próxima que irei antecipar a compra é a Miss Marvel prevista para ser lançada em junho!!

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  31. Por acaso alguém sabe que "zica" é essa no site da Mythos ? Quando acesso lá ta bem estranho...

    ResponderExcluir
  32. Eu vi na Livraria Cultura estes dias.E realmente a arte é muito porca e horripilante.O Tony Stark disforme,armaduras parecendo um tanque de lavar roupa,sei lá.Não sei a história,mas a arte é realmente péssima.

    Fernando

    ResponderExcluir
  33. Sobre o Astro City, o que temos em mãos pela Panini é a encadernação da primeira mini-série em 6 edições. Independente da cronologia das publicações, que venha o resto.

    E é interessante que Astro City tenha saído pela Image, talvez a "grande vilã" da indústria de quadrinhos dos anos 90. Há males que vem para bem...

    Bola dentro da Panini que vem resgatando diversos gibis que saíram perdidos, mal divulgados e/ou incompletos por outras editoras.

    ResponderExcluir
  34. Leo, bom dia!

    A Salvat já falou no face quais são os 6 próximos lançamentos da vermelha.

    Vc poderia nos dizer se são bons, se são fechados ou mini series etc?

    Enfim, fazer um resumao rsrs

    Abs

    ResponderExcluir
  35. Deixando 2 bônus:

    - Dicas de quadrinhos para crianças de todas as idades. Gostei da lista por fugir do óbvio, ainda que discorde de algumas das indcações de faixa etária. Encomendei 4 sugestões:
    http://educarparacrescer.abril.com.br/hq/

    - A versão "retrô" do trailer de Batman vs. Superman:
    www.youtube.com/watch?v=F6cpTjsHTNk

    ResponderExcluir
  36. Caramba Leo,pulei na cadeira com a noticia dos Vingadores do Busiek e Peres sera que vai sai na Coleçao deluxe ou no formato ediçoes Definitivas (Crise Final)?Estou adorando a serie Stormwatch ,o volume 3 ja esta na pre venda,que sorte!!!

    ResponderExcluir
  37. Eai Leo blz?

    Orra, até fiquei sem fôlego depois de ler.

    Sinceramente... Quando foi anunciada que a panini publicaria está série, eu pensava somente em comprar o volume #1 (pra conhecer mesmo), mas depois de ler está matéria, fiquei até com vontade de ler tudo agora. Bom saber que é uma série muito premiada, material de qualidade nas bancas.

    Ah, e claro, Parabéns ao Nano Falcão pelo dossiê de Astro City.

    Abs!

    ResponderExcluir
  38. Nos meus 42 anos devo estar ficando um velho chato, mas não acho essa série essa maravilha toda não, achei as histórias bobas e sem graça, não sei se pegarei o segundo número, mas ouço falar bem de Anjo caído. Veremos mas como dito acho a série super valorizada.

    ResponderExcluir
  39. Grande Leo,

    acabamos de ver Vingadores. Cara achei o filme fodaço!!!

    Não vou fazer comparações nem entrar em detalhes da trama, mas vale muito a pena. Gostei muito do Visão, dos gêmeos e do Ultron.

    Pra mim tudo funcionou muito bem, equilibrando ação com drama. O ponto forte, como é um filme do Whedon, é a interação dos personagens.

    No mais, o cenário está montado pra Guerra Civil, Ragnarok e a Guerra Infinita!

    Ah e tem q ver em 3D, senão vai perder todo impacto das cenas de ação, q fazem a gente imergir no cenário. É muito louco!

    Abs, Zé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dentre estes não boto fé nenhuma em Ragnarok,seja pelo fraco desempenho do Thor e dos outros filmes que quase nada se salvam.E de desvirtuar os personagens deixando de serem deuses para serem "aliens".O Thor está longe de ser aquele personagem legal das Hq's.

      Fernando

      Excluir
  40. "A série do Demo é tão boa que me tirou até a vontade de ver o filme dos Vingadores"


    Hehehe.... eu imagino, SEMI:

    Tenho lido opiniões bastante controversas sobre os "Vingadores" (embora eu até evite ler ou ouvir qq coisa a respeito - pra não pegar spoilers).... Já do "Demo", parece ser unânime q a maioria esmagadora dos espectadores tenha achado a série mto fóda (tirando um ou outro poser de internet falando mal nas redes só pra se destacar "sendo do contra", rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caras eu recomendo muito ver Vingadores!

      é pra desligar o lado racional e mergulhar de cabeça, voltar a ser criança e curtir muito!

      porra são os herois da nossa infância em carne e osso!!!

      Excluir
    2. A série do "Demolidor" não é boa porque é "séria, sombria, violenta e adulta". É boa porque é extremamente fiel aos quadrinhos, sem deixar de ter identidade própria.

      Vingadores é outra história...Vingadores = Heróis reunidos + pancadaria.

      Nem todo filme de herói tem que ser com o Batman de Nolan. Já vi gente reclamando até das "piadinhas" nos filmes da Marvel.

      Rambo é tão bom quanto Nascido para Matar. Talvez até melhor, dentro do que se propõe.

      Enfim... Haters gonna haters:

      www.failwars.blog.br/tirinhas/diferena-na-tomada-de-decises-da-marvel-da-dc/

      Excluir
  41. "Espero em algum momento possam publicar alguma matéria do tipo "As melhores séries do selo Vertigo"


    E aí, Roberto..... blz?

