04/02/2018

"Batman - Ano 1": A Cronologia do Morcego em Seu 1º Ano de Combate ao Crime...

Todo herói tem um começo, uma origem, um 1º ano de atuação no combate ao crime... E com o "Batman" não é diferente. Apesar de ter sido criado nos anos 30 (na Era de Ouro), o morcego foi sendo readaptado pra cada época e pra cada geração!

Nesta matéria, elaborada e pesquisada pelo Camus (em mais uma colaboração especial pro "Submundo"), veremos algumas das primeiras aventuras do "Batman" estabelecidas cronologicamente como parte de seu 1º ano nas ruas de Gotham City (em histórias Pós-Crise)!

Confira abaixo:


A DC já passou por diversas "Crises", reboots, e mudanças radicais na cronologia de seus principais heróis ao longo dos anos. E isso é perfeitamente normal, considerando-se que um personagem como o "Batman", por exemplo, tenha sido criado no final dos anos 30. O mundo de hoje não é o mesmo daquela época e muito menos a narrativa das HQs e a percepção dos leitores sobre o herói. Assim, a origem do morcego e suas primeiras aventuras foram "recontadas" depois da "Crise" e uma nova vertente canônica surgiu na 2º metade dos anos 80 a partir de "Batman ANO 1" (de Frank Miller)!

O Camus (leitor já conhecido aqui do blog por suas colaborações especiais em outras postagens) elaborou uma lista de histórias que se passam durante o 1º ano de atuação do "Batman" através de referências e datas nas próprias HQs que ele acompanhou de uns tempos pra cá e que faziam menção de se passarem durante o 1º ano de ação do Cruzado de Capa. Vale ressaltar, contudo, que trata-se de uma cronologia não-oficial montada e elaborada pelo autor e que cada leitor poderá ter a sua própria visão pessoal daquilo que considera válido ou canônico pra cronologia de seus personagens favoritos. De qualquer forma, esta postagem servirá como uma ótima seleção de dicas de leitura pro "Batman"!

"Batman - Ano 1" (de Frank Miller): A origem de "Batman/Bruce Wayne"... A origem de James Gordon e de Selina Kyle - A "Mulher-Gato"! O surgimento de Harvey Dent, o vilão: "Duas-Caras"! Aqui, Miller reapresenta o "Batman" em seus primórdios pra uma nova geração de leitores (Pós-Crise)! Curiosidade: A DC estabeleceu que Selina era uma Dominatrix trapaceira que roubava os clientes, mas essa parte da origem da "Mulher-Gato" não é mais utilizada pela editora nas versões modernas que remetem ao passado da personagem! "Batman - Ano 1" foi publicado em formatinho e depois encadernado em formato americano pela Abril e várias vezes republicado pela Panini)!


"Batman Xamã" (de Dennis O’Neil): A origem e o treinamento de "Batman/Bruce Wayne"! A história se passa antes e durante "Batman - Ano 1" do Miller. Foi publicada pela Abril em "Um Conto de Batman - Shaman" e pela Panini num encadernado (rebatizado de "Xamã" - capa acima)! "Batman" encontra pela 1º vez o "Superman" (de John Byrne ou Brian Azzarello): Temos aqui 2 boas versões para o 1º encontro dos heróis (vai pelo gosto do leitor). A versão do Byrne (publicada recentemente na edição: "O Homem de Aço" da Eaglemoss - capa acima) e a do Azzarello (publicada em "Superman" nº 44 a 48 da Panini ou em: "Lex Luthor - Homem de Aço" que saiu pela Panini e Eaglemoss)!

"Batman" encontra "Hugo Strange" (de Matt Wagner): Publicado em "Batman Extra" 1 e 2 (Panini). Curiosidades: 1) Aqui, Batman tem carro, mas no arco "Acossado" (que vem depois) ainda não tinha o veículo. 2) "Coringa" é citado, mas ele ainda não tinha surgido nesse período (Strange foi o 1º grande vilão do Batman). 3) Strange é apresentado como um anão nessa história, mas em outras aparições ele tem estatura normal (seria uso de suas experiências)? 4) Nesse arco, aparece num jornal o relato de quando "Capuz Vermelho" (Coringa) caiu nos produtos químicos perseguido pelo Batman! 

"Batman" encontra o "Monge Louco" (de Matt Wagner): Publicado em "Batman Extra" 4 e 5 (Panini)! O 2º confronto com "Hugo Strange" (de Doug Moench): Participação especial da "Mulher-Gato", foi publicado em "Um Conto de Batman - Acossado" (pela Abril)! O surgimento do "Coringa" (de Ed Brubaker): O 1º confronto de "Batman X Coringa" foi publicado no especial: "O Homem Que Ri" (pela Panini e Eaglemoss)! O 2º confronto com o "Coringa" (de Andrew Kreisberg): Continuação do "Homem Que Ri", tem uma breve aparição do "Charada" (publicado em: "A sombra do Batman" 6 e 7 - Panini)! E isso foi só o começo pro morcego...

Até+

62 comentários:

  1. Ótima matéria, Camus! Uma dúvida...Longo dia das bruxas e Vitória Sombria também fazem parte do Ano Um?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. O Longo Dia das Bruxas foi dito porJeph Loeb que seria o Ano 1.5 então foi no Ano 2. Já Vitória Sombria tem o Robin, então é Ano 3.

      Excluir
  2. Beleza, Leo?

    Ótimo trabalho de pesquisa, deve dar trabalho visto que tem muita coisa que se contradiz, pois cada um faz a sua.

    Não sei se o Renascimento acabou com tudo isso; mas o que valem são as boas histórias. E várias delas o são.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  3. Valeu, Anonimo! Longo dia das bruxas começa no ano 3 e termina no ano 4. E Vitória sombria começa no ano 5 e termina no ano 6.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então eu fiquei na dúvida, pois Loeb disse que era o Ano 1.5 em uma entrevista. É que depois avançava no tempo. Robin está sendo treinado em Vitória Sombria. É ele surgiu no terceiro ano de carreira do morcego.

      Excluir
  4. Lierson

    Esse Ano Um era basicamente oficial dos anos 80 até surgir Os Novos 52, agora não sei mais. Os Novos 52 criaram uma bagunça horrivel no universo do Batman. Depois a DC percebeu seu erro e veio o Renascimento. Mas se voltou tudo como era na cronologia antiga não sei. Quem vai saber dizer acho é quem leu essas mega sagas que decretaram o fim dos Novos 52 e o inicio do Renascimento, acho que deve ter alguma resposta.

    Acho que as contradições de antes eram melhores kkk. Um exemplo é na história Batman e os homens monstro citado acima escrita pelo Matt Wagner. Nela Batman tinha carro, mas na historia Acossado feita muitos anos antes pelo Doug Moench, que cronologicamente se passa depois dessa, ele não tinha carro (estava em desenvolvimento). Existem alguns pequenos erros. Mas isso era fichinha perto da bagunça que fizeram depois kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No primeiro encontro com o Superman Batman aparece com um carro comum. Na verdade o Batmóvel aparece depois, pois estes Contos de Batman eram parte da publicação americana Legends of the Darknight, que contava os primeiros anos do morcego. Ainda tem muitos outros que você não citou. Alguns foram publicados nas mensais ou por outras editoras.

      Excluir
    2. Explicação do por que o carro aparece em Homens-Monstros e não em Acossado: Entre Homens-Monstros e Acossado tem a história do Monge Louco, onde o Batman perde o Batmóvel. Ou seja, em Acossado, ele estava re-criando.

      Excluir
  5. Renato França31/01/2018 19:28

    O surgimento do terceiro Robin e de Bane é qual ano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Terceiro Robin é Ano Sete ou Oito e o Bane Ano oito ou Nove da antiga cronologia:

      http://1.bp.blogspot.com/_eVePnMOlh2c/TDTw6kEAmNI/AAAAAAAACpM/OmraYx5aeJs/s1600/Linha+do+Tempo+Zero+Hora,+I.jpg
      http://3.bp.blogspot.com/-ScX8PzY7sZI/TXPnz2TqHgI/AAAAAAAACPM/9P80hDPZaks/s1600/Linha%2Bdo%2BTempo%2BZero%2BHora%252C%2BII.jpg

      Excluir
    2. Corrigindo, Robin Tim Drake -Ano Nove, e Bane Ano Dez, de acordo com a linha do tempo pós Zero Hora!

      Excluir
  6. blz camus?

    não ligo pra cronologia mais, o que importa é ler boas HQs.
    na verdade sou marvete mas sempre gostei do batman e os anos 80/90 foram excelentes pra ele (pra nos leitores também) com o surgimento no Brasil das edições especiais de "luxo" em formato americano, tanto no volume de publicações (pra época) quanto na qualidade dos materiais. Nos que temos mais de 40 anos (acredito q você tenha) fomos privilegiados com os quadrinhos lançados no brasil entre 1987 e 1994 que tiveram formato americano ou magazine.
    do batman acho que ano um só não é melhor que cavaleiro das trevas.

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Beleza, Gustavo?

      A cronologia hoje em dia acho que tá meio perdida. Mas creio que a DC voltou com ela no Renascimento. Tenho visto muita gente dizendo isso na net. Eu não li as mega sagas que terminaram com Os novos 52 e iniciou O renascimento, mas creio que voltou.

      Acho que no fim só o que importa na cronologia é o que nós fãs guardamos em nossa mente. E falando nos formatos americanos do Batman (creio que esteja falando da fase Alan Grant/Norm Breyfogle e Um conto de Batman) vamos torcer para ver elas de volta aqui em Lendas do Batman!

      Eu tenho 31 anos, mas tenho algum conhecimento porque comecei a ler hqs com 7 anos de idade! E peguei bem essa época que me diz, pois comprava nas bancas e as de anos anteriores a mim, pegava em sebos!

      Abraço!

      Excluir
  7. Batman Xamã tem umas das introduções mais babacas de todas. O cara tece toda sua inveja e ódio por Batman O Filme por achar que a obra do Tim Burton "ofuscou" essa hq mais ou menos dele.

    ResponderExcluir
  8. "Ótimo trabalho de pesquisa, deve dar trabalho visto que tem muita coisa que se contradiz, pois cada um faz a sua."


    E aí, Lierson... blz?

    Pois então, vc viu q a própria DC se contradiz dentro de sua cronologia (como na questão do "Bat-móvel" e na estatura física do Hugo Strange) e com o passar do tempo acaba passando uma borracha por cima de tudo e recomeçando da estaca zero (Crises, Novos 52, Renascimento, etc), hehe!

    Assim, cabe a cada leitor fazer a sua própria cronologia pessoal (é o q eu sempre falo e costumo fazer: desconsiderando tudo q não presta - por isso q fases ruins da Marvel e DC não me atingem, pois as ignoro completamente pra fins de coleção). De qq forma, achei excelentes as dicas do Camus, pois tem histórias aí q eu não sabia q eram situadas no 1º ano de atividade do "Batman" e agora vou correr atrás por curiosidade, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  9. "Acho que as contradições de antes eram melhores kkk."


    E aí, Camus... blz?

    Concordo plenamente contigo nessa... Eu acho q a DC tava relativamente bem organizada antes dos "Novos 52": Sim, tinha algumas incoerências q os vários ajustes nas "Crises" não resolviam, mas até aí a Marvel tbm tava repleta de erros cronológicos (mesmo se gabando de ter uma cronologia linear desde o início - o q sempre foi uma tremenda mentira).

    Assim, acho q a DC cagou feio qdo resolveu fazer os "Novos 52" e várias séries q tavam bem acabaram piorando bastante. Mas enfim, pelo visto reconheceram o erro e tão tentando arrumar as coisas (de novo)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Erro da DC foi tentar agradar e ganhar novos fãs. Foi por isso que criaram Os Novos 52. Mas isso se mostrou um grande erro, pois os novos fãs são fã de filmes apenas, eles não conhecem nada e nem compram hqs fielmente. Só sabem fazer hater na net e falar merda pagando de entendedores.

      Quem compra as hqs fielmente mesmo somos nós, os verdadeiros fãs, que lemos desde os 8, 9, 10 anos de idade!

      A DC percebeu isso e voltou as suas origens com o Renascimento. Trazendo de volta os clássicos! E fazendo os fãs reais voltarem a se identificar com os heróis heroinas.

      Espero que a Marvel entenda isso também! Pois eles estão perdidos e já faz tempo demais. E pior, mirando no mesmo erro! Estão tentando agradar os fãs filme e o pessoal do politicamente correto, e esquecendo os fãs reais. Tem tempo pra Marvel fazer o seu Renascimento!

      Abraço!

      Excluir
    2. Concordo, Camus...

      Tá difícil pras grandes editoras entenderem q o público "novo" q tanto almejam dificilmente se tornará um "fiel leitor" da mesma forma q os da velha guarda (q nem nós) q JÁ pegaram o hábito da leitura desde a infância... É diferente do moleque de hj q virou fã dos heróis através dos FILMES e cuja tendência vai ser migrar pra mídia mais próxima do cinema, q são os GAMES. Os GIBIS virão em último plano pro público dos filmes (é um palpite meu, apenas)!

      Em contrapartida... a "pegada" dos gibis atuais é desinteressante pro leitor veterano, seja na narrativa (com pouco diálogo e mtas splash-pages) qto nas mudanças feitas pra agradar aos "justiceiros sociais" (q adoram fazer militância nas redes sociais MAS não compram os gibis q dizem "representá-los"). A dissidência em massa de leitores de vários títulos marvel (registrada nos gráficos de vendas dos EUA) parece realçar essa teoria!

      Abs!

      Excluir
  10. "na verdade sou marvete mas sempre gostei do batman e os anos 80/90 foram excelentes pra ele (pra nos leitores também)"


    E aí, gustavo... blz?

    Pra mim, os vários encadernados de clássicos da Panini e a coleção de "Lendas"... foram a melhor coisa q aconteceu com o "Batman" no mercado nacional de HQs nos últimos anos: Pois possibilitaram q mtos leitores (eu incluso) tivessem acesso à materiais raros do morcego ou q marvetinhos (eu incluso de novo, rs) deixaram de acompanhar na época e agora estão tendo uma nova oportunidade!

    Eu acabei virando mais fã do "Batman" do q eu era até poucos anos atrás... graças à fases clássicas q li recentemente: Marshall Rogers, Gene Colan, Don Newton, Neal Adams, etc!@

    Abs!

    ResponderExcluir
  11. "Batman Xamã tem umas das introduções mais babacas de todas."


    E aí, Renan... blz?

    Na época em q saiu o "Xamã" da Panini eu não fui rápido o bastante e perdi a edição (q esgotou em poucos dias e nunca mais foi reposta na loja daqui)... Mas fiquei curioso agora em saber q críticas foram feitas nessa introdução à "Batman - O Filme"?

    Em tempo... Gosto mto desse 1º filme do Tim Burton, e do 2º tbm (mais pela interpretação da "Mulher-Gato" - q roubou a cena desde o início)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só uma correção, a introdução é do editor e não do autor.
      "Amantes da nona arte devem ter dado um dolorido suspiro pela onda da Batman ter vindo de uma midia que não é os quadrinhos"
      "É verdade que o filme alavancou as vendar da revistas, mas não era necessário um evento em outra midia pra alavancar a revista, era boa por si só"
      "Se a hq tivesse saido 6 meses antes talvez o foco seria apenas Xamã, e não empolgação colhida do filme"

      Excluir
    2. Opa, valeu mesmo pelo texto acima, Renan...

      Realmente, parece um pouco de recalque do tal editor em relação ao filme, hehe... Não concordo com ele, pois às vezes é preciso q outra mídia ajude a disseminar um personagem pra grande público, pois sabemos q as HQs tem alcance limitado e um FILME poderá ajudar a tornar o gibi conhecido por mais pessoas!

