10/06/2018

Confirmado: O FIM da Linha Disney na Editora Abril (1950-2018)...

O FIM de uma Era nos quadrinhos brasileiros se confirma agora, com o anúncio de que a Editora Abril deixará de publicar materiais da Disney após 68 ANOS de atuação com a linha nas bancas!

Nesta matéria (ou seria um "obituário")? vamos rever os últimos acontecimentos que levaram à esse trágico final e vislumbrar as possibilidades pro futuro, já que a SALVAT, por exemplo, lançou uma mega-coleção do "Pato Donald" de Carl Barks lá fora!

Confira abaixo:

As coisas já andavam bastante estranhas na linha Disney pela Editora Abril nos últimos 2 meses... Começou com o atraso de encadernados de luxo e econômicos já prometidos: O Vol. 6 da "Biblioteca Don Rosa" e "Lendas Disney 2 - Gastão 70 ANOS", que logo em seguida foram retirados da pré-venda de sites virtuais (onde chegaram a ter as capas oficiais divulgadas e tudo o mais). Depois, a Abril desovou nas bancas uma série de encalhes de encadernados por 20 e poucos reais (e que custavam originalmente R$ 60). Alguns leitores até comemoraram os descontos, sem perceberem que isso já era um prenúncio de mau sinal (descontos assim, por 1/3 do preço de capa, significam que o material não está vendendo bem e que pode estar à beira do cancelamento)!

A situação começou a gerar desconfiança entre os leitores nas redes sociais (principalmente em grupos do face) e as especulações sobre a Abril perder a Disney se espalhavam aos 4 ventos... A postura da editora era a pior possível: No alto de sua arrogância e falta de respeito pelo consumidor, optaram pelo SILÊNCIO e sequer se prestavam a fazer um comunicado ou nota oficial pra esclarecer a situação (nem que fosse pra dizer que estava tentando resolver as coisas ou ser mais transparente com os riscos de perder a linha de vez). O tempo passava, até que o blog: "Planeta Gibi" (que colaborou com a Abril em várias publicações) confirmou há poucos dias que a Editora Abril não publicaria mais Disney no Brasil:

Só que a Abril desmentiu em poucas horas o anúncio feito pelo blog, afirmando que ainda estava em tratativas de negociação com seus parceiros comerciais... Só que no dia seguinte, um e-mail OFICIAL da editora seria enviado à todos os assinantes Disney confirmando. SIM, a interrupção de todas as publicações da linha Disney. Ou seja, a confusão de informações (ou falta de) continuou até o último suspiro da Abril (que num espaço de poucas horas negou e em seguida admitiu o cancelamento de toda a linha). Agora, a casa caiu e todos os sites (mesmo os jornalísticos, tipo a "Folha") já estão noticiando o FIM da Era Disney no Brasil, iniciada lá atrás (em 1950) com o "Pato Donald" Nº 1 da Abril (capa que abre esta postagem)!

Mas e as perspectivas pro futuro agora? Bem, a Abril deixou um legado de vários títulos mensais e/ou regulares (que serão publicados até JULHO): "Pato Donald", "Mickey", "Tio Patinhas", "Zé Carioca", "Pateta", "Ducktales", "Disney BIG", "Almanaque Disney", e "Disney Especial"... E as recém anunciadas: "Lendas Disney", "Disney Saga", e o "Melhor da Disney" (que se encerraram com apenas 1 edição cada). Fora isso, ainda haviam as coleções de capa-dura: "Carl Barks" (com 10 Vol. lançados), "Don Rosa" (5 Vol. parou bem na METADE), "Os Anos de Ouro do Mickey" (14 Vol. de 37 no total), a linha "Disney de Luxo" (que teve cerca de 20 encadernados publicados), e o "Peninha" (que teve um único Vol. lançado - de 2 no total - pra fechar a fase de seus criadores originais)!

Não se sabe ainda "SE" (ou "quando") alguma OUTRA editora se apresentará pra publicar novamente a Disney no Brasil... Mas alguns colecionadores já demonstram preocupações com o fato de manterem a numeração vigente das mensais (eu, particularmente, sou mais a favor de ZERAR a numeração: Afinal, só o "Donald" se encerrará no nº 2481 - quem pensaria em ter tudo isso completo e pra quê manter uma numeração iniciada em 1950)? De qualquer forma, esse é o menor dos problemas: Antes, temos que ver qual editora vai assumir a bronca e se ela estaria APTA pra exercer a tarefa com competência (isso sim, é um detalhe importante, afinal, quem assumir o posto terá de apresentar um trabalho no mínimo similar ou superior ao da Abril pra cair nas graças do público)!

A SALVAT (ela de novo) lançou em alguns países a coleção do "Pato Donald" de Carl Barks: "La Gran Dinastía Del Pato Donald" (CAPA acima e imagem da LOMBADA abaixo) em 48 Vol. (a coleção da Abril era baseada na Fantagraphics e teria uns 30 Vol. no total) deixando uma esperança de que saia no Brasil algum dia (quem sabe)? A Abril estava cheia de planos pro futuro e já se falava até numa coleção do Paul Murry (graças ao sucesso da ed. temática dedicada à ele - capa acima) e quem colecionava os "Anos de Ouro do Mickey", esperava pras próximas edições a 1º aparição do "Esquálidus" (imagem acima num "Mickey" da Abril). Postei acima também, algumas capas de futuras edições de Barks e Rosa! Agora é esperamos o desenrolar dos eventos e torcer pra que a Disney retorne melhor e mais forte por outra editora!

Até+ 

135 comentários:

  1. Apenas me preocupo com as 4.000 histórias brasileiras produzidas nos estúdios da Abril. A produção brasileira é o melhor da Disney e quero saber se essas histórias serão preservadas e republicadas na nova casa que, imagino, deva ser a Panini.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As histórias do Zé Carioca e do Urtigão produzidas pela Abril eram algumas das minhas leituras favoritas na infância.