    Puxa, brigadão mesmo pela sugestão, brother.... Incrível q eu nunca tenha sequer pensado em produzir uma matéria assim, hehe! Mas seguir sua dica e começar a listar algumas das melhores séries Vertigo: Pior q são tantas, q seria impossível caber numa postagem só!

    E vc tem razão.... Poucos selos de HQs podem se dar ao luxo de serem TAMBÉM um "selo de qualidade" de boas histórias: Mas com a Vertigo é assim, e mesmo as séries mais fracas ainda são acima da média geral! Valeu mesmo!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa Leo,

      se quiser ajuda pode contar comigo. Posso escrever sobre Sandman, MP ou Hellblazer.

      Abs, Zé

      Excluir
  42. "Um bom exemplo é que a excelente Invencível não vendeu bem por aqui, enquanto Walking Dead, do mesmo escritor, deslanchou após o seriado de TV. "


    Verdade, Nano.... Eu lia a entrevista com o editor da HQM falando sobre a volta do "Invencível" e tbm sobre a dificuldade de se emplacar aqui séries q não tem filmes ou apelo da mídia em cima!

    Sempre achei q a HQM deu mta SORTE de "Walking Dead" ter feito sucesso na TV (alavancando junto dos gibis e encadernados).... Se não fosse isso, "WD" poderia ter tido o mesmo destino de "Invencível" (com uma ed. aqui e outra ali a cada 2 ou 5 ANOS). Mas é mto chato isso dos leitores e o mercado em geral ficar sempre REFÉM do cinema e da TV: A única vantagem q podemos tirar disso, é sabermos q sempre q rolar filme novo, o herói em questão terá algum(s) encadernado(s) na área!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O problema dessas editoras pequenas é que elas lançam séries desconhecidas com um preço relativamente alto e sem a menor perspectiva de continuidade.

      "WD" por exemplo, nunca li. É caro!

      E eu, que transcendo o leitor comum de HQ, até alguns dias atrás não sabia do que se tratava "Invencível".

      Excluir
  43. "Li tudo do authority. Essa sérei foi um "divisor de águas", o próprio Grant Morrison admite no seu livro que ela foi a "inventadora do super-herói do século XXI"


    Com certeza.... Por mais polêmica q a série seja, e q nem todo mundo goste (por um motivo ou outro):

    É preciso reconhecer os méritos de "Authority".... Pois a HQ realmente redefiniu o gênero dos super-heróis pra nossa época (não só no visual - q inclusive tbm foi "adotado" pelo cinema: com roupas e uniformes mais "realistas" - mas tbm na narrativa: ao envolver questões políticas e sociais de uma forma bastante crua e atual)! Não é à toa mesmo q a Marvel se deu bem seguindo esse mesmo padrão com os "Supremos"!

    Abs!

    ResponderExcluir
  44. Aí. Bleza? To afim de comprar o deluxe Novos vingadores Revolução. Me da uma luz ai Leo.. vale apena? Comprei reinado sombrio por indicacao sua e roteiro bom com arte fantastica.. brigadao..

    Daniel sam

    ResponderExcluir
  45. "Tão bom que nem parece o Snyder."


    Hehehe.... Ainda não li o Vol. 2 do "Despertar", mas vi q já chegou nas bancas daqui:

    A julgar pela 1º parte, essa foi uma grata surpresa mesmo entre as séries + recentes da Vertigo!

    Abs!

    ResponderExcluir
  46. "eu sempre via como "imitação" de herois que eu conhecia e isso não me agradava muito"


    E aí, V@ndix.... blz?

    Valeu mesmo por ter curtido estas postagens: Espero q vc curta tbm essa série então.... Lembrando q o melhor de "Astro City" ainda está por vir (nos próximos encadernados)!

    No mais.... É sempre importante diferenciarmos o "plágio/imitação" da "homenagem": O plágio de personagens ocorre qdo falta criatividade aos autores pra criar coisas novas e tentam "disfarçar" ou "requentar" algum herói ou vilão conhecido adulterando alguns elementos (mas tentando fazer parecer algo "NOVO" - qdo na verdade, não é). Já a homenagem (no caso: os personagens de "Astro City") acontece qdo o autor se propõe a fazer algo assumidamente "genérico" e de fácil identificação pros leitores: Sabemos q o "Samaritano" É o "Superman" (e sabemos q o autor quis q soubéssemos disso, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  47. "Vi que o "Inquisidor" aparece ao lado da "Vitória Alada" e do "Samaritano" numa das imagens postadas acima, revelando a "Trindade"


    Oi, Elcio.... Tdo bem?

    Espero q durante a sua pesquisa sobre o "Inquisidor", vc não tenha descoberto o segredo dele no arco: "Inquisição" (seria uma pena vc pegar um spoiler disso e estragar uma das sacadas mais geniais sobre os poderes desse "Batman" - existe uma explicação bem legal e chocante pros poderes dele, hehe). Vc faz bem em esperar pra ler a série à medida em q forem saindo as edições da Panini (eu só li mais adiante em scans pq até pouco tempo já tinha perdido as esperanças de ver essa HQ sendo publicada no Brasil)!

    Sobre a "CHM do 4F".... Eu acho q ela pode sair sim, pois até onde me disseram, o material já estaria finalizado (selecionado e traduzido - com as fases do Kirby e Byrne): Mas nunca se sabe, né? Nada impede da Panini vetar a coleção de última hora temendo um possível fracasso nas vendas (em decorrência da repercussão já bastante negativa q o filme vem tendo nas redes sociais). Vamos ver, o jeito vai ser esperar as cenas dos próximos capítulos, hehe!

