09/02/2020

"Visões de... 1990" (Parte 1): "Batman Nº 0","Conan Rei", "DC 2000", "Monstro do Pântano", e Mais...

Nesta 1º colaboração (mais que bem-vinda) de Elcio Abreu pro "Submundo"... Faremos uma viagem no tempo de volta pro ano de 1990. Um mercado bem diferente do nosso atual, mas ainda assim: com bastante variedade e quantidade de títulos publicados (tanto é, que a matéria ficou incrivelmente extensa e teve de ser dividida em 3 Partes)!

Pra começar: "Batman Nº 0" (Revista mensal em formato americano), "DC 2000" Nº 1 (A Revista Uma Década à Frente), "Conan Rei" Nº 1 (Revista mensal sobre o reinado do bárbaro), "Monstro do Pântano" Nº 1 (A consagrada fase de Alan Moore), "ELRIC" (Graphic Novel), "A Teia do Aranha" nº 5 (agora reduzida em formatinho), "Superaventuras Marvel 92" (Demolidor Vs. Justiceiro), "Guerras Secretas II", O "Homem-Animal" (de Grant Morrison), "SABRE", e Muito Mais...

Confira abaixo:

Revisitar o passado sempre é preciso, pois nele encontramos respostas para os acontecimentos do presente. O ano de 1990 foi de mudanças drásticas para o país, o que já não estava bom ficou ainda pior com a mudança de governo, o 1º eleito democraticamente depois de 25 anos. A Era Collor impôs medidas econômicas severas, que afetaram de forma massacrante a população desde o congelamento de salários até o confisco das poupanças. Seu governo gerou muito desemprego e queda no padrão de vida das pessoas. Adquirir bens de consumo naquela época não era fácil, não existia parcelamento para se comprar uma televisão, geladeira, ou vídeo-cassete. O cartão de crédito não era tão usado como é hoje, e até as fichas telefônicas se tornavam moeda de compra. lembro-me de ter comprado na maior banca da cidade o "Homem-Aranha" nº 98 (em 1991) e ter recebido 3 fichas telefônicas de troco. Bizarro, mas é verdade! Enfim, esse panorama econômico foi apenas pra situar o leitor moderno diante da realidade do mercado em 1990. Seguem abaixo os lançamentos mais importantes mês a mês naquele ano:

JANEIRO:

"BATMAN" Nº 0: Após a Batmania que dominou o Ano de 1989, após o FILME de Tim Burton, a Editora Abril resolve apostar alto as suas fichas numa nova mensal do Cavaleiro das Trevas, desta vez em formato americano: um privilégio para poucos personagens na época!

"SUPERALMANAQUE DC" Nº1: A Abril inaugura mais uma publicação da DC, nos mesmos moldes da publicação dela feita para a Marvel, porém com menos pág. Esta edição trouxe as origens de vários vilões e heróis no universo pós-Crise, com algumas histórias escritas até por Neil Gaiman! OBS: O "Superalmanaque DC" e o "Batman 0" foram vendidos juntos num pack, sem a opção de compra das edições separadas. Elas vinham acompanhadas com um calendário de mesa do Batman de 1990!

"DC 2000" Nº1: Com o slogan: "A Revista Uma Década à Frente", chegava às bancas uma das publicações mais emblemáticas da DC no Brasil, com um mix variado e histórias de alto nível!

"HULK" 79: Agora batizada de "O Novo Incrível Hulk", a revista inaugura uma nova fase na vida do Golias Esmeralda. Cinza e mais inteligente, ele precisa se adaptar à sua nova vida, enfrentando novos e antigos inimigos.

"SANDMAN" Nº 3: O Mago Profano "John Constantine" tem o seu 1º encontro com Morpheus na história: "Sonhe um Breve Sonho Comigo"!

"MONSTRO DO PÂNTANO" Nº1: Um dos mais celebrados personagens da DC ganha título próprio novamente no Brasil (após uma série pela EBAL e participações em revistas mix da Abril) em sua fase aclamada escrita pelo Mago Alan Moore!

"GRAPHIC GLOBO" 4: "ELRIC- A CIDADE DOS SONHOS" (de MICHAEL MOORCOCK): A Editora Globo publica a Graphic Novel dedicada guerreiro albino, lançada originalmente nos EUA na série: "Marvel Graphic Novel" em 1982!

"LIGA DA JUSTIÇA INTERNACIONAL" 13: A origem da "Patrulha do Destino" é recontada por Paul Kupperberg & John Byrne. O diretor de cinema Steven Spielberg e o ator Harrison Ford fazem uma pequena aparição na pág 38 da edição.

"NOVOS TITÃS" 46: A estréia do "Caçador" Mark Shaw, um mercenário caçador de recompensas que, pelo preço certo, prende os maiores vilões do Universo DC.

"AVENTURA & FICÇÃO" 21: Chega ao fim uma das melhores revistas adultas já publicadas no Brasil.

FEVEREIRO:

"A TEIA DO ARANHA" Nº 5: A revista de histórias clássicas do Herói Aracnídeo abandona o formato magazine e passa a ser publicada em formatinho.

"CONAN REI" Nº1: O Cimério de Bronze ganha um novo título mensal no Brasil, em formato americano e totalmente em cores, mostrando a sua trajetória como soberano da Aquilônia.

"GRAPHIC ALBUM" Nº1: "DRÁCULA": Escrita e ilustrada por Jon J. Muth, esta Graphic Novel da Abril saiu nos EUA na série de "Marvel Graphic Novel", sendo de uma adaptação do livro homônimo de Bram Stoker. É um material raríssimo!

"V DE VINGANÇA" Nº 5: A revolucionária obra de Alan Moore tem sua última edição publicada em formato de mini-série em 68 pág pela Editora Globo, sendo encadernada logo em seguida em capa-cartão com 340 pág.

"SUPERAVENTURAS MARVEL" 92: Um criminoso está usando cianureto para envenenar remédios e provocar a morte de várias pessoas inocentes. O "Justiceiro" investiga o caso para punir o culpado à sua maneira. O "Demolidor" intervém, exigindo que o criminoso seja punido de acordo com a lei, em um julgamento justo e uma posterior prisão. Com cada um pensando à sua maneira, os 2 vigilantes urbanos vão entrar em rota de colisão!

MARÇO:

"GRANDES HERÓIS MARVEL" Nº 27 - GUERRAS SECRETAS II": Depois dos eventos de "Guerras Secretas", o Beyonder resolve vir à Terra para compreender melhor a humanidade. E assumindo uma forma humana, dá início às "Guerras Secretas II". Uma das piores e mais gratuitas mega-sagas já feitas pela Marvel, e ao contrário da original, publicada em máxi-série de 12 partes pela Abril em 1986, esta desastrosa sequência (em  9 partes) saiu no mix das revistas: "Hulk", "Cap. América" e "Superaventuras Marvel", enquanto os tie-ins abrangeram além desses títulos, as demais revistas regulares da época. (OBS: Encontra-se merecidamente esquecida, e acredito que assim deva permanecer)!

"DC 2000" Nº 3: Traz a estréia da aclamada fase de Grant Morrisson no "Homem-Animal", um dos melhores trabalhos realizados em quadrinhos de todos os tempos (relançado pela Panini em 3 encadernados)!

"FANTASMA" Nº 4: A Editora Globo publica o final da sensacional mini-série do herói escrita por Peter David e ilustrada por Joe Orlando!

"HOMEM-ARANHA" 81: Peter Parker trouxe um simbionte alienígena do planeta do Beyonder acreditando que era apenas uma versão mais moderna de seu antigo uniforme. Mas ao descobrir a verdade sobre o traje, ele o rejeitou e o deixou aprisionado no Edifício Baxter. Só que o simbionte escapou de seu cativeiro e agora quer vingança a todo custo. O 1º confronto do herói contra seu antigo traje alienígena (é o auge da "Saga do Uniforme Negro")!

"O PRISIONEIRO" Nº 4: A Editora Globo publica a última parte da mini-série da DC criada por Dean Motter e colorida por David Hornug. Esta história é uma continuação do clássico (e cult) seriado dos anos 60, e se passa 20 anos após o último episódio da série. A agente do MI-6 Alice Drake pede demissão e vai velejar sozinha ao redor do mundo. No entanto, uma tempestade (com cara de sabotagem) a surpreende e sua embarcação vai parar numa praia desconhecida e deserta. Explorando as redondezas, ela encontra um "resort" em ruínas: "A Vila", e seu único habitante, o "Número 6". Material raríssimo com chances quase nulas de ser republicado. Assim que terminou de ser publicada, a Editora Globo encadernou a mini-série em capa-cartão com 196 pág!

"A GUERRA DE LUZ E TREVAS" Nº 4: A Editora Globo encerra a publicação da mini-série da Marvel publicada no Selo EPIC, escrita por Tom Veitch e ilustrada por Cam Kennedy, e a relança encadernada poucos meses depois em 196 pág. Um veterano de guerra paraplégico é convocado para uma batalha intergalática. A premissa é semelhante à do filme "Avatar" (de James Cameron), quase resultando em processo na época do filme (2009) por plágio!

ABRIL:

"A TEIA DO ARANHA" 7: Como Esmagar um Aranha - Em busca da plaqueta de argila (A Tabuleta do Tempo) o Aranha é derrotado pelo "Rei do Crime"!

"HOMEM-ARANHA" 82: O Aranha está levando um chapéu de presente para a Tia May, mas é obrigado a enfrentar os "Abutres", que planejam derrotá-lo na frente do hotel do "Rei do Crime" para serem contratados por Fisk. Desta forma, o Aranha não sabe se luta ou se protege o presente de sua amada tia!

"A ESPADA SELVAGEM DE CONAN" 66: Ao perseguir um bando de piratas, assassinos do filho de um velho amigo, Conan vai parar num mar dominado por um cemitério de navios e habitado por diabólicas criaturas marinhas. Logo depois, o Cimério vai ao encalço de um Lobisomen que aterroriza uma aldeia. A edição traz histórias do Bárbaro escritas por Michael Fleisher, com artes de John Buscema, e uma história de "Kull - O Conquistador", de Chuck Dixon e Val Semeiks!

"SAMPA GRAPHIC ALBUM Nº 1 - SABRE": A obra de ficção científica apocalíptica com o misterioso personagem criado por Don McGregor e Paul Gulacy (Mestre do Kung Fu) para a editora Eclipse, ganha uma Graphic Novel em P&B pela Nova Sampa!

Até+

PS: A coluna: "Visões de 2020"... com lançamentos pra este ano foi pra geladeira junto com os títulos que estão sendo "reavaliados" pela Panini (tudo é incerto pra 2020 até o momento). Já sabemos, contudo, que a "CHM" (Coleção Histórica) FOI CANCELADA, e que novos formatos pra clássicos estão sendo avaliados!

96 comentários:

  1. O último ano dos incríveis anos oitenta.

    A saudade não tem idade, e o tempo passa...

    De certa forma, os anos que se foram se tornam tão ou mais marcantes para os leitores-colecionadores de quadrinhos.