      Os "Guardiões da Galáxia" eu acho q são o melhor exemplo disso: Pois a franquia no cinema é um sucesso total e absoluto - Uma graça q o gibi NUNCA alcançou (nem em sua fase clássica e nem na moderna - antes do filme)... Assim, acho q representantes da indústria (q nem esse editor) devem reconhecer e aceitar a importância de outras mídias pra alavancar as HQs e estendê-las à um público maior!

      Abs!

      Excluir
  12. Oi Leo!

    Ano Um foi a obra que realmente me fez virar fã do Batman em 1989, e ainda continua sendo minha HQ favorita do Batman há quase 30 anos; pra mim é uma obra irretocável! Ano Um é sem sombra de dúvidas o nº 1 da minha lista de HQs favoritas. Até rimou!

    Os Contos de Batman eram publicações excelentes que serviam de complemento aos primeiros anos da careira do Batman. Este Acossado é um dos melhores, pois mostra o herói pegando pesado com o submundo do crime (tem até um sósia de Wilson fisk-
    o Peixe)aumentando sua lenda de ser "sobrenatural", uma verdadeira lenda urbana, e enfrentando problemas básicos como locomoção, nesta mini-série mostra a construção do "primeiro" Batmóvel. Acho que ela seria proibida se fosse feita nos dias de hoje devido às cenas de "bondage". Para terminar sobre ela é a melhor HQ de luta do Batman, já que a arte de Paul Gulacy (experiente em desenhos de artes marciais devido ao seu trabalho no Mestre do Kung Fu) faz fluir de forma perfeita e realista as lutas do herói!

    Tem outro Conto do Batman que eu gosto muito mas ele não se encaixa aqui por se tratar do Ano Dois do herói: Devoção!

    Todas as obras aqui mostradas são de grande qualidade para mim, com exceção de "Batman- o Homem Que Ri" que considero o trabalho mais medíocre de Ed Brubaker, que teve uma enorme presunção de fazer o que ficou em aberto em Ano Um, o primeiro encontro com o Coringa, que se mostrou um trabalho na minha opinião bem mequetrefe!

    Não curto também estes materiais publicados em "Batman Extra" sob a batuta de Matt Wagner, mostrando o herói enfrentando monstros criados por Hugo Strange, porque para mim destoa da proposta do que deveria ser este primeiro ano da carreira do herói, com uma temática mais policial!

    Eu não curto heróis urbanos enfrentando monstros; recentemente até teve nas mensais do Batman por aqui, e criados por Hugo Strange, e eu e muitos achamos uma merda gigante!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elcio... Tdo bem?

      O "Ano 1" do Miller eu tenho pela Abril no encadernado capa-cartão em formato americano (ironicamente, a única capa da saga q eu não postei aqui na matéria, rs):

      https://files1.comics.org//img/gcd/covers_by_id/684/w400/684705.jpg?2455456633057996927

      E recentemente assisti ao desenho animado do "Ano 1", q achei bem legal (minha mulher viu junto comigo e tbm gostou - e olha q ela geralmente detesta desenhos de super-heróis)... Cheguei a pensar em comprar a versão capa-dura da panini, mas sempre acaba faltando verba ou disposição pra isso (já q por um lado tbm tô satisfeito com a minha ed. da Abril - seria mais por vermice mesmo, rs)!

      Os "Contos de Batman" da Abril eu não tenho nenhum... e acho q a panini devia investir mais nessa série: Perdi o "Xamã" qdo saiu (pq esgotou rápido) mas pensei q fossem continuar a coleção com: "Acossado", "Veneno", etc... (a panini tá rateando ao negligenciar esse material)!

      Só fiquei surpreso por vc não ter curtido o "Homem Q Ri", pois eu ia correr atrás dessa ed. por saber agora q se tratava da nova versão do 1º encontro de "Batman X Coringa" e tava confiando no Brubaker tbm (q é um escritor q eu geralmente respeito - tirando aquela palhaçada da ressurreição do "Cap. América" chupada do livro "Matadouro 5")!

      No mais... Tbm não me agrada ver vigilantes urbanos (Batman, Demolidor, Justiceiro, etc) enfrentando monstros ou super-vilões com poderes exagerados: Prefiro q esse tipo de personagem se mantenha mais dentro na "nossa realidade" (em tramas mais realistas, violentas, e com pegada mais policial)!

      Abs!

      Excluir
    2. Eu tenho um "Homem Que Ri" sobrando Leo, é o publicado pela Panini de 2005. Se você quiser eu te envio de presente, tenho de ver aonde ele está. Procuro no final de semana e entro em contato contigo via e-mail caso você queira a edição. Falou?

      Abraços!

      Excluir
    3. Opa, valeu mesmo, Elcio...

      Se por acaso vc achar a duplicata, agente conversa... blz? (Deixei de comprar pela Eaglemoss pq não valia pagar o preço do encadernado todo em capa-dura, já q o "Asilo Arkham" vinha junto e eu já tinha pela Panini)!

      Abs!

      Excluir
    4. Provavelmente o ano um do Batman tem mais histórias. E eu poderia listá-las ai. O problema é que a maioria delas não tem data para se guiar. Ai fica a criterio de cada fã se quiser encaixá-las por si mesmo.

      Eu gosto de Batman e os homens monstro e o monge louco do Matt Wagner. Elas foram baseadas nas histórias originais do Bob Kane/Bill Finger/Gardner Fox. O Hugo Strange foi criado para ser o maior vilão do Batman (um tipo de Professor James Moriarty). Mas ele acabou sendo ultrapassado por outros vilões ao longo do tempo, mas mesmo assim quase sempre que dá as caras quase mata o Batman (pelo menos os roteiristas não demoliram ele, como fizeram com o KGBesta, por exemplo, que virou um vilão de terceira categoria).

      Mas também prefiro o Batman em histórias detetivescas/policiais/máfia/sombrias/urbanas.

      Falando no titulo Batman Extra da Panini, recomendo também os números 6 e 7, a história O Promotor e o Monstro do Paul Jenkins que é ótima, e é uma das melhores do Batman versus o Duas-Caras. História tensa e violentissima.

      Falando em Batman O homem que ri do Brubaker, eu gosto dessa história. Não é mil maravilhas, mas é a melhor de um primeiro confronto do Batman com o Coringa. Ele parte mesmo do final mostrado pelo Miller em Ano um, mas isso foi um erro cronologico. Os escritores que continuaram o Year One de onde o Miller parou, não seguiram aquele final. Era para o Batman enfrentar imediatamente o Coringa se tivessem seguido o final proposto pelo Miller. O Brubaker tenta fazer isso, mas ficou um erro cronologico de um salto de semanas. Antes de enfrentar o Coringa, Batman enfrenta outras situações e conhece seus primeiros vilões (Strange e o Monge), ou seja todos erraram. A DC também errou ao deixar fazerem diferente. Era para seguir o final do Miller.

      Excluir
    5. E aí, Camus... blz?

      Puxa, q pena q a DC deixou a cronologia desandar desse jeito, hein? Digo, algum editor na época podia ter alinhado melhor o seguimento deixado pelo Miller em seu "Ano 1" (q é - na minha opinião - uma origem perfeita pro "Batman" na Era Moderna)!

      Vc tem razão tbm com relação às histórias mais fantasiosas com monstros e tal... Afinal, elas TBM faziam parte dos primórdios do morcego na Era de Ouro do Bob Kane/Finger/Fox!

      Mas isso não muda o fato de q (particularmente falando) ainda prefiro as HQs com tom detetivesco e policial... E vou te dizer, adorei a fase do Don Newton em "Lendas" (q tá bem no estilo q eu curto)!

      E obrigado pela dica de "Batman Extra"... não compro mais gibis de heróis com grampo (critérios q adotei de uns tempos pra cá de seguir apenas com encadernados), mas anotei essa dica pra qdo sair num eventual TP (acredito q a panini republique esse material)!

      Abs!

      Excluir
    6. As histórias do Wagner são baseadas em histórias realmente publicadas no primeiro ano de existência do personagem!

      Excluir
  13. Fala, Léo!
    Muito boa a matéria, que ratifica a complexidade e qualidade da mitologia do Morcego.
    Não se enquadra bem no caso, mas a série Terra Um do Batman me agradou bastante, com uma abordagem bem interessante do Pinguim e do Alfred.

    Acho bem normal as "contradições", por se tratar de um personagem com uma linha cronológica tão longa.

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Victor... blz?

      Valeu por ter curtido a postagem (tbm gostei mto qdo o Camus me mandou a matéria: achei mto interessante e tava louco pra postar logo aqui, rs)... Pois trouxe mtos elementos e informações q eu desconhecia por não ser um leitor mto assíduo do Batman!

      Já o "Terra 1" eu li em scans depois q me recomendaram bem essa série... Gostei mesmo, mas qdo li o scan o gibi impresso já tava esgotado, rs (se bem q essa tá na lista de futuras reposições da panini - na próxima não me escapa)!

      Abs!

      Excluir
  14. Eu tenho alguns contos. Gothic, de Morrison e Klaus Janson, Lâminas de James Robinson e Tim Sale, e Conspiração de DougMOench e J. h. Williams III. Como pode ver, escolhi todos por terem autores muito bons.

    Gostei de todos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Lierson... blz?

      Dessas, parece q o "Gothic" tem boas chances de ser republicado (tenho q confirmar melhor essa informação, mas já vi essa HQ em listas extra-oficiais de futuros lançamentos)... Mas claro, nesse caso entra em cena o editor-tiete do Morrison (q tava demorando pra atacar novamente, hehe)!

      Abs!

      Excluir
  15. Podemos incluir nesse Ano Um aquela edição especial da Mulher-Gato, publicada em 1989 pela Abril?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Geninho... blz?

      Bem, no "Ano 1" do Miller é mostrada uma versão diferente da Selina em relação à esse especial da "Mulher-Gato"... não sei como a DC enquadra essa edição na cronologia, mas me "parece" uma HQ alternativa (ou em desacordo com a origem do Miller)!

      De qq forma... achei mto boa (tenho em scan)!

      Abs!

      Excluir
    2. A Mindy Newell deu uma exagerada digamos na Grapich Mulher Gato. Enquanto o Miller apresentava uma origem dubia pra ela em Batman Ano Um (você não sabe bem se ela era prostituta de fato ou dominatrix comum apenas) a Mindy escancara na versão complementar (a Selina parece ser as duas coisas e apresentada de forma mais pesada).

      A DC com a versão dubia dada pelo Miller resolveu dizer que ela era dominatrix trapaceira apenas, que usava isso pra somente roubar os clientes (ela não era prostituta). Mas com a historia complementar muito mais reveladora e explicita da Mindy, a DC apesar de ter permitido isso, voltou atras em pouco tempo por achar muito pesado, e parece ter ignorado essa versão complementar.

      Eles chamaram Denny ONeil e John Ostrander pra contar uma nova origem pra Selina (saiu em Batman Premium 6 Ed.Abril), e essa versão basicamente ocultou essa fase da vida dela. Só anos depois na fase Ed Brubaker que essa parte da vida dela parece ter voltado, ou pelo menos em parte. O Brubaker deixa muito implicito tudo, só no ar bem de leve. Mas a origem complementar da Mindy foi ignorada mesmo. Ela escreveu mais um arco pra Selina (que saiu na revista Os Caçadores Ed.Abril), e nele rola um lance com a Holly, a amiga da Selina, mas o Brubaker ignora isso total. Ou seja, essas histórias da Mindy foram anuladas, provavelmente na saga Zero Hora. Mas ao que parece o pedaço de origem mostrada pelo Miller em Batman Ano Um não. Talvez a DC mantenha a parte do Miller, mas no sentido de que ela era só uma dominatrix trapaceira (e não prostituta). Porque essa versão é a unica que da margem pra mudança, pois é bem dubia. A da Mindy não dá margem nenhuma, escancara tudo.

      Excluir
    3. Ps: Mas vai saber se a origem do Miller vale hoje, depois dos Novos 52 e inicio do Renascimento. Quem sabe? Pra mim vale.

      Excluir
    4. A origem da Mulher-Gato neste especial foi considerada elseworld pela DC junto de Ano 2. Depois de Zero Hora voltaram atrás com Ano 2, mas não com o especial. Mas nada como o tempo não é mesmo? Depois de anos retorna a irmã freira da Selina e passa a ser considerado o especial na cronologia (mas retconeado, com Selina dominatrix e não prostituta).

      Excluir
    5. Essas "crises" e reboots é q tão sempre validando ou invalidando a cronologia, rs... (eu sempre acabo me perdendo nesses lances, hehe)!

      Abs!

      Excluir
  16. Olá Léo!
    Gosto é igual a braço!kda um têm o seu!Depois desse passeio pelo melhor do morcego,fico a me perguntar de onde saí tanto hype com o trabalho do king atualmente!Batman descaracterizado cheio de forçação de barra(poha holly serial killer?batman ajoelhado pedidndo selina em casamento?suicida cuzão?nãããoooo..)nem sou louco de questionar o Sr King,xerife da babilonia,visão e miracle man estão aí pra depor a favor dele...mas no morcego ele simplesmente não me convence!
    Abrç!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, sergio... blz?

      Eu não tô acompanhando o "Batman" do King e não sabia dessas paradas q vc falou: Digo, não consigo VER o batman nessas descrições acima, hehe... Acho q tô ficando mal acostumado com os materiais clássicos q tem saído em "lendas", rs!

      Contudo... Tbm gostei dessas outras obras do King, especialmente o "Xerife" e o "Visão" (mto bons). Ainda não acho q é coisa pra esse hype todo da mídia em cima dele, mas é um escritor q tá se destacando em relação à outros novatos q tem surgido!

      Abs!

      Excluir
    2. Quem dá muito hype pro Tom King são os leitores mais novos de uma outra geração, já que os mais antigos que já leram muito material bom do Batman das antigas acham este Batman do Tom king e Scott Snyder(ugh!) apenas uma sombra do que o personagem já foi!

      Eu parei de ler materiais recentes do Batman, depois de quase 30 anos de coleção de mensais dele, justamente porque eu vi que o personagem que eu gosto não existe mais!

      Ele tentou salvar um avião airbus cheio de passageiros em pelo ar pensando segurando um cabo se suicidando se fosse preciso e pensando no que seu pai diria de sua ação! Porra cadê o Batman detetive que caça assaltantes, serial killers, gangsters?

      https://images-na.ssl-images-amazon.com/images/S/cmx-images-prod/Item/479690/Previews/8fa980134411536c2d96f62f2aa90d2a._SX1280_QL80_TTD_.jpg

      Abraços!

      Excluir
    3. E aí, Elcio... blz?

      Putz, de fato... esse Batman tentando salvar um avião (cena já batida/manjada por outros heróis) tá mto forçada mesmo: Daqui a pouco o Batman vai plantar bananeira e tirar o Planeta Terra do eixo empurrando com as mãos (q nem o "Super" já fez numa história da Era de Prata, rs)!

      Acho q a DC devia pensar em contratar um BOM escritor de livros e contos policiais e de suspense... pra voltar a botar o batman nos trilhos!

      Abs!

      Excluir
    4. Porra cadê o Batman detetive que caça assaltantes, serial killers, gangsters?

      Acho que esse acabou meio que depois do Cavaleiro das Trevas...não imediatamente..mas foi gradualmente sumindo

      Excluir
    5. Elcio e Leo,
      Não estou segundo o Batman de King. Já joguei a toalha com o Snyder. Achei o personagem muito descaracterizado. A cena do murro no Asa Noturna pq ele não estava levando a conversa a sério já tinha me perdido como leitor (e o Grayson querendo pegar o Bruce desprevenido para se vingar nem precisava para dar a "gota d´água"). Achei requentada a trama muito melhor contada em Batman o Messias do titio Starlin e qd soube que em seguida viria um Coringa sem rosto e com uma espécie de fator de cura, morte do Batman (de novo) e um novo Batman de armadura descaracterizado(de novo), pulei fora do barco. Mas foi bom notar que o Elcio tb não curte o Snyder, amigos questionam que estou muito ranzinza e tal... risos... Mas eu curtia o Snyder pré Novos 52 com suas histórias na Detective Comics...
      Cesar Leal

      Excluir
    6. Cesar Leal e Leo,

      O Snyder teve umas histórias boas na época em que Dick Grayson assumiu o manto como a saga "Espelho Sombrio", do leilão d objetos usados em crimes tendo até o pé de cabara que espançou o Robin Jason Todd. o negócio é que na época ele seguia o que já havia sido feito num universo já consolidado. Quando saiu os Novos 52 que zerou tudo dando um novo recomeço para o universo DC ele viu a chance de "brincar de deus" e se tornar o arquiteto do universo do Batman fazendo com o personagem o que ele bem entendesse, aí deu no que deu, um personagem descaracterizado que não passa de uma mera sombra do que foi outrora!

      Parece que o Bendis vai escrever uma história do Batman, agora não sei se é um título ou apenas uma história! O Bendis pode ter os defeitos dele como escritor, mas ele gosta de emular histórias antigas da época de sua sei lá... infância\ adolescência dele, e isto pode ser bom já que ele pode desconsiderar muita coisa feita nos últimos sete anos com o herói desde os Novos 52, e trazer de volta a essência mais antiga do personagem pelo menos pós-Crise!

      Abraços!

      Excluir
    7. Esse "Coringa" SEM ROSTO... pra mim foi "chupado" do arco: "Cidade Nua" de "Preacher", hehe (com detalhe, q no preacher o serial killer tbm pregou de volta o rosto do cara com pregos):

      https://3.bp.blogspot.com/-6Y4WbssDQFQ/V7qfzY1pm4I/AAAAAAAAbgI/tNNrDELegi4nG9IgiK9y74RnzY_7RjXfgCEw/s1600/PREACHER%2B01%2B%25282%2529.JPG

      No mais... eu pensei q os "Novos 52" tivesse zerado TUDO na DC (menos o Lanterna Verde)! E vamos ver q estripulias o Bendis vai fazer na DC, rs!

      Abs!

      Excluir
  17. Falando no Batman clássico, acabei de assistir a adaptação Gotham Gaslight no HTV .... sensacional ... sangue, violência, personagens impensáveis morrem e, bem diferente da graphic, a identidade do estripador e uma baita surpresa ( louco pra contar ) . Bem ambientada, lutas excelentes e personagens reimaginados para aquela ocasião ... assistam e comentem ...
    Luiz Henrique Trompczynski

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Luiz Henrique... blz?

      Valeu pela dica... Eu ando meio por fora de outras mídias (falta de tempo e acabo priorizando mais os gibis), mas achei interessante essa "Gotham Gaslight" e vou procurar pra assistir: Brigadão mesmo!

      Abs!

      Excluir
  18. Blz Leo? Excelente matéria do Camus.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Roni... blz?

      Valeu mesmo por ter curtido... Espero q vc goste tbm da próxima matéria q TBM é do Camus e sobre o "Arqueiro Verde" do Mike Grell (deve ir ao ar ainda hj)!

      Abs!

      Excluir
  19. Olá Camus, muito bacana o seu trabalho de pesquisar e alinhar cronologicamente as edições do Batman, pós CRISE.

    Rapaz, sabe que nunca me importei muito com isso? Acho que é porque comecei a ler o Batman nos formatinhos da Ebal, comprados em várias feirinhas de usados, no início dos Anos 80.

    Nas histórias dessa época (as minhas preferidas) não haviam praticamente amarras cronológicas. Era somente o Batman detetive resolvendo o caso da vez.

    Mas então veio o Miller com sua visão revolucionária de um Batman sessentão e amargurado, influenciando toda a tônica do que viria a ser feito depois.

    Com o passar do tempo passei a gostar mais de Ano UM do que TDKR, principalmente pela nova abordagem do James Gordon e as bases para a sua relação de confiança com o Homem-Morcego.

    As mini-séries de Um Conto de Batman, eram excelentes por seguirem o mesmo estilo. Nas mensais a coisa desandou a partir de A Queda do Morcego e gradativamente conforme passavam os anos e multiplicavam as mega-sagas, o personagem se tornava cada vez menos interessante pra mim, salvo exceções que vez por outra me cativavam, no geral era tudo insosso.

    Mesmo assim me mantive fiel ao colecionismo até a chegada dos Novos 52, quando parei de acompanhar definitivamente. E de certa forma agradeço a Panini ter zerado a revista, caso contrário ainda a estaria comprando pela compulsão do completismo em ver a revista atingir o nº 200, 300...

    Ainda bem que a mesma Panini publica as Lendas, que me fazem reviver a satisfação de acompanhar as aventuras do Cruzado Embuçado (termo esse que caiu em desuso totalmente).

    Abs,
    VAM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Vam!