      É triste saber que essas e todas as outras HQs Disney feitas por brasileiros podem ficar num limbo editorial...

      Excluir
    2. Carlos Rocha,
      As criações nacionais de histórias Disney eram excelentes principalmente as do Zé Carioca. É provável que isso se perca.
      Roberto Xavier.

      Excluir
    3. Elas não foram preservadas nem pela Abril!

      Excluir
  2. Giulianno de Lima Liberalli10/06/2018 15:18

    Apesar da qualidade do trabalho, a Abril sempre foi muito seca com relação ao contato com os clientes quando acontecem esse tipo de problemas, mas é muito triste a notícia e preocupante para aqueles que são leitores fiéis do material Disney no Brasil, será que com esse lançamento de coleção Salvat no exterior, esse será o futuro? Ou a Panini vai abocanhar mais essa fatia? Aí será realmente o monopólio de publicação e distribuição no país.

    ResponderExcluir
  3. blz leo?

    eu só estava fazendo a coleção do don rosa e fiquei bastante chateado, imagina quem fazia várias coleções!
    espero que alguma editora esteja disposta a fazer um trabalho semelhante (com edições mensais, especiais e que de continuidade aos materiais interrompidos) ao da editora abril.
    como pode uma gigante do mercado brasileiro chegar neste ponto.
    provavelmente seus principais executivos devem ser iguais aos nossos políticos.

    abraço

    ResponderExcluir
  4. Oi Leo, e aí amigo tudo blz?!

    Na verdade eu NÃO me empolguei nem um pouco com essa coleção do "PATO DONALD por CarL Barks" lançada pela Editora SaLvat em alguns países europeus.

    Pois pelo que eu andei pesquisando, a COLORIZAÇÃO desse material da SaLvat é todo DIGITAL, ao contrário do qual vinha sendo publicado pela Editora AbriL, a qual estava usando arquivos RESTAURADOS pela CONCEITUADA Editora Norte-Americana FANTAGRAPHICS, cujo conteúdo mantém a PALETA DE CORES e LETREIRAMENTO ORIGINAIS bem próximo do que fora publicado nas décadas de 40,50 e 60!

    E também vou torcer para que NÃO seja a PANINI a adquirir os direitos de publicar DISNEY aqui no BrasiL, pois eu acho EXTREMAMENTE porco (ERROS GRAMATICAIS e TROCAS DE BALÕES), as publicações que ela vem lançando nos últimos anos aqui no BrasiL.

    Infelizmente evidenciando que a Editora PANINI não possui revisores capacitados!

    Abs!

    ResponderExcluir
  5. Essa história é triste porque pra muitos tem uma relação de gerações. Por exemplo, meu pai comprava Disney antes de eu nascer (69), álbuns, revistas e disquinhos. Apesar de curtir muito Hanna Barbera, meu primeiro Disney foi o álbum Galeria Disney de 1976 e assim vai. Não cheguei a aprender a ler com os gibis Disney Abril como dizem alguns colecionadores, eu fui na cartilha mesmo, rs, mas realmente fizeram parte da minha infância.
    De uns anos pra ca, estava refletindo quanto aos encadernados de luxo e a presença do Paulo Maffia em várias exposições e eventos. Primeiro, foi muito legal ter encadernados disney, mesmo nao tendo grana pra comprar todos os livros, mas foi um absurdo a resposta da Abril quanto ao defeito no capa dura HGDinastia Pato naquela época, nas minhas palavras, "sinto muito, o problema é seu". Segundo, achei interessante o comprometimento e a simpatia do Paulo naqueles locais, muito legal, mas provavelmente ja estava lutando pra propagar com muito esforço as publicações Disney Abril, porém um sorriso e disposição não foram suficientes. Espero que a próxima editora tenha sabedoria e sorte. Lembro que foi decepcionante o Homem Aranha 1 da Panini, apesar da capa ter o Aranha segurando o Simbionte derramado em suas mãos prometer uma boa estória. Bem, pelo que diz alguns da editora Abril, sugere que exista esperança, "tratativas", para continuar com alguma publicação. Caso contrário, a futura editora que se interesse, poderá fazer o que a Abril não tinha condições de fazer, como pôster, brindes e etc, o que a Panini faz de vez em quando. Aí eu lembro dos preços praticados pela Panini. Rapaz, quem viver verá, rsrs.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns, Leo !

    Sabia que uma matéria sobre o fim dos quadrinhos Disney pela Abril não passaria em branco por aqui.
    Pra mim, esse fim representa o da própria Editora Abril. Fazia anos que eu não comprava NADA desta editora, até que começaram a ser lançados os magnifíficos encadernados (como a Saga do Tio Patinhas, A Espada de Gelo e os 80 anos do Pato Donald), culminando com os magníficos clássicos de Carl Barks e de Don Rosa, além do Gottfredson (que não vou lamentar por tê-la incompleta já que não cheguei a comprar nenhum exemplar).
    A última publicação da Abril que adquiri foi a promissora "O Melhor da Disney", que ironicamente trouxe a mesma capa do primeiro n° da revista do Pato Donald lançada por aquela editora.

    A Abril estava com sua situação financeira em estado terminal e manteve as aparências até não poder mais: encadernados estão temporariamente suspensos, mas serão mantidos os mensais...hahaha!
    Seguindo a onda, muitos leitores mantiveram as esperanças na normalização da publicação dos encadernados devido a esse clima de boa aparência mantido por quem deveria ter sido honesto e sincero desde o início. Foi como os mandatários do Brasil: tudo se tornando um caos aqui fora e os cretinos vagabundos na cúpula do Executivo, do Legislativo e do Judiciário agindo como se o mundo fosse a extensão da realidade em que esses-essas canalhas vivem e se locupletam. Nada como o bolso e o rabo entupidos de dinheiro pra afetar a mente de alguém !
    Só resta agora ver como vai acabar tudo isso que se inicia com o fim da Abril. Um Titanic que afundava enquanto a orquestra continuava alegremente tocando.

    ResponderExcluir
  7. É uma notícia muito triste!
    Sabia que a editora Abril ia mal mas nem tanto. Pelo menos a linha Disney parecia a parte da crise com tantos lançamentos de luxo e aparentemente a boa aceitação do público. Curto muito Zé Carioca e Peninha. Estava no aguardo do volume 2 em capa dura do papagaio e na torcida por uma edição de luxo do Urtigão.
    Com certeza outra editora pegará esses direitos de publicação mas levará tempo pra que isso aconteça e não será com tanta diversidade de títulos.
    Roberto Xavier.

    ResponderExcluir
  8. Olha, acho que tem influência da Salvat, Panini e Eaglemoss aí. Pra mim a Abril ter embarcado nessa de lançar material de luxo quebrou ela, pois a galera já tava se esgoelando pra comprar encadernados dos supers. Acho que também, as histórias lançadas recentemente estavam fracas, li pouca coisa, mas lembro que quando comprava algum gibi disney nos anos 90, geralmente me divertia com as histórias, e hoje até penso em comprar algumas delas de novo. Faltou planejamento, além disso o mercado tá saturado. Coleçao do Conan por vir, Star Wars, as expansões sem fim da Salvat, isso tudo fode com o bolso da pessoa e não deixa dinheiro pra comprar as histórias "menos maduras" da Disney.

    ResponderExcluir
  9. Rapaz, isso me lembra a época em que a Abril perdeu os direitos dos supers. Tem lá suas similaridades: material caro e de luxo sendo lançado e pouca procura.

    ResponderExcluir
  10. Voltamos no tempo:

    https://ocanildobeagle.blogspot.com/2015/09/linha-premium-ed-abril.html?m=1

    Excelente matéria feita pelo Beagle.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigado pela lembrança do meu blog :) , mas acho que a situação é ainda mais dramática do que foi o fim dos heróis na era premium ali foi ma série de erros editoriais numa época de vacas magras, agora é um problema financeiro de todo o grupo editorial

      Excluir
    2. Pode crer, ultimamente tem aparecido vários dossiês da revista superinteressante na banca, sendo vendidos em promoção, a revista playboy também, infelizmente faliu. Panini se libertando do monopólio da distribuição do grupo abril. As coisas tão pegando fogo!!!!!!
      Uma coisa que me deixa curioso é saber quando as outras editoras vão sentir o tranco, principalmente a Eaglemoss. Vez ou [utra vejo uns encalhes da Salvat em feiras de livros, só esperando os da Eaglemoss.

      Excluir
    3. E aí, L... blz?

      Parece q já andam aparecendo uns encalhes da Eaglemoss por aí... Tipo o Vol. 1 de "Terra de Ninguém" por 20 pila (e coisas do tipo). Dá uma olhada no site "HQ Barata" (tá nos LINKS parceiros aqui do blog)!

      Abs!

      Excluir
  11. E aí, Leo?

    E cai um gigante sem dúvida. Imagino que o Figa deva estar subindo pelas paredes de raiva. E também o Civita deve estar se remoendo no além, que por muitos anos o Pato Donald bancou várias publicações, inclusive a VEJA.

    Golpe forte no mercado mesmo. A Panini HOJE seria a única com cacife de botar esse material nas bancas, mas a Mythos tem os direitos da IDW que publica a Disney lá fora, então pode ser interessante.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. "quem pensaria em ter tudo isso completo"

    Eu!

    "e pra quê manter uma numeração iniciada em 1950"

    Diga isso a DC comics!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um número grande dá mais moral pra revista, significa que ela tá há muito tempo no mercado, a Marvel vive zerando as numerações, mas quando se aproximam de um número grande, voltam à numeração anterior. O que na minha opinião é uma cara-se-pau tremenda, além de ser covardia, se "resetaram" deveriam aguentar o tranco. Nesse caso, caso alguma editora assuma, acho que seria válido reiniciar a numeração

      Excluir
  13. Que notícia triste, mas sabemos que as coisas não iam bem na Abril há um bom tempo, embora os responsáveis pela editora procurassem manter a tudo custo as aparências. A Abril marcou a minha infância, pois foi a partir dos gibis da Disney que eu tomei gosto pela leitura. Lamentável. Resta saber como ficará a venda das últimas edições especiais em capa dura e quem vai assumir as publicações da Disney daqui pra frente.

    ResponderExcluir
  14. Fala, Leo.

    Estava fazendo a coleção Carl Barks e Don Rosa, e pegava encadernados capa dura avulsos (Pateta Repórter, Disney Cinema etc).

    Não curti essa ideia de colorização digital das obras do Barks (como dito pelo pessoal por aqui). Se for dessa forma não vou comprar (não comprei o Conan clássico da Mythos por esse motivo).

    Meu planejamento é aguardar para ver como as coisas vão ficar até o ano que vem e se ninguém lançar as coleções do Barks e do Rosa vou partir para a Fantagraphics mesmo.

    Hoje os gibis que estou mais gostando de ler são esses, principalmente os do Mestre dos Patos. Acho que a maturidade (fiz trinta) só faz a gente perceber o quanto essas obras estavam a cima do seu tempo e superam quase tudo que já foi produzido. Considero o Carl Barks um nível acima do Will Eisner e muito melhor que Alan Moore, Neil Gaiman e Frank Miller juntos (polêmica!!! Hehe) Por isso, não vou abrir mão de continuar lendo.

    Já vou começar ano que vem a comprar o Príncipe Valente (Pixel deixou a gente na mão).

    ResponderExcluir
  15. A Abril foi minha editora de infância, SAM, HTV, Batman, Heróis em acao etc, mas começou a marcar bobeira há tempos, todos já comentaram sobre o tamanho das revistas ser menor que o americano atrapalhando com isso até a utilização de caracteres nos quadrinhos, mas, insistiram no erro, leitores começaram a desisturvdecdar murobem pinta de data, largaram a editora, com isso ela perdeu a Marvel, depois a DC, não por esse motivo, mas, perdeu também turma da Mônica, e, seu último suspiro nos quadrinhos era exatamente Seu o primeiro HQs Disney, agora perde tambem... Que falta faz o Victor Civita nessa editora, ele nunca deixaria isso acontecer, ao menos os Disneys.

    ResponderExcluir
  16. Nao compro nada da disney, mas ate eu fiquei preocupado com o pessoal que tava começando a comprar essas coleções luxuosas recentemente..e agora vão ficar a ver navios. Que horror.
    Até torço pra que outra editora pegue e siga o lançamento nos mesmos formatos

    ResponderExcluir
  17. triste fim de uma era. Disney não é minha praia há muito tempo.
    lamento pelos fãs, que são muitos.
    Daqui a pouco a Abril vai falir. kkkkk

    abs!

    ResponderExcluir
  18. Talvez a Abril ja tenha perdido os direitos para outra editora que tenha oferecido algo mais para a Disney. ou talvez não! Logo saberemos!

    ResponderExcluir
  19. É, Leonardo, a ficha aqui está caindo. Por um lado, não teremos mais lombadas grotescas que não abriam o gibi, nem capas que enrugavam ou amassavam, nem a tão famosa troca de páginas na hora da impressão gráfica, fazendo com que vários exemplares ficassem com páginas invertidas ou embaralhadas.
    Por outro lado, perdemos o compromisso de uma editora muito conhecida, dona da maioria das revistas de forte influência e impacto na sociedade brasileira. Uma editora que, apesar dos erros gráficos na linha dos quadrinhos, mantinha a sua persistência fiel nas publicações Disney. Passamos por uma ditadura, pelas eleições diretas já, uma porrada de planos econômicos, crises e mais crises e a Abril mantinha sempre algum a coisa da Disney sendo produzida. Esse compromisso editora nenhuma terá.

    ResponderExcluir
  20. Bom dia Leo,fiquei chateado com essa notícia, mesmo não acompanhando nada dos quadrinhos Disney há anos. Será que foi decisão dos donos dos direitos autorais, ou a Abril está tendo problemas com dinheiro e teve que cortar custos? De qualquer jeito eu acho que, se outra editora assumir daqui em diante, eles poderiam seguir a numeração atual só porque na minha opinião é um marco histórico essas revistas terem saído no país por tanto tempo, e o número alto mostra isso. E diferente de Marvel ou DC, acho que ninguém se preocupação com continuidade quando pega uma edição solta da Disney, por isso números 1 não devem ter tanto impacto.
    Mas vamos ver o que vem a seguir, né? Quem sabe algo bom vem de tudo isso.

    ResponderExcluir
  21. Agora outra coisa completamente fora do assunto, lembra de que alguns dias atrás eu comentei sobre como achava que a Panini devia relançar praquelas cidades que perderam os volumes 2 das CHMs do Hulk e do Shang-Chi? Então, aconteceu que o volume 2 das CHMs chegou na minha cidade semana passada, mesmo que depois dos volumes 1 e 3! Foi um alívio, mas agora tava querendo te perguntar uma coisa, como essas CHMs estão saindo quase que semanalmente eu tô pensando em seriamente pegar um ou outro volume. Já tenho os volumes 1 e 2 do Hulk, e tava pensando em pular o 3 porque o 4 tem mais personagens que me interessam. Acha que o 3 vai fazer muita falta, visto que as CHMS estão em ordem cronologica agora?

    ResponderExcluir
  22. Convenhamos que se não fosse pela incerteza quanto ao futuro das coleções em capa dura em andamento, ninguém estaria se lamentando pelo fim da Abril.

    A despeito da longevidade das publicações Disney, Turma da Mônica, Marvel e DC são perdas muito mais significativas. E tiveram ganhos editoriais quando trocaram de casa.

    Mas nada me tira da cabeça que o que segurava a Abril era a distribuição monopolizada. O rompimento da Panini já era um prenúncio que lá vinha merda.

    ResponderExcluir
  23. Fim de uma era. Assim com a ebal, a abril começou a se afundar quando deixou os quadrinhos de lado. Perdeu o Maurício, a marvel e depois a DC ( por incompetência) e agora a Disney. Acredito que a Panini que irá assumir as publicações Disney no Brasil. Acho isso porque a disney, para não renovar um contrato de mais de 60 anos, teria que ter alguma contraproposta na manga. Também acredito que a Panini irá começar as novas revistas com a numeração zerada. Não faz sentido ela continuar com a numeração da abril. E ela já tem a politica de, de tempos em tempos, zerar a numeração das revista (vide TM). Pena que a Panini não ter a qualidade das publicações da abril. Mas é o que temos de melhor no momento. Alguns reclamam da abril por ter públicado edições em formatinho e pulado várias publicações. Estes não viveram na década de 80, quando crises anuais. Também não entende que, se a Panini hj pública com defasagem de um ano, agradeça a abril, que, de um jeito torto, colocou a cronologia praticamente em dia. Lembro que a defasagem era de 5 a cinco anos do que se era publicado o eua.

    ResponderExcluir
  24. Uma pena, infelizmente. Somando erros e acertos, é inegável que a Abril marcou época pra quem curte HQs, seja com a Disney, Marvel, DC.

    Eu fazia as e coleções principais do momento - Barks, Gottfredson e Rosa. Eram as 3 de capa dura a que me dedicava com gosto. De outras colecoes, venho pincelando algumas coosas aqui e ali, mas seguir mesmo, so essas 3. É ate triste de se pensar que havia um cuidado muito grande com a parte editorial dessas edições. Alguns reclamaram do papel, mas eu achei que o formato, papel, impressão e extras geravam um conjunto bem positivo. Claro, preço de capa é algo complicado, mas desde o início foi possível conseguir preços melhores online.

    Mencionando uma já antiga mancada fortíssima da Abril, que era a redução do texto nas edições antigas, fico pensando se (o provável mas incerto) lançamento de Espada Selvagem de Conan pela Salvat vai trazer um texto decente ou se vai reaproveitar traduções que saíram pela Abril décadas atrás com cortes gigantescos. Eu pra ser sincero, não acredito muito em adiamento dessa coleção. Creio que foi abandonada pela Salvat, mas quem sabe. Esse ponto do texto merece atenção.

    Vamos ver agora quem se arrisca a assumir a bucha de publicar Disney por aqui e colocar editoração e distribuição decentes por um preço razoável de mercado. Talvez só a Panini tenha porte pra uma operação grande assim. Mas talvez não haja interesse pelas mensais, apenas por encadernados e coleções, o que aliviaria a logística...

    ResponderExcluir
  25. Além do fim de uma era de quadrinhos da Disney, prevejo muitas comic shops fechando as portas devido ao efeito Amazon. Hoje em dia eles estão vendendo até as edições capa comum que eram vendidas em banca. A parceria das editoras e Amazon vai acabar de afundar as lojas pequenas, podem esperar. Quadrinhos agora só pelo correio.

    ResponderExcluir
  26. Realmente uma notícia muito triste apesar da grande maioria não acompanhar mais esses quadrinhos, todos nós começamos com eles, acredito eu.
    No meu caso eu ia começar a pegar as edições do Carl Barks e queria saber de alguém se a coleção foi completa com esses 10 volumes ou se seriam lançados mais? (eu entendo que as histórias são individuais) mas fica a dúvida com esses 10 a coleção foi completa?

    ResponderExcluir
  27. O que mais poderia fazer a Abril? Num país em crise, com dimensões continentais, como manter um mercado de quadrinhos que se sustente? (Por exemplo, minha cidade nem possui banca, mas nas redes levantam-se vozes quanto a setorização).
    Quadrinhos Disney? Ótimos roteiros, mas não voltados para um público infantil, estes que se deliciam com a leitura fácil da Mônica, que é uma coqueluche entre os educadores e livros didáticos.
    Tenho todas as edições dos patos desde 1981, mas nunca consegui fazer minhas filhas lerem estes gibis. Preferem Tex, Mangas.
    Quem conhece personagens não televisionados como Peninha e Urtigão? Mesmo sem ler quadrinhos todos conhecem o universo Marvel, ou seja aos quadrinhos Disney faltava o aporte de outra mídia.
    Agora os Leitores!
    Triste ver nas redes sociais o caminho que impuseram as editoras, comemorando edições de luxo em overdose, que não atingiriam nunca o perfil deste quadrinho, que é o descartável, aquele que lê, empresta ou joga fora, pois essa é a essência do gibi.
    Muitos de nós tiveram seus primeiros contatos através das trocas de revistas. Mas quem fará isso com edições caras, que servem apenas para enfeitar estantes.
    Mais preocupados em seguir numeração (como no Almanaque Disney) do que entender que para a criança isso é irrelevante.

    ResponderExcluir
  28. Está cheio de adivinhos aqui. Como sabem que o problema da Abril eram as vendas? Que a culpa foi dos encadernados? Se não estivesse vendendo ela não estaria lançando mais e mais. Acabou o prazo do contrato e a Panini, ou outra editora, foi lá e mostrou para Disney um projeto melhor, com mais potencial de lucro, é simples. Assim como a Abril fez com a Ebal em relação a linha DC nos anos 80.

    ResponderExcluir
  29. E aí Leo, beleza?
    Triste notícia... futuro incerto para os quadrinhos Disney no Brasil. Acho que teremos um hiato na publicação da linha Disney no Brasil, pois mesmo que a produção fique com alguma editora já estabelecida aqui, tem um tempo de negociação, celebração de contratos, traduções, etc. Chuto pelo menos um ano... Existe o problema da longevidade... será que a nova editora, se é que haverá, terá a mesma ligação afetiva com a Disney que a Abril tinha? Nos atuais tempos onde o retorno sobre o capital impera, talvez esta relação seja bastante conturbada e curta.
    Para ter uma idéia do impacto do acontecimento, a notícia saiu hoje no Il Sole 24 Ore, principal jornal de finanças da Italia:
    http://lucaboschi.nova100.ilsole24ore.com/2018/06/11/leditora-abril-dice-stop-ai-fumetti-disney-dopo-68-anni/
    Aparentemente, se a Salvat encarar o desafio de lançar aqui a Coleção Barks já seria alguma coisa para os nostálgicos como eu... pelos vídeos do youtube a coleção é melhor do que nada: https://www.youtube.com/watch?v=ggmwRcMGRQE
    Quanto à gloriosa e imensa produção nacional realizada pelos estúdios da Abril durante décadas, sinceramente, é difícil acreditar que alguma editora tenha interesse em adquirir os direitos, mas a esperança é a última que morre. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sinceramente, não faço questão dessa coleção pela Salvat. Primeiro torna a pessoa refém da compra quinzenal de cada volume. E pelo preço de capa! Segundo, foge do formato que vinha saindo pela Abril. Além de ser recolorida digitalmente. Uma editora que licenciasse a mesma série da Fantagraphics e publicasse no mesmo molda da Abril, dando continuidade à coleção, seria o ideal. Mas eu acho que isso é praticamente impossível de acontecer.

      Excluir
  30. ah outra coisa... cada volume da coleção da Salvat custa 12,99 euros... então, não minha opinião, pela cotação atual do euro (R$4,37) dá para notar que o preço da Abril não era o absurdo que tantos diziam... A cotação do dólar bastante pressionada atualmente também é um fator de preocupação, pois num momento de desvalorização do real fica ainda mais pesado para qualquer editora com receita em Reais assumir um contrato em moeda estrangeira. Portanto, minha preocupação é quanto tempo vai levar para que alguém assuma os quadrinhos Disney no Brasil.

    ResponderExcluir
  31. Boa noite, Leo.
    Faz tempo que não comento nada por aqui, mas acompanho o Submundo religiosamente, pois aqui é fonte inesgotável de informações sempre atualizadas e importantes. E você, o grande moderador incansável de todos os tempos.
    Quanto ao fim da era Disney da Abril, realmente é uma pena. Tive o início de minha alfabetização em revistas Disney da Abril que encontrava jogadas em qualquer canto, pois as pessoas não davam importância de colecionador no final dos anos 1970. Ainda tenho guardado o meu primeiro “gibi” Disney que comprei com a idade de 8 anos: Disney Especial “Os Policiais”, no mesmo ano de seu lançamento, 1978, se não me falha a memória. Ainda vejo que a minha pequena coleção de Disney Especial original permanece intacta, com uma boa encadernação e ainda com as páginas bem firmes. Revê-las é como voltar aos bons tempos de garoto. O que não acontecia com os quadrinhos dos últimos 5 ou 6 anos, com a encadernação “plec plec”, ou seja, uma encadernação porca e defeituosa, que se você abrir de uma vez, pode partir a revista ao meio. Essa falta de qualidade era (sim, acabou, pelo visto, com o encerramento da Disney pela Abril) uma constante em revistas como os almanaques, além dos especiais, Big, Jumbo e Mega (estes dois últimos cancelados), além do ressurgimento do Disney Especial com o mesmo tipo de encadernação feita com “cola de trigo” (no interior, era comum fazermos pipas ou papagaios com uma cola feita de trigo e água, pela falta de dinheiro para comprar uma Tenaz). Tenho várias caixas com esse material mais moderno e, confesso, é uma tristeza ver que os gibis estão totalmente duros, com a encadernação prestes a estourar se abrirmos a revista para ler as páginas por completo. Várias pessoas reclamavam disso e, pelo visto, nada foi solucionado. As últimas edições do Disney Especial começaram a vir, em São Paulo, plastificadas, para que não pudéssemos ver que a encadernação ainda continuava uma desgraça: “por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento”.
    Quem teve a chance de ver a publicação que a Panini faz da Disney ficou mais revoltado. Em algumas bancas de São Paulo, o “Disney Big” da Panini italiana realmente era de dar inveja: uma encadernação de mais de 500 páginas, com papel de alta gramatura, fazendo com que as cores fiquem mais vivas, além de uma encadernação que faz a revista parecer um “leque” corrediço, macio e suave, em que as páginas deslizam com uma soltura perturbadora: como eles conseguem isso? E por que a Abril não segue esse exemplo? Quem puder verificar essas edições Disney pela Panini italiana verá que minhas palavras ainda não descrevem a sensação de uma revista bem feita com personagens que amamos. Se for realmente a Panini que vier a assumir as edições Disney, com certeza, pelo modelo da Panini italiana, vamos ganhar muito em qualidade. Quem viver verá.
    É triste esse epitáfio da Abril. Comprei cada edição especial de luxo com seu preço cheio, para depois, ver em banca, edições de 69,90 serem vendidas a 24,90, ocasionando uma sensação igual àquela do Leôncio quando é enganado pelo Pica-Pau (um verdadeiro “sucker”).
    Aprendi a amar os quadrinhos via a Editora Abril. Depois da Disney, foi a Marvel, e depois a DC Comics. E o resto é história.
    Esse longo desabafo é um meio de esconder a infelicidade que paira no ar, um meio de esconder a tristeza de um fim de uma história compartilhada por mim, na qualidade de leitor, e pela Abril, a editora mais importante que surgiu no Brasil: realmente, a árvore que rendeu muitos dos mais belos frutos enquanto durou, infelizmente, foi podada.
    Um grande abraço,
    Odair.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Odair, não sei em que região você mora, mas aqui no Piauí não deram as caras essas edições de luxo por menos da metade do preço de capa. Quando vi a notícia se espalhando pela internet passei a acompanhar quase diariamente as bancas mas não apareceram aqui. Quem dera tivesse visto a Biblioteca Don Rosa com essa facilidade.

      E quanto à qualidade da publicação italiana... É bom lembrar: a Panini assumindo será gibi impresso nas gráficas nacionais, com o papel longe dessa gramatura boa ou coisa do tipo.

      Excluir
  32. A Abril deve ser uma das maores editoras da história dos quadrinhos. Não se chegou perto da EBAL. Ela sempre foi agressiva, mas os quadrinhos Disney nem nos Estados Unidos tem investimento. Triste fim de uma era.

    Comecei a ler quadrinhos com Almanaque Disney e Tio Patinhas, meu primeiro livro capa dura foi o Manual do Escoteiro Mirim, que felizmente consegui comprar uma reimpressão.

    Mas o mercado é assim logo de ajusta, acredito que ainda haja espaço para Disney e outros títulos . tomara que não seja a Panini, monopólios são perigosos e a italiana já mostrou que sabe manipular preços para cima.

    Que os funcionários encontrem novas casas ou novas funções no grupo Abril, isto sim é algo preocupante.

    ResponderExcluir
  33. Aprendi a ler com os quadrinhos Disney, nos anos 60. Aguardava com ansiedade a "Revista Mickey" e o "Almanaque Tio Patinhas". Na época, mesmo sem eu me dar conta, os dois ícones dos quadrinhos eram Paul Murry, nos desenhos do rato detetive e Carl Barks nos enredos e desenhos do Pato mais rico do mundo. Essas histórias são indissociáveis da minha existência. Como dizia o poeta: "...eu era feliz e não sabia".

    ResponderExcluir
  34. Um comentário que acabei não incluindo no meu post acima e que pra mim é algo essencial: Já fui assinante de revistas da Abril anos atrás e o que ficou de lição pra mim é que não se devia assinar nada deles porque o relacionamento com o consumidor era o pior de todos, ate pior do que a Eaglemoss ou Salvat. Simplesmente ridículo com cuidado zero com o assinante!

    ResponderExcluir
  35. Olá Leo!

    Cara, sinceramente não desconfiei de nada, até um amigo vir com esse papo, até que... BUUUMMMMMM! Isso sim foi uma senhora "bomba", já registrado nos cânones do mundo dos quadrinhos no Brasil.
    Eu não era um fanzaço, mas sempre comprava algo da Disney, até porque se refere ao primeiro gibi que ganhei do meu pai: Disney Especial 60 - Férias. Isto pra mim é inesquecível, uma das minhas melhores lembranças de infãncia. Tanho que registrei em uma hq, veja aqui: http://gibiarte.blogspot.com/2011/11/blog-post.html
    Bem, acredito eu que alguém vai tomar conta, e que dentro de um ano esses personagens voltem. Acho impossível ficarem ausentes totalmente. Minha aposta de publicação vai pra Panini. Vamos aguardar a continuação desta "crise final" da Abril.

    ResponderExcluir
  36. Oi Léo!


    Fiquei triste com a notícia oficial da "morte" dos quadrinhos Disney pela Abril. Foram quase 70 anos de atuação no mercado, encantando gerações e marcando a infância de leitores como eu. Ainda tenho a minha primeira edição do ZC que ganhei do meu pai e sempre mantive a coleção apesar dos problemas de distribuição que se arrastam por décadas.

    Nos últimos meses, vimos a escassez de vários títulos da linha nas bancas. E, talvez esse problema de distribuição contribuiu também para o declínio da editora...

    Fica sim um legado para aqueles que amam os quadrinhos Disney! Uma pena que pra cá não veio esses Anos de Ouro do Mickey e outros títulos por 1/3 do preço e não sei se ainda virá. Nem mesmo O Melhor da Disney chegou por aqui. Disney Big 51 vou ver se tenho a sorte de achar. Quero muito ler o Retorno do Mancha das trevas, afinal, é a última edição... E as mensais estou aproveitando pra pegar. Ficamos na incerteza se veremos HQs Disney novamente. Será que a Mithos vai assumir a linha? Ou será a Panini ou outra editora? Vamos torcer para que alguma empresa dê continuidade a essa produção com a devida competência. E vamos torcer para que a Salvat lance a Dinastia Pato aqui no Brasil. O que não pode acontecer é as HQs Disney serem esquecidas depois de tantos anos de sucesso!

    E realmente,Leo, faltou transparência por parte da Abril. Eu até torcia para que a empresa superasse essa fase ruim no mercado, mas infelizmente, o gigante caiu... E mesmo tendo falhas, o seu trabalho com a Disney já deixa saudades!!

    Parabéns pela emocionante matéria!

    Abs
    Leonardo Goulart

    ResponderExcluir
  37. "Apenas me preocupo com as 4.000 histórias brasileiras produzidas nos estúdios da Abril. A produção brasileira é o melhor da Disney e quero saber se essas histórias serão preservadas e republicadas na nova casa"


    Oi, Carlos... Tdo bem?

    Sim, concordo: A nossa produção nacional botava mta importada no chinelo mesmo: Tivemos uma farta produção de HQs brasileiras de altíssima qualidade (principalmente entre os anos 70 e 80)!

    Mas a boa notícia é q esse acervo pertence à DISNEY (e não à Abril)... E SIM, a nova editora q assumir a função poderá ter acesso à esse material (quem me confirmou isso foi um ex-colaborador da Abril q ajudava na restauração de histórias clássicas)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  38. eu lia mais gibis da Disney quando eu era pequeno mas foi algo que marcou bastante a minha infancia. Curiosamente voltei a comprar Patinhas 70 anos e O melhor da Disney. A editora já havia dado um baque nos leitores na época que parou de publicar Marvel e DC por aqui e agora repete um feito que atinge em cheio.

    Resta mesmo saber qual será a próxima editora. Quem sabe a própria Panini.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Marcelo... blz?

      Esse do "Tio Patinhas 70 Anos" eu pulei, mas nele tem uma história q é considerada uma das 5 melhores da Disney de todos os tempos: "As Cidades do Ouro" (de Carl Barks)... Por sinal, eu tenho essa HQ em formatinho (acho q saiu em "Disney BIG" nº 9)!

      Abs!

      Excluir
  39. "Apesar da qualidade do trabalho, a Abril sempre foi muito seca com relação ao contato com os clientes quando acontecem esse tipo de problemas"


    E aí, Giulianno... blz?

    Verdade, a Abril em geral sempre teve uma péssima relação com o leitor/consumidor... O q era regularmente constatado pelas respostas grosseiras de alguns de seus editores nas redes sociais (principalmente na pág da Abril no face) e - PRA NÃO DIZEREM Q ESTOU EXAGERANDO: Vimos o descaso da editora (como EMPRESA) se manter em SILÊNCIO diante das dúvidas sobre a situação recente...

    Porra, nem mesmo uma NOTA OFICIAL agradecendo o apoio obtido (até então) pelos leitores q vinham acompanhando e comprando as revistas, ou uma carta de despedida, sei lá: QQ COISA q demonstrasse um mínimo de respeito e consideração! NADA, apenas o silêncio e um e-mail mandado aos assinantes (q foi divulgado por terceiros nas redes)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  40. "eu só estava fazendo a coleção do don rosa e fiquei bastante chateado, imagina quem fazia várias coleções!"


    E aí, gustavo... blz?

    Foi uma pena mesmo, pois essas coleções estavam mto bonitas de se fazer... Essa do Don Rosa era a minha favorita pelo formato maior e por serem apenas 10 edições (parou bem na METADE), mas eu tava fazendo tbm a do BARKS e do MICKEY (Anos de Ouro)!

    E sei lá como uma editora do porte da Abril chegou nesse fundo do poço... Só imagino q tenha sido através de uma sucessão de cagadas ao longo dos anos, acentuada pela má-gestão administrativa e acúmulo de dívidas (isso vira uma bola de neve q se torna impagável com o tempo e leva ao fechamento/falência de diversos setores de uma empresa)! E qto maior a empresa: maior a queda!

    Abs!

    ResponderExcluir
  41. "a COLORIZAÇÃO desse material da SaLvat é todo DIGITAL, ao contrário do qual vinha sendo publicado pela Editora AbriL, a qual estava usando arquivos RESTAURADOS pela CONCEITUADA Editora Norte-Americana FANTAGRAPHICS"


    Oi, MARCIO... tdo bem?

    Valeu mesmo pelo aviso: Eu bem q imaginei q essa coleção da Salvat NÃO teria a EXCELENTE colorização da Fantagraphics... Sem falar q a Salvat é aquela coisa, né? Uma BOSTA de distribuição setorizada e erros de revisão constantes (além de venda virtual mais restrita ao site oficial da editora, q não é mto bom de descontos)!

    Eu prefiro esperar pra ver se alguma OUTRA editora entrará em campo pra publicar Disney... Mas eu NÃO apostaria na Panini (pq ela vai arrumar treta com o MSP se abraçar a Disney)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  42. "Essa história é triste porque pra muitos tem uma relação de gerações. Por exemplo, meu pai comprava Disney antes de eu nascer (69), álbuns, revistas e disquinhos."


    E aí, Wesley... blz?

    É triste mesmo, pq essa é a história de mtos leitores da nossa geração, inclusive EU: q me criei lendo Disney ANTES de ler Marvel, DC, etc... Minha mãe comprava gibis Disney pra mim qdo eu tinha 5 anos de idade e já começava a esboçar vontade de aprender a ler (embora nessa idade ela lesse as histórias pra mim e eu curtia os desenhos, rs)!

    Mas o tempo passou e a Abril foi se perdendo na jogada... 1º, ela demorou demais pra entrar no ramo dos encadernados de luxo (um ramo já dominado nas livrarias pela Panini com 10 ANOS de vantagem sobre a Abril) e qdo o fez, largou nas bancas normais um produto q teria melhores chances nas livrarias especializadas e ainda por cima CAGOU mais ainda ao não negociar com comic-shops (perdendo uma fatia segmentada do mercado)!

    Seja como for... Dificilmente seria a Panini a assumir a bronca da Disney (ela não vai querer arriscar perder o MSP no processo, já q ele deixou claro q sairia da Panini "SE" um dia ela pusesse a Disney sob o mesmo teto)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  43. "A última publicação da Abril que adquiri foi a promissora "O Melhor da Disney", que ironicamente trouxe a mesma capa do primeiro n° da revista do Pato Donald lançada por aquela editora."


    E aí, Antonio... blz?

    Pois é, ironicamente: A minha última postagem aqui no blog sobre a Disney (antes desta) foi justamente uma matéria especial q fiz pro "Melhor da Disney" (e escolhi essa CAPA icônica de propósito pra relacionar com aquela postagem do mês passado, rs)!

    Eu tava fazendo as 3 coleções principais de luxo: Barks, Rosa, e Gottfredson... E lamento mto ter ficado com as 3 incompletas. Espero sinceramente q um dia alguma outra editora retome essas coleções no mesmo formato em q vinham sendo publicadas e do ponto onde haviam parado (essas 3 não podem ficar no esquecimento, pois estavam sendo as melhores coleções Disney de todos os tempos)!

    No mais... Vc resumiu perfeitamente o FIM da Abril com essa bem-colocada comparação:

    "Um Titanic que afundava enquanto a orquestra continuava alegremente tocando."

    Perfeito... É isso aí q vimos até na negação da editora em assumir o FIM (mesmo após o "Planeta Gibi" ter acertado na notícia/obituário)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  44. "Curto muito Zé Carioca e Peninha. Estava no aguardo do volume 2 em capa dura do papagaio e na torcida por uma edição de luxo do Urtigão."


    E aí, Roberto... blz?

    Nem me fale, eu fiquei mto triste tbm com esse cancelamento... Pois a Abril vinha fazendo um bom trabalho com a Disney e tenho lá minhas dúvidas se outra editora teria essa mesma desenvoltura (inclusive pra retomar as coleções e séries inacabadas, q nem essa do "Zé Carioca" - q faltaria mais 1 Vol pra fechar a fase da parceria entre Canini/Saidenberg)!

    E por falar nisso... Fiquei sabendo q (pelo menos) os direitos sobre esses materiais produzidos no Brasil são de propriedade da DISNEY (a Abril produziu as histórias mas a DONA das licenças seria a Disney e esta poderia repassar pra outra editora se for o caso)! Isso é ótimo, hein?

    Abs!

    ResponderExcluir
  45. "Olha, acho que tem influência da Salvat, Panini e Eaglemoss aí. Pra mim a Abril ter embarcado nessa de lançar material de luxo quebrou ela, pois a galera já tava se esgoelando pra comprar encadernados dos supