06/11/2015

"Star Wars - Sombras do Império": O Filme Que Não Existiu....

O "Submundo" apresenta.... Mais uma matéria especial produzida pelo Cesar Leal (colaborador do blog) sobre o projeto multimídia que foi: "Star Wars - Sombras do Império" (o Vol. 39 da Coleção Deagostini)!

A trama se passa entre os filmes: "O Império Contra-Ataca" e "O Retorno de Jedi".... E o projeto teve início em 1996: Rendendo um LIVRO (lançado recentemente pela Aleph), uma adaptação pra HQs (capa acima da Deagostini), vídeo-games, e outros produtos interligados!

Confira abaixo:

Por ter assistido a saga de Star Wars quando foi lançada originalmente nos cinemas, tenho um vínculo singular com a história e os personagens que gerações posteriores não tiveram. É fato que, por mais que fãs tenham nascido com os filmes assistidos nos canais de TV aberta e posteriormente através de vídeos ou DVDs, ou ainda relançados nos cinemas com cenas alteradas, não há o tipo de ligação emocional como a de quem descobriu os mistérios da força no tempo em que não haviam blockbusters a cada semana ou tanta informação acerca dos filmes enquanto eles ainda não estão prontos. Na época, para os ávidos consumidores, houve muito material relacionado à estreia de "Guerra nas Estrelas". Lembro de ter começado a colecionar o álbum de figurinhas no mesmo dia que saí do cinema (faltei apenas duas para completar), pena que em alguma mudança ele acabou por se perder nas areais do tempo. Comprei também a adaptação do filme lançada pela BLOCH, uma edição em quadrinhos maior que as revistas que existiam na época e mesmo as cores berrantes não me incomodavam tanto. Teve um livro com a história escrita pelo próprio George Lucas (no nome ao menos, já que era na verdade trabalho do Alan Dean Foster como “ghost writer”), um encadernado com fotos do filme, bonecos de papel de C3PO e R2 em uma edição da revista: “Destaque e Brinque” da Abril. Numa época em que material ligado à cinema não era muito encontrado no Brasil, esse foi um indicativo do grande sucesso do filme.

Mas se tem um ponto negativo no fato de ter estado presente ao lançamento original, foi o hiato após o frisson do primeiro filme ter passado, lembro que havia ecos do sucesso, como: "Os Trapalhões na Guerra dos Planetas”, e uma ou outra menção em mídias diversas (não vou mencionar o malfadado especial de natal para a TV que passou no SBT), mas nada concreto até o “Império Contra Ataca”. Nos EUA haviam alguns livros que começaram a pintar o futuro “universo expandido”, bonecos dos personagens, a série de quadrinhos da Marvel e até tiras de jornal, mas nada disso foi traduzido para português na época. Não haviam sequer muitas notícias sobre a saga, o que soa estranho nos dias de hoje com a internet e divulgação em massa. E quando se percebe que no início do segundo filme tinha a chamada de “Episódio V”, (tal fato passou meio desapercebido no anterior), isso gerava muitos questionamentos: afinal onde estavam os Ep. I, II e II? Do que se tratava a história? A Indústria do boato atestava inclusive que existia um episódio "zero" e que era nele que se mostrava a origem de Darth Vader. Outra grande onda de lançamentos relativos a Luke & CIA somente veio com o terceiro filme da saga. A emoção de um lançamento de Star Wars no cinema, e ainda por cima um que fechava pontas soltas dos anteriores, gerou novamente um álbum de figurinhas (essa ainda tenho), revistas para colorir, livros com a história (dessa vez sem o Lucas fingir ter escrito), máscaras de carnaval, bonecos feitos de chumbo que pouco se pareciam com os oficiais, mas tudo era válido. E depois... nada.

A Editora Abril lançou algumas histórias da Marvel no mix da revista do "Hulk" muitos anos depois, mas só isso. E essa é a grande desvantagem de ter se tornado um fã de Star Wars nesse período: não havia absolutamente NADA de novo. Os boatos sobre novos filmes de Lucas eram somente isso: boatos. Somente com reprises na TV é que se gerava alguma conversa sobre o assunto, que eram menores a cada nova reprise. E a franquia realmente parecia ter cumprido seu ciclo. Somente em meados dos anos 90 é que Star Wars voltou a ter importância. O início do universo expandido com novos lançamentos em livros e quadrinhos da Dark Horse. Podíamos ver novamente: Luke, Leia, Solo, Chewbacca e Vader. Não eram lançamentos de cinema com toda a carga emocional (e comercial) que isso gera, mas eram novidades que mostravam que a franquia ainda tinha Força (com o perdão do trocadilho). Algumas delas vieram em versões brasileiras, como a trilogia de Timothy Zahn: “Herdeiro do Império” pela Nova Cultural e a HQ: "Império do Mal" (Dark Empire) lançada pela Abril. 

Em uma época em que comprar quadrinhos importados deixou de ser uma impossibilidade e trazer livros pela Amazon para o Brasil era viável (a paridade entre o dólar e o real também eram de grande ajuda) cada novo lançamento, série, saga, livro, eram acompanhados por fãs do mundo inteiro, mas nenhum deles era um filme, com a grandiosidade e possibilidades comerciais. Na verdade, a empresa de Lucas também percebeu esse fato e na falta de lançamentos cinematográficos veio: “Sombras do Império”, saga que teve agora sua versão em quadrinhos publicada no Vol. 39 da Coleção Degostini (em uma boa jogada editorial que fará a versão brasileira ser mais completa que as originais lançadas na Espanha e Portugal).

“Sombras” foi algo sem precedentes na indústria de entretenimento... uma história que se posicionava entre “Império” e “Retorno” e se propunha a ligar os acontecimentos dos dois filmes e mostrar várias coisas que ficaram apenas subentendidas. Como Leia criou a identidade que ela usa em “retorno”? Como Fett levou Solo para receber sua recompensa? Como Luke amadureceu do inseguro aprendiz (a expressão "padawan" veio depois) no  jedi que arquitetou um plano mestre para libertar Solo das mãos do insidioso Jabba? Logo nas cenas inicias dele em “Retorno” ao adentrar o castelo do criminoso ele já tem uma atitude bastante segura. Era interessante mostrar essa transformação, mas não se tratava de se fazer isso apenas em uma nova série de quadrinhos ou num livro, e sim num grande projeto para explorar todas as possibilidades comerciais de um filme de verdade... SEM um filme de verdade. 

O plot principal era contado no livro, escrito habilmente por Steve Perry, onde se viam os personagens principais e secundários com um plano de fundo de uma disputa política entre Vader e o líder de uma facção criminosa: Príncipe Xizor, pela posição de confiança ao lado do Imperador, enquanto o caçador de recompensas Boba Fett enfrenta dificuldades para levar seu prisioneiro Han Solo para as mãos de Jabba (afinal, todos os mercenários da galáxia querem colocar as mãos na recompensa oferecida) os heróis também procuram por seu amigo e começam a perceber a existência da construção de uma nova Estrela da Morte.


Os personagens clássicos ganham a adição de novos: o príncipe Xizor e sua organização Sol Negro, sua andróide Guri, protagonista da máxima de que uma imitação de vida pode conter a vida que imita, e talvez o grande ponto fraco da trama: Dash Rendar, um mercenário, falastrão com uma nave e personalidade copiadas de Han Solo. Sua presença na história é exatamente para substituir o personagem de Harrison Ford e apenas demonstra ser desnecessário. Mas, apesar da presença de Rendar, a história é bem amarrada e interessante. Um novo capítulo da saga que gera dois questionamentos. O livro é auto contido? Sim! Mostra TODOS os acontecimentos da trama? Não! E aí está a sacada de “Sombras”: cada elemento é independente e mostra a trama de forma compreensível, mas para o leitor realmente conhecer todas as nuances e elementos da história ele teria que acompanhar o máximo de lançamentos relacionados. O plot principal estava em todos os produtos, mas o foco mudava em cada narrativa.

Enquanto o livro mostrava com mais detalhes a disputa entre Vader e Xizor, inclusive com a preocupação do Lorde Negro em preservar a vida de seu filho para usá-lo contra o Imperador, a HQ centrava com mais detalhes a trama de Fett e o destino dos caçadores que foram vistos em uma cena de “Império Contra Ataca”, bem como a saga de Jix, um assistente de Vader infiltrado na gangue de Jabba. Um livro pop-up (onde as figuras saltam das páginas em dobraduras de papel), era centrado somente no duelo entre Fett e IG-88 (um caçador de recompensas robótico). Paralelamente, partes da história vistas pela ótica de Rendar são mostradas no jogo para PC, quando se detalha a ajuda dele aos rebeldes para libertar Leia das garras de Xizor e depois ao proteger Luke de uma tentativa de assassinato em Tatooine onde este constrói seu novo sabre de luz verde, para substituir o azul que perdeu em “Império” enquanto espera a chegada de Fett ao palácio de Jabba para iniciar o resgate de seu amigo.

Outros lançamentos também aumentavam a imersão na história: uma série de cards com pinturas dos irmãos Hildebrandt mostravam detalhes da história de forma magistral com passagens do livro, HQ e jogo. Bonecos foram lançados com os personagens novos e versões dos clássicos. Naves como a Slave I de Fett e o Outrunner de Dash Rendar também eram achadas em lojas de brinquedos. Uma mini HQ lançada pela Nintendo para contextualizar o jogo. Um kit de montar da Revell com a nave de Xizor, a Virago, e... um CD com a trilha sonora. Sim, na época John Williams foi sondado para fazer a trilha sonora da trama do filme que não existe, mas como estava com conflitos em sua agenda passou a tarefa para Joel McNeely, que fez um trabalho soberbo. Até mesmo um trailer foi idealizado para a saga, mas retirado do ar por parecer muito com um novo lançamento em cinemas e Lucas não quis testar tanto assim o mercado com um filme que não existiu na prática. Meio difícil de se achar hoje em dia com uma imagem decente, mas que pode ser conferido neste: "LINK"!

Em resumo, a coisa funcionava da seguinte forma: a aventura era mostrada em todos os produtos, mas se o fã quisesse se aprofundar nas motivações de Vader e Xizor o livro era a melhor opção. Se o interesse fosse em mais detalhes do que ocorreu com Boba Fett ou Jix deveria procurar a HQ. Se quisesse a visão mais aventuresca do duelo de Fett e IG-88 o livro pop-up era a solução. Se o mais interessante fosse as ações de Dash Rendar teria que zerar o jogo (maldita fase contra Boba Fett... Droga... Droga...). Para viajar nas emoções dos personagens se procurava a trilha sonora. E assim por diante. Mas se você fosse um nerd com toque de verme e queria TODOS os menores detalhes, acredite que falo por experiência própria, seu caminho seria loooooongo, caro Padawan. Independente de não ter sido o melhor produto do universo expandido: foi um sucesso. Fãs comentavam cada um dos lançamentos e comparavam experiências de cada faceta da trama como se estivessem conversando sobre um novo filme de Star Wars. George Lucas chegou a dizer que não só aprovou o resultado como se pudesse voltar à 1980, faria um filme com a história. 

O projeto ainda gerou frutos como uma continuação em HQ da andróide Guri e outra com detalhes sobre Jix. Em uma versão de rádio de “O Retorno de Jedi”, foram enxertadas várias passagens que faziam menção aos acontecimentos de “Sombras”. Dash aparece em outros jogos criados posteriormente pela Lucas Arts e na versão alterada de “Uma Nova Esperança”, nas cenas extras criadas para a nova edição do filme podemos ver a nave de Rendar em Tatooine, bem como Xizor na plateia da corrida dos pods em Episódio I. Curiosamente, o que poderia ser o mais interessante: uma versão animada, não foi lançada. Na época, a franquia não investia em desenhos animados. A Aleph já relançou o LIVRO com uma lindíssima capa exclusiva para a edição brasileira (acima). O Pop-Up também saiu por aqui com o nome: “Batalha dos Caçadores de Recompensa”. 

Na época, um amigo meu tinha viajado para os EUA e trouxe um CD de “Sombras”, lembro que baixar músicas pela internet não era comum e quando ele me mostrou o CD atiçou meu lado Nerd. - HÁ! Olha o que encontrei em uma loja de CDS... Ia trazer para você também, mas eles só tinham UM em estoque, e... ele é meu, mas trouxe essa coletânea do Williams para você, sei que não é a mesma coisa. -Poxa, que legal, já ouviu? - Não... deixei para abrir a embalagem aqui no Brasil para preservar o CD. Ao abrir o plástico em torno da caixa do CD, com direito a paradinha ao tirar a fita do lacre da embalagem, a caixa é aberta e... NADA. Por algum defeito de fabricação o CD não estava dentro do estojo... eu tentei não rir da situação... juro... mas tudo que pude dizer foi: - Se você quiser ir beber uma água eu espero você sair antes de começar a dar risada, tá? Anos depois eu consegui minha cópia do CD  (e meu amigo também) e Lucas lançou suas versões alteradas da trilogia clássica nos cinemas, em seguida, com toda pompa e circunstância, veio "Episódio I" com seu álbum de figurinhas, bonecos e outras tralhas. Lucas nos entregou uma história que começa com um embargo comercial à um planeta cujo um dos habitantes se chamava Jar-Jar Binks... E minha geração percebeu que a falta de lançamentos de novos filmes de Star Wars nos cinemas... não tinha sido uma coisa tão ruim assim!

Até+

PS: O "Submundo" agradece a colaboração do Cesar Leal nesta matéria especial de "Sombras do Império" (A HQ da Deagostini já está nas bancas e o LIVRO da Alpeh nas livrarias - Recomendo ambos)! E a seguir aqui no blog: A volta do "TOP 100" (Partes 3 e 4) e uma matéria sobre a "CRISE nas INFINITAS TERRAS"!!!

90 comentários:

  1. Eu comorei a trilha sonora na epoca... Até trilha sonora como se fosse um filme foi lançado, kkkk. E naquela epoca era dificil encontrar coisas de Guerra nas Estrelas por aqui. Ainda bem que estou dando conta de ler o que está sendo lançado. Cheguei a empacar nos vol 15-25 mas nada que uma semana dedicada não colocasse a leitura em dia. Preciso ler as edições 34 e 35 que as 4 proximas vão chegar para mim na segunda.

    Estou lendo agora Thor o Ultimo Viking com o arco da chegada do alienigena Bill Raio Beta (ô nome feio,kkk) e nesse sabado devo ler a do Falcão da Salvat vermelha e emendar com a do Guerra nas Estrelas, que como disse quero terminar antes que chegue as de numero 36-39. A unica coisa chata é que não estou gostando das historias desse arco Império e tempos negros.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu Deus li a saga do billraiobeta ha mais de 20 anos kkk isso ainda é lançado?kkkk

      Excluir
  2. "Estou lendo agora Thor o Ultimo Viking"


    E aí, gustavo.... blz?

    Essa é mais uma ed. da Salvat q eu vou pular por já ter a versão da Panini.... Mas é mesmo um arco excelente do "Thor" (e q deu início à fase do Walt Simonson)!

    A "Coleção SW" (Deagostini) pra mim, começa a melhorar agora, com: "Sombras", "Herdeiro 1-2", "Império Negro 1-2", "Império Vermelho 1-2", e "Academia Jedi" (Devo encarar todas essas em sequência)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  3. Oi Leo!

    Parabéns a você e ao Cesar Leal pela excelente matéria! Usando inclusive no texto memórias de uma época hoje impensável para a geração que já nasceu na era da internet que hoje já está na fase adulta.

    Nós que somos de outros tempos, sabemos realmente como era a ansiedade, e a imaginação por um determinado filme ou HQ, e a busca e especulações por informações numa época hoje considerada pré-histórica.

    Fascinante esta publicação, muito interessante mesmo por pertencer ao universo "expandido' de Star Wars, que na maioria das vezes chega a ser até melhor que os recentes filmes da saga (não estou mencionando este último é claro, já que não o assisti!).

    Gostaria de estar numa situação econômica melhor para ter feito também esta coleção, mas os altos preços decada volume somado à periodicidade agora semanal, e a avalanche de títulos lançados todos os meses nas bancas e livrarias fazem você ter de optar por este ou aquelçe outro título e infelizmente alguns deles e coleções precisam ser limadas doa lista de compras.

    Acho curioso o fato da Planeta DeAgostini não relançar esta coleção como faz a Salvat, para assim angariar novos colecionadores, ou ajudar aqueles que não puderam comprar um ou outro exemplar.

    Não sei como as coisas estão pelo Brasil afora, mas aqui na minha cidade as HQS estão chegando muito atrasadas, hoje que eu comprei o volume dois de "Astro City", e "Massacre" nem deu as caras por aqui ainda. Não sei se é a distribuidora ou a crise econômica atual, mas as revistas estão atrasando mais de duas semanas para chegarem aqui após o lançamento em São Paulo.

    A Eaglemoss também está nessas, e ainda não chegou aqui a "Torre de Babel " da Coleção da DC, e milagrosamente chegou o "Sr. Milagre" (Perdão, mas eu não resisti ao trocadilho!).

    Peça bacana, muito bem feito, principalmente a pintura da roupa "psicodélica" do herói! Ele é mais berrante nas cores do que nas fotos da peça

    Porém, ainda não veio o "Nova"(o da Marvel que deve ser lançado por aqui!)

    A Panini não perdeu tempo e "despejou" uma porrada de lançamentos neste mês, e até o "Homem Máquina' saiu da toca, já que esta edição está prometida desde antes do meio do ano.

    Isso sem mencionar o "Batman de Neal Adams" que também apareceu do nada!

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Leo, desculpa aí ser offtopic, mas eu tenho a Panini Massacre de Mutantes de 2013. Será q essa Panini Massacre q está nas bancas (vc comentou em tópico passado) tem conteúdo idêntico? Saberia me dizer?
    Grato.
    Junior DF

    ResponderExcluir
  5. "Nós que somos de outros tempos, sabemos realmente como era a ansiedade, e a imaginação por um determinado filme ou HQ, e a busca e especulações por informações numa época hoje considerada pré-histórica."


    Oi, Elcio.... Tdo bem?

    Valeu mesmo por ter curtido a matéria.... Eu tbm gosto de textos assim, q nem esse do Cesar: Relatos com impressões pessoais de uma época (vivenciada pelo autor). Só quem viveu mesmo um período SEM internet pra saber o prazer e a emoção q coisas hj tidas como banais nos traziam: A ansiedade e busca por informações sobre determinado filme ou gibi, o impacto q a morte de um personagem nos deixava, a felicidade de conseguir uma simples figurinha rara de um álbum, e o imaginário coletivo diante de uma franquia como "Star Wars" em plenos anos 70 e início dos 80 (qdo filmes assim com efeitos especiais e grandiosidade épica eram artigo de luxo)!

    Pras novas gerações q tiveram sua infância já com a internet bombando e com mega-produções do cinema estreando todos os meses.... o impacto dessas pequenas coisas certamente será menor: Ainda mais com a velocidade da informação (q nos permite saber quase tudo a respeito de um filme antes mesmo dele estrear). Eu até evito ficar lendo essas punhetações de filmes em outros sites/blogs: flagrantes de atores no set de filmagens, boatos sobre a trama e especulações diversas.... Passo longe dessas merdas todas, pois isso só reduz ainda mais qq surpresa (agradável ou não) q eu possa ter ao assistir o filme!

    Sobre a ed. em si de "Sombras do Império".... Se possível, eu te aconselharia a tentar pegar ao menos essa edição: Pois ela independe do resto da coleção Deagostini (tanto é, q nem saiu em outros países). Eu comprei essa ed, e pretendo comprar tbm o LIVRO (na Black Friday): Pra apreciar 2 momentos distintos dessa mesma saga!

    Sobre os atrasos nas bancas.... Saiba q aqui no sul a situação tbm tá assim: Só mudam os títulos atrasados (q variam de região pra região). Pra vc ter uma ideia, nas miniaturas DC: Ainda não veio a "Canário" pra cá (e nem tem previsão ainda). Mas gostei de saber q essa do "Milagre" ficou bacana (tá na minha reserva tbm, e vou pegar todas essas com personagens do REI Kirby)!

    E sério q o "Batman de Neal Adams".... Já apareceu por aí? Caramba, q viagem isso (por essa eu não esperava, rs). Mas isso pode significar q o do Rogers deva atrasar agora (eu "acho")!

    Abs!

    ResponderExcluir
  6. "eu tenho a Panini Massacre de Mutantes de 2013"


    Oi, Junior.... O conteúdo não tem nada a ver com o "Massacre" q saiu agora!

    Qdo eu falei da nova ed, eu postei tbm a lista com o conteúdo dela (tem uns 10 anos de diferença pra mais entre uma saga e outra)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  7. Essa postagem eu vou deixar pra depois e ler com muuuuita calma...

    ResponderExcluir
  8. Oi, Leo e Cesar, tudo bem?

    Que bela matéria! Muita nostalgia e um belo relato da época vivida sem internet (só vivi isso na década de 90, já que nasci em 88). Mesmo criança, lembro de ter ficado super excitado com o anúncio dos Episódios I, II e III através de revistas. Fiz álbuns de figurinhas, comprei bonecos antes mesmo do lançamento do Episódio I e fui na pré-estreia. Como era criança sem nenhum senso crítico, adorei o filme (na minha cabeça, se era Star Wars, era automaticamente bom). Depois, com um pensamento mais crítico, mudei radicalmente minha opinião sobre a trilogia prequel e enxerguei muito mais defeitos.

    Eu lembro de ter jogado muito o Shadows of the Empire para Nintendo 64 na década de 90. Passava horas jogando a primeira fase repetidamente. A primeira fase era na Batalha de Hoth, um dos meus trechos preferidos de toda a saga e adorava pilotar um snowspeeder nos três estágios (contra Sondas Imperiais, AT-STs e AT-ATs, se não me engano).

    O resto do jogo, porém, era bem fraquinho. Eu não entendia nada de inglês (era apenas uma criança na época, já que nasci em 88 e o jogo era de 96 (eu acho). Então gostava apenas de pegar as referências aos filmes, como uma fase no campo de asteróides, ou wampas, contra o IG-88 e contra o Boba Fett (sim, com 8, 10 anos eu já era vidrado em Star Wars). Mas a primeira fase era primorosa e divertidíssima!

    Naquela época nem sabia que o projeto Shadows of the Empire era tão grande. Só muito depois fiquei sabendo disso. Agora que este material finalmente está saindo aqui no Brasil pela DeAgostini, já comprei o meu. E também já tenho meu livro da Aleph em mãos. Assim como estou fazendo com a trilogia do Timothy Zahn, lerei primeiro o livro para depois conferir a HQ (mesmo que os focos sejam diferentes).

    Lembro de ter tido um boneco do Xizor e uma miniatura da nave dele (pelo que me lembro, era em formato de "X" e as asas abriam para frente). Mas não sabia nada da história dele, só sabia que ele era o vilão verde do jogo hahaha

    Minha nostalgia com o jogo me fez vibrar com o anúncio de que a coleção da DeAgostini traria essa edição (lembro de ter visto um dos tradutores ou editores aqui do Brasil comentando aqui no blog em primeira mão isso!). E também com o livro da Aleph - que tá fazendo um trabalho primoroso não só com Star Wars, mas com outras obras de Ficção Científica!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Leo, tudo bem?

    Primeiramente, meus agradecimentos ao Cesar por esta matéria tão completa! Infelizmente, não pude ver os filmes no cinema, pois, quando Retorno de Jedi foi lançado, eu tinha apenas 3 anos. rs. Porém, estes filmes passaram a exaustão quando eu tinha entre 10 e 13 anos, ganhando assim minha admiração.

    Igual ao Élcio, tive que fazer escolhas nas coleções que faço e, com um pesar enorme, tive que deixar esta coleção de SW da DeAgostini de lado... triste...
    Se relançarem, acho que não se conseguirei resistir novamente, apesar da total falta de espaço para mais encadernados aqui em casa... triste de novo...
    Deixando a tristeza de lado, estou esperando com expectativa moderada o lançamento do novo filme, pois, como bem citou o Cesar no final, os episódios I a III foram indigestos em vários momentos.

    E, aproveitando o espaço e mudando um pouco o assunto, também fui surpreendido pelo Batman de Neal Adams na Comix! Boa notícia que esperávamos faz algum tempo. E lembro de você ter citado sobre problemas nestas edições do Neal Adams, mas você sabe quais foram os problemas?

    Outra dúvida seria sobre os lançamentos da editora Abril, com foco na Saga do Tio Patinhas. Eu vejo que cada editora tem seus ciclos de relançamentos, por exemplo, a Panini esquece com frequência de relançar (este ano parece que acordou para alguns encadernados medalhões). Já a Abril tem algum padrão para isto? Faço até um pedido a você, caso tenha alguma notícia do relançamento desta saga, poderia dar um toque aqui no blog?

    E, finalmente, a Panini vai lançar Crise na Infinitas Terras em edição merecida de luxo, além de lançar o último encadernado de Stormwatch!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  10. "Essa postagem eu vou deixar pra depois e ler com muuuuita calma..."


    Ficou uma postagem "vitaminada" mesmo, hein? rs!

    Mas vale a pena uma conferida com calma.... te confesso q antes de ler esta matéria do Cesar, eu tbm não sabia da abrangência e importância dessa saga pro universo de SW (sem dúvida, é uma ed. q vale a pena ser lida - seguida do LIVRO tbm)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  11. "Minha nostalgia com o jogo me fez vibrar com o anúncio de que a coleção da DeAgostini traria essa edição (lembro de ter visto um dos tradutores ou editores aqui do Brasil comentando aqui no blog em primeira mão isso!"


    E aí, Vítor.... blz?

    De fato, o "Submundo" acabou sendo o 1º veículo a divulgar q "Sombras do Império" faria parte dessa coleção da Deagostini.... Graças ao Enn Marques, q avisou q o Vol. 39 da coleção não traria as adaptações dos filmes clássicos (q nem a coleção original no exterior) e sim: q substituiria essas histórias (já contidas entre as 12 primeiras ed.) por: "Sombras" (inédita no Brasil)!

    O jogo eu nunca joguei... Pois não tive o Nintendo 64 (na época eu tinha um "PS1" e um "Saturn" (pois era viciado em "Out Run" e não podia ficar sem um console q tivesse esse jogo, rs)! Mas fiquei curioso agora pelo jogo de "Sombras" (vou procurar pra ver se teve alguma adaptação pro PS2 - meu console atual)!

    Eu sempre achei legal o visual do "IG-88".... E até comprei uma miniatura dele (FOTOS no LINK abaixo):

    http://submundo-hq.blogspot.com.br/2014/10/star-wars-miniaturas-fotos-povo-da.html

    Abs!

    ResponderExcluir
  12. "Infelizmente, não pude ver os filmes no cinema, pois, quando Retorno de Jedi foi lançado, eu tinha apenas 3 anos. rs."


    E aí, ASGM.... blz?

    Eu (por ser mais coroa, rs) já tive o privilégio de assistir os 3 filmes clássicos no cinema (eu tinha uns 5-6 anos qdo vi o 1º nos anos 70).... Mas lembro q nos anos 90 chegaram a relançar os 3 clássicos (remasterizados) nos cinemas - Acho q isso foi pouco antes dos Ep. 1-3!

    Por falar nesses.... Apesar de algumas coisas tbm não me agradarem tanto, gosto da nova trilogia (claro, q sou mil vezes a clássica - mas os Ep. 1-3 tem seus momentos legais tbm). Porém, aposto mais nos próximos filmes (q eu acredito q devam captar melhor o clima dos clássicos)!

    Sobre o "Batman de Neal Adams".... O problema havia sido a demora na aprovação das capas pela DC - O mesmo problema q rolou com o "MP - Raízes 2" (ainda bem q no caso do Adams resolveram essa treta mais rápido: Apesar de q o lance de "raízes" tbm parece ter sido resolvido e em breve essa ed. deixará de ser mais uma "lenda urbana", rs)!

    Qto à "Saga do Tio Patinhas".... Não se preocupe, q assim q eu souber de qq novidade sobre um "possível" relançamento, eu avisarei aqui no blog (com o mesmo alarde q uma notícia de lançamento teria: fique sempre ligado nas postagens de notícias daqui, blz)? Se bem q isso ainda pode demorar, pois a Abril não possui um "padrão" pra essas coisas (já q diferente da Panini, ela recém começou a investir em ed. de luxo - e não relançou nenhuma delas por enquanto - nem as primeiras, entre as quais estava o "Mistério dos Signos")! O jeito é aguardarmos pra ver o q ela fará, mas as chances são boas e o fato da "Saga do TP" ter vendido q nem água, já passa a ser um belo incentivo pra um relançamento!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa edição remasterizada estreou nos cinemas em 97, dois anos antes do episodio 1. fiz a loucura de ver o Guerra nas Estrelas 5 dias seguidos no Cinema (detalhe, era outra cidade)

      Excluir
    2. Eu tinha dois anos quando saiu o filme original, que eu só assisti na Manchete mesmo.

      Mas os outros dois eu consegui ver no cinema, com alguma dificuldade porque os meus pais DETESTAVAM ir no cinema e não me deixavam ir sozinho (ei, eu era MUITO novo...). O Império eu vi literalmente um ano depois do lançamento (naquele tempo os filmes ficavam mais tempo em cartaz) e o Retorno em um relançamento (também rolava na época).

      Excluir
  13. Lembre me agora do tempo que passava nos anos 80 jogando "o retorno de Jedi" no Atari. Era tosco mas adorava a musiquinha.

    ResponderExcluir
  14. No meu caso o contato que eu tive com Star Wars foi somente na tv também e quando dava de dia, pois meus pais não deixavam eu assistir até tarde a Tela Quente hehe. O ruim é que quando passava de dia na temperatura máxima passava fora da ordem cronológica, ou seja: Retorno de Jedi passava num domingo e O Império Contra Ataca no outro
    Fui somente a voltar a ver Star Wars em VHS, nas edições remasterizadas e isso antes do relançamento dos filmes em 1997. Pegando carona no assunto, lembro aqui que haverá um curso sobre a saga nos dias 21 e 22 de Março no Cine Capitolio de Porto Alegre.

    Mais informações sobre atividade vcs encontram aqui: http://cinemacemanosluz.blogspot.com.br/2015/11/cine-dica-curso-star-wars-saga-de-um.html

    ResponderExcluir
  15. Muito boa a matéria. Exatamente como voce assisti o filme quando foi lançado..em fevereiro de 78(NOVE meses depois do lançamento nos EUA..coisa impensavel nos dias interneticos de hoje)e igual a voce comprei as figurinhas ..a quadrinizaçao da Bloch..a novelizaçao e tudo que podia por as maos...e tinhamos que ver o filme no cinema inumeras vezes..pois nem videocassete ainda existia..entao era no cinema..ou uma Decada depois na televisao...o pessoal de hoje nao tem ideia de como sao privilegiados com todas as facilidades de hoje e um blockbuster por semana...enfim..novamente..excelente matéria que me fez voltar no tempo..obrigado!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma época muito "específica" mesmo. Tinha uma realidade que parece mentira hoje em dia para as gerações mais novas, se bem que assiitir ao Episódio 1 depois de uma entrevista em casa e ida ao cinema no carro da filial local da Globo para um passaar num telejornal tb acabou sendo meio "surreal"... O pior foi na saída do cinema o cinegrafista pedir para eu e minha namorada voltarmos e sairmos novamente pq a cena "não tinha ficado legal", e voltar contra o fluxo de saída do filme no dia de estréia não foi fácil...
      Cesar leal

      Excluir
  16. "fiz a loucura de ver o Guerra nas Estrelas 5 dias seguidos no Cinema (detalhe, era outra cidade)"


    Víxi.... Tbm já fiz umas loucuras assim por SW:

    Em uma delas, assisti os 3 filmes clássicos numa tacada só (durante uma maratona num evento).... Parece pouco, mas pra quem tava se recuperando de uma cirurgia de apêndice foi um sacrifício q só um fã-hard faria, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A ultima que fiz nesses moldes foi ver os 3 senhor dos aneis versão extendida (pelo menos 4 horas cada) no cinema em seguida. Foi mais ou menos das 11 da manhã à 1 da madruga, regado a muito refrigerante,

      Agora no maximo é assistir a trilogia O Poderosos Chefão todo ano, mas no conforto da minha casa.

      Excluir
  17. "Lembre me agora do tempo que passava nos anos 80 jogando "o retorno de Jedi" no Atari."


    No Atari eu tinha só o jogo do "Império"....

    Era ridiculamente chato se pensarmos nele hj em dia: Pois era uma ÚNICA fase onde a gente comandava uma nave contra um "Andador AT-AT" (não tinha FIM e nem mudanças de fase, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O do Retorno você ficava atirando na estrela da morte. Só, kkkk

      Excluir
    2. "Retorno de Jedi" era até legalzinho, tinha que esperar o escudo ser desligado para pegar o hiperespaço (rs). Era relativamente desconhecido pra época. O Império todo mundo conhecia.

      O jogo do primeiro filme também era legalzinho e pouco conhecido.

      Tinha também um jogo de duelos de sabre de luz que só funcionava com controle paddle. Eu era alucinado para jogar e quando consegui, descobri que era uma bomba pior do que Jar Jar Binks.

      Excluir
  18. "No meu caso o contato que eu tive com Star Wars foi somente na tv também"


    Oi, Marcelo.... Depois de ver os filmes no cinema, eu tbm revi todos eles na TV:

    O clássico (Guerra nas Estrelas) passou pela 1º vez na extinta TV "Manchete" (lá por 1984).... O "Império" veio tempos depois estreando num "Supercine" da Globo. E o "Retorno de Jedi" foi um dos primeiros filmes exibidos na "Tela Quente" (entre a 1º leva de filmes na estreia dessa sessão)!

    Curiosamente.... a Globo não exibiu nenhum dos filmes da NOVA trilogia (q passaram em canais diversos: Band, Rede TV, e Record)!

    E valeu pelo aviso do curso.... Fica aí a dica pra galera então!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A titulo de curiosidade tenho a trilogia gravada com a dublagem da Manchete. Mas como odeio dublagem só guardo por coleção, não tenho coragem de rever hoje em dia.

      Excluir
  19. "e tinhamos que ver o filme no cinema inumeras vezes..pois nem videocassete ainda existia"


    Oi, Antonio.... Tdo bem?

    Puxa, bem lembrado.... Já faz tanto tempo q às vezes até eu esqueço de algumas dificuldades q passávamos na época, rs. Mas de fato, ainda tinha mais essa: A impossibilidade até mesmo de revermos um filme (sem a existência - ou abrangência - do vídeo-cassete nos lares brasileiros)!

    Meu 1º VHS foi somente na 2º metade dos anos 80 (os aparelhos no começo eram mto caros e minha família não tinha condições de comprar).... Somente depois disso é q eu peguei o hábito de gravar filmes da TV e alugar nas locadoras. Hj em dia, o pessoal reclama demais de algumas coisas q há anos atrás seriam tidas como LUXO, rs (imagine se nos anos 70 e 80 a gente teria concebido a ideia de baixar um filme pela internet e poder assistir qtas vezes quisesse? Era coisa de "Ficção Científica" pra época, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem outra coisa também. Além dos aparelhos VCR serem raros até o final da década de 80, Star Wars demorou a ser lançado em vídeo. Acho que só saiu em 1990. Até então, tome de gravação da Rede Globo.

      Excluir
    2. Ah, mas tinha as maravilhosas fitas não seladas. Alugava direto por volta de 1986. Na minha cidade tinha O retorno de Jedi e o Imperio e em Bauru onde passava as ferias na casa de minha avó tinha o Guerra nas Estrelas.

      Aliás, o Imperio foi o filme que inaugurou a Tela Quente. O segundo filme foi o quase desconhecido "a fortaleza" onde um grupo de crianças é sequestrada e mantidas numa caverna (não me pergunte como lembro disso). E eu tenho gravado essa pérola.

      Excluir
    3. Digo-te não!! (rs)

      Os dois primeiros filmes da Tela Quente foram respectivamente "Retorno de Jedi" e "Caçadores da Arca Perdida". Sei disso porque gravei os dois e assistia quase que diariamente.

      Logo depois passou "Comando para Matar" e eu fechei assim a primeira fita VHS da minha coleção.

      Eu lembro desse "A Fortaleza", principalmente das suas inúmeras reprises na Sessão da Tarde. Mas nunca assisti.

      Nem ele, nem o "Resgate de Jéssica" (rs)

      Excluir
    4. Eu já não suportava filmes dublados na época, gravei meus filmes de star wars através de dois VHS (meu e de um amigo) com cabos para copiar as fitas - já piratas - que conseguiamos em locadoras, inclusive o primeiro Guerra era dificil de achar, só tinha uma fita dublada em Espanhol por aqui...

      Cesar Leal

      Excluir
  20. "O Império eu vi literalmente um ano depois do lançamento (naquele tempo os filmes ficavam mais tempo em cartaz) e o Retorno em um relançamento (também rolava na época)."


    Mesma coisa aqui, Hunter....

    O "Império" e o "Retorno" eu assisti juntos: Numa "dobradinha" q os cinemas daqui fizeram exibindo os 2 filmes num "pacote" (passei a tarde toda no cinema com essa overdose de SW, rs)!

    Mas a "Guerra" a minha mãe teve q me levar pra ver (pois eu tinha 6 anos em 78).... Esse, por sinal, foi um evento de peso qdo passou na Manchete anos depois! Bons tempos, hein? Qdo os filmes causavam mais empolgação e expectativa, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha lembrança mais antiga de cinema foi "O Império Contra-Ataca". Não sei se foi na estréia, pois sou de 77 e o filme de 80. Mas já tinha visto o filme quando a Manchete passou pela primeira vez o "Guerra nas Estrelas".

      Realmente naquela época qualquer coisa gerava um tremendo alarde. Até mesmo o making of de Império Contra-Ataca que o SBT exibiu foi um acontecimento.

      Excluir
    2. E o infame especial de natal que passou no SBT logo depois da estréia do programa do Bozo... Nunca entendei como chegaram aquele nível de tosqueira com Star WArs...
      Cesar Leal

      Excluir
  21. "A ultima que fiz nesses moldes foi ver os 3 senhor dos aneis versão extendida (pelo menos 4 horas cada)"


    Bem, uma maratona desse porte eu não tenho mais nem coluna pra aguentar, rs....

    Por mais vontade q eu tenha, acho q jamais conseguirei encarar 12 horas de "SDA" (estendidos) numa tacada só - No máximo 1 deles por DIA, hehe!

    Abs!

    ResponderExcluir
  22. "O do Retorno você ficava atirando na estrela da morte. Só, kkkk"


    Nossa.... Como eram emocionantes esses jogos do Atari, rs:

    Pior q na época, "era o q tinha".... Mas mesmo assim, eu preferia ir brincar de forte-apache do q passar horas jogando games de 1 fase só (tipo "Seaquest", "Asteróides" e "Space Invaders")!

    Abs!

    ResponderExcluir
  23. "Mas como odeio dublagem só guardo por coleção"


    Eu tbm não conseguiria mais rever nenhum filme de SW dublado....

    Fiquei tão chato pra essas coisas, q passei a considerar dublagens uma heresia pra qq filme (ainda mais uma franquia q nem essa, na qual já renego até as alterações do próprio Lucas, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não apenas consigo, como sou obrigado. Filha pequena, sabe como é...

      Já vou até garantir meus ingressos para a sessão dublada no fds de estréia do Episódio 7.

      Excluir
    2. Eu andei assistindo o Retorno com meu filho de 4 anos mas legendado. Me recusei a colocar dublado. Vou narrando pra ele. O duro é ter que ver a mesma cena inumeras vezes pois ele faz voltar. ET também fico assistindo com ele.

      Mas ele se interessou bem mais pelo Tarzan do Ron Ely.

      Excluir
  24. Eu estou até hoje esperando a Abril lançar "Império do Mal II". Chegou a ter um encarte no meio das revistas anunciando os lançamentos com imagens da série.

    De resto, o que saía de Star Wars eram jogos de PC que eu adoraria ter jogado na época, pois tinha tempo de sobra... Mas não tinha justamente o computador. "Dark Forces", "X-Wing", "Tie Fighter", "Rebel Assault", "Jedi Knight (Dark Forces 2)". E até ouvi falar muito sobre "Shadows of the Empire", mas ficou só nisso mesmo.

    Infelizmente, nos tempos de internet discada, esse tipo de projeto multimídia acabou ficando restrito na brazilândia.

    Hoje em dia, não tenho tempo nem disposição para correr atrás de tudo relacionado a Star Wars que aparece na minha frente. Vou me contentar com o que a DeAgostini oferece mesmo (rs).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe aquele ditado "Cuidado com o que Deseja" ? Império do Mal II é inferior ao primeiro mas ainda MUITO melhor que o final "empire´s end" onde a história fica ainda mais truncada, apoiada em um monte de personagens que saem do nada (alguns são bem toscos inclusive mas nem vou dar spoilers) e completamente corrida já que a End tem apenas duas edições...
      Cesar Leal

      Excluir
  25. Ah sim!

    Algumas semanas atrás, as bancas do centro do Rio estavam repletas do volume 1 da DeAgostini, ou seja, o relançamento está acontecendo.

    Porém a distribuição como um todo está bem irregular, algumas bancas nem recebem mais a coleção.

    A impressão que tenho é que a Editora cometeu um erro nas suas projeções para a coleção:

    http://i.imgur.com/xWH4EtJ.gif

    Tá vendendo que nem água em Mustafar!

    ResponderExcluir
  26. "Star Wars demorou a ser lançado em vídeo."


    Verdade, SEMI....

    Eu mesmo, mantive durante anos esses filmes gravados diretamente da TV (e dublados ainda por cima - argh, rs).... O chato era a gente mesmo ter q fazer a edição de cortar os comerciais (e ser rápido no gatilho pra dar um "Play" assim q o filme recomeçasse)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu ficava com o dedo no "pause" e de olho no relógio, pois o "rec" desarmava com 5 minutos de pausa.

      Tempos difíceis... rs

      Excluir
  27. "Eu não apenas consigo, como sou obrigado. Filha pequena, sabe como é..."


    Ah, sim.... Nesses casos é compreensível!

    Eu tbm via filmes dublados com a minha afilhada, mas eu meio q não conto como "valendo" (e se o filme for bom, acabo revendo legendado depois - foi o q aconteceu com "Detona Ralph" - q eu gostei e gravei legendado pra mim depois, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  28. "Eu estou até hoje esperando a Abril lançar "Império do Mal II"


    Eu tbm.... Comprei a 1º mini da Abril e ficaram devendo a sequência na época!

    Agora vai sair tudo pela Deagostini mesmo (antes tarde do q nunca, hehe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  29. "Porém a distribuição como um todo está bem irregular, algumas bancas nem recebem mais a coleção."


    Esse mesmo fenômeno tá acontecendo aqui no sul tbm.....

    A distribuição da Coleção Deagostini tá mto zoada e nem todos os pontos (livrarias e bancas) q antes recebiam a coleção certinha estão garantindo as edições.... A bagunça começou a rolar desde q ficou semanal!

    Pra vc ter uma ideia, eu costumo comprar essas ed. da Deagostini na Livraria Cultura.... Mas o Vol. 39 (Sombras) não chegou lá, e tive q sair catando nas bancas normais! A Fnac tbm não recebe mais a coleção regularmente (vai da sorte mesmo)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso que avisei isso. A de Agostini publica para ASSINANTES! Depois de certo ponto, só mandam para os assinantes ou para as bancas que encomendam. Se você não reservar no seu jornaleiro, babau!

      Excluir
  30. Falando de Guerra nas Estrelas eu não vejo a hora da Mythos lançar Dreadstar. Tô me segurando para não reler os formatinhos (epic Marvel da Abril e Dreadstar). Mas depois que ela lançar pelo menos vou continuar pela Dreadstar 4-10 da Globo e terminar a série porque se for esperar um volume 2 da Mythos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm tô ansioso por essa do "Dreadstar".....

      Mas antes, pela Mythos, ainda tem o "American Flagg" (q é cofre certo pra mim). Já o "Dread", eu queria saber tbm como ficará a situação das outras graphic novels (tipo: O "Preço" e uma ed. "Anual") - A Devir chegou a prometer essas há alguns anos atrás!

      Abs!

      Excluir
    2. Mythos, Mythos, Mythos...

      Aproveitei o desconto recente do Dredd para comprar o Juiz Morte e incluí no pacote o "Ano 1". Achei que seria uma edição do porte do "encalhernado" e ganhei uma revista fina e pequena.

      Tinha esquecido porque deixei passar essa na época e agora lembrei...

      Excluir
    3. Essas estão bem em stand by mesmo. Não estou esperando pois tenho as graphics globo, mas é considerável padronizar dependendo do preço... Se sair.

      American Flagg tá na minha lista, se achar um desconto.

      Excluir
    4. O Preço e o Anual do Dreadstar são a mesma história. O Proço foi publicada originalmente como uma GN pela Eclipse, se não me engano, e republicada (a cores) como um anual do Dreadstar enquanto a revista estava sendo publicada pela Epic.

      Excluir
  31. "Os dois primeiros filmes da Tela Quente foram respectivamente "Retorno de Jedi" e "Caçadores da Arca Perdida"


    Pois é.... O "Império" passou pela 1º vez num "Supercine" (pouco tempo antes da estreia da sessão "Tela Quente")!

    Tbm lembro disso, pois assisti trocentas vezes as minhas gravações em VHS e jamais vou esquecer do "Império" com o logo do "Supercine" estampado na cópia, o "Retorno" com a "Tela Quente", e a "Guerra" (o classicão) eu só consegui gravar anos depois qdo reprisou numa "Temperatura Máxima", rs!

    Sobre a "Fortaleza".... Era um filmaço tbm, e é o retrato de uma época com menos "frescuras": Pois o filme mostra uma professora e seus alunos (todos crianças de uns 10 anos) matando e esquartejando bandidos (a ponto de estriparem os caras com lanças e facas): Duvido q um filme desses passasse hj em dia sem causar ataques de histeria na patrulha do politicamente correto, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  32. "Realmente naquela época qualquer coisa gerava um tremendo alarde. Até mesmo o making of de Império Contra-Ataca que o SBT exibiu foi um acontecimento."


    Bem nessas.... Esse especial eu assisti no SBT antes de ter como gravar da TV:

    Durante mtos anos esse especial foi procurado e comentado por fãs da série (ainda é, mesmo hj em dia). Eu consegui uma cópia nos anos 90, mas hj se encontra fácil no Youtube!

    Abs!

    ResponderExcluir
  33. "Eu ficava com o dedo no "pause" e de olho no relógio, pois o "rec" desarmava com 5 minutos de pausa."


    E ainda tinha mais essa mesmo, rs....

    O "REC" desarmava quase ao mesmo tempo q dura um comercial de TV.... Pra não arriscar, eu preferia usar o "Stop" e voltar a fita alguns frames (pra cortar o "plim-plim" maldito da Globo). Mas depois tinha q ser rápido no gatilho, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu era bom nisso. Pelo menos no meu Video eu sabia os segundos certos, dava Stop e depois no meio do comercial colocava o filme em pause/rec e dava tempo de começar no momento exato.

      Tempos dificeis. Era um saco fazer isso, só nostalgia pra enganar.

      Excluir
  34. "Aproveitei o desconto recente do Dredd para comprar o Juiz Morte e incluí no pacote o "Ano 1"


    Esse "Ano 1" é legal.... Mas ainda sou mais o encadernado capa-dura de "ORIGEM" (mtos leitores ainda confundem esses 2 do "Dredd"). Seja como for, o "Ano 1" vem com aquele chaveiro bacana, rs!

    Mas de todos esses, o "Juíz Morte" ainda mata a pau.... (esse estará mais pra frente no meu "TOP 100" com certeza)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Origens é inevitavelmente melhor do que o Ano Um, mas essa última é boa também.

      Excluir
    2. O "Origens" eu já tinha. Faltava esse "Ano 1" para fechar a coleção do Dredd.

      O chaveiro é legal mas eu também já tinha (rs). Vou enterrar no quintal e vender daqui alguns anos como relíquia para compensar a facada que foi essa edição.

      Excluir
  35. "Essas estão bem em stand by mesmo. Não estou esperando pois tenho as graphics globo"


    Te invejo, gustavo....

    Fiz a burrada de ter perdido todas as graphics da Globo na época.... e depois, ficaram mto difíceis de achar (ainda mais em bom estado). Além das 2 do "Dread", me interessaria tbm: "Marada - A Mulher-Lobo" e "Elric"!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, se os colecionadores de hoje vissem a falta de padronização dessas graphics... A segunda do Dreadstar e a do Excalibur eram muuuuito diferentes do restante... Tipo a do Surfista do Moebius.

      Excluir
  36. "O pior foi na saída do cinema o cinegrafista pedir para eu e minha namorada voltarmos e sairmos novamente pq a cena "não tinha ficado legal", e voltar contra o fluxo de saída do filme no dia de estréia não foi fácil"


    Hahaha, sei bem como é isso, Cesar....

    Há uns 2 meses eu gravei uma entrevista pro programa: "Colecionadores" (q passa no "Canal Curta" da net).... Veio uma equipe de filmagem aqui em casa pra me entrevistar e filmar minha coleção. Eu falei pelos cotovelos durante meia hora respondendo todas as perguntas q me faziam. Mas lá pelas tantas, disseram q o enquadramento não tava bom e q todo esse trecho teria de ser regravado, rs! Tudo bem, respondi tudo de novo, mas o ânimo da gente já não fica mais o mesmo e qdo a filmagem for ao ar (ano q vem) é provável q eu pareça menos bem-humorado do q costumo ser, rs!

    Cá pra nós... Eu não teria a menor vocação pra essa vida de TV, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Participei em 98 do projeto Cinco no Palco que trazia Lenini, Paulinho Moska, Marcos Suzano, Chico Cesar e Zeca Baleiro... Depois de 3 dias de ensaio com as mesmas musicas repetidas infinitamente eu vi como é dificil a carreira artistica, kkkk

      Excluir
    2. O saudoso Ronaldo Boscoli era amigo de minha tia, que sempre tinha muitas histórias da época da Bossa Nova.

      Ele contou que, quando passou um final de semana inteiro com o Roberto Menescal no apartamento de um dos dois, compondo e ensaiando "O Barquinho" ("Dia de luz, festa do sol"...).

      Pois bem, o gato da casa não aguentou e se jogou pela janela basculante do banheiro. (rs)

      Excluir
  37. "Eu já não suportava filmes dublados na época, gravei meus filmes de star wars através de dois VHS"


    Tbm passei por essa fase, Cesar....

    Depois de um tempo, acabei investindo e comprando um 2º vídeo-cassete pra fazer minhas próprias "pirateações" de vídeo pra vídeo.... pois decidi me livrar das cópias dubladas dos filmes e copiar direto dos VHS!

    Porém, fiz a cagada de gravar um grande lote na velocidade "EP" (pra caber 3 filmes numa fita).... Só q fiquei mais exigente com o tempo e vi q a velocidade q proporcionava melhor qualidade era a "SP" (só q aí cabia 1 filme por fita). E lá fui eu de novo regravar TUDO mais uma vez (e eram centenas de filmes, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu priorizava quantidade mesmo e grava tudo em EP/SLP. Fiz uma cacetada de fitas a partir da televisão, com 3 filmes em cada.

      Na década de 90 regravei tudo usando dois vídeos, fazendo fitas temáticas. Star Wars tudo junto, assim como Indiana Jones e 007. Fita só para Schwarzenegger, outra para clássicos da Sessão da Tarde e por aí vai.

      Tanto trabalho... Para depois jogar tudo no lixo! (rs)

      Excluir
  38. "Sabe aquele ditado "Cuidado com o que Deseja" ? Império do Mal II é inferior ao primeiro mas ainda MUITO melhor que o final "empire´s end"


    Já me falaram isso tbm, Cesar....

    Só li a 1º parte q saiu em mini-série pela Abril, mas fiquei sabendo q essas sequências são mto ruins (pelo menos 2 amigos meus - tbm fãs de SW - me falaram a mesma coisa).... Mas vou ter q acabar pegando elas pela Deagostini (já q sairá tudo em 2 edições)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na época eu desejei muito (rs), afinal o material de Star Wars era escasso. Hoje posso admitir que nem a primeira "Império do Mal" era grandes coisas.

      Mas vale a republicação pelo fator nostalgia.

      Excluir
  39. "Eu penso que avisei isso. A de Agostini publica para ASSINANTES!"


    Oi, Hunter.... Eu não me lembrava disso, rs:

    Bem, sendo assim.... Acho q não adianta esperar mto da distribuição em bancas então. É q eu pensava q a distribuição fosse "normal" (já q as ed. com a fase clássica de SW saíram de boa nas bancas - e a confusão só começou mesmo qdo a coleção passou a ser semanal)!

    De qq forma... Fica aí a sua recomendação então pro pessoal não se perder: O lance é reservar nas bancas e livrarias de confiança (ou fazer a assinatura - pra quem for comprar todas as edições)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá complicado... Aqui no RJ parou na edição 41 (Herdeiro do Império 2). O número 42 era pra ter saído na semana passada e até agora nada!

      E eu, que não tenho bancas decentes perto de casa já começo a ficar preocupado. Só não me arrependo de não ter feito assinatura pois já vi gente reclamando que ainda não recebeu o lote dos números 30 e poucos.

      Excluir
  40. "O Preço e o Anual do Dreadstar são a mesma história."


    Putz.... Me atrapalhei feio nessa então, rs:

    Achei q fossem 2 ed. separadas: Me confundi, pq saíram 2 capas diferentes pra essa mesma história (acabei de conferir nos meus arquivos). Valeu mesmo pelo aviso!

    Pena q o "Preço" continuará no limbo pelo visto.... (já q a Devir é q tinha ficado de lançar essa ed. enquanto a Mythos vai lançar a série regular do "dread")!

    Abs!

    ResponderExcluir
  41. "O Origens é inevitavelmente melhor do que o Ano Um, mas essa última é boa também."


    Sim.... As 2 ed. valem a pena:

    Entre elas, "Origem" eu considero leitura obrigatória tanto pra fãs do "Dredd" como de histórias sci-fi em geral (me lembrou aqueles épicos apocalípticos tipo: "Planeta dos Macacos" e "Mad Max").... Mas o "Ano 1" tbm é bom e me deu vontade de ler mais material da IDW!

    Abs!

    ResponderExcluir
  42. "O chaveiro é legal mas eu também já tinha (rs)."


    Ué, como é q vc conseguiu um chaveiro extra?

    Um amigo meu tava atrás de outro chaveiro pra fazer um custom do "Predador" (sim, ele quer reproduzir num boneco da neca aquela capa do crossover onde o bicho tá com o distintivo do "Dredd")!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mega Encalhernado 2. Pelo visto não foi só a revista que encalhou. (rs)

      E aproveitando, Juiz Morte tá com precinho amigável na FNAC.

      Excluir
  43. "Ah, se os colecionadores de hoje vissem a falta de padronização dessas graphics... "


    Pois é, gustavo....

    Tenho lido mtas reclamações sobre a diferença de medidas da ed. do "Barks" pras anteriores.... Mas se eu fosse me preocupar com isso, já teria parado de colecionar gibis (e livros) há mto tempo, pois sempre convivi com essas discrepâncias em diversas coleções!

    Abs!

    ResponderExcluir
  44. "Depois de 3 dias de ensaio com as mesmas musicas repetidas infinitamente eu vi como é dificil a carreira artistica, kkkk"


    Verdade.... Todo mundo já sonhou em ser ator, diretor, ou cantor:

    Mas na prática não existe tanto glamour qto na imaginação e nos sonhos, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  45. "Tanto trabalho... Para depois jogar tudo no lixo! (rs)"


    Oi, SEMI.... blz?

    Hahahahaha.... Tive q rir agora com o seu comentário: Pois essa simples frase me fez sentir um IDIOTA completo, rs!

    Sim, eu passei ANOS da minha vida fazendo essas gravações e edições em fitas VHS.... Ripando de vídeo pra vídeo, pulando comerciais de TV, catalogando os filmes nas fitas, fazendo a seleção de gêneros do q teria em cada fita, e por aí vai!

    Então... Num belo dia: Lá estava eu.... Carregando CENTENAS de fitas nas costas pra jogar tudo no LIXO, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  46. "Hoje posso admitir que nem a primeira "Império do Mal" era grandes coisas."


    Eu não me lembro direito dessa mini....

    Só sei q eu gostava na época (o q não quer dizer q irei gostar de novo se reler ela hj em dia).... Mas é compra certa de qq forma pelo fator nostalgia tbm!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não era mesmo, mas eu gosto muito da arte. A Dark Horse fez BEM melhor depois!

      Excluir
    2. Pois é, Hunter.... Dessa mini (Império do Mal) eu lembro mais da arte do q a história em si:

      Eu gostava dos desenhos, mas vai ser interessante revê-los hj em dia.... Pois a memória afetiva mtas vezes nos trai, rs!

      Abs!

      Excluir
  47. "E aproveitando, Juiz Morte tá com precinho amigável na FNAC."


    Esse já tá devidamente cofrado e lido....

    Mas peguei sem desconto nenhum (não quis esperar e me arriscar a perder - ainda mais qdo vi q tava sumindo rápido das bancas daqui).... Seja como for, fica aí a sua dica pra quem ainda não comprou (VALE mto a pena ter essa ed do "Morte")!

    Abs!

    ResponderExcluir
  48. Leo, você viu que o Flash Gordon, o personagem no qual as história inspiraram o Guerra nas Estrelas vai sair no Brasil, em ordem original pela editora Pixel, o preço do primeiro está bem salgado, mas é uma alegria ver o Flash Gordon tendo uma chance no Brasil.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Érlon.... blz?

      Este blog foi o 1º a noticiar o lançamento do "Flash Gordon" da Pixel (mês passado).... E vou comprar com certeza, sim: Esperava há tempos por essa edição!

      Abs!

      Excluir
    2. Realmente Leo, o seu blog foi o primeiro ao noticiar isso, não tinha visto, foi mal, as vezes por falta de tempo, acabamos perdendo algumas postagens,kkkkk.

      Excluir
  49. Lendo a coleção histórica Marvel Quarteto Fantástico, me doí em ver o Quarteto Fantástico não sendo bem adaptado no cinema, o grupo merecia uma trilogia no nível da trilogia clássica do Star Wars.

    E viva o Episódio VII.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É triste mesmo....

      A gente lê essa "CHM do 4F" e fica imaginando como é q não conseguem adaptar isso pras telas? com tantos recursos digitais q temos hj em dia, né? A franquia do "4F" tinha tudo pra ser um novo "Star Wars" na FOX!

      Abs!

      Excluir
  50. "Tá complicado... Aqui no RJ parou na edição 41 (Herdeiro do Império 2). O número 42 era pra ter saído na semana passada e até agora nada!"


    Oi, SEMI.... Aqui no sul aconteceu um lance bizarro de distribuição:

    Chegou o "Herdeiro 2" nas bancas.... MAS o 1º não, rs! Aqui, fomos direto do Vol. 39 (Sombras) pro Vol. 41 (Herdeiro 2)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  51. "Realmente Leo, o seu blog foi o primeiro ao noticiar isso, não tinha visto, foi mal, as vezes por falta de tempo, acabamos perdendo algumas postagens,kkkkk."


    Tranquilo, Érlon.... Até eu mesmo acabo me esquecendo de coisas q eu anuncio aqui (qdo atrasam por meses), rs!

    E ultimamente tbm ando esquecendo de alguns lançamentos até pela quantidade excessiva deles (não há memória q chegue pra registrar tanta coisa, hehe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  52. "meu Deus li a saga do billraiobeta ha mais de 20 anos kkk isso ainda é lançado?kkkk"


    E com bastante sucesso, carlos, hehe...

    Essa ed. do "Thor" e o "cara-de-cavalo" foi campeã de reservas em algumas lojas (hj tá esgotada na Livraria Cultura)! É "superaventuras" total, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...