20/08/2021

"STORM": A Clássica HQ de Sci-Fi Retorna ao Brasil em Novo Projeto no Catarse...

Os leitores mais antigos, fãs de ficção científica, devem se lembrar da fantástica série: "STORM"... Que teve 10 edições lançadas no Brasil pela Editora Abril (entre 1989-1990) e mais 1 aventura incluída no mix da revista "Heavy Metal" nacional nº 8 (de 1997)!

Pois bem, passados 32 ANOS da estreia de "STORM" no Brasil (capa acima, com o nº 1 da Abril de 1989), a obra-prima do artista Don Lawrence (já falecido em 2003) é relançada na íntegra pela Editora Tundra, em um novo projeto no Catarse!   

Confira abaixo:

"STORM" é uma aclamada HQ de ficção científica... Criada na Holanda em 1977, a série é uma mistura de sci-fi com o gênero "espada & bruxaria" (um misto de "Flash Gordon" e "Conan", rs): Perfeita pro estilo de publicações tipo a icônica "Heavy Metal" (da qual, aliás, já fez parte do mix: Inclusive numa edição da versão brasileira da revista, a nº 8 - de 1997). Mas a estreia no Brasil foi pela Editora Abril, numa série própria em 10 edições iniciada em 1989 (e cujas capas -acima - ilustram boa parte desta matéria: Somente 2 das imagens acima são de álbuns importados). Contudo, mais da metade da série ainda permanece INÉDITA no Brasil (pois foram mais de 20 edições e a Abril só publicou as 10 primeiras). A arte fica a cargo de Don Lawrence (com um traço hiper-realista) e a série pode ser dividida em: "As Crônicas do Mundo Profundo" e "As Crônicas de Pandarve". Em 2016, a Editora Avec lançou um spin-off: "Storm Apresenta: EMBER - As Crônicas da Ruiva", escrita por Roy Thomas (que pelo visto, adora uma ruiva guerreira, hehe)! 
 
Na trama, "Storm" é um destemido astronauta do século XXI a bordo de uma estação espacial em uma missão científica de exploração da Grande Mancha Vermelha de Júpiter: Na verdade, uma enorme tempestade na superfície do planeta que já dura séculos. Durante a missão, a nave de Storm é atraída para dentro da mancha, e o astronauta perde a consciência. Quando recobra seus sentidos, constata que a Grande Mancha havia desaparecido, bem como a estação espacial que orbitava Júpiter. Retornando à Terra, ele se depara com um planeta totalmente modificado e percebe que foi dado um salto temporal de milhares de anos para o futuro... Ou para o passado? A sociedade com que Storm se depara é povoada por bárbaros, reis tiranos, sacerdotes tecnológicos e lagartos gigantes, civilizações se erguem das cinzas de outras, e a ciência e a magia andam lado a lado. É nesse cenário totalmente inóspito que Storm e "Ember", sua companheira, viverão as mais inusitadas e perigosas aventuras!
 
O projeto: "STORM - Integral" Vol. 1 (neste "LINK" do Catarse)... Será publicado em 6 álbuns, abrangendo todas as 23 edições originais desenhadas por Don Lawrence. Os escritores se revezam ao longo da série, mas o grande destaque é arte deslumbrante de Lawrence mesmo (na FOTO abaixo, uma impressionante pág-dupla de uma das HQs). A 1º edição da Tundra (editora novata que estreia no Brasil) trará os 4 primeiros álbuns originais  (além de textos e materiais extras). O formato será grande (24 x 32cm), 200 pág coloridas, papel couché fosco, e capa-cartão (R$ 69). Obs: A edição poderá ter capa-dura (mantendo o mesmo preço) "SE" atingir 180% da meta pretendida. A imagem da capa provisória do Vol. 1 é a mesma do nº 3 da Editora Abril (uma das capas acima - com "O Povo do Deserto"). Curiosidades: Lawrence estreou nas HQs desenhando o "Marvelman" - ou "Miracleman" - nos anos 50 (parte desse material saiu pela Panini na revista mensal do herói que se misturava com a fase Alan Moore). Sua passagem por "Storm" durou 25 anos, até sua morte em 2003 (completando 23 álbuns no total). Particularmente, já estou apoiando esse projeto e pretendo fazer a coleção completa com os 6 Vol. de "Storm"!


Até+

41 comentários:

  1. E aí, Leo, beleza?

    Lembro de um "causo" a respeito de Storm, em que a série foi adquirida por engano pela Abril, porque os editores nem faziam ideia do que é, e quando chegou e se deram conta, resolveram publicar o que tinha mesmo para não sair no prejuízo.

    Mas é uma verdadeira nostalgia. Nunca li isso na real, mas me lembro das propagandas nos formatinhos.
    Cheguei a adquirir esse Ember do Roy Thomas que você falou, bem clichê. Mas que a editorazinha consiga trazer esse gibi pra cá.

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Lierson... blz?

      Agora q a Abril foi pro saco, começam a pipocar esses "causos" da época áurea da editora, hehe... Mas acredito nesse do "Storm", por exemplo: Acho bastante crível q os editores em questão não tivessem a menor ideia do q se tratava mesmo, rs!

      A única aventura de "Storm" q li é a q saiu na "Heavy Metal"... as da Abril eu só conheço de ver nos sebos (mas nunca comprei nenhuma)!

      Seja como for, resolvi apoiar o projeto... e a Tutatis entrou no pacote tbm pra pegar o combo feito pras lojas (com 5 ou 10 edições): Aliás, uma ideia interessante desse projeto ter formatado um combo específico pras lojas de quadrinhos (uma bola dentro)!

      Abs!

      Excluir
  2. Lembro quando saiu pela Abril, só tive uma edição, pra falar a verdade não entendi nada da história na época, mas a arte era sensacional, quem sabe lendo agora seja diferente, mas essa vou passar, tenho outras prioridades, mas que é um lançamento interessante não tenho dúvidas. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Francisco... blz?

      Te confesso q tbm fiquei boiando na trama, qdo li a história q saiu na "Heavy Metal" brasileira: não sei q nº era a da edição original de "Storm", mas era mais além das 10 primeiras da Abril e tbm não entendi mta coisa, hehe!

      Desta vez, lendo desde o início (como farei) imagino q eu não tenha maiores problemas pra entender a trama, rs!

      Abs!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Essa foi uma boa pedida mesmo, hein?

      É o tipo de HQ q eu curto (pra fugir um pouco do mainstream e da punhetação de Marvel/DC, rs)!

      Abs!

      Excluir
    2. Minhas leituras DC/Marvel são apenas releituras. Abandonei de vez há algum tempo a procura por novidades.

      Excluir
  4. Oi Leo!

    Há pelo menos uns dois anos já havia saído o comentário que Storm ia ser republicado numa campanha no Catarse.

    Fiquei no aguardo, mas cheguei a duvidar que sairia devido à demora!

    Três meses atrás eu comprei eu comprei "Storm Apresenta: EMBER - As Crônicas da Ruiva", numa promoção da Amazon a preço módico!

    Li, e não entendi nada, apesar da semelhança da guerreira com a Sonja em vários aspectos; então cogitei comprar a mini-série da Abril pelo Estante Virtual, mas empurrei o projeto pra frente por causa de outros lançamentos, e resolvi deixar para decidir mais para o final do ano!

    Eis que três semanas atrás recebi a notícia de que ia começar no Catarse a campanha de relançamento da obra! Corri e postei lá na página do Submundo HQ!!

    Quando Storm foi publicado pela primeira vez no Brasil em 1989\1990, eu era apenas um adolescente fazendo o segundo grau que mal tinha dinheiro para comprar as publicações que eu queria (HQs sempre foram caras no Brasil, ainda mais na época da hiperinflação), e infelizmente tive de deixar passar a publicação que custava caro na época!!

    Sei lá por quais motivos não adquiri as edições em sebos depois (Na certa grana curta, e sempre estar mirando publicações do Batman e Homem Aranha), e agora o destino me dá uma nova chance de reparar um erro do passado!

    Já apoiei o projeto, e estou torcendo para que ele atinja a meta superior (180%) e saia em capa dura!

    Eu torço para que outras publicações que ficaram no limbo ganhem uma nova chance e sejam republicadas novamente.Tanto a Abril como a Globo publicaram muitos materiais alternativos que merecem ser reapresentados a um novo público como: "Guerra de Luz e Trevas", "Gilgamesh", "The Nazz", "O Último Americano", 'Viagem a Tulum", "Grim Jack", Badger-O Alucinado", "A Irmandade do Aço", "Conflito do Vietnã", dentre outros!

    Enfim, um viva ao Catarse pela oportunidade que esta plataforma tem dado para as pequenas editoras que estão começando, porque boas idéias existem, mas falta incentivo, melhor dizendo "grana" para começar!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elcio... Tdo bem?

      Puxa, esse projeto já vinha sendo planejado há tempos então? Essa notícia me passou batida (nem sabia q já tinha uma editora interessada em ressuscitar o "Storm")!

      Eu tive uma certa esperança foi qdo a Avec lançou a "Ember"... Mas aí eu vi q naufragou feio nas vendas e o próprio sumiço da Avec do mercado (por um tempo) já sinalizava q a editora não daria conta de uma coleção mais ambiciosa (tipo a série principal de "Storm")!

      Curiosidade... A Avec é q publica as HQs do meu primo Marsal, em especial o encadernado de "Galícia" (talvez a HQ nacional mais bonita de todos os tempos - e não é pq o cara é meu primo, mas puta merda: a arte é fóda demais ao vivo - os desenhos e cenários parecem uma espécie de veludo, pelas rachuras e detalhes microscópicos: é impressionante)!

      Mas voltando à "Storm"... Eu tinha a Heavy Metal onde saiu uma aventura e lembro q achei a arte fantástica e o clima de sci-fi bem contagiante (pra quem gosta do gênero, q nem eu). Já tô apoiando esse projeto e farei as 6 edições q saírem!

      "Eis que três semanas atrás recebi a notícia de que ia começar no Catarse a campanha de relançamento da obra! Corri e postei lá na página do Submundo HQ!!"

      Sim, foi no grupo do "subs" q eu fiquei sabendo do projeto e te agradeço mto por essa dica valiosa, rs... Fui correndo e na hora mesmo já me tornei um apoiador (a gente até se sente parte de um projeto qdo começa a apoiar, né? uma sensação mto bacana desses processos de financiamento coletivo)!

      "Storm" eu já vi completo 1 única vez num sebo daqui... mas tava mto caro e acabei deixando passar. Depois, nunca mais vi a coleção completa dando sopa e não tive o interesse de sair garimpando edições avulsas de uma série q já era difícil conseguir em bom estado!

      E adorei as suas sugestões de HQs antigas q merecem uma republicação nos dias de hj... Das q vc citou, minha favorita seria o "Conflito no Vietnã" (q tbm nunca pude ter completa)!

      E bem-vindo seja o Catarse e outras plataformas de financiamento coletivo q existem por aí... Sem dúvida, uma grande benesse pros leitores!

      Abs!

      Excluir
    2. Oi Leo!

      Eu vi sua matéria aqui no Submundo sobre Galícia,e tinha esquecido de comprá-la, mas acabei de comprá-la na Amazon! Realmente o trabalho de seu primo Marsal Branco é espetacular, digno de já estar trabalhando no mercado internacional!

      É uma pena "Ember" ter fracassado em vendas, mesmo sendo um álbum muito caprichado!

      O problema é ele ser o Spin-off de uma série que havia sido publicado há mais de 26 anos (época em que saiu a publicação), e muitos sequer conheciam ou tinham ouvido falar de Storm!

      Acredito que agora que Storm irá sair, ele desencalhe servindo como complemento à série principal!

      Não sabia que Storm tinha saído na Heavy Metal (pelo menos uma história publicada)!

      O Conflito do Vietnã tem encadernados lá fora, mas acho muito difícil infelizmente ser republicado porque a mítica guerra americana já tem quase 50 anos de encerrada e o tema não desperta mais atenção hoje!

      Mas eu gostaria muito que saísse republicada e completa, já que a Abril não a publicou na íntegra!

      Eu tenho uma grande fissura pelo tema, afinal cresci assistindo filmes e séries dos Anos 80 onde os heróis eram todos veteranos da guerra! Quando "Born" do Justiceiro foi publicado em Marvel Max em 2004, eu estava salivando tanto pela edição que ao saber que a edição tinha chegado por mensagem de um amigo da época; eu saí da delegacia onde estava visitando um cliente que tinha sido recém preso, e atravessei da Delegacia ao Shopping (que ficava ao lado dela) à pé, e a passos rápidos de paletó, gravata, e pasta na mão, para ir na banca de lá comprar a edição!

      Devo ter andado uns dez minutos já que o estacionamento da delegacia ligava ao do Shopping, mas a banca ficava exatamente no meio do shopping. O duro foi trocar a nota de R$ 50,00 que eu tinha acabado de pegar, que na época era difícil de trocar já que era um bom dinheiro, mas deu tudo certo!

      Histórias de colecionador!!

      Abraços!

      Excluir
    3. E aí, Elcio... blz?

      Pô, fico feliz por vc ter adquirido a "Galícia"... Eu tive o privilégio de acompanhar o desenvolvimento dessa HQ desde seus primeiros esboços (q já impressionavam pelo alto grau de detalhismo nos cenários). Alguns ANOS se passaram ("Galícia" é uma HQ q deve ter levado pelo menos 1 década pra ser finalizada) até sair o 1º encadernado pela Avec. "Galícia 2" tá em produção no momento (e vai ser totalmente em cores). Aproveitei tbm o projeto do "Livro dos Barcos" (tbm do Marsal) e peguei mais um exemplar de "Galícia" num COMBO q vinha os 2 juntos ("Livro dos Barcos" tbm é mto fóda e baseado na vida de navegador do Marsal - q atualmente tá na Holanda: sempre velejando e desenhando, rs)!

      A "EMBER" foi prejudicada mesmo por ser um spin-off de uma série há mto sumida do mercado nacional... Mas tbm acredito q a procura por ela aumente agora q a série principal vai ser relançada!

      "Storm" combina perfeitamente com o estilo da "Heavy Metal"... pena q a revista da "Metal Pesado" não vingou no Brasil: É uma vergonha uma revista q trazia até Moebius e Frazetta no mix nunca ter emplacado por aqui!

      O "Conflito do Vietnã" teve melhor sorte nos anos 80 mesmo, q ainda vivia a empolgação dos "Rambos" e Braddocks" do cinema. Sem falar no oscarizado "Platoon" e na série de TV do SBT (Combate no Vietnã). Mas hj em dia acho q ainda existe um público aficionado por filmes e gibis de GUERRA (o recente sucesso do filme "1917" comprova isso: q puta filmasso, hein? se vc ainda não viu: VEJA)!

      E "Justiceiro: Nascido P/ Matar" com certeza valeu o seu sacrifício na época, hehe... Acho q esse foi o último GRANDE gibi de guerra q eu li!

      Abs!

      Excluir
    4. Otima lembrança, Conflito no Vietnã, com arte do Michael Golden, tive algumas edições, hoje são raríssimas, e quando encontra está um preço absurdo, também sou fascinado pelo tema, realmente " Nascido pra matar " foi a última grande hq sobre guerra, O Pelotão também é legal, mas faltou uma certa brutalidade, a único edição que peguei no Cartase, foi Artes do Frazetta, mas se sair(sonho meu) " Conflito no Vietnã ", é imperdível.

      Excluir
  5. O FUTURO É AGORA (???)

    É sempre muito bom ver as iniciativas das plataformas de financiamento ao estilo Catarse serem prestigiadas. Além de ser uma forma de se libertar dos grilhões impositivos das mega editoras, ao mesmo tempo existe a possibilidade de se ver títulos fora do radar mainstrean tendo o seu valor devidamente reconhecido e resgatado - ao ponto de merecerem inclusive uma customização gradativamente melhorada no cardápio, conforme o n° de interessados vão aderindo a cada projeto.

    As implicações desse tipo de iniciativa são radicais, e se a tendência dessas inciativas conseguir se estabelecer (hipótese nunca descartada num mercado altamente submisso aos ditames das editoras convencionais, entre tantas outras coisas), a velha lei do "Adapte-se ou Morra" representaria então uma séria ameaça aos conformismos já sedimentados nas preferências das publishing houses do Brasziu. E as suas manias por lixo.

    Será, por exemplo, que a galera que enche de likes e comentários emotivos o canal do P&N a cada lançamento "bombástico" que o trio anuncia teria moral pra sustentar ideias como o Catarse ou essa ideia apenas orbitará em torno de um nicho seletivo e específico, configurando assim uma "elite" que nem tinha a intenção de se tornar algo do tipo?

    Wow!!! Aposto todas as minhas vinte notinhas de U$ 100 dolars na segunda hipótese.

    Apesar do entusiasmo pela ideia proposta em iniciativas como o Catarse, tenho uma certa relutância por obras do gênero Sci-fi.
    À excessão de um "2001", do Stanley Kubrick, de um "Buck Rogers", de Philip Nowlan ou de um "Space Angel", de Dick Darley, o que geralmente se observa nessas empreitadas futuristas é muita imprecisão científica e exageros tecno-galáticos pontuados com acentuadas doses de surrealismo cuja fundamentação, longe das liberdades proporcionadas pelo psicodelismo, é quase sempre...nula.

    Para os que apreciam sem tantas restrições de ordem técnica, Bon Voyage!

    P.S.: também aposto todas as minhas notas de 60 dolars que o Buck Rogers da fase clássica, ilustrada até Murphy Anderson ou até George Tuska (1967), será publicado, na íntegra, no Brasziu.

    Tony

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Tony... blz?

      Se eu fosse "chutar" uma visão do futuro... Eu arriscaria dizer q as plataformas tipo Catarse vão se proliferar e um dia vão se tornar A REGRA do mercado (e não um mecanismo de uso eventual ou tímido por parte das editoras - grandes ou pequenas)!

      Pois já vejo até mesmo uma pequena concorrência ao Catarse surgindo entre editoras de pequeno porte, como a "Super Prumo" (q publica HQs de extrema-direita tipo "O Doutrinador" - e tem uma plataforma independente em seu próprio site pela qual viabiliza seus projetos)!

      Em suma: Quem viver, verá... rs!

      Qto ao gênero sci-fi... eu até gosto dessas liberdades e desprendimento com a nossa realidade q são postas pra fora a partir da imaginação dos autores. Em "Storm", por exemplo, a tal "precisão científica" de nada vale, já q não sabemos se a trama de passa num futuro distante ou num passado distante? É meio "Planeta dos Macacos" nesse ponto, rs!

      Abs!

      Excluir
    2. "Eu arriscaria dizer q as plataformas tipo Catarse vão se proliferar e um dia vão se tornar A REGRA do mercado"

      Vc, Leo, deve estar numa posição bem mais privilegiada do que eu em termos de informação eventualmente relacionada a essa questão. Portanto, se vc arriscou dizer que essa tendência se constituirá como a REGRA do mercado, eu sou um dos que já antecipo a comemoração.
      (Até a rima confirmou).

      Não desconsiderando o fato de que a ideia dos financiamentos coletivos para a consecução das mais diversas obras (HQ's, livros, CD's) ainda se encontra em uma fase inicial (e que, portanto, problemas podem ocorrer) a proposta me parece muito animadora - tanto para o público consumidor, que participa ativamente do processo, quanto para os empreendedores de cada obra - que, no caso dos quadrinhos, podem ter assim a oportunidade de concretizar os seus projetos sem precisar ficar esmolando favores das editoras já consolidadas no mercado.

      Eu participei de alguns financiamentos no Catarse (sendo um deles, o Popeye, por indicação aqui do blog) e não tenho do que reclamar.

      "Pois já vejo até mesmo uma pequena concorrência ao Catarse surgindo entre editoras de pequeno porte"

      Valeu saber disso.
      O problema maior talvez seja os abutres lá do Congresso começarem a prestar atenção nessas iniciativas e partirem com propostas pra regulamentar a coisa, fazendo, através disso, mais um alvo pra satisfazer a sanha por impostos que muitos daqueles trastes sub-humanos têm. Afinal, o que quer que aqueles vagabundos infectem com suas mãos imundas, acaba perdendo o caráter original que possuía. São todos merda na mesma privada, independentemente da bunda partidária que os caga.

      "É meio "Planeta dos Macacos" nesse ponto, rs!"

      Por falar nisso, taí uma série em quadrinhos que poderia ser resgatada em um desses projetos de financiamento. A Bloch lançou esses quadrinhos e, pelo que me consta, esse material nunca mais foi republicado por aqui. É um material de Ficção Científica muito bom (sem apelações mirabolantes nem rocambolescas, ou seja, crível e verossímel, apesar de inusitado), e cuja produção cinematográfica (a antiga) é primorosa.
      Como meu pai tem os filmes, o seriado e até o desenho animado do Planeta dos Macacos, e eu assisti a tudo isso desde os nove anos de idade, só faltava agora os gibis para, por assim dizer, completar e apresentar toda a trama devidamente - em toda a sua extensão e nos pormenores.

      Em tempo : segunda-feira, apareceu na banca de jornal que eu costumava comprar gibis o vol. 28 do "Lobo Solitário" e um exemplar da Coleção Carl Barks que eu ainda estava pra comprar ("A Ilha no Espaço").
      Finaliza-se, portanto, mais uma longa (e imprescindível) coleção, enquanto a outra também já avança para os vols. derradeiros.
      Essas duas aparições na banca foram uma surpresa, posto que há séculos que eu só podia contar com a loja virtual da Panini pra adquirir-lhe os produtos.
      A banca agora recebeu uma boa oxigenada, depois de meses à fio expondo para venda apenas revistas dispensáveis, bonequinhos marrentos e vários souvenirs hipercalóricos que colocam ainda mais fora do esquadro as gordinhas do Rio do Atoleiro.

      "Até as muié das antigas eram mais mió, meu fio!" (já diziam os antigos colecionadores das tirinhas do Pafúncio).

      Au Revoir!

      Tony

      Excluir
    3. "Eu participei de alguns financiamentos no Catarse (sendo um deles, o Popeye, por indicação aqui do blog) e não tenho do que reclamar."


      Oi, Tony... blz?

      Eu tbm já participei de vários projetos no Catarse e em outras plataformas e tenho me entusiasmado em apoiar cada vez mais projetos q sejam do meu interesse (tem mta porcaria sendo oferecida tbm, verdade seja dita, né? Infelizmente, a produção nacional ainda é cheia de HQs panfletárias e mimizêntas - dessas, eu passo bem longe)!

      Mas qdo tem coisa SÉRIA e BOA (tipo: "Storm", "Krazy Kat", "Popeye", "Torpedo 1936", "As Pinturas Fantásticas de Frazetta", os LIVROS do Roberto Guedes, etc)... Aí o meu apoio é certeiro, hehe!

      "quanto para os empreendedores de cada obra - que, no caso dos quadrinhos, podem ter assim a oportunidade de concretizar os seus projetos sem precisar ficar esmolando favores das editoras já consolidadas no mercado."

      Aí vc já deu a morta, amigo... É esse o principal fator q fará o modelo de financiamento coletivo prosperar cada vez mais: O público E os artistas JÁ sacaram q não precisam mais ir humildemente bater na porta das grandes editoras pra terem seus trabalhos publicados. E outra: O leitor médio já tá enchendo os pentelhos do saco com as lacrações e vinagrices da Marvel/DC todo mês (o "Robin" foi a última bola da vez). Esse leitor vai ter 2 alternativas daqui pra frente:

      1) Abandonar os GIBIS de vez e ir colecionar latas de cerveja, bonequinhos, ou catar a mulherada no Tinder!

      2) Manter o interesse nos quadrinhos, MAS partir pra uma EVOLUÇÃO pessoal e buscar HQs de qualidade fora do mainstream da Marvel/DC. Nesse caso, os projetos independentes são um oásis no deserto pro leitor desiludido com os quadrinhos DE MASSA!

      Qto ao "Planeta dos Macacos"... A publicação dessa HQ é praticamente inviável pela questão dos direitos autorais envolverem estúdios de cinema. É a mesma MERDA de situação q impede a publicação de um "2001 - Odisséia no Espaço" do REI KIRBY (e q eu pretendo publicar por conta própria via editora "Capitão Gancho" mesmo - se é q vc me entende, kkk)!

      A adaptação do 1º FILME dos "macacos" saiu em 3 Vol. recentes do fanzine "Replicóide" (com tiragem baixa e pra um público bem seleto)... mas a série renderia mto mais e seria mto bem-vinda nas bancas (mas aí é sonhar alto mesmo, hehe)!

      E eu gostei dessa TRILOGIA nova q fizeram... são filmes q mantém a pegada e a ideia básica dos clássicos (me empolguei até a comprar o LIVRO da "macacada", kkk)!

      Tô na espera aqui do "Lobo 28" e do "BARKS"... Fico feliz em encerrar o mangá (q é ótimo, mas eu comemoro qdo tenho um gasto a menos). Já os "PATOS", ainda faltam cerca de 12 Vol (é bastante, hehe)!

      Abs!

      Excluir
    4. "O público E os artistas JÁ sacaram q não precisam mais ir humildemente bater na porta das grandes editoras pra terem seus trabalhos publicados. E outra: O leitor médio já tá enchendo os pentelhos do saco com as lacrações e vinagrices da Marvel/DC todo mês"

      Valeu, Leo.
      A parada é por aí mermo, mermão !!!

      E eu só espero agora que o "Submundo HQ" aproveite pra dropar nessa onda alternativa dos financiamentos coletivos e inaugure uma coluna própria por aqui a fim de, vez ou outra, abordar sobre as novidades que estão sendo lançadas no mercado graças a essa inovação radical.

      Afinal, da mesma forma que quem dropa atrasado acaba perdendo a oportunidade de realizar um cut-back perfeito, quem se submete aos ditames das editoras comerciais, ficando só na paranóia de consumir o material bichado que a "Marvel and DC Company" recicla,
      só demonstra que é apenas mais uma jujubinha melosa.

      "Já os "PATOS", ainda faltam cerca de 12 Vol (é bastante, hehe)!"

      Sim, mas já temos 20 vols. na estante. Motivo suficiente pra um dia poder se dizer pra uma gatinha: "Olha, gata, isso tudo eu já li!"

      Tony

      Excluir
    5. "A adaptação do 1º FILME dos "macacos" saiu em 3 Vol. recentes do fanzine "Replicóide" (com tiragem baixa e pra um público bem seleto)... mas a série renderia mto mais e seria mto bem-vinda nas bancas (mas aí é sonhar alto mesmo, hehe)!"

      Deixa eu pegar uma beira nessa conversa amigos! Desde que li a respeito do "Replicóide" aqui no Submundo a alguns anos que tenho a vontade de adquirir as edições publicadas. Porque é meio algo que faço de forma individual, produzir de forma impressa materiais clássicos disponíveis na internet. Se não for causar complicações na sua corrida rotina Léo, gostaria de receber orientação de como encomendar essa publicação.

      Obrigado!

      Excluir
    6. "Porque é meio algo que faço de forma individual, produzir de forma impressa materiais clássicos disponíveis na internet."

      Essa é uma alternativa que eu considero válida quando não se vê nenhum tipo de boa-vontade por parte de quem detém os direitos de determinado material e que, por razões obscuras, simplesmente não quer e nem trata de oferecer o material ao público interessado, preferindo que a coisa fique inacessível eternamente ou se deteriore pelo desgaste do tempo, obrigando assim, em muitos casos, que o material em questão seja submetido a processos dispendiosos de restauração quando da eventualidade de que aquilo finalmente acabe sendo passível de ser então resgatado e apresentado novamente - como um produto comercial.

      Restauração pra tentar recuperar material antigo é frequente no que concerne à trabalhos audiovisuais (músicas, filmes, etc), muito embora algumas editoras, cuja finalidade é lidar com material gráfico impresso, sofram também penosamente quando se deparam com arquivos danificados.

      Pra piorar tudo, volta e meia acontece da patrulha dos alegados "defensores dos direitos autorais" fecharem sites que se dedicam à disponibilização gratuita daquilo que ninguém publica ou lança em DVD/CD e quadrinhos.

      Pirataria, na minha opinião, passa longe de iniciativas desse tipo posto que nela fica explícito o caráter da clandestinidade através do lançamento que visa o lucro oportunista e imediato em cima de algo que ainda está disponível e pode ser encontrado regularmente no mercado na sua forma original.

      Mas, quando uma editora até mesmo já fechou as suas portas há décadas, porquê então considerar como sendo pirataria um trabalho que vise resgatar o que aquela editora lançou no passado, e que por motivos óbvios nunca mais terá como relançar novamente (caso, por exemplo, das publicações da Ebal)?

      Tony

      Excluir
    7. "E eu só espero agora que o "Submundo HQ" aproveite pra dropar nessa onda alternativa dos financiamentos coletivos e inaugure uma coluna própria por aqui"


      E aí, Tony... blz?

      Os projetos do Catarse (e outras plataformas) vieram pra ficar E somar aqui no blog... Daqui pra frente, sempre q tiver algum projeto interessante, ele vai ser comentado aqui no "subs" sim: Seja em colunas regulares de notícias, matérias individuais (q nem esta do "Storm") ou até mesmo uma coluna esporádica (q nem aquela q eu fiz mês passado onde comentei o LIVRO do BYRNE e o "Krazy Kat" - Aliás, preciso pensar num "NOME" pra tal coluna qdo ela retornar de novo, rs)!

      E já foram 20 BARKS mesmo... 10 x 10 (Abril x Panini), coisa boa ter essa fase ÁUREA na estante, hehe!

      Abs!

      Excluir
    8. "Desde que li a respeito do "Replicóide" aqui no Submundo a alguns anos que tenho a vontade de adquirir as edições publicadas."


      E aí, LEPM... blz?

      Pode deixar, amigo... Vou te mandar umas q tenho por aqui, q tal?

      A "Replicóide" deu uma parada na produção, pois a gráfica parceira (q ajudava na impressão) acabou falindo logo no início da pandemia. E até onde sei, os "organizadores" do fanizne ainda não encontraram uma substituta q mantivesse o mesmo custo-benefício (preço baixo aliado à qualidade gráfica: uma combinação explosiva e difícil de ser equacionada, kkk)!

      Mas eu vou te mandar uma lista de todas as edições publicadas, blz? Foram umas 25 até agora... E não se preocupe, q mesmo demorando um pouco, a revista VOLTARÁ, rs!

      Abs!

      Excluir
    9. "Pirataria, na minha opinião, passa longe de iniciativas desse tipo posto que nela fica explícito o caráter da clandestinidade através do lançamento que visa o lucro oportunista e imediato em cima de algo que ainda está disponível e pode ser encontrado regularmente no mercado na sua forma original"


      Oi, Tony... Esse é um terreno interessantíssimo, perigoso (judicialmente) e mto fértil pra um debate COMPLEXO sobre o tema, hehe!

      Tomemos como exemplo o meu projeto PESSOAL (ainda em estágios iniciais) de produzir uma tiragem de "2001" do REI Kirby... Alguns pontos a serem analisados:

      1) É um material RARO e q NÃO será republicado pela Marvel por questões de direitos autorais do FILME do Kubrik!

      2) Meu advogado disse q não configura PIRATARIA eu fazer uma tiragem pequena (acho q de até 20 exemplares) cobrando apenas o preço de custo E mão-de-obra. Eu estaria dentro do limite q a LEI considera "produto artesanal" (vira pirataria qdo tem fins lucrativos OU produção industrial massiva)!

      3) Não será um produto "barato", pois estamos falando de um encadernado com MAIS de 300 pág... e eu precisaria pagar um tradutor, um diagramador, e os custos da gráfica (q aumentam qto menor for a tiragem)!

      Enfim... eu me cerquei de recursos jurídicos E faria um controle mto SELETO (apenas via whatssap) de interessados no encadernado (somente pessoas do meu convívio e aqui do blog - NENHUM desconhecido eu aceitaria no projeto, pois não estou interessado mesmo em LUCROS: só quero financiar o gibi SEM correr riscos)!

      Abs!

      Excluir
  6. Olá Léo.
    Bela postagem. Nunca li Storm, mas lembro de ver essas revistas em sebos e bancas.Fiquei bem tentado em apoiar essa campanha,pois ficção científica é um tema que me agrada muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Zarko... blz?

      Obrigado por ter curtido a postagem... E embora eu só tenha lido 1 história de "Storm" até hj (a q saiu na "Heavy Metal"), simpatizei o suficiente com a série (e principalmente com a ARTE) a ponto de apoiá-la de olhos fechados, rs!

      Abs!

      Excluir
  7. E aí comandante Léo!!

    Poxa vida a atividade no Submundo esta frenética uma matéria mais impactante que a outra. Essa campanha da nova Editora Tundra não podia ter escolhido melhor o material de estréia. Na época que a Abril publicou esse título pude adquiri alguns números, e a minha impressão é que o diferencial sempre foi a arte do criador da série Don Lawrence, não que os roteiros sejam ruins ou fracos, nada disso. Mas o texto segue aquele padrão que obras desse segmento utilizam.

    E falando da arte várias páginas são verdadeira pinturas a óleo, como as obras da escola de arte do "realismo" do século XIX. Mas um realismo fantástico com paisagens alienígenas, criaturas inacreditáveis e um maquinário indescritível. Já apoiei no primeiro dia, prefiro que não acabe em capa dura, pois como se diz aqui em Goiás "capa dura é para os fracos"!

    Vou ficando por aqui amigos. O nosso Submundo tá cada vez melhor, ainda bem que apesar das lacrações e mitadas de um lado e de outro nos quadrinhos da atualidade, o lançamento dos clássicos não nos deixa perder tempo com o que não vale a pena.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, LEPM... blz?

      Puxa, mto obrigado mesmo por estar curtindo as postagens do blog... Valeu mesmo! E de fato, amigo: O ritmo de lançamentos alucinantes nas últimas semanas tem me tirado o sono, hehe. Afinal, tbm não consigo parar e relaxar postando alguma bobagem mais amena e descompromissada, já q toda semana é aquela correria pra botar os lançamentos em dia aqui no blog e mtas vezes eu acabo tendo q pesquisar coisas às pressas (como foi o caso do "Storm" aqui) e LER mto material q acaba "furando a fila" de outras prioridades q eu tinha só pra poder comentar aqui, hehe!

      Aí tem as postagens "atrasadas" tbm... q é o caso do "ARANHA OMNIBUS" do Todd McFarlane, q será a próxima postagem aqui no "subs" (sendo q o TIJOLO foi lançado em maio e demorei até ter tempo de trabalhar nessa postagem: q vai ao ar ainda NESTA semana, rs)!

      Qto à "Storm"... É verdade, a Tundra escolheu mto bem a sua HQ de estreia: Poucas editoras podem se vangloriar de um começo já em alta! Ademias, tbm tô na torcida pela capa-cartão (até por uma questão de espaço na estante, rs)!

      E concordo plenamente com vc no último parágrafo... As lacradas e cagadas da Marvel/DC sequer consegue me atingir ou me incomodar: já q tem TANTA coisa BOA pra eu comprar e eu nem consigo dar conta do recado (acabo tendo q PULAR mta coisa q eu gostaria de ter pq falta verba pra tudo q me interessa), q os gibis ruins eu acabo simplesmente ignorando, hehe!

      Abs!

      Excluir
  8. Que coisa, reli Storm la pra março ou abril. E comentei com um amig que a abril ainda começou um novo arco e cancelou a revista. Seria melhor ter cancelado no 9, kkk

    De qualquer forma tava comentando com ele que era uma pena nunca ter saido novamente. Não esperava essa mas dei de cara com a noticia uns dias antes da campanha entrar e, financiamento e até coloquei o alarme pra me avisar no horario, kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, gustavo... blz?

      Putz, conforme o Lierson falou logo acima (no 1º comentário)... A Abril parece mesmo q não fazia a menor ideia do material com o qual estava lidando, rs (sobre o fato de ter iniciado um novo arco e cancelado a revista em seguida)!

      Seja como for... antes tarde do q nunca, né? hehe!

      Abs!

      Excluir
  9. Legal que Usagi Yojimbo também será lançado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse eu passo... não é a minha praia, rs!

      Abs!

      Excluir
    2. Ahh sim...só para informar o pessoal do lançamento. Pode ser que tenha gente que goste.

      Excluir
    3. Claro... Sempre é bom e todos agradecemos, rs!

      Abs!

      Excluir
  10. Que lançamento bacana. Nunca li na época, vou ver se consigo pegar dessa vez.

    Um material que saiu nesse período que pouca gente fala, mas curto bastante é Legião Alien. Poderia ser trazido de volta também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Guilherme... blz?

      Esse "Legião Alien" eu só conheço de ouvir falar mesmo... mas nunca li. De repente pode ter chance de ser relançado um dia sim (o Catarse tá facilitando projetos q grandes editoras não arriscariam)!

      Abs!

      Excluir
    2. Grande Leo, anota então essa minha dica. Legião Alien saiu naquela coleção de Graphic Novels da Abril do final dos anos 90 e depois nos anos 2000 teve umas edições da mensal publicadas pela Brainstore.

      A Graphic Novel é sensacional. Uma história de guerra com reviravoltas interessantes, que consegue apresentar muito bem cada um dos membros do batalhão. Vale a pena.

      http://www.guiadosquadrinhos.com/edicao/graphic-novel-n-15/gno0301/6221

      Excluir
    3. A Legião Alien foi publicada no Brasil pela Abril no gibi EPIC Marvel, que apresentou Dreadstar e a Irmandade do Aço em 1984, 1985. Infelizmente a revista teve vida curta com apenas 6 edições. Dreadstar voltou pela Globo e a Irmandade foi cancelada nos EUA depois de 6 edições também. Abraços.

      Excluir
    4. Valeu mesmo pelas informações, amigos...

      Lembrei agora das edições de "Legião Alien" q saíram tbm pela Brainstore (5 edições)... Mas fui pesquisar e vi q os direitos são da MARVEL. Ou seja: Isso inviabiliza por qq outra editora menor publicar (já q a Panini tem o monopólio da Marvel). Assim, só a panini poderia publicar esse material!

      Abs!

      Excluir
  11. Beleza Leo? Nunca imaginei que Storm seria novamente publicada. Que felicidade! Ainda tenho alguns dos exemplares que saíram pela Abril, mas nunca consegui ler na sequência...Arte fantástica! Os quatros números que tenho, comprei numa banca de usados que tinha no caminho para a escola. Época trash, juntava trocados e passava fome na escola pra comprar quadrinhos, hehehe. O pessoal tem feito um trabalho excelente no Catarse. Espero que alguém traga algumas coisas que saíram pela Abril e ficaram esquecidas, tipo: O Conflito do Vietnã, Lulu Smack (do francês Margerin), Wallaye! (do também francês Jano), Opium (do espanhol Daniel Torres). Tem aparecido aos poucos grandes quadrinhos que saíram na Revista Animal, como Torpedo, Ranxerox, Necron, Kraken, Squeak The Mouse, Cutlas, mas ainda falta Edmundo o Porco, Bionda, Peter Punk, Rocco Vargas, Custer, entre outros. Tudo isso era pura arte. Vamos aguardar... grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí... blz?

      Hehehe, todo leitor mais jovem da época (EU incluso) juntava os trocados q tinha pra comprar GIBIS e fichas de fliperama, rs!

      "Storm" eu já tô apoiando... e desses outros q vc citou, eu já tenho o "Ranxerox" (pela Conrad) e o "Torpedo" eu tô apoiando o projeto da Editora Figura com os Vol. 2 e 3 (q já divulguei aqui no blog): "Torpedo" é (na minha opinião) a melhor HQ de gângsters já produzida e fecha completa nesses 3 Vol da Figura e MAIS o "Torpedo 1972" (q é uma sequência mais recente q saiu pela JBraga ano passado)!

      Abs!

      Excluir
  12. Blz Léo?
    O pessoal da Confraria Bonelli já havia comentado sobre esse projeto em grupos.
    Pelo que vc colocou vai ser muito bacana mesmo. Na verdade eu tinha deixado passar, mas a tua matéria me chamou mais a atenção. Já deixei anotado pra apoiar. Curto séries de ficção tipo Nathan Never e a Storm deve ter uma pegada que lembre algo assim. Além de que a arte parece soberba!
    Temos tido ótimos títulos saindo pela Saicã, 85, Figura, Skript e outras editoras que tem usado o Catarse para lançar projetos que talvez não veríamos sendo publicados pelas, digamos, tradicionais.
    Os últimos anos têm sido muito legais nesse sentido e pelo visto continuaremos tendo bons projetos sendo lançados.
    Muitas editoras tem surgido nessa esteira, o que, para nós leitores, é ótimo!!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Otavio... blz?

      Obrigado por ter curtido a matéria... e tenho certeza de q se vc curte o gênero sci-fi, vai adorar tbm a HQ do "Storm". Só pelas capas q eu postei aqui já dá pra ter uma boa ideia do conteúdo e clima das histórias, até pq: O artista das capas é o mesmo q faz a arte interna tbm (só a arte já compensaria o investimento, rs)!

      E realmente, amigo... Tem proliferado mtas NOVAS editoras de pequeno porte e com projetos interessantíssimos. Eu ando planejando até fazer uma postagem aqui no blog só com essas novas editoras, entre aos quais eu incluiria tbm: Avec (Galícia), JBraga (Torpedo 1972), Noir (Stan Lee: Sr. Maravilha), Super Prumo (Doutrinador), Universo Fantástico (Efeito Placebo), entre várias outras!

      Abs!

      Excluir

POR FAVOR, LEIA ANTES de POSTAR:

O "Submundo-HQ" é um blog que preza a amizade e a boa convivência entre os usuários... Assim, NÃO serão aceitos por aqui comentários que incluam:

1) Ofensas pessoais e falta de respeito em geral!
2) Manifestações e militâncias POLÍTICAS (de qq tipo)!
3) SPAM e links de divulgação gratuita de compra/venda de HQs!

Obrigado, e seja sempre bem-vindo ao "Submundo"...

Até+

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...