    Qto às "Miniaturas".... Sim, a última da DC q eu peguei foi a do "Alan Scott" e q acabou sendo uma das mais bacanas de toda a coleção até o momento (aos poucos, irei retomar as postagens de FOTOS da coleção aqui no blog: Ainda hj na madruga vai mais uma com alguns "especiais" da Marvel e em breve retomarei as da DC tbm). Já a "Viúva Negra", essa sim eu vou pular: Mas só pq tem uma sendo "customizada" pra mim pelo Rogério Baldino (igual àquela q eu postei aqui no blog ano passado: feita com base na "Polaris", rs)!

    Ah, e o "Batman do Neal Adams" parece q vai sair COMPLETO (desde o início e na ordem).... Esse eu vou cofrar certo, ainda mais pq perdi o encadernado capa-dura, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  48. "Por acaso alguém sabe que "zica" é essa no site da Mythos ? "


    Oi, bruno.... o site da Mythos tá normal pra mim: Pode ter sido alguma pane temporária (isso acontece, e numa madrugada dessas até o "Submundo" saiu do ar por algumas horas - pensei até q tivessem hackeado o blog, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  49. "O Tony Stark disforme,armaduras parecendo um tanque de lavar roupa"


    Oi, Fernando.... Esse tipo de gibi feito nas coxas não é pra mim mesmo (tenho ficado cada vez MAIS exigente pra essas coisas, rs)! Assim, passarei bem longe disso, pois a FILA de coisas boas pra comprar tá grande demais pra perder tempo com essas lixaradas descartáveis, hehe!

    Abs!

    ResponderExcluir
  50. "Independente da cronologia das publicações, que venha o resto."


    Oi, SEMI.... A Panini fez bem mesmo em começar pelo começo:

    O "X-9" aqui do blog até sugeriu há um tempo atrás q a editora relançasse a série de onde a Pixel havia parado, mas no fim das contas: Fizeram melhor republicando desde o início (pois mta gente perdeu ou deixou passar essa mini da Pandora)!

    Q venha o resto mesmo.... essa série eu quero ter completa na estante!

    Abs!

    ResponderExcluir
  51. "A Salvat já falou no face quais são os 6 próximos lançamentos da vermelha."


    E aí, William..... blz?

    Fique ligado nas próximas matérias de "Drops de Notícias", "Plantão HQ" e "Papo de Gibi" aqui do blog então.... Pois serão nessas colunas q eu comentarei sempre todos os lançamentos da capa-vermelha. Resolvi deixar a coluna de "Reviews" só pra capa-preta (pra não misturar demais as coisas - senão até eu me confundo e me atrapalho todo, rs)!

    Mas se demorar um pouco pra eu comentar.... É pq adotarei o mesmo sistema de deixar juntar umas 3 ou 4 ed. pra falar delas na mesma postagem. Fique ligado então!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vem aí outro (já esperado) pequeno aumento também. Espero que a editora pelo menos faça um pronunciamento oficial.

      Excluir
  52. "Deixando 2 bônus:"


    Opa.... Valeu mesmo, SEMI:

    Interessante essa ideia do site em listar gibis conforme a faixa etária das crianças (embora eu tbm discorde de algumas: apesar de não ser pedagogo, rs). Sei lá, vejo pela minha afilhada de 8 anos: ela acharia mto infantil alguns gibis indicados pra idade dela (mas é uma ótima iniciativa, sem dúvida)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  53. LEO, meu temor se concretizou : não gostei dos Vingadores 2. O roteiro é raso e não justifica um filme tão longo. Com 1h e meia eu já estava com vontade de que o filme acabasse. Lutas sem sal e sem novidade, e o vilão é qualquer coisa, menos o Ultron. Cheguei a pensar que ele ia por uma cartola e sair cantando Hello my baby...
    Mas gostei muito do Visão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece que o Visão é a única unimidade do filme,que agrada a todos.Ainda vou ver,mas estou na dúvida se vejo no Imax ou em 3d no Shopping.Agora pelas imagens não gostei nem do Mercúrio,fora do ator sem sal do Kick Ass (Que pelo menos no Kick Ass estava bem mas não no Godzila) e nem da Feiticeira,que já não achava grande coisa no gibi.Tirando aquela em que ela é do mal.
      E huahaha,me diverti com a visão dele colocar uma cartola e cantar esta música que senão me engano aparece em uma paródia com o Alien,demonstrando que o Ultron é mais um piadista que outra coisa.Mas bem,falarei depois quando ver o filme.

      Fernando

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkk.

      Pior que eu falei justamente isso pros meus amigos quando a gente saia do cinema, o Ultron estava tão "engraçadinho" que uma hora eu achei que ele ia cantar e fazer coreografia com seus "ultronzinhos" igual nos desenhos animados da Disney.

      E aquela cena perto do final em que mais robos aparecem do nada e os vingadores fazem pose, com música motivacional de fundo, que vergonha alheia... parecia filme do michael bay...

      Excluir
    3. O Visão é definitivamente o melhor do filme. Ele protagoniza uma das cenas mais fodas, que nunca se viu nos quadrinhos. E não é cena de luta q estou falando...

      O Mercúrio ficou bacana no filme, ele é mais macho e mais proativo que a versão da Fox. Aliás ele é um herói que cativa logo de cara. E isso é um problemão depois....

      Poxa Leo, assim que vc vir o filme cria um post com spoiler liberado p/ gente poder discutir o filme Brou!!!

      Abs, Zé.