    Muito por conta disso ocorre porque aquilo que se foi torna-se uma lembrança viva de leituras idas, que se transformaram em emoções vividas através dessa literatura que tanto encanta, enlaça e fascina.


    E o que mais se pode dizer depois dessas reminiscências!?

    Até a próxima, Léo, Élcio e demais amigos.

    Michel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Michel!

      Tenho orgulho de ter vivido nesta época, mesmo que tenha sido numa época tão difícil economicamente!Fazer esta matéria me fez voltar aos meus 16 anos de idade, numa época difícil economicamente, mas próspera de publicações de revistas e HQs, com bancas em cada esquina do centro da cidade e revistas chegando aos montes todos os dias!

      Procurei fazer uma lista eclética, e longe de ser classificada como " A lista do Pelé", mas infelizmente tive de selecionar títulos e isto é difícil numa época tão próspera de lançamentos e o mais importante:Com qualidade!

      Porém, são ossos do ofício!!

      É triste ver que muitos títulos estão perdidos no tempo e com poucas chances de serem lançados novamente, muitas vezes porque os direitos da obra pertencem ao autor e isso pode gerar entraves maiores do que se pertencesse ainda à Marvel ou à DC!

      Quando o Leo postar toda a matéria de forma completa,todos poderão ver que mesmo selecionando títulos, nestes 30 anos deve ter saído republicado menos de 1|3 aproximadamente de tudo que saiu em 1990 e se encontra nesta lista!

      Torço para que esta pequena contribuição que fiz para o Blog Submundo HQ chegue aos olhos das editoras brasileiras e desperte o interesse das mesmas em relançar obras que infelizmente estão no limbo editorial, e merecem ser apresentadas às novas gerações, além do fato de ser um resgate à memória da Nona Arte no país!


      Abraços!

      Excluir
    2. "A saudade não tem idade, e o tempo passa..."


      E aí, Michel... blz?

      Nem me fale... Eu ando cada vez mais e mais saudosista com o passado, especialmente os ANOS 80 (a melhor década q já vivi)!

      Hj em dia eu tenho achado tudo mto chato, as ideias das pessoas no geral não batem com as minhas: Já não se define mais o q é o bem e o mal. Já não se pode mais falar nada sem temer um processo judicial. Os filmes e gibis andam sem a menor criatividade (são refugos e imitações de coisas melhores do passado). Enfim, tá uma BOSTA a nossa época atual!

      Se eu pudesse, eu pegava a minha família, entrava num Delorean, e decolava direto pros 80 de novo, rs...

      Abs!

      Excluir
    3. "Torço para que esta pequena contribuição que fiz para o Blog Submundo HQ chegue aos olhos das editoras brasileiras"


      Oi, Elcio... Tdo bem?

      Vai chegar sim, amigo... esta matéria vai ser lida por editores e profissionais do mercado sim. Mas, infelizmente, isso pode não ser suficiente pra garantir o interesse ou mesmo a possibilidade técnica (q pode esbarrar em burocracias e direitos de publicação) pra q esses materiais sejam republicados novamente!

      Pelo menos, ainda temos esperança, é claro, qdo vemos títulos como: "Crepúsculo", "Moonshadow", "ESC", "Druuna", entre outros... disponíveis no mercado de hoje!

      Abs!

      Excluir
  2. A Decada aonde comecei a acompanhar mensalmente dc e Marvel,ate lia só Aranha e Transformers e claro Tartarugas com e um ou outro especial tipo Saga da Fenix Negra e Homem de Ferro a porta de entrada da Dc para mim foi "SUPERALMANAQUE DC" Nº1,ja com a Marvel foi "GRANDES HERÓIS MARVEL" Nº 27 - GUERRAS SECRETAS II" que me levou a comprar toda a linha,e dos meus favoritos foi HULK" 79 com Hulk Cinza,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Optimus Primal!

      Esse início da década de 90 foi excelente para quem quisesse começar a colecionar HQs, pelo fato de estarmos basicamente num a época muito próspera tanto da Marvel como da DC, e como a janela de publicação entre EUA e Brasil em média era de cinco anos, estávamos ainda em meados da década de 80, ainda longe da forte influência da Era Image (apesar de alguns artistas dela já trabalharem tanto na Marvel como DC).

      O Universo DC era bem novo ainda (pós-reboot de Crise Nas Infinitas Terras), e O Universo Marvel tinha passado por várias mudanças e era perfeito para começar a colecionar a partir dali! Ademais, você podia ir em sebos e comprar HQs a preço justo, bem baratinho, ao contrário de hoje!

      O Superalmanaque DC foi uma jogada de mestre da Abril para atrair novos leitores, trazendo a origem de vilões, heróis e Grupos de heróis da DC.Era aquele tipo de edição porta de entrada para o Universo DC e aquela para se guardar dizendo: "eu tenho a origem de vários personagens"!

      Naquele tempo não era muito comum estar rebootando origens periodicamente, como fazem hoje com o Superman, Lanterna Verde, etc. Era uma coisa mais "definitiva"!

      O Hulk cinza realmente foi uma mudança muito bacana para o personagem na época! Este começo é muito bacana, mostrando a "nova" personalidade dele e enfrentando o misterioso novo Hulk verde (Hulk Jones).eu só comecei de fato a desgostar desta fase a partir do Sr.Tira Teima, com ele Leão de Chácara, com comportamento escroto e postura de cafajeste!

      Ali começou a descaracterizar demais o personagem tirando aqui ar de monstro temível e super-herói involuntário!!

      Abraços!

      Excluir
    2. Optimus e Elcio:

      No meu caso, amigos, eu ainda tava financeiramente quebrado em 1990... Mas em 95 consegui me recuperar e buscar em sebos boa parte das HQs q eu já tive nos anos 70 e 80 e MAIS o q tinha saído na 1º metade dos anos 90!

      Segundo o Elcio bem falou... Os sebos da época ainda não aplicavam os preços superfaturados e não existia a figura (odiosa) dos "Scalpers" (especuladores q ajudaram a superfaturar o ramo do colecionismo num todo). E era perfeitamente possível buscarmos materiais raros (EBAL, BLOCH, RGE, e Abril) por valores justos!

      Abs!

      Excluir
    3. Leo,
      Nos anos 90 além de sebos frequentava feiras e era bem fácil encontrar quadrinhos baratos. De 2000 pra cá sebos são bem exploradores compram por quilo e vendem as unidades mais caras do que o valor que pagaram no lote do cliente.
      Presencial dias cenas surreais em sebos. A primeira em um sebo vi um livro jogado no chão e me interessei. Perguntei o valor para o funcionário e como não estava marcado ele na minha frente foi até o computador entrou no site da livraria Cultura e disse que custava aquela preço. Detalhe: O sebo ficava a uns 15 minutos da livraria Cultura. Na segunda cena vi um cara com uma centena de mensais, que por cima acredito que tenha fastado 400 reais, o dono do sebo ofereceu 50 reais. E o cara chorou um aumento no valor porque ele queria comprar um presente para a filha com o valor da venda.
      Não compro em sebos por valores próximos ou acima de valor de capa, sei que é um negócio, mas também sei que podem vender bem barato porque pegam de graça praticamente. E também não vendo pra eles prefiro Anunciar na internet baratinho e fazer a alegria de algum colecionador do que alimentar essa exploração.
      Roberto Xavier

      Excluir
    4. E aí, Roberto... blz?

      Penso exatamente da mesma forma q vc nesse caso... Não ajudo a sustentar esse tipo de comércio exploratório e q acabou com a graça do colecionismo em parte, já q esses preços superfaturados fizeram mta gente (eu incluso) pegar NOJO de comprar gibis com valores mto maiores do q realmente valem!

      Nos anos 90, a gente ia aos sebos e era sempre um prazer fazer isso: Catar gibis raros e em perfeito estado (a graça era a gente peneirar e saber esperar aquele gibi q a gente queria por um preço justo e em melhores condições - cara, eu peguei até gibis da EBAL de antes de eu ter nascido em estado de banca, sem um amassadinho na capa). Fiz toda a minha coleção na década de 90 sem gastar mto (lembro q na "Teia do Aranha" eu pagava 1 pila por edição no sebo, qdo o preço normal era 2,50 na banca)!

      E na boa, tbm prefiro até doar pra uma instituição meus gibis... do q vender por centavos pra exploradores q vão revender meus gibis a peso de ouro depois. Sei q sebo é um negócio, q o dono tem q pagar aluguel da loja e tal, mas tem mto canalha operando no ramo (e sim, eu acho canalhice oferecer 50 centavos num gibi q vai ser revendido depois por 20 reais - já vi esse tipo de disparidade acontecer em sebos daqui)!

      Abs!

      Excluir
  3. O Brasil estava no auge da publicação de quadrinhos! Pela primeira vez saíam mangás, quadrinhos franco-belgas e a maior parte da linha Bonelli AO MESMO TEMPO! Collor acabou com tudo isso, infelizmente.

    Só agora, trinta anos depois, o mercado brasileiro ficou tão diversificado (até mais, justiça seja feita) quanto era nesse tempo, mas com vendas bem mais modestas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Hunter!

      A Era Collor, realmente foi um "soco no estômago" na população brasileira! A política econômica austera adotada para assim "combater a hiperinflação", causou um arrocho violento empobrecendo ainda mais as pessoas!

      Mesmo assim, o ano de 1990 foi espantoso no que diz respeito a publicação de HQs, e acho que rivaliza com os dias de hoje!

      O mal que as HQs sofrem hoje é o de não renovação do seu público de forma significativa!Temos séries de TV, filmes aos montes todos os anos, mas isso não cria bases sólidas para formar público desde a infância, e acredito que os colecionadores mais novos ou começam a se interessar através de filmes, ou por "acidente", descobrindo a coleção de algum familiar ou parente de amigo!

      Embora tenha bonecos de super heróis a rodo, falta uma boa base! Eu quando criança tinha bonecos de super heróis, e procurava brincar com eles emulando alguma aventura das HQs ou dos desenhos de TV.

      Os desenhos de TV davam uma boa base, e te levava a se interessar por quadrinhos! Hoje, não temos desenhos de heróis na TV basicamente, apenas em um ou outro canal da TV a cabo, ou em último caso disponível na internet!

      Os programas infantis diurnos foram substituídos por programas de entrevistas e fofocas de celebridades, ou seja, criança não tem vez!

      Sendo assim, não se forma bases para o interesse em leitura, porque muitas vezes a criança sem opção e diversão acaba migrando de imediato para Games em celular ou no console!

      Somado a isso, ainda temos o grande número de bancas de revistas fechando, a política polarizada onde cada lado tenta criar super heróis de verdade, estando ambos os lados com representantes bem longe disto, e claro, a onda LGBT que agora tenta pegar super heróis como símbolos para representá-los em sua "luta" por direitos!

      Fica difícil deste jeito formar novos leitores hoje em dia!

      Abraços!

      Excluir
    2. Hunter e Elcio:

      A "Era Collor" foi uma tragédia mesmo... Mas, ironicamente, o Itamar (q assumiu o lugar do Collor após o impeachment) acabou rendendo uma boa fase econômica, tanto é: q minhas lembranças desse período são boas e resultaram na recuperação econômica da minha família (q tava quebrada desde 1985). Na minha memória, 1995 foi um ano de mudanças positivas e de fartura $$$ pra mim e pra minha família (mas claro, cada um tem sua história e nem todos podem concordar com essa afirmação)!

      Tbm concordo sobre a falta de desenhos animados nos canais abertos hj em dia... Não sei quem foi o imbecil q achou q uma velha xarope com um papagaio retardado e sem a mínima graça seria mais interessante do q uma sessão animada nas manhãs da TV?

      Bom era qdo a gente tinha q se dividir entre os desenhos da Globo, SBT, e Manchete nas manhãs... às vezes era fóda escolher, rs!

      Abs!

      Excluir
    3. "Não sei quem foi o imbecil q achou q uma velha xarope com um papagaio retardado e sem a mínima graça seria mais interessante do q uma sessão animada nas manhãs da TV?"

      Leo, isso aconteceu quando os anunciantes acabaram depois que um idiota criou uma lei que proibia a veiculação de comerciais de brinquedos na TV aberta.
      Roberto Xavier

      Excluir
    4. Na verdade a Lei foi a "pá-de-cal" pois veio atender ao interesse das empresas de canal por assinatura, que já tinham "usurpado" a grande maioria dos jogos esportivos, filmes, seriados e desenhos-animados da TV aberta.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    5. Oi, Roberto... Putz, valeu mesmo pela explicação:

      Agora lembrei de ter lido algo assim há algum tempo mesmo... Mas puxa, é mto triste ver esses programas de merda nas manhãs da TV aberta (alguns extremamente nocivos - como é o LIXO da Fátima Bernardes) enquanto a gente relembra como era nos anos 70 a 90!

      Abs!

      Excluir
  4. E aí, Leo, beleza?

    Parabéns ao Elcio pelo excelente post. Nota-se que ele é um grande entusiasta, e os posts dele no grupo de Facebook no Submundo são sempre enriquecedores.

    No mais, é bom ver como andava o mercado, porque em 1990 eu era meio "Abrilista" e não acompanhava nada de outras editoras nacionais (exceto a Turma da Mônica na Globo). Idiota eu sei, mas coisa de criança de 11 anos.

    Hoje você pode ver a diversidade enorme de material saindo e quem conseguiu aproveitar, se deu muito bem.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lierson!

      Obrigado pelo seus comentários!Muito me honra recebê-los!!

      Acho que no ano de 1990, era muito difícil você não optar mais pela Editora Abril e se empenhar em adquirir seus materiais, até porque ela detinha os direitos dos super heróis Marvel e DC, enquanto a Globo e as outras editoras iam para o lado mais adulto e underground de publicações!

      Não que isso fosse errado, mas tirando a Turma da Mônica, era difícil você como criança ou adolescente comprar uma edição das publicações da Globo que eram em formato americano e papel de qualidade, já que o preço das publicações faziam jus a tudo isso!

      Isso sem mencionar o fato de que as edições subiam a cada número, numa época de crise econômica violenta!

      Quem conseguiu aproveitar esta época de forma satisfatória hoje tem nas mãos (melhor dizendo na coleção) verdadeiros tesouros, onde alguns dificilmente serão republicados novamente!

      Abraços!

      Excluir
    2. E aí, Lierson... blz?

      De fato, é outra coisa qdo a gente lê uma matéria produzida por quem realmente gosta de HQs e vivenciou os períodos mais turbulentos E impactantes do mercado nacional... Assim, tbm parabenizo o Elcio e espero q esta seja apenas a 1º de várias outras colaborações especiais do Elcio pro "Submundo"!

      Sobre o ano de 1990... Na época eu ainda tava afastado do mercado, comprando apenas a revista "MAD" em sebos, rs. Mas já esboçava empolgação com o FILME do "Batman" (Tim Burton) E o "Justiceiro" (com Dolph Lundgreen)!

      Abs!

      Excluir
  5. matéria saudosista!!!!!!!!!

    acompanhava várias das HQs citadas na matéria.
    ainda tenho quase tudo que comprei nesta época.
    tinha todas HQs do batman em formato americano da série mensal, passei tudo pra frente.
    superalmanaqueDC 1 é bem legal.
    hulk do peter david é bem legal.
    na época não comprava aventura e ficção, arrependimento total.
    graphic album drácula é muito bom, comprei pelo números atrasados com a abril, na época não veio pra minha cidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gustavo A!

      Aventura e Ficção foi uma revista muito boa, costumo chamá-la de "Heavy Metal brasileira", embora ela publicasse títulos da Marvel, ela trouxe também artistas brasileiros e europeus no seu mix! O mal é que ela começou a repetir histórias já publicadas no seu mix, e como ela era uma revista com pouco tempo de circulação, isso foi um mal sinal, pois ninguém gosta de comprar uma revista para ter em seu interior histórias republicadas que saíram há pouco tempo!

      Se a Abril tivesse sido mais competente ela teria usado esta revista para trazer os títulos de Marvel Fanfare, Marvel Premiere, e Bizarre Adventures que ela ainda não tinha publicado ou que saíram pela RGE anos atrás, e demais títulos europeus e nacionais!

      Faltou boa vontade por parte dos editores!

      Parabéns por ter essa edição raríssima do Drácula! Hoje os direitos da publicação pertetencem ao autor e ela se encontra praticamente esgotada lá fora!

      https://www.amazon.com.br/Dracula-Moonlight-Nightmares-Jon-Muth/dp/1561630608/ref=sr_1_1?__mk_pt_BR=%C3%85M%C3%85%C5%BD%C3%95%C3%91&keywords=Jon+J.+Muth+dracula&qid=1581410573&s=books&sr=1-1

      No começo da Era Collor ficou cerca de dois meses sem chegar HQs nas bancas daqui, e alguns títulos realmente não vieram!

      Um deles foi este GHM de Guerras Secretas II, e A Teia do Aranha nº06! Como eu era colecionador fanático do Aranha, mandei buscar a referida edição para não ficar com um buraco na coleção!!

      Quando a edição chegou, fui até a distribuidora buscar com a carta da DINAP em mãos,e passei a maior vergonha por causa da secretária, que ficava me zoando e falando para a outra da secretaria: "É o menino do gibizinho fulana!", "Tá aqui seu gibizinho!"

      Como eu era muito educado, daqueles que nem podia falar palavrão em casa ou na rua, fiquei quieto; mas com aquele sentimento de que eu tinha feito alguma coisa errada e deveria "enfiar a cara igual a um avestruz no buraco"!

      Colecionar quadrinhos naquele tempo não era fácil, você sofria muita discriminação!Hoje virou cult!

      Por isso que dizem que "o tempo é o melhor remédio pra tudo!"

      Abraços!

      Excluir
    2. Renato Franca14/02/2020 21:04

      Devia tá com TPM a moça , ou talvez, você fosse parecido com algum ex dela, e acabou descontando sua frustração em ti.

      Excluir
    3. E aí, gustavo... blz?

      Das HQs citadas nesta 1º parte da matéria, as q eu tenho na coleção (mesmo q em formatos e versões posteriores) são:

      "SUPERALMANAQUE DC" Nº1 (ano passado a panini encadernou as origens dos vilões - aí eu cofrei)

      "SANDMAN" Nº 3 (tô fazendo a coleção econômica da panini)!

      "MONSTRO DO PÂNTANO" Nº1 (tenho a versão em papel LWC da panini)!

      "GRAPHIC GLOBO" 4: "ELRIC- A CIDADE DOS SONHOS" (Essa eu tenho a GN da Globo mesmo)!

      "LIGA DA JUSTIÇA INTERNACIONAL" 13 (tô fazendo nas "Lendas")!

      "A TEIA DO ARANHA" Nº 5 (tenho completa do nº 1 ao 60)!

      "CONAN REI" Nº1 (tenho as 3 primeiras edições da revista)!

      "V DE VINGANÇA" Nº 5 (panini)!

      "SUPERAVENTURAS MARVEL" 92 (mto fóda essa edição)!

      "DC 2000" Nº 3: (O "Homem-Animal" eu tenho pela panini)!)!

      "HOMEM-ARANHA" 81 (A "Saga do Uniforme Negro" saiu em parte pela Salvat)!

      "A TEIA DO ARANHA" 7 (saiu TBM na "CHM do Aranha")!

      Abs!

      Excluir
    4. "Aventura e Ficção foi uma revista muito boa, costumo chamá-la de "Heavy Metal brasileira"


      E aí, Elcio... blz?

      Da "Aventura" eu tenho apenas 4 edições: O nº 6 (q traz uma HQ do "THOR" e outra da "Viúva Negra" - ambas EXCELENTES)... e 3 edições mais pra frente q traziam histórias do "MORGAN" (O Presidiário) - Um dos meus personagens favoritos das HQs européias!

      Abs!

      Excluir
    5. "É o menino do gibizinho fulana!", "Tá aqui seu gibizinho!"


      Hahahahaha... Fóda mesmo, kkk!

      Mas vc podia ter perguntado pra ela: "Vc conhece o segredo do morcego"? kkkkkk...

      Abs!

      Excluir
    6. Oi Leo!

      Vontade eu tive! Mas como eu disse, naquele tempo eu era muito introvertido, e não podia falar palavrão nem em casa!

      De certo modo fiquei com receio\medo de responder a ainda ter problemas por ofender uma mulher, mesmo comigo sofrendo críticas injustas!

      Infelizmente na vida às vezes temos de engolir sapo!

      Abraços!

      Excluir
  6. Parabéns pela postagem.
    Fui ter a maioria dessas revistas alguns anos depois. Infelizmente, minha realidade era a de muitos brasileiros que se deram mal no Governo do marajá, caçador de marajás. Por isso não tive a oportunidade de comprá-las em banca.
    Essa edição número 1 de DC 2000 com o até então novo personagem Xeque-Mate me impactou muito. Achei o personagem muito legal, mas essa impressão durou até conseguir a revista e descobrir que não era um, mas vários personagens que se vestiam igual. Algo que tirou o brilho e não permitia ter carisma com o personagem.
    Superalmanaque DC é incrível. Reli várias vezes. As histórias que contavam as origens do Flash Wally West, Capitão Átomo, Pingüim eram excelentes. Nessa época a Abril fazia um compilado como esse que além da diversidade tinha uma qualidade louvável.
    Esse personagem Sabre era baseado no Jimi Hendrix.rs. Nunca tive nenhuma edição, infelizmente.
    Eu tive a coleção dos Novos Titãs da Abril e as histórias do Caçador Mark Shaw eram minhas favoritas depois dos Titãs.
    Tive muitas dessas revistas. Umas semanas atrás comprei alguns formatinhos da Teia do aranha e quando as recebi fiquei um bom tempo relembrando da época que as li. Pura nostalgia.
    Roberto Xavier

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Roberto Xavier!