      Eu também nunca me liguei muito pra cronologias. Eu só passei a dar muita atenção a alguns anos atrás, pois eu comecei a notar que eu tinha várias hqs do Batman com datas do Ano Um (seguindo de onde o Miller parou). E juntou minha grande curiosidade com Longo dia das bruxas e outras (que são de outros anos). Eu comecei então a alinhar tudo. E tenho em escrito num doc de word todos os Year Ones do Batman. Mas infelizmente a maioria das histórias Year Ones, estão sem datas. O que torna basicamente impossivel listá-las em ordem cronologica. Saiu várias em Legends of the dark knight e em Batman Confidential (tem primeiro confronto com Espantalho, Hera Venenosa, etc). O Ano Um ai na matéria talvez deva ser maior, mas as historias sem data são impossiveis trabalhar (Cada fã teria que encaixar as sem data por si mesmo).

      O impacto do Miller em Batman foi imenso mesmo, ele mudou tudo. Ele fez pelo Batman o que tinha feito pelo Demolidor na Marvel (basicamente falando). Vejo TDK com um vibe mais aventuresca e de ação, enquanto Ano Um é sombria e policial.

      Falando no Batman antigo, eu também sinto falta das historias quando eram mais simples. E a coleção Lendas da Panini está nos fazendo reviver isso. Torcemos para durar muito mais!

      Quanto as mega sagas, infelizmente o Batman caiu nisso nos anos 90 mesmo. E embora eu as curtisse na época, hoje não dou muito valor. Mas reconheço que gostaria de ter A Queda do Morcego em encadernados (curto o Azrael), e Contagio, e o Legado do Demonio. Acho que elas são melhores que as que vieram depois. Tem algumas historias isoladas do Chuck Dixon nessa época muito boas também (lembra quando falamos sobre aquela do Batman versus o Carcereiro?!)

      Também acho que Os Novos 52 me fizeram pausar na minha coleção mensal. Mas não sei se isso foi bom ou ruim pra mim. Agora to voltando a comprar mensais (estou colecionando Batman e Arqueiro Verde do Renascimento). Estou gostando. O Batman tá meio diferente, mas to curtindo kk E Arqueiro Verde tá bem bacana também (voltou a ser o antigo Oliver). Mas miro mais nos clássicos quando saem.

      Abraço!

      Excluir
    2. Ps: Claro que TDK é sombria paca, mas o que eu quis dizer é que ela é mais super herói do que Ano Um, que parece mais um filme noir policial. TDK tem um forte tom sombrio e apocaliptico, mas também aventuresco épico.

      Pra mim as duas obras TDK e Ano Um empatam. Ambas estão no meu top 10 pessoal.

      Excluir
  20. excelente post.

    é bom pra mente buscar coerência na estória do morcego, mas é uma busca sem fim.

    a própria DC vive se contradizendo e prefere ganhar dinheiro a perder a logicidade das tramas.

    daqui há alguns anos haverá outra super saga e qq coisa pode acontecer com o morcego, que, apesar de em teoria não ter superpoderes, na prática consegue fazer qq coisa: de cura de paraplegia a viagens no tempo.

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Scant... blz?

      Verdade, acho q falta na DC um pulso editorial mais firme q impeça os roteiristas de passarem dos limites qto aos "poderes" do Batman... parece q mtos autores esquecem q por mais treinado e habilidoso q seja, o batman ainda É um HUMANO comum (sem super-poderes, sem super-força, e sem invulnerabilidade)!

      Tenho a teoria de q o batman precisa ser escrito por quem manja de tramas policiais e de suspense... e não por nerds deslumbrados q chegaram ao posto de escritores da DC e querem botar o batman dando porrada no superman e em todos os super-vilõies da editora. Acho isso uma punhetação sem sentido e q foge da proposta do q deveria ser um bom gibi do morcego! (até na pré-história ele já chegou a parar, rs - ah, se fuder, né)?

      Abs!

      Excluir
    2. Valeu, Scant! O Leo também tá nessa, escrevendo o inicio dessa matéria!

      Acho, depois de muito tempo, que todo personagem antigão precisa dum reboot algum dia. São muitos roteiristas escrevendo, e boa parte não se liga no que veio antes (é por isso que tem tanta furada cronologica). Mas acho que deve ter um controle melhor também. Você não pode ignorar grandes histórias do passado só pra fazer um reinicio do personagem.

      Acho que Os Novos 52 não foram bons pra DC num modo geral. Eles viram isso e parece que voltaram as suas origens.

      Alguns roteiristas exageram muito mesmo no Batman, como voce e o Leo citaram. Mas esquecem que ele é só um ser humano, apesar de todo o aparato que possui. E é geralmente essas historias que o tratam como ser humano que são as melhores!

      Abraço!

      Excluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  22. Acossado foi uma trama que me marcou muito e meus pais compraram para mim logo depois do sucesso de Batman: O Retorno. Aliás, tenho muita saudade da coleção Contos de Batman.

    ResponderExcluir
  23. Beleza Pessoal?

    O "ANO ZERO" seria antes do "ANO UM"

    E, existe uma linha cronologica do Batman a partir do mesmo modelo que vocês descreveram o ANO UM do personagem?

    Grato

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, WAGNER... blz?

      O "Ano Zero" não entra nessa cronologia estabelecida pelo Frank Miller a partir de "Ano 1", por ser da linha "Novos 52" (q foi o reboot da DC)!

      De qq forma, o "Ano Zero" se passa antes de Bruce Wayne assumir o manto de "Batman" (é situado no período de "treinamento" dele)... E mostra o jovem Wayne patrulhando as ruas de Gotham usando uma série de disfarces. Mas é uma cronologia totalmente nova e desvinculada com a surgida logo após da "Crise"!

      Abs!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...