      Excluir
  54. "Caramba Leo,pulei na cadeira com a noticia dos Vingadores do Busiek e Peres"


    E aí..... blz?

    Ainda é mto cedo pra sabermos detalhes sobre essa coleção.... Mas o "X-9" aqui do blog estará ligado de uma forma mto próxima à essa produção (o q significa q terei informações em breve sobre isso, rs - e divulgarei aqui assim q me for autorizado, é claro - hehe)!

    Mas seja no formato q for: Será COFRE total e absoluto.... Essa fase é mto fóda!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa fase é tão boa que eu consigo até relevar o mala do "Justiça" na formação.

      Aliás, eu só comecei a acompanhar regularmente os Vingadores na fase Bendis. É impressionante a quantidade de restolhos que já foram Vingadores (o que torna aquela piada do Aranha tentando entrar no grupo mais engraçada).

      Excluir
    2. é mas os Vingadores só derrotaram o Ultron graças ao Justiça.

      Os heróis estavam lá usando os punhos e ele resolveu tudo com o cérebro! eheh

      Excluir
    3. Quando o roteirista gosta do personagem, faz com que ele seja capaz de derrotar qualquer um. rs

      Excluir
  55. "eu pensava somente em comprar o volume #1 (pra conhecer mesmo)"


    E aí, John wobhm.... blz?

    A melhor coisa de "Astro City", é q cada novo arco pode ser estrelado por quaisquer personagens da série (permitindo à todos a chance de serem melhor desenvolvidos).... Isso tbm agrega bastante variedade de estilos (passamos pela ficção científica, policial noir, violência urbana, e o gênero tradicional de super-heróis: q tbm pode variar entre o estilo mais ingênuo da Era de Prata e o sombrio dos anos 80 pra cá)!

    Ou seja. a série sempre poderá te surpreender com histórias melhores.... Meus arcos favoritos ainda estão pra sair: "Inquisição" e "Anjo Caído" (se vc curtiu a série por essa 1º ed, não perca essas q eu mencionei de jeito nenhum então)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  56. "Nos meus 42 anos devo estar ficando um velho chato, mas não acho essa série essa maravilha toda não"


    Oi, Helder.... Eu sou um pouco mais velho q vc ainda (tenho 43) e sou bem ranzinza pra um monte de coisas tbm, hehe!

    Sobre "Astro City", acho q no seu caso é apenas questão de gosto pessoal mesmo.... A série tem inúmeras qualidades (e os prêmios importantes q ela levou - além de elogios de público e crítica comprovam isso), mas por mais prêmios e elogios q um gibi receba, nem sempre iremos nos identificar e simpatizar com o q os outros gostam!

    Comigo tbm é assim em relação aos "Supremos" (só pra citar um exemplo): Essa HQ aparece em várias listas entre as melhores de todos os tempos e acho q uns 99% dos leitores adora essa série. Eu já estou entre o 1% q NÃO gostou tanto assim. Isso acontece, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  57. "acabamos de ver Vingadores. Cara achei o filme fodaço!!!"


    E aí, ZÉ Carlos.... blz?

    Q bom q vcs curtiram o filme.... Ainda vou deixar passar mais uma semana ou 2 pra ver se assisto (esperarei passar um pouco o "fervo" em torno do filme)!

    Mas é bom saber q vc (e outros camaradas meus) já aprovaram o filme.... Acho q irei gostar tbm (não tenho sido tão exigente qto já fui pra filmes de heróis atualmente, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Amigo, vc não vai se arrepender de ver no cinema.

      fomos numa sessão hj à tarde e tava bem vazia. É incrível como mesmo uns poucos humanos ainda conseguem ser inconvenientes, mas deu pra abstrair legal...

      e não esqueça Broder: 3D 3D 3D!!! rsrsss

      Excluir
  58. Por falar em filme fodaço, to achando a serie do flash do caramba.Começou meio morna, ms agora no final cada pecinha do quebra cabeça se juntando... eu nao conhecia nada do personagem, nunk li nenhuma hq dele, ms a serie ta muito boa mesmo... recomendo

    Daniel Sam

    ResponderExcluir
  59. "To afim de comprar o deluxe Novos vingadores Revolução. Me da uma luz ai Leo.. vale apena?"


    Oi, Daniel.... Tdo bem?

    Eu já não gostei mto desse arco (Revolução).... E não é algo q eu recomendaria. Não chega a ser ruim, mas tbm tá longe de ser um gibi essencial!

    Ele se passa próximo da "Invasão Secreta" e só valeria a pena se vc tivesse as ed. anteriores dos "Novos Vingadores" Deluxe ("Motim" e "Guerra Civil - não a série principal, mas a ed. só com histórias dos vingadores durante a saga). Se vc não tem essas ed, nem vale a pena começar por essa "revolução"!

    Abs!

    ResponderExcluir
  60. "não gostei dos Vingadores 2. O roteiro é raso e não justifica um filme tão longo. "


    Oi, Bond.... Tdo bem?

    Esse filme tem dividido opiniões mesmo.... Há quem tenha curtido mto (o Zé Carlos mesmo falou mto bem alguns posts acima), mas tbm tenho visto mtas críticas negativas tbm!

    Vou assistir, mas foi bom ter lido opiniões tão diversas.... Assim, não vou com tanta expectativa pro filme, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a melhor coisa Leo,

      acho q se a pessoa for muito 'armada' pra ver o filme isso pode prejudicar a experiência. Eu desliguei o cérebro, voltei a ser criança e curti à vera, eheh.

      Em alguns momentos, os diálogos entre os herois lembram os bons momentos do Bendis nas HQs...

      Abs Zé.

      Excluir
  61. "e não esqueça Broder: 3D 3D 3D!!! rsrsss"


    Aí já é demais pra mim, rs....

    3-D não rola MESMO (detesto filme em 3-D e até por uma questão de problemas de vista, isso é algo q me incomoda). Vai ter q ser em 2-D (e ainda nem é certeza ainda q eu vá - ainda estou "digerindo" a ideia de ir à uma sala de cinema - por enquanto é só uma "possibilidade", rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe, eu tb tenho uma puta miopia e não sou nenhum fã xiita do 3D. Já vi filmes onde o 3D não se justificava ou não acrescentava nada à experiência de assistir (como Godzilla ou Guerra Mundial Z).

      Só q Vingadores eu fiz questão de ver 3D pq as cenas são montadas pra causar mais impacto nessa modalidade. Só pela sequência de abertura já vale!

      Abs Zé.

      Excluir
    2. Eu tenho problemas sérios com o 3D. Não consigo me adaptar direito. Mas vi os "Guardiões da Galáxia" no combo Sala XD +3D e curti bastante. Resolvi repetir a dose com os Vingadores 2.

      Errei feio. Errei rude.

      Só fui adaptar mais ou menos (ênfase no mais ou menos) a vista lá pro meio do filme. E com essa porra de lugar marcado, nem tinha como trocar e ir para uma das últimas fileiras.

      Mas quanto ao filme, concordo com o que foi postado aqui. O roteiro é mais raso do que um pires. Mas por outro lado, é justamente assim que ter que ser um filme de super heróis.

      Achei do mesmo nível do primeiro, mas perde por não ter mais o ar de "novidade".

      Só fiquei um pouco decepcionado com o Ultron, Esperava um vilão mais ameaçador, algo na linha do "Terminator", que quando você via ele surgindo pensava "Caralho fudeu! Corram idiotas!" (rs)

      Excluir
  62. "Por falar em filme fodaço, to achando a serie do flash do caramba."


    Valeu mesmo pela dica, Daniel....

    Verei com certeza o "Flash" tbm (tá na FILA pros próximos downloads, hehe)! Mas antes dele, ainda tem as 2 primeiras do "Arqueiro" pra eu assistir! No mais, tbm conheço pouco do personagem (devo ter só uns 3 ou 4 gibis dele - é mto pouco)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tb curto a série do Flash,

      ela chegou agora com Arrow já na 3a temporada, mas tenho gostado mais dela, pq mergulhou de vez nesse lance de super-heroi.

      Arrow pra mim a 1a temporada deu só uma escorregada no meio mas foi mto boa e a 2a temporada achei ótima do início ao fim. Agora na 3a to achando muito cheia de altos e baixos...

      O Flash tá bem fiel à Era de Prata onde ele enfrentava vilões baseados em fenômenos científicos e tem aspectos da brilhante fase do Mark Waid. Cara, só falta eles colocarem o Vandal Savage na Série, acho esse vilão mto foda!

      Excluir
    2. Já q vc falou no "Godzilla" (logo acima)....

      Queria te dizer q finalmente assisti o FILME novo e (apesar das críticas) até q eu gostei. Claro, q achei até desrespeitosa a forma como mataram o Bryan Cranston no filme (q morte imbecil, puta merda: morreu q nem um figurante). Mas o filme em si foi BEM melhor q aquela versão anterior (q era nojenta de tão ruim) e seguiu o padrão dos filmes antigos do godzilla (é um filme pra fãs das antigas q nem eu)!

      Abs!

      Excluir
    3. Pois é Leo,

      agora vc entendeu pq eu sorria qdo vc dizia q ia ver Godzilla por causa do Cranston... eu nem podia te alertar sem dar um puta spoiler.

      Eu gostei do filme, tem coisas positivas como vc falou e gostei do lance do monstro ser abordado como uma força da natureza. Infelizmente acho 1 o filme como um todo ficou mediano e desrespeitoso pelo mesmo motivo q vc disse... desperdício de um grande ator tratado como figurante.

      Queria te recomendar q vc visse no Youtube o video "Everything wrong with Godzilla" do Cinema Sins. É muito foda! A crítica q ele faz sobre a morte prematura do ator no filme é impagável. Ele dá uma aula de falha de roteiro tb.

      Abs, Zé.

      Excluir
    4. Anotei a sua dica de vídeo então (parece interessante mesmo).....

      E a tal morte foi ainda mais desrespeitosa se levarmos em conta q uma boa parcela do público foi assistir ao filme SÓ por causa do ator (recém saído do MELHOR seriado de TV de todos os tempos)! Acredito q mta gente tenha levantado da poltrona e saído do cinema após a morte ridícula!

      Abs!

      Excluir
    5. Bem o Vandal Savage vai deixar de ser ciêntífico se ele aparecer na série rsrs.
      Mas estou gostando dos dois.E claro,quando a série tem uma temporada muito boa,com certeza a série vai acabar decaindo um pouco na próxima.É sempre difícil continuar sendo "foda" depois de uma temporada "impecável".Mas está melhorando e muito nesta reta final a terceira temporada.E também desistências dos atores acabaram mudando um pouco o rumo dos personagens e da temporada,como o Arsenal,onde o ator foi gravar um filme grande com o Dwayne Johnson, San Andreas.

      Fernando

      Excluir
    6. Um cara hoje escreveu algo interessante no face que resume bem porque a série do flash é tão legal: "Demolidor é uma excelente série de tv baseada num gibi, que adapta muito bem. Mas The Flash é praticamente UM GIBI NA TV, acontecendo ali semanalmente". É difícil ser "nerd" e não curtir esse seriado.

      Excluir
    7. Sabe que ultimamente estou vendo bastante ator que fez filmaços fazer boas séries mas acho que de atores que fazem series dificilmente vi um grande filme. (Quem sabe o Bruce Willis, kkkk)

      Excluir
    8. Ah tem o Cranston,que trabalhou bem no filme Drive por exemplo.Mas no Godzila foi mesmo de matar rsrs.

      Fernando

      Excluir
  63. João Lucas30/04/2015 10:12

    Vou conferir essa hq. Acho que super heróis funcionam melhor assim. Com histórias fechadas, ao invés de cronologias intermináveis. E para melhorar, ainda tem a arte do Alex Deus Ross. Como resistir? rs

    Ps: Acho hilário que a Image tenha começado um monte de modinha nos anos 90, mas acabou evoluindo bastante, superando até a DC/MARVEL.
    Enquanto isso, as duas "grandes" continuam seguindo as mesmas modinhas dos anos 90 da Image até hoje. Patético kkk

    ResponderExcluir
  64. Claudio Gustavo30/04/2015 17:46

    Beleza Léo :
    Acho que o saudoso Trimpe foi o pior dos melhores e não o inverso e creio que merece muito mais reconhecimento do que recebe. E a última arte do seu post sobre ele o sombreado lembra muito Steranko.
    .Como alguns poucos acima eu também acho esta Astro City supervalorizada.
    Acho as histórias fracas e a arte idem. Achei do pouco que li, algumas histórias boas ( Jack In The Box), outras horríveis (a águia e a montanha, vida na cidade guia do visitante), mas a arte não ajuda. O que se salva são os conceitos dos personagens. Mas isto não é suficiente para torná-la boa, na minha opinião.
    As capas sim que são um show a parte.
    Abs !

    ResponderExcluir
  65. "Rambo é tão bom quanto Nascido para Matar. Talvez até melhor, dentro do que se propõe."


    Isso é verdade, SEMI.....

    Sou fanzaço dos 2 filmes, e acho q ambos cumprem mto bem suas funções (atendendo ao público q - convenhamos - só assiste filmes de guerra pra ver sangue jorrando e um monte de gente morrendo mesmo, rs)!

    "Rambo" e "Nascido" possuem estilos BEM diferentes dentro do mesmo gênero.... Mas são igualmente excelentes em suas propostas!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando era pequeno, gostava mais de Rambo 2, mas hj mais maduro, prefiro o First Blood. A trama densa é um tapa na cara do "orgulho americano"...

      Mas claro q sou amarradão nos 2 filmes. Rambo 2 tem roteiro de James Cameron, então dá pra entender a escalada da ação. Ele é famoso por turbinar continuações (Aliens e Exterminador).

      Excluir
  66. "O problema dessas editoras pequenas é que elas lançam séries desconhecidas com um preço relativamente alto e sem a menor perspectiva de continuidade."


    O mercado de gibis pras editoras é uma faca de 2 gumes mesmo, SEMI.....

    Qto menor a editora, mais dificuldades ela terá em competir com os mesmos preços das grandes editoras.... Pois tem mtos fatos q influenciam no preço, sendo o principal deles a tiragem. Uma tiragem pequena vai encarecer o produto, enquanto uma tiragem grande corre o risco de encalhar e gerar um prejuízo imenso pra editora (mtas já faliram calculando mal essas equações)!

    No meio desse fogo-cruzado.... Está o leitor: Que tbm não tem culpa dos preços altos estampados na capa dos gibis de menor apelo comercial. E acima de todos (leitores e editoras pequenas) estão as grandes editoras - q tbm não tem interesse em publicar o material q as pequenas publicam à preços elevados!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoje falei com um amigo indicando o "Blacksad" que reli nesses dias. O material é excelente, mas saiu caro. É uma edição fininha em capa cartonada que saiu por 14 pratas em 2006.

      Lembro que na época vi na banca, cheguei a me interessar, mas descartei pelo valor. Acabei pegando anos depois (acho que na Banca 2000).

      Até hoje não entendi o preço alto daquelas edições. Deve ter sido a tiragem mesmo. E acabamos sem o restante da série...

      Excluir
  67. "Poxa Leo, assim que vc vir o filme cria um post com spoiler liberado p/ gente poder discutir o filme Brou!!!"


    Boa ideia, ZÉ Carlos....

    No momento, nem tenho como participar e responder comentários relacionados à um filme q eu ainda NÃO vi (e talvez ainda demore pra ver)! Mas assim q possível posso seguir a sua sugestão sim. Valeu!

    Abs!

    ResponderExcluir
  68. "Essa fase é tão boa que eu consigo até relevar o mala do "Justiça" na formação."


    Puta personagem chato mesmo, hein?

    E totalmente sem-sal (nem foi cogitado pra coleção de "miniaturas", rs).... Mas de fato, a fase Busiek/Pérez é tão boa, q passamos a relevar o personagem!

    Abs!

    ResponderExcluir
  69. "É sempre difícil continuar sendo "foda" depois de uma temporada "impecável"


    Isso é verdade, Fernando.....

    Uma temporada MUITO fóda de qq série: Vai acabar sendo uma "marca a ser quebrada" nas temporadas seguintes. Atualmente, tenho notado isso em "Walking Dead" (q já anda patinando pra apresentar cenas cada vez mais impactantes e q fujam da rotina). "24 Horas" passou pelo mesmo problema: Lá pelas tantas, já não dia mais como tornar o dia do Jack Bauer ainda pior e mais tenso q o anterior, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  70. "E para melhorar, ainda tem a arte do Alex Deus Ross. Como resistir? rs"


    Oi, João Lucas.... Tdo bem?

    A HQ é mto boa sim.... Mas é importante deixar claro q a ARTE não é do Alex Ross (ele só faz as CAPAS). Quem desenha a série é o Brent Anderson (postei uma arte dele no final da matéria - eu acho ele um ótimo artista tbm)!

    E de fato.... A Image tem hj algumas das melhores HQs do mercado (uma tremenda ironia do destino mesmo, hein)?

    Abs!

    ResponderExcluir
  71. "Acho que o saudoso Trimpe foi o pior dos melhores e não o inverso e creio que merece muito mais reconhecimento do que recebe. "


    E aí, Claudio.... blz?

    É verdade: Infelizmente, na maioria dos casos, um artista só acaba tendo um maior reconhecimento após sua morte.... Herb trimpe foi um bom exemplo dessa teoria: Somente agora q ele morreu, é q sua obra anda sendo" redescoberta" pela mídia (aqui e lá fora)!

    E pra vc ver como os gostos pessoais de cada um variam mto mesmo.... Eu já acho "A Águia e a Montanha" simplesmente a MELHOR história do "Superman" (na pele do "Samaritano") q eu já li, rs. Eu à coloco à frente até do "Que Aconteceu com o Homem de Aço" (Alan Moore) e do "Supremo" (tbm do Moore)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  72. "Hoje falei com um amigo indicando o "Blacksad" que reli nesses dias. O material é excelente, mas saiu caro."


    Já me recomendaram esse material tbm aqui no blog (numa postagem do ano passado q fiz sobre "Séries Inacabadas" no Brasil)....

    Anotei o "Blacksad" pra q se algum dia republicarem de novo, aí eu encaro.... E acredito q o alto custo dessas ed. devia ser pela baixa tiragem mesmo!

    Abs!

    ResponderExcluir
  73. "Mas The Flash é praticamente UM GIBI NA TV, acontecendo ali semanalmente". É difícil ser "nerd" e não curtir esse seriado. "


    Legal essa comparação, rs....

    Já vi alguns episódios isolados do "Flash" e gostei mto.... Num deles aparecem os 2 irmãos do 'Prison Break" (um deles como "Cap. Frio") e em outro apareceu o "Grodd" (mto show)!

    Assim q eu terminar de baixar e assistir as 2 primeiras do "Arqueiro".... Partirei pra essa do "Flash" (intercalando com a 3º do Oliver, como já me recomendaram)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  74. "mas acho que de atores que fazem series dificilmente vi um grande filme."


    Ué, mas teve tbm o Pierce Brosnan (q começou num seriadinho meia-boca de TV: "Remington Steele")!

    Dos seriados mais recentes é difícil mesmo tirar atores q se deram bem no cinema.... Mesmo com todo o sucesso de "Lost" na época, ninguém do elenco chegou a emplacar pra valer no cinema!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O James Bond anterior Roger Moore tb era ator de seriados na Inglaterra como Ivanhoé e o Santo antes dos filmes de 007.

      Cesar Leal

      Excluir
    2. Timothy Dalton só foi James Bond porque Pierce Brosnan estava indisponível devido a "Remington Steele". Quando a série acabou, ele assumiu o posto.

      Tem a Helen Hunt, que saiu de sua série para ganhar um Oscar (merecidíssimo).

      Michael J. Fox conciliou as gravações de "Caras e Caretas" com "De Volta para o Futuro".

      Não esqueçam que Tom Selleck deixou de ser Indiana Jones para continuar sendo o Magnum (oh god).

      E não esqueçam do maluco no pedaço Will Smith que hoje em dia é um dos grandes astros hollywoodianos,

      O negócio é que financeiramente, na década de 90 as séries eram mais vantajosas. E hoje em dia, além do aspecto financeiro ainda tem o artístico.

      Séries nunca foram tão valorizadas quando atualmente. Tiraram até Kevin Spacey da aposentadoria.

      Excluir
    3. Cesar e SEMI....

      Vcs tem razão.... São vários os exemplos q poderíamos citar nesses casos de atores de "Cinema X TV"!

      Apesar das exceções citadas.... no geral é difícil essa transição angariar destaque aos atores de uma mídia pra outra!

      Abs!

      Excluir
  75. "Quando era pequeno, gostava mais de Rambo 2, mas hj mais maduro, prefiro o First Blood."


    Eu tbm preferia o 2º qdo moleque (pq tinha mais mortes e ação, rs).... Mas revendo os 2 hj, nem se compara: O 1º tem um roteiro MUITO melhor! Tenho os 2 primeiros em DVD (pulei o 3 -q eu acho ruim - e comprei o 4 em DVD, q tbm é mto bom)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquela história... Rambo 1 não é Rambo. Ganhou até um subtítulo de "Programado para Matar" sendo que ele mata apenas um cara (e mesmo assim, sem querer querendo).

      No segundo filme é que o personagem foi (sub)desenvolvido e virou a máquina bélica que todos adoramos (rs).

      Excluir
    2. É q o 1º filme era baseado num livro.... Onde o "Rambo" até morre no final. O Stallone chegou a rodar essa cena da morte (tem no youtube), mas ainda bem q decidiram deixar ele vivo (ficou até mais impactante assim: ele sendo preso ao invés de se matar covardemente com um tiro)!

      Aliás, esse é um dos raros casos em q o FILME ficou MELHOR q o livro, rs....

      Abs!

      Excluir
    3. Rambo 1 gosto muito, mas o 2, o 3 e o 4 acho insuportáveis, kkkk

      Excluir
    4. Curioso que o primeiro filme é uma crítica ao governo, o modo como trata seus ex-combatentes, e a guerra do Vietnã.

      No segundo e terceiro ele vira um soldado invencível a serviço desse mesmo governo, rsrs.

      Excluir
  76. "Curioso que o primeiro filme é uma crítica ao governo"


    Pior q é mesmo, Nano.... Há uma tremenda incoerência entre o 1º filme e suas sequências!

    Fora as críticas ao governo e as questões sócio-políticas.... no 1º "Rambo" o personagem era mais "realista" (humano, emotivo, e sofria ferimentos físicos). Já do 2º em diante ele passa a ser praticamente um "superman" de metranca na mão, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  77. É que no segundo filme, depois de um tempão sem molhar o biscoito, os "charlies" mataram a menina que ele queria enfiar a arma. Aí ele amarra a faixa na cabeça, pendura o colar dela no pescoço e fujam para as colinas pois Rambo é capaz de ganhar sozinho uma guerra que os EUA perderam!!!

    Mas no final do filme ainda cabe um discurso-desabafo meio ridículo contra o governo, para não deixar a questão política de fora.

    No terceiro filme, ao detonar os soviéticos no Afeganistão, ele abre caminho para o regime talibã. rs

    Bem que no Rambo 4 o Coronel Trautman podia ter aparecido no melhor estilo Obi-Wan para orientar seu pupilo. Salvaria o filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas o ator q fazia o Coronel Trautman (Richard Creena).... Morreu antes de rodarem o "Rambo 4":

      Se estivesse vivo, acho q teria sido convocado pro filme sim....

      Abs!

      Excluir
    2. Justamente por isso tinha que ter tido uma participação "Obi-Wan". rs

      Excluir
    3. Na época do WTC, eu e meus amigos da faculdade revimos Rambo 3 justamente com essa vibe. Não deixava de ser irônico ver o Rambo ali ajudando o "osama" a expulsar os soviéticos e assumindo o poder, rsrs.

      (o que não é nenhuma novidade na história americana: foram eles também que colocaram o saddam hussein no poder, e vejam só no que deu...)

      Excluir
  78. Eu adorava o Trautman, ele tinha uma confiança inabalável na capacidade do Rambo. Uma das melhores falas do filme é dele. O xerife pergunta: "onde Deus estava com a cabeça quando criou esse sujeito?", aí o Trautman surge do nada: "não foi Deus que criou o Rambo, eu criei!"

    Cara, eu gostaria de ver uma história mostrando o jovem Trautman em ação, se ele treinou o Rambo, imagina quão foda ele era...

    Às vezes eu fico na minha cabeça escrevendo essas histórias imaginárias com prequels e sequências de filmes q eu gosto.

    Abs, Zé.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porra.... Pior q seria interessante pra caramba um filme prequel com o jovem Trautman mesmo, hein?

      Ótima ideia pra um filme, e com certeza teria de ser alguém ainda mais fóda q o próprio "Rambo"! Incrível os produtores de Hollywood nunca terem pensado nisso antes!

      Abs!

      Excluir
    2. Com certeza Leo,

      a própria história do Rambo é mto interessante, ele tem ascendência indo germânica! Quem será q era indiano, o pai ou a mãe? Quem era alemão? O pai dele provavelmente tb foi militar. Isso tb dava uma história interessante...

      Eu gostaria q o Last Blood fosse um retorno às origens do 1o filme, q fosse uma história intimista, mas pelo q já li vai ter traficante mexicano, então lá vem sangue e morte aos borbotões, né? (Sono...)

      Excluir
  79. Deixo meu comentário só pra elogiar a matéria.
    Imensa riqueza de detalhes sobre a obra me deixaram ainda mais empolgado para a leitura.

    Parabéns Léo e Nano. Excelente texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Daniel.... blz?

      Brigadão mesmo por ter curtido as 2 matérias.... E espero q vc tbm aprecie a leitura da série (o Vol. 2 de "Astro City" já foi confirmado pro mês q vem, rs)!

      Abs!

      Excluir
  80. Comprei a revista por causa da matéria do site e não me arrependi,parabéns o blog é demais continue assim pois os elogios e críticas são muito coerentes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí..... blz?

      Muito obrigado mesmo por ter curtido esta postagem.... E por estar acompanhando o blog. Espero q vc goste tbm das próximas matérias q estaremos preparando pros próximos dias: Os lançamentos e novidades mais importantes e relevantes do mercado serão comentados e avaliados aqui no "Submundo"! Valeu mesmo!

      Abs!

      Excluir
  81. "Não deixava de ser irônico ver o Rambo ali ajudando o "osama" a expulsar os soviéticos e assumindo o poder, rsrs."


    Esse filme deve ser execrado pelos próprios americanos hj em dia, rs....

    Mas realmente, não é nenhuma novidade essa atitude por parte dos EUA: Invadir países, derrubar governos, e incentivar a indústria armamentista no mundo todo é um dos principais negócios comerciais desse país (e eles vão continuar fazendo isso sempre e ainda posando de "defensores da liberdade")!

    Abs!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...