      O Caçador Mark Shaw pra mim foi o melhor a usar esta alcunha! Suas histórias eram de alta qualidade e ele foi um personagem que fez bastante sucesso nos EUA!

      Eu tenho algumas edições importadas dele, que comprei na época, quando começaram a vir HQs importadas para cá!

      Uma pena que Xeque-Mate não te agradou! Gosto muito deste material, mas a chance de ter isto republicado novamente por aqui é praticamente zero!

      Sable é aquele tipo de material que sai de forma obscura por uma editora ainda mais obscura e se torna clássico porque quase ninguém tem ou conhece esta publicação!

      Curiosamente quando saiu por aqui este material já era velho, já que ele tinha saído lá fora em 1978!

      É um material de ficção científica interessante, bem estilo filme B e totalmente Blaxploitation, com Paul Gulacy no auge de sua arte!

      Tem a edição no Estante Virtual, e está bem barata, caso você deseje adquirir:
      https://www.estantevirtual.com.br/britoabreu/don-mcgregor-paul-gulacy-sampa-graphic-album-sabre-125748046


      Abraços!

      Excluir
    2. Elcio,
      Obrigado pela dica do Sabre na estante virtual. Salvei para compra futura.
      Roberto Xavier

      Excluir
    3. "Esse personagem Sabre era baseado no Jimi Hendrix.rs. Nunca tive nenhuma edição, infelizmente."


      E aí, Roberto... blz?

      Bem q eu achei parecido com o Hendrix mesmo, rs... E bem q eu queria ter esse material tbm, mas vou esperar uma eventual republicação ("SE" rolar)!

      E antes do "marajá"... quem me quebrou financeiramente mesmo foi o Sarney com o Plano Cruzado (de 1986). O Collor foi só uma pá de cal naquilo q já tava ruim. Felizmente, na fase do topetão (Itamar) a coisa voltou a melhorar e consegui me recuperar e voltar a coprar gibis!

      Abs!

      Excluir
  7. Off. Se alguém aqui tiver ou conhecer alguém que possa vir a ter a primeira edição da Bloch do Homem de Ferro, por favor me avisem. Um Conhecido dos EUA pediu para ver se era possível arranjar uma imagem do pôster que vinha nessa edição. Então se alguém tiver ou conhecer alguém possa tê-la...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já olhou no Rock e Quadrinhos Scans?

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Não conhecia esse blog Vam. Dei uma olhada, todavia não tem essa edição.

      Excluir
    3. Tenta o Baú de Gibis.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    4. E aí, Kromak... blz?

      Tenta este LINK aqui (não testei, mas espero q funcione):

      http://www.mediafire.com/file/fv4kefivkzf8nyx/Homem_de_Ferro_01_Bloch_%255BJetscans%255D.cbz/file

      Abs!

      Excluir
  8. E voltando ao tema do post, guerras secretas 2 não pode ser esquecida jamais, pois em uma das edições da saga o Coisa vira para o Fanático e diz algo como "Pode vir Fanático, hoje eu estou com a macaca toda" !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dessa GS II, só lembro da aventura solo do Tocha Humana com o garotinho que taca fogo no próprio corpo.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. Essa história lembra muito o menino que colecionava homem aranha

      Excluir
    3. Só acompanhei as "Guerras 2" através de histórias soltas em algumas revistas q eu comprava (tipo "SAM")... Mas era mto pouco (se eu li 10% da saga toda foi mto)!

      Abs!

      Excluir
  9. Fala Léo e Vam!! Olha foi uma grata surpresa conhecer Elric!!! Comprei aquele encadernado recente "Gold edition" sem muita esperança, depois disso sai baixando tudo que encontrava dele!!! Muito bom, pena ter dificuldade de achar esse material antigo dele!! Se vcs tiverem uma dica, sou grato!!
    Att Vinícius

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Vinicius, nunca li nada do Elric, só conheço as capas.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    2. E aí, Vinícius... blz?

      Eu achei este LINK pra baixar o "ELRIC" clássico (só não testei pra ver se funciona):

      http://scanmaniacs.blogspot.com/2016/08/elric-cidade-dos-sonhos.html

      Eu gosto mto do personagem, e conheci ele num crossover com o "CONAN" pelo Barry Smith:

      https://http2.mlstatic.com/revista-conan-elric-a-imperatriz-verde-de-melnibone-D_NQ_NP_662532-MLB31378821790_072019-F.webp

      Há uns 2 ou 3 anos atrás, saíram tbm alguns LIVROS originais do "Elric" no Brasil (comentei os primeiros aqui no blog na época do lançamento)!

      Abs!

      Excluir
    3. Obrigado Vam, Léo e Elcio!!! vou baixar o que estiver faltando pra mim, comprar o que der nos sites comix, e acho que da rika deve ter ttbm!!! baixei algum desses livros tbm, mas, não li ainda!!!! tmj!!! att.:vinicius

      Excluir
  10. Olha Elcio, ainda lembro de quando comprei o Superalmanaque DC com capa bacana do Brian Boland.

    A origem recontada do Pinguim é uma das melhores histórias que li do personagem. Com sua pegada sombria e violenta.

    Mas, o melhor mesmo foi o bônus do Batman #0. Pela primeira vez comprei em bancas uma edição formato americano do morcego. Já que as da EBAL foram todas em sebos e feirinhas.

    A história que tentou um retcon sobre o passado do Thomas Wayne nunca mais voltou a ser mencionada, creio que não agradou ninguém.

    E de quebra um mapa de Gotham City.

    Além do brinde oficial do Bat-Calendário de 1990. Que sei que ainda tenho, mas não lembro dentro de onde.

    E Leo, pra mim que nunca curtiu o universo cósmico da Marvel, a SAM nessa época estava sempre 50% aproveitável! Com o Justiceiro rivalizando com o DD tanto em ideologia quanto qualidade de roteiros e de quebra estavam sempre 'num quebra' como nessa capa irada.

    Parabéns pela pesquisa Elcio e meus agradecimentos Leo, pelo compartilhamento.

    Que venham as próximas.

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI VAM!

      Obrigado pelos comentários e elogios! Fico honrado em recebê-los!!

      Mexer na história dos pais do Batman nunca é bom, eles devem ser sempre retratados como pessoas bondosas, altruístas, e influentes na sociedade de Gotham e que amavam muito o filho!Pode parecer piegas, mas é assim que deve ser, afinal Bruce Wayne era o cara que teria uma vida perfeita em todos os sentidos se seus pais não tivessem morrido!

      Criar qualquer coisa que torne contraditório isso, é descartado da cronologia!

      O Morrisson, inventou de macular a imagem deles na Saga Batman- Descanse em Paz, onde o Dr.Hurt afirmava ser Thomas Wayne e que ele e a sua esposa (a Martha) praticavam orgias e Swing de casais!

      É claro que nenhum leitor acreditou nestas baboseiras, porém a irregularidade do run do escritor e esta difamação sobre os pais do herói queimaram e muito esta saga! Tanto que ela nem é citada como uma das melhores do herói!

      A origem do Pinguim no Superalmanaque DC realmente é surpreendente, ainda mais se você é um leitor que mantém a imagem do vilão como um bandidinho mequetrefe com guarda- chuvas cheios de truque e tramóias infantis como mostrado na série de TV e desenhos animados!

      Eu que era novato no universo DC na época fiquei impressionado com a origem do vilão mostrada nesta publicação! A DC aos poucos foi mudando a imagem de bufão do vilão, transformando-o num mafioso astuto e ardiloso e fazendo ele abandonar os trajes coloridos!

      O Justiceiro estava no auge nesta época, e ele chegava até mesmo a ganhar em popularidade em relação ao Demolidor, já que as histórias do herói cego não estavam no seu melhor momento na fase Nocenti|Romitinha. Ademais, a violência absurda e sem limites na época no país, com muitos casos de sequestro, assassinatos, e assaltos à mão armada fizeram os leitores viraram sua atenção ao herói como uma catarse à triste realidade que vivíamos!

      Conheci muitos leitores na época que compravam SAM só pelo Justiceiro!!

      O Bat-calendário eu ainda tenho guardado numa das caixas de HQS! Devia tê-lo escaneado ou batido uma foto para mostrar aos leitores que nunca viram!!

      se tudo dar certo e o Leo permitir, eu farei uma matéria sobre o ano de 1991 em 2021, que por sinal nada fica a dever ao ano de 1990, e foi um dos anos mais importantes para o Batman no Brasil, porque inaugurou uma nova publicação do herói que por sinal, é uma das mais marcantes dele já publicadas no país! E de quebra, temos uma das mais aclamadas e importantes histórias do Homem Aranha já publicadas!

      Mas tem muito mais coisas, bacanas e surpreendentes!

      Abraços!

      Excluir
    2. "na Saga Batman- Descanse em Paz, onde o Dr.Hurt afirmava ser Thomas Wayne e que ele e a sua esposa (a Martha) praticavam orgias e Swing de casais!"
      Preciso reler essa HQ, não me lembro de detalhe tão sórdido.rs
      O Grant Morrison tem um problema sério. Ele sobre da síndrome "preciso ser igual o Alan Moore e transformar tudo que toco relevante e parte fundamental da cronologia.
      As HQs dele que mais curto são as que ele aparenta escrever sem muita pretensão como "Batman: Luva Negra" e Asilo Arkham a demais coisas são um porre de ler como Multiverso e Crise Final. Esse ultimo a coisa mais nonsense do que Patrulha do Destino. A Patrulha por sua vez repete a fórmula em Homem-Animal, que na minha opinião, fica batida assim como as histórias de mistérios do Jeff Loab.
      Roberto Xavier

      Excluir
    3. Oi Roberto Xavier!

      Esta história do Batman com tais 'revelações" acontece justamente quando a Luva Negra ataca a Batcaverna!

      Eu acho o Grant Morrisson um escritor irregular, e particularmente não sou fã dele, e tudo o que você disse sobre ele é a pura verdade!

      Ele ainda tem de comer muito arroz com feijão para tentar se igualar ao Alan Moore!

      Abraços!

      Excluir
    4. Não havia comprado nenhuma minisérie ou edição especial Vam? Já tinha saído bastante coisa.

      Excluir
    5. Ops!

      Comi a palavra "mensal"... :p

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    6. "E Leo, pra mim que nunca curtiu o universo cósmico da Marvel, a SAM nessa época estava sempre 50% aproveitável! Com o Justiceiro rivalizando com o DD tanto em ideologia quanto qualidade de roteiros"


      E aí, VAM... blz?

      Eu adorava a "SAM" nessa época, ainda mais q eu curtia a disparidade de estilos dentro do próprio mix da revista... q ia das ruas sujas e violentas de NY (DD e Justiceiro) até os confins do espaço com o "Thor" e "Surfista", rs!

      E é engraçado como 2 personagens com pensamentos e ideologias tão diferentes conseguem me agradar na mesma proporção... Embora o "Justiceiro" me represente MAIS (sou adepto da premissa de "bandido bom é bandido morto"), eu TBM gosto mto do "Demolidor" e entendo a visão q ele tem da justiça (não concordo tanto, mas entendo e respeito)!

      E o "Superalmanaque DC"... eu tenho em parte só pela versão da panini no ano passado (só q ainda não li)!

      Abs!

      Excluir
    7. "O Morrisson, inventou de macular a imagem deles na Saga Batman- Descanse em Paz, onde o Dr.Hurt afirmava ser Thomas Wayne e que ele e a sua esposa (a Martha) praticavam orgias e Swing de casais!"


      Putz, q merda isso hein? Nada a ver essa polemicazinha gratuita do Morrison... Bem q eu fiz em nunca ter lido essa fase!

      Abs!

      Excluir
    8. "se tudo dar certo e o Leo permitir, eu farei uma matéria sobre o ano de 1991 em 2021, que por sinal nada fica a dever ao ano de 1990"


      Mas nem precisava perguntar, kkk... E desde já, fico no aguardo dessa postagem pro ano q vem, rs!

      Em tempo: Ainda hj a "Parte 2" desta matéria vai pro ar (tô finalizando os ajustes gráficos nas CAPAS e selecionando as melhores, rs)!

      Abs!

      Excluir
    9. "...E é engraçado como 2 personagens com pensamentos e ideologias tão diferentes conseguem me agradar na mesma proporção..."

      É por isso que considero a tradução para The Punisher ruim, pois o Frank não faz justiça (já que a mesma é pautada por um conjunto de regras e leis que estruturam a Sociedade e no caso defendidas arduamente pelo Demolidor) ele executa marcialmente a punição.

      Ele pune pela própria dor que não consegue acalentar, pune pelo vazio que sua vida se tornou, pune pelo mal que muitos representam a Sociedade e pune por não acreditar na redenção dos mesmos.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    10. "... Putz, q merda isso hein? Nada a ver essa polemicazinha gratuita do Morrison..."

      E ainda por cima fica insinuando que o Alfred é o verdadeiro Pai do Bruce, fruto de um relacionamento secreto com a patroa.

      Mas em certo aspecto, isso tudo pode ser considerado como parte do grande jogo mental do Dr.Hurt pra desestruturar o Batman. Então não me incomodou tanto.

      O que considero pior, é o final que não acaba na série, ele é jogado de forma gratuita para a Crise Final. E que ainda resulta na bizarrice da viagem temporal através dos antepassados dos Waynes.

      Assim como o Elcio, endosso a irregularidade do Morrison, sempre querendo revolucionar conceitos.

      Eu não gosto de "Batman R.I.P", mas curto "Batman & Filho" e apenas a sua continuação "Corporação Batman".

      A ideia do Damian ter sido gerado na tenda da Tália (durante a Saga Contos do Demônio do O´Neil & Adams ao contrário da erradamente indicada edição "Filho do Demônio" é genial!

      E o resgate do conceito Batmens do Mundo Todo da Era de Prata é bem plausível.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    11. "É por isso que considero a tradução para The Punisher ruim, pois o Frank não faz justiça"


      Oi, VAM... Eu já acho a tradução boa, independente do significado q tenha ou do conceito de "justiça" a se levar em conta!

      Falo isso, pq já vi outras traduções pra "Punisher" q não ficaram legais pela sonoridade: "Vingador", "Carrasco", "Matador", etc (algumas dessas em desenhos animados)... E "Punidor" seria um nome horrível. É q nem se chamassem o "Demolidor" de "Atrevido" ou "Audacioso" (péssimas traduções sonoramente falando)!

      Abs!

      Excluir
    12. "E ainda por cima fica insinuando que o Alfred é o verdadeiro Pai do Bruce, fruto de um relacionamento secreto com a patroa."


      Putz, aí já virou novela da Globo... Mto ruim mesmo, rs!

      Abs!

      Excluir
    13. Punidor sim, mas Erradicador foi um nome que eu sempre gostei, pois ele pune da forma definitiva!

      Tenho inclusive um slogan criado, veja se não parece filme de ação: "O ERRADICADOR - Com ele a punição é severa!"

      Até me surpreendi quando o Reino do Superman foi publicado e a versão "Castle" do Kent apareceu com o mesmo nome.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    14. Mas como eu disse fica no campo do subjetivo, foi como uma tortura psicológica, por isso até o exagero nas possibilidades absurdas.

      No caso da história de Batman #0 a intenção foi mostrar como "nova verdade" que no passado o Dr. Thomas Wayne, teve uma atividade que seria condenada pelo seu próprio filho no futuro.

      Por isso que eu falei em "retcon".

      E pra quem ficou curioso a mesma está presente no encadernado "As Dez Noites da Besta e outras histórias". Pois pertence a fase em que o Jim Starlin escreveu o personagem.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    15. Oi, VAM... Esse "10 Noites da Besta" até me interessaria, SE tivesse sido lançado num formato mais econômico!

      TIJOLÃO capa-dura custando mais de 90 reais... me desanimou!

      Abs!

      Excluir
  11. Leo e Elcio,

    Parabéns pela excelente idéia deste post, revisitar os quadrinhos de anos atrás, fazendo um apanhado de algumas publicações daquela época.

    Em 1990 ainda era estudante do colegial e, vivendo de mesada, tinha que selecionar bem o que comprar a cada mês. As publicações da Marvel eram compras certas, já que acompanhava desde a primeira metade dos anos 80, mas o resto dependia do que sobrava no final do mês. Edições de “luxo”, como Sandman, Guerra de Luz e Trevas, Conan Rei e Graphic Novels que não fossem de super-heróis estavam fora da lista, só vindo a adquiri-las quando fossem publicadas em encadernados (caso de Sandman e Guerra de Luz e Trevas) ou encontradas em sebos no Centro aqui do RJ, que passei a frequentar com mais frequência nessa época em busca de títulos antigos a preços bem em conta. Também foi um período em que comecei a acompanhar alguma coisa da DC e comprava a Liga da Justiça e DC 2000.

    Também merece atenção o fim da Aventura e Ficção, excelente publicação que tive a chance de acompanhar em suas primeiras edições. Acabei perdendo essas revistas (junto com várias edições da Espada Selvagem) numa praga de cupins que deu no meu quarto e é um material que sinto muito não ter em mãos hoje. Eram histórias bem diferentes do que era publicado habitualmente por Marvel e DC e lembro de gostar muito do que aparecia em cada edição.

    Mais uma vez parabéns e espero que venham novos posts desse gênero.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nuno!

      Agradeço ao comentário!

      Minha situação era semelhante à sua na época!Sei bem como contar as moedinhas da mesada paracomprar as HQs que cabiam no orçamento!!

      Eu tinha tido a idéia de fazer uma matéria como esta no ano passado, relembrando o ano de 1989 que foi um ano com muitos lançamentos de HQS (mais ainda que o ano de 1989) e que foi mais do que especial por causa da Batmania que dominou o mundo!

      Em particular eu ia escrever sobre a Batmania primeiro e inserí-la junto às publicações num texto à parte. Não comentei nada ao Leo, já que primeiro resolvi escrever para ver como ia ficar!

      Como a Batmania foi o maior fenômeno pop daquele ano, eu queria fazer algo diferenciado com parte de matérias de revistas da época misturado com experiências pessoais, descrevendo como a Batmania afetou a a sociedade numa época em que HQs sofriam discriminação, bem como o meio social em que eu vivia na época!

      Peguei a revista SET do filme lançada na época que eu tenho guardada até hoje e comecei o texto, porém o Pipoca e Nanquim lançou um vídeo falando sobre os 80 anos do Batman, com curiosidades até então "desconhecidas" sobre o filme e público da época, e ao assistí-lo vi que minha matéria ficaria medíocre demais, e então desisti!

      A idéia era fazer algo diferenciado do que se pode achar sobre o assunto na internet hoje em dia (comendo pelas beiradas), mas infelizmente não deu certo!

      A minha idéia reascendeu quando no meio do ano para o final teve as convenções de quadrinhos pelo país e novamente foi alegado que "tal material vai ser cancelado', "não vai ser publicado", "não venderá bem" por causa da crise econômica atual, etc.

      Então eu achei que de fato era a hora de escrever uma matéria comentando os lançamentos de HQs numa época muito, mas muito difícil economicamente no país, muito pior do que está sendo agora ou cinco anos atrás quando a referida crise começou; justamente para mostrar que nosso mercado é forte, e que mesmo passados 30 anos muita coisa mudou na sociedade, mas no mercado de quadrinhos não foi tanto assim, pois já existiam edições de luxo, encadernados em capa dura, junto às edições mensais!

      A diferença é que ia tudo para as bancas e lá tinha 30 dias para pegar ou senão, só pedindo pela editora ou indo em sebos!

      Quando a matéria for publicada na íntegra, de certa forma ficará provado que existe um descaso das editoras em relação a publicar este ou aquele título, pois mesmo selecionando HQs numa lista a quantidade de lançamentos em 1990 foi absurda para uma época tão difícil!

      Abraços!

      Excluir
    2. Oi Vinícius!

      Se é a Graphic Novel do Elric da Globo que esta listada aqui na matéria, na Comix tem, e está com um preço bom pela raridade do material:

      http://www.comix.com.br/graphic-globo-n-4-elric-a-cidade-dos-sonhos-de-michael-moorcock.html

      Abraços!

      Excluir
    3. Oi Kromak!

      Guerras Secretas II é um material um tanto duvidoso, e acho que até a Marvel tem vergonha dele, escondendo-o debaixo do tapete!

      Na época a publicação lá fora recebeu péssimos reviews e foi considerada uma das piores publicações do ano!

      Mas ver o Coisa intimando o Fanático realmente é uma coisa que por si só já valeria a compra da edição para o bem ou para o mal do leitor!

      Abraços!

      Excluir
    4. Assim como Guerras Secretas está para Crise nas Infinitas Terras, diria que Guerras Secretas II está equivalente á Milênio na DC.
      Roberto Xavier

      Excluir
    5. "Parabéns pela excelente idéia deste post, revisitar os quadrinhos de anos atrás, fazendo um apanhado de algumas publicações daquela época."


      Oi, Nuno... Tdo bem?

      Brigadão por ter curtido a postagem... O melhor ainda está por vir neste COMBO TRIPLO q o Elcio produziu, rs!

      E é mto interessante mesmo a gente revisitar um mercado de 30 ANOS atrás... Parece um outro mundo, uma realidade alternativa: se comparada ao mercado atual q temos hj em dia. Entre as principais diferenças: Vale notar q praticamente todos os gibis eram econômicos e acessíveis (nada de encadernados caros), e o luxo já era considerado o formato americano em si, rs!

      Abs!

      Excluir
    6. "Guerras Secretas II é um material um tanto duvidoso, e acho que até a Marvel tem vergonha dele, escondendo-o debaixo do tapete!"


      Oi, Elcio... A Marvel até arriscou um OMNIBUS das "Guerras 2" em 2009, com uma capa variante TOSQUÍSSIMA, kkk:

      https://d1466nnw0ex81e.cloudfront.net/n_iv/600/959627.jpg

      O TIJOLO tem 1.168 pág e custa uns 100 dólares hj em dia (melhor gastar essa grana na ZONA, kkk)!

      Abs!

      Excluir
    7. Putz! Não quiseram nem pagar ao Ross pela arte da capa.

      Abs,
      VAN!

      Excluir
    8. Oi Leo!

      A saga já é ruim, e ainda fazem uma capa furreca dessas! É pra encalhar mesmo!

      Creio que se a Panini se interessasse em publicar esta saga ela teria feito poucos anos atrás na época da mega saga Guerras Secretas, onde ela aproveitou e relançou a original de 1984 no formato CHM e posteriormente encadernada em capa dura!

      Este material vai virar sonho de consumo, e muito vão insistir para a Panini republicá-la agora que o assunto veio à tona!

      Abraços!

      Excluir
  12. No início dos anos 90, eu comprava praticamente tudo o que era publicado pela Editora Abril: revistas DC, Marvel e edições especiais do tipo "graphic novel". A grande maioria era guardada imediatamente depois de comprada para "ler depois". Sendo assim, eu tinha quase tudo o que eles publicaram na década de 80 e início dos 90. Eu diria que eu era mais um ingênuo manipulado pelos editores da Abril, que acreditava que as coisas que eles publicavam eram interessantes.

    Por volta de 2002, eu mudei de ideia. A partir desse ano, eu comecei a comprar todas as edições antigas de revistas da EBAL e todos os livros importados com as histórias que eu gostava das décadas de 60 e 70. Para abrir espaço para essas novas aquisições eu precisava me livrar da montanha de lixo que era formada pelas revistas da Abril dos anos 90.

    Um belo dia, eu enchi o porta-malas do carro com revistas da Abril e fui doá-las a uns meninos que estavam ansiosos para "dar um tratamento especial" a elas, ou seja, estavam doidos para ler tudo e, depois, dar um fim nelas. E assim eu me livrei de centenas de revistas que não tinham sido nem lidas, estavam no mais perfeito estado, incluindo algumas graphics novels de Batman e Demolidor que, hoje em dia, fazem muito sucesso comercial e que eu não quero vê-las nem de longe. Nunca me arrependi de ter feito isso, não tenho a menor saudade daquelas revistas.

    Hoje em dia, eu ainda guardado algumas revistas da Abril: os primeiros números de Batman, Super-Homem, Eróis em Ação, Superamigos, Novos Titãs, Heróis da TV, Superaventuras Marvel, Homem-Aranha, Hulk, ... mas nunca olho essas revistas. Ao lado de algumas revistas da Bloch (que também eu tinha quase todas), elas estão aqui praticamente abandonadas, embaladas para sempre em sacos de plástico. Sempre que quero contar quantas revistas eu tenho, eu nunca levo em conta essas revistas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa!! Aceito doações se quiseres mais espaço na casa....

      Excluir
    2. Oi Lenimar!

      Interessante seu relato!

      Ele parece ser mais de um ex-colecionador do que de um colecionador!

      Acredito que você deva ter tido seus motivos para desfazer grande parte de sua coleção, ainda mais de forma altruística!

      Passamos por várias fases na vida, e é normal reavaliarmos tudo que fizemos e vivemos até certo momento dela! O seu momento foi esse de achar necessário passar para frente parte de sua coleção!

      Confesso que como colecionador antigo eu passei por este dilema, pouco antes dos 30 anos, quando conheci uma garota que foi a paixão da minha vida, e achando que ia me casar com ela eu cogitei encerrar meu colecionismo!

      Não era de forma instantânea, mas sabia que se casasse com ela não poderia continuar colecionando e mais cedo ou mais tarde teria de passar pra frente tudo o que tinha colecionado até o momento!

      A vida me separou dela, e a vida continuou para ambos! Continuo colecionando até hoje e não arrependo disso!

      A diferença é que hoje, embora eu possa a vir me casar no futuro, não cogito me livrar da coleção, seja por esposa ou por mais ninguém, a vida continua para ambos seja num relacionamento ou após o fim dele. Todos precisam ter um Hobby e suas particularidades!

      Abraços!

      Excluir
    3. Elcio realmente... quando tinha 22 anos tive uma namorada e além de desfazer dos gibis, ela queria que eu apagasse tudo relacionado a quadrinhos e desenho do Computador. Na época faria tudo por ela e ia me desfazer de tudo.

      Mas o meu relacionamento não foi para e frente e nunca mais nos vimos e acabei não me desfazendo de nada.

      Depois de mais de 18 anos desde fato decidi que mesmo se eu for me casar, ainda vou ficar com a coleção. Pois além de ser coleção também é material de referencia para desenhar e estudar desenho.

      Excluir
    4. Oi Chaos!

      Eu acho que todos nós colecionadores em algum momento da vida pensa em parar de colecionar e se livrar da coleção quando encontra um amor, ainda mais se considerar ele 'o da sua vida!"

      A pressão da sociedade e o fato de estarmos chegando na casa dos 25 a 30 anos, nos faz pensar se não é a hora de assumirmos o compromisso de termos uma família e filhos, já que os 40 anos é uma idade tão distante e sempre imaginamos chegar nela acabados fisicamente e sem chance de conhecer alguém bacana!

      O lance é que HQs sempre é ligado à imagem de imaturidade do homem, e mulher quando vê o homem colecionador geralmente vê que ele "precisa ser moldado" ao perfil que ela acha certo para o conceito dela!

      Juntando neste meio a figura da sogra principalmente, que começa a dar palpite na relação, o cara (o colecionador) se vê encurralado e acaba optando por encerrar e se livrar do seu hobby!

      O caso mais clássico a título de exemplo é o de Nicholas Cage,que ao se casar com Lisa Marie Presley foi obrigado por ela a se livrar de sua coleção de HQs, algo que ele fez contra a vontade, principalmente por ele ter verdadeiros tesouros na coleção, como a Action Comics nº01 original de 1938.Quando ela o obrigou a se livrar de sua coleção de carros esportivos, ele "pirou" e acabou com a relação!

      Sorte dele que ele conseguiu recuperar sua coleção, inclusive sua Action Comics, mas pagou um preço bem alto para reavê-la!

      Naquele tempo, quando eu estava com a minha ex, eu era um cara franzino, e muito inseguro de si, e obcecado por ela! Hoje, depois de tudo eu vejo que teve um lado positivo no fim da relação, pois eu fiquei mais confiante, estudei mais, adquiri mais cultura, conheci outras mulheres, fui fazer musculação, e tive outras experiências de vida que não teria se tivesse ficado com ela!

      Eu não a vejo há mais de 15 anos, e também nunca procurei saber dela em redes sociais! Acho que hoje nem ela me reconheceria (como muitos da época), afinal estou com uns 30 quilos a mais, resultado da musculação!

      Hoje, eu jamais deixaria de colecionar por causa de um relacionamento, pois não vale a pena se sacrificar a este ponto em prol de uma relação. Hoje, se tiver de me casar será com uma mulher que me aceite do jeito que sou, respeitando principalmente meus hobbys!

      Afinal, temos de arranjar uma companheira para somar, e não para subtrair!

      Por isso não aconselho ninguém a deixar de colecionar por causa de uma relação, pois se ela vier a acabar quem sai perdendo é você, pois a vida continua para os dois!

      Abraços!

      Excluir
    5. "...Afinal, temos de arranjar uma companheira para somar, e não para subtrair!..."

      Essa métrica vale pra tudo na vida, parceria, amizade e principalmente casamento!

      "...Por isso não aconselho ninguém a deixar de colecionar por causa de uma relação,..."

      Vejo pelos comentários, que posso me considerar um sortudo nesse quesito, pois as minhas ex e atual esposa, nunca deram a mínima pra esse meu hobby.

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    6. Oi, Lenimar... Tdo bem?

      Eu tbm (e certamente muitos outros milhares de leitores) acreditava q a Abril fazia um bom trabalho com a Marvel e DC... Até a verdade realmente aparecer à medida em q a gente ia se informando melhor a respeito do q era publicado nos EUA e as atrocidades q a Abril cometia nas revistas de linha!

      Te confesso q eu demorei mto tempo pra entender o q a Abril havia feito... Uma cronologia própria, LONGE do q era a verdadeira cronologia Marvel: Apresentada aos leitores brasileiros completamente retalhada, mutilada, pulada em centenas de histórias (mtas delas adulteradas pela editora com personagens redesenhados e/ou apagados de quadros). Só fui descobrir isso com a chegada da internet e as pesquisas q eu fazia sobre o q rolava lá fora e como havia sido mostrado aqui no Brasil!

      Da mesma forma q vc... Nos anos 90 (a partir de 1995), eu busquei materiais mais antigos da EBAL: q respeitavam mais a cronologia Marvel. Pra minha sorte, encontrei boa parte dos materiais da EBAL num sebo daqui, onde completei o "4F" (q começou com revista própria e depois seguiu no mix da revista do "Aranha" - q eu tbm fui atrás pra buscar) e demais títulos do meu interesse!

      E é engraçada essa relação q temos hj em dia com os formatinhos do passado... Eu tbm não os considero mais como parte da minha "coleção OFICIAL", e acabo considerando apenas aquilo q tenho em formato americano. À medida q vou adquirindo encadernados de materiais clássicos, vou me livrando dos formatinhos. Um exemplo: Graças à "CHM do Mestre do Kung Fu", já posso mandar adiante várias edições de "HTV" e "SAM" q eu mantinha só por causa dele!

      Abs!

      Excluir
    7. "Hoje, eu jamais deixaria de colecionar por causa de um relacionamento, pois não vale a pena se sacrificar a este ponto em prol de uma relação. Hoje, se tiver de me casar será com uma mulher que me aceite do jeito que sou, respeitando principalmente meus hobbys!"


      Exatamente, Elcio...

      A minha ex-mulher, por exemplo, tbm odiava meus gibis e o espaço q eles ocupavam em casa... ela fez de tudo pra eu me livrar da minha coleção. Aí, qdo ela finalmente me botou contra a parede, eu disse q ficaria com a minha coleção e "se não tá gostando: pega tuas coisa E VAI TIMBORA". Ela foi, e nunca mais ouvi falar dela e nem tenho o menor interesse em saber. Fiquei feliz de ter me livrado duma mulher q queria impor regras demais pra cima de mim. Se fuder, numa relação tem q ter respeito mútuo. Não gostou, pula fora q a fila anda: simples assim!

      E foi o q aconteceu logo em seguida... Conheci minha atual esposa (com quem vivo feliz há mais de 10 anos) e de cara já falei pra ela: "Olha, eu tenho uma coleção de gibis e bonequinhos q ocupa um quarto inteiro do apartamento, não vou me livrar dela: se tu aceitar é assim, o quarto dos gibis fica quieto no canto dele e o máximo q eu te prometo é não deixar os gibis "vazarem" pros demais cômodos, blz)?

      Ela aceitou os termos e nunca mais me incomodei com isso... Ela não gosta de gibis e nem precisa gostar, só tem q me respeitar!

      Abs!

      Excluir
  13. Ótima matéria!

    Bom relembrar...a Abril realmente tinha uns ótimos mix. Esse mix do Batman em formato americano é o melhor já feito no Brasil dele, só tinha filé. DC 2000 também, grande mix. Curiosamente na época não me liguei muito no Homem Animal do Morrison, li e achei boa, mantendo o nivel alto do mix, mas não me liguei. Só fui me ligar ao personagem na republicação da Panini, que coisa. Hoje é um dos meus top 30 das hqs (as hqs que eu mais valorizo). Monstro do Pantano do Moore eu li poucas historias na época e achava muito bom, mas tinha dificuldade pra entender varias coisas devido a bagunça da publicação aqui. Quando li na integra pela Panini passou a ser parte do meu top 10.

    Enfim, a Abril mesmo na confusão, me apresentou esses grandes personagens. Que só fui reaver de forma completa e na ordem muito depois.

    Lembro dessa Superaventuras Marvel quando comprei na banca, fui chamado pelo Justiceiro claro. Grande porradaria com o Demolidor. Lembro que eu adorava quando eles brigavam e o Justiceiro batia nele kk um amigo meu ficava puto comigo por isso, coisa de moleques (nunca gostei do Demolidor, mas curiosamente acho sua série excelente e suas historias do Miller tb).

    Já Conan Rei lembro de ter achado as cores uma bosta e ignorei. Na época obter informação de hqs e coisas de lá de fora era uma merda, e eu fiquei estranhando Conan em cores. O curioso é que eu nunca tinha visto revistas dele coloridas. Passei sem perceber Conan em cores. Eu só comprava vez ou outra as ESC mesmo na época (eu era um moleque duro e priorizava mais Batman e X-Men kk).

    Continuarei vendo as proximas postagens.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camus,
      Antes do desenho animado dos X-men passar na Globo eu lia as histórias dos "Xis-Men" e o "Uolverine". Kkkk
      Roberto Xavier

      Excluir
    2. Oi Camus!

      Realmente as mensais da DC na época tinham mix de alta qualidade! Batman, DC 2000, Monstro do Pântano e Caçadores, que não está nesta postagem mas estará na parte II dela, foram revistas muito marcantes com histórias de alto nível!

      O mal foi quando a boa fase da DC de fato acabou, e HQs como DC 2000 que começou tão bem terminou de forma patética numa edição de 52 páginas, com uma boa história do Batman e Caçadora, mas bem longe dos tempos áureos da publicação!

      Monstro do Pântano, Batman, e Caçadores foram canceladas por outros fatores, mas ainda que encerradas estavam no auge!

      Conan Rei foi uma das revistas mais vendidas dos Anos 90, mas as cores acachapantes realmente desagradavam os fãs mais tracionais do Cimério! Embora o Bárbaro já tivesse tido histórias publicadas coloridas nos tempos da Bloch, Gorrion,Graúna, Minami & Cunha, e Abril em HDTV e SAM, as cores de Conan O Rei eram muito fortes, destoando do padrão da época, se fosse nos Anos 70 na Bloch era até tolerável!

      Abraços!

      Excluir
    3. E aí, Camus... blz?

      Eu não tenho nada desse "Batman" em formato americano... mas tenho esperança de q boa parte desse material seja republicado futuramente (tipo nas "Lendas do Breyfogle", ou coisas do tipo)!

      A "DC 2000" parecia ter um ótimo mix mesmo... mas formatinho é fóda, só me resta esperar pela republicação desse mix de outra forma. Ainda bem q pelo menos o "Homem-Animal" eu recuperei nos 3 Vol. da panini!

      O problema dos crossovers de outros heróis com o "Justiceiro"... é q eles acabam parecendo mto bobócas e ingênuos diante do Castle. Afinal, pra enfrentar o "Justiceiro" é pq estão defendendo algum bandido q ele queira matar. E aí acabam caindo naquela armadilha narrativa de proteger o criminoso contra aquele q tá querendo fazer a verdadeira justiça pelas vítimas. Nunca vi ninguém torcer pra q um marginal q estivesse na mira do "Justiceiro" escapasse com vida no final da história. Fica aquela sensação de q os outros heróis só estão ali pra ATRAPALHAR (o q acaba tornando-os irritantes na trama)!

      Abs!

      Excluir
  14. Eu não cheguei a colecionar essa fase, sendo que eu comecei a colecionar pra valer HQ do Batman a partir da saga A Queda do Morcego.

    HULK" 79 eu comecei a colecionar Hulk a partir da saga Contagem regressiva. Após isso colecionei a HQ do personagem até a sua extinção do formatinho. Bons tempos do Peter David.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo Castro Moraes!

      Foi a Saga "A Queda do Morcego", que consolidou o Batman como um personagem extremamente vendável no Brasil, já que ele vinha de três tentativas fracassadas de título próprio no Brasil!

      Depois do cancelamneto do título dele em formato americano, a abril foi cautelosa e relançou o personagem em formatinho dividindo a publicação com a Liga da Justiça Internacional.

      À medida que a saga avançou e as vendas foram crescendo, a Abril se animou e lançou outro título solo dele, porém em formatinho!

      Eu tenho algumas teorias em relação ao cancelamento da revista do herói em formato americano, que foi cancelada sem prévio aviso da Abril pouco antes da estréia Batman -O Retorno, porém vou deixar para expô-las no momento certo!

      A fase de Peter David no Hulk é marcante, sendo uma das mais aclamadas do personagem! é muito pedida para ser republicada, mas por enquanto ainda nada!

      Abraços!

      Excluir
    2. A minha teoria sobre batman 3° série é a seguinte: a cronologia do morcego estava MUITO adiantada no Brasil, se seguissem a publicação, a queda do morcego sairia aqui na mesma época que nos EUA. Por isso deram uma freada, cancelaram a revista e o Batman ficou quase 2 anos sem revista própria, com poucas histórias publicadas em 93. Cheguei a essa conclusão observando as edições no baú da DC, isso TB aconteceu com os novos Titãs e a caçada Gnu, se vc reparar a revista ficou quase 1 ano publicando histórias aleatórias dos membros da equipe em 91 até meados de 92 quando publicaram a saga. Já a morte do Superman a abril teve que se virar pra pegar o hype, durante o ano de 94 publicaram a saga com a cronologia adiantada paralelamente a revista mensal que estava atrasada. No começo dos anos 90 a cronologia da DC estava bagunçada por aqui, só voltou a ficar padronizada em 1995, pra isso a DC ignorou várias sagas como: guerra dos deuses, blodlines, eclipso, genesis

      Excluir
    3. "... Eu tenho algumas teorias em relação ao cancelamento..."

      Opa! Também tenho as minhas, será que vamos coincidir na conspiração? Fico no aguardo!

      Abs,
      VAM!

      Excluir
    4. E aí, Marcelo... blz?

      Eu não comprava o gibi do "Hulk" nessa fase... e só fui conhecer as histórias do Peter David qdo saíram no mix da "Marvel 97". Claro, q tempos depois, peguei o começo da fase David qdo saiu pela Panini (junto com a saga do "Futuro Imperfeito", q achei ótima)!

      Abs!

      Excluir
    5. Eu gostei da teoria do Canil do Beagle. Principalmente porque Batman vendia sim muito bem, ao menos as edições especiais e miniséries. Acho difícil que as edições da terceira série vendessem mal, mas quem sabe.

      Excluir
    6. Oi Beagle e VAM!

      Minha teoria sobre o cancelamento da 3ª série do Batman na Abril são três:

      1- Baixas vendas: A revista do herói não era barata, e na naquele tempo aumentava o preço todos os meses.A prova é que nas duas últimas edições da revista veio incluído "encalhe" de edições anteriores como "brinde"!Eu chuto que hoje a revista custaria entre R$ 23,00 a R$ 25,00!

      2-As histórias em sua maioria eram auto-contidas! Não havia grandes sagas no mix dela, e a arte de Norm Breyfogle não agradava os leitores! Não quero arranjar briga com os fãs do falecido artista, mas estou relatando o que vivi na época, pois a todos os colegas e amigos que eu mostrava as edições por ele desenhadas criticavam a arte! Gostavam quando as histórias eram desenhadas por Jim Aparo!

      O tempo é o senhor de tudo, e o artista virou cult!

      3-O Batman do cinema e o Batman das HQs tinham diferenças gritantes! Enquanto o primeiro utilizava um uniforme e equipamentos high-tech, o segundo usava colant cinza e máscara azul,com cueca por cima da calça, com equipamentos simples, e nem disparador de gancho tinha e nem era à prova de balas!

      Numa época de um filme de grande sucesso, é normal o público procurar nas HQs o mesmo que se via no cinema!Isso faz parte do sistema!!

      A Abril cancelou a revista um mês antes da estréia de Batman-O Retorno, sendo a prova cabal que nem a estréia do filme foi suficiente para manter a publicação da revista.

      Nem aviso sequer teve! Simplesmente parou de chegar nas bancas!

      Bom, essas são minhas teorias!Fico no aguardo das suas VAM, pois o Beagle já comentou as suas!!

      Vai ser um debate interessante!

      Abraços!

      Excluir
    7. Vamos ao BAT-Debate:

      "... Baixas vendas: A revista do herói não era barata..."

      CONSIDERO ESSE O MAIOR MOTIVO!

      E entre ter que revezando pela 3ª série e as minis de luxo como "Um Conto", muitos leitores investiam seus "mirrés" na última.

      Pô! Na banca do meu bairro, veio sem brinde! Será que o jornaleiro abriu (vinham num saco?) pra vender separado?

      - - -

      "... e a arte de Norm Breyfogle não agradava os leitores..."

      Concordo em parte, assim como o Kelly Jones a sua fase foi polêmica, mas ao contrário de você eu conheço mais leitores que consideravam o estilo do Aparo desgastado e o dele inovador. E por isso quero acreditar que ele agradava mais do que desagrava.

      A Abril deu algumas evidências que penso respaldarem essa opinião:

      Ela lançou como mini de luxo as quatro primeiras edições de "SBT - Shadow of the Batman" com o arco "De Volta ao Asilo Arkham" toda ilustrada só por ele. Além de publicar a edição #7 em um Anual. Mas deixou de fora a #5 mostrando reencontro com Aranha-Negra, talvez por ele ter sido visto somente na época da EBAL.

      E tem o arco da "Volta do Scarface" (BT #475-476 + DC #642 revezando com Aparo) publicado em outro Anual. Além da intragável "Batman no Brasil" (BT #472-473 + DC #640-641 também revezando com Aparo). Mas nesse caso, concordarei contigo também que pode ter sido pelo fato dos fãs do Aparo pesarem na decisão.

      Pouquíssima coisa desenhada por ele referente a esse momento, ficou de fora. Oque me deu a ideia (Momento Jabá!) do projeto imaginário do sexto anual do morcego.

      - - -

      "... 3-O Batman do cinema e o Batman das HQs tinham diferenças gritantes..."

      Sempre tem né? Não tem jeito... :(

      Mas não concordo que isso tenha afastado os leitores que já compravam, pois "Um Conto" e todos os outros especiais também eram diferentes do que se via nas telas e vendiam mais até.

      Agora pode não ter aumentado as vendas da forma que se os executivos da Abril esperavam e isso pesado contra;

      - - -

      "... com equipamentos simples, e nem disparador de gancho tinha e nem era à prova de balas!..."

      Elcio, dá uma nova folheada nos gibis, você lembrará que o Brefogle usava o disparador de gancho em suas páginas sim, mas o visual era muito mais simplista, ao contrário do seu Batmobile super-aerodinâmico e futurista.

      - - -

      "... A Abril cancelou a revista um mês antes da estréia de Batman-O Retorno... Nem aviso sequer teve!"

      Essa conta eu ainda não tinha feito, companheiro. Mas te confesso que na época eu achei estranho na última edição, não terem colocado qual a próxima aventura ao lado do expediente da última página como era de costume.

      - - -

      Complementado a minha opinião de acreditar que o Breyfogle agradava mais do que desagrava, penso que a saída dele da revista original, fez a Abril considerar que a sua versão perderia público por conta. Pois artisticamente falando houve uma oscilação grande na beleza dos estilos até a chegada do ótimo Graham Nolan durante a "A QUEDA" e tem o fato do Alan Grant sair da revista também isso deve ter pesado na decisão.

      As poucas histórias do Batman que pipocaram nas edições de Novos Titãs e DC 2000 a mim me parecem mostrar que a qualidade no geral das mensais do personagem deu uma caída grande.

      - - -

      Finalizando, algo que nunca cogitei foi essa possibilidade levantada por você Beagle:

      O fato da cronologia estar bem adiantada para os padrões da época.
      Realmente é sabido que a Abril se acostumou a trabalhar com uma boa defasagem de tempo pra fazer seu planejamento.

      Talvez se a revista estivesse vendendo bem acima da linha de cancelamento como imagino que esperavam, eles até arriscariam, mas preferiram continuar investindo em "Um Conto" até que ela mesmo começasse a perder o fôlego (pelo que foi publicado aqui) e finalmente chegasse o momento oportuno para lançar "A QUEDA".

      É isso,
      VAM!

      Excluir
    8. Oi VAM!

      Sim! As últimas edições da revista do Batman vieram fechadas num saco plástico com um aviso "Pague uma e leve duas"!

      O jornaleiro da banca usou de má-fé, violou o lacre e vendeu separado as edições!

      Vou dar uma olhada no disparador de gancho nas edições desenhadas pelo Norm Breyfogle porque não me lembro disso, só me lembro dele usar a corda com Batarangue na ponta!
      Eu não entrei no mérito da série "Um Conto de Batman", como um dos fatores para prejudicar as vendas da mensal e forçar o canclamento precoce dela, porque só tinham saído três títulos da série quando a mensal foi cancelada:SHAMAN,GOTHIC, e ACOSSADO!

      É claro que estes títulos tinham mais qualidade, que as edições da revista mensal na época, e isso de fato pode ter levado os leitores a escolherem onde gastarem seu suado dinheiro, ainda mais que os dois primeiros eram semanais!

      De Volta ao Asilo Arkham saiu em 1994, praticamente dois anos após o cancelamento da mensal, o negócio é que mesmo que a arte dele desagradasse o grande público, era a continuação de Asilo Arkham que foi aclamada pelos fãs!

      O negócio é que a Abril viu que o Batman vendia mais em edições especiais e mini-séries do que numa mensal! Bastava selecionar um arco com um bom hype lá fora e lançá-lo em formato encadernado que vendia bem!Isso fora os que saíram em formatinho nos Superpowers da vida!!

      Prova disso é aquele pavoroso 'Batman no Brasil', que é ruim de doer e vendeu muito bem na época!

      Um Conto de Batman substituiu a mensal, porque acabava um vinha outro, pena que muitos eram de qualidade apenas regular como "Duelo", "Lâminas", "Gangues"; e achei apenas um ruim de doer:"Asas"!

      O Batman só se consolidou como herói vendável no Brasil, Após "A Queda do Morcego", e depois que ele passou a usar o uniforme negro igual ao do filme de 1989! Tanto que nem o pavoroso filme de 1997 Batman & Robin arranhou a imagem do herói no Brasil!

      Tenho de confessar que seria interessante se a mensal em formato americano não tivesse sido cancelada e a queda saísse por lá! Ia ter outro patamar a saga no Brasil!

      Que tal essa idéia como projeto?

      Abraços!

      Excluir
    9. "... achei apenas um ruim de doer:"Asas"!

      É ruim mesmo Elcio.

      O mestre Gil Kane merecia um roteiro melhor em sua volta, ainda que tardia, ao Bat-Universo. Afinal suas últimas contribuições datam dos Anos 60 antes dele mudar pra Marvel.

      Acaba valendo apenas pela arte assim como "Criminosos" que achei uma história fraca. Apesar do Mike Zeck estar no auge de seu estilo;

      - - -

      "... De Volta ao Asilo Arkham saiu em 1994, praticamente dois anos após o cancelamento da mensal..."

      Saiu defasada mesmo, assim como "Uma bala para Harvey Bullock"e "A Volta do Scarface" ambas nos Anuais #4 e #5.

      E sim, concordo: O motivo foi pegar a "marola" de Asilo Arkham. Essa é uma história do Morrison que eu gosto também;

      - - -

      "... O negócio é que a Abril viu que o Batman vendia mais em edições especiais e mini-séries do que numa mensal!..."

      É isso mesmo. Inclusive já me foi relatado por um ex-membro da Redação Abril, que conheci no FGQ 2017.

      - - -

      "... Tanto que nem o pavoroso filme de 1997 Batman & Robin arranhou a imagem do herói no Brasil!..."

      Putz! Nem me fala, saí do cinema na cena do Bat-Cartão de Credito! Tentar reviver o clima camp da série de TV foi uma péssima ideia de algum engravatado da Warner, insatisfeito com o visual sombrio dos filmes do Burton.

      - - -

      "... Que tal essa idéia como projeto?..."

      É ótima!

      E eu que vou passar longe dos encadernados da Panini/Eaglemoss, vou é me entreter com ele.

      Já coloquei no cronograma de 2020 da Batdeira!

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  15. Renato França14/02/2020 14:29

    Bela matéria. Não sei se alguém neste blog teve que viver com parente babaca,por causa da crise. Engraçado que eu nasci no mesmo dia do Collor,12/08. Voltando ao foco. Eu lembro que na época teve Robin 3000 nas bancas brasileiras. Eu não comprei por preconceito. Acertei?.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renato França!

      Robin 3000 saiu um pouco mais pra frente da matéria, em abril de 1993 (ainda não chegamos lá, faltam três anos, he,he!), na série Túnel do Tempo!

      Eu tive ela, mas confesso que não gostei na época, e a passei para frente!

      Me surpreendi em saber que ela virou cult com o passar dos anos, sendo bem conceituada entre os leitores!Eu acho difícil ela ser republicada, pois embora tenha virado cult ela não tem apelo comercial.

      Mas como nada é impossível, vai que sai mais uma dessas coleções fechadas da DC e ela está entre as edições!

      Abraços!

      Excluir
  16. R3000 é uma boa história do Selo Túnel do Tempo, belamente ilustrada pelo P.G.Russel.

    Mas não tão boa pra se guardar pra sempre. Me desfiz dela com o tempo.

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pela excelente matéria!!!

    De fato, os anos 90 foram conturbados: escândalos políticos, economia estagnada, poder de compra reduzido... Meus pais me falaram muito o quanto que esse período era difícil!

    A Saga do Uniforme Negro é uma fase da qual eu gosto muito!! Agradeço por terem republicado boa parte delas num formato melhor! Peguei pela Coleção do Aranha pela Salvat, pois ali teve bem mais histórias do que a versão preta!

    O Hulk Cinza eu só peguei na versão preta em capa cartão pela Panini escrita pelo Peter David! Muito boa! Interessante que esse Hulk cinza lembra muito o Frankstein com a cabeça quadrada! Kkkkkkk

    Essa Superaventuras Marvel 92 nunca li!! Achei a sinopse interessante! Sempre que o Demo e o Justiceiro se encontram, a história é muito boa! Bem que poderiam republicar, hein??

    Agora, com o cancelamento das CHM e das Lendas, como ficará as publicações clássicas por aqui?? Será que vão colocar tudo em formato "gourmet" mesmo?? A Panini, como sempre, só perde mais e mais leitores com o passar dos anos... Mas espero mesmo que não descartem os formatos econômicos. Tem muita coisa boa por aí que nunca foi republicada! Vamos ver...

    Abração!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Leo... blz?

      Obrigado por ter curtido a matéria do Elcio (espero q goste tbm da Parte 2, q acabou de ir ao ar... e da Parte 3, q tentarei postar aqui lá pelo meio da semana)!

      A "Saga do Uniforme Negro" eu adoro tbm, mas tenho mto salteada na coleção... Um pouco na revista do "Aranha" e na "TEIA" (nº 67-69) da Abril, e encadernados da Panini e Salvat (capa-preta) q saíram!

      O "Hulk Cinza" com cabeça quadrada (kkk) foi uma homenagem às primeiras aparições do "HULK" nos anos 60, um material q saiu na "Biblioteca do Hulk" pela Panini e q trazia o visual original do verdão: Totalmente inspirado no "Frankenstein" de Boris Karloff, rs:

      https://comicvine1.cbsistatic.com/uploads/scale_medium/11/117763/2464602-hulk001.jpg

      https://csi.asu.edu/wp-content/uploads/2014/11/frankenstein-boris-karloff.jpg

      Qto aos clássicos... Apenas a linha "CHM" foi cancelada (as "Lendas" continuam). Mas ela dará lugar à pelo menos 2 novos formatos: Um econômico (a ser anunciado oficialmente ainda) e outro deluxe q já tá em andamento (é o "Aranha - Ed. Definitiva", q deve se estender à outros personagens tbm)!

      Abs!

      Excluir
    2. "...Meus pais me falaram muito o quanto que esse período era difícil..."

      E olha que nem precisavam, pois estamos vivendo tudo isso novamente companheiro.

      "...Será que vão colocar tudo em formato "gourmet" mesmo?..."

      Assim como o Leo falou sobre as CHMs, acredito que o mesmo deve acontecer com a DC, veja que ano passado as edições "Batman... e outras histórias" são nada mais do que Lendas "gourmet".

      Abs,
      VAM!

      Excluir
  18. "... (é o "Aranha - Ed. Definitiva", q deve se estender à outros personagens tbm)..."

    Cobrando R$ 150,00 por edição, fico imaginando qual outro personagem teria tanto apelo pro leitor desembolsar isso tudo, Leo.

    E a galera chiou, quando a Salvat cobrou R$ 90,00 pelas definitivas do Capitão, Thor e Vingadores, como são coisas não é mesmo?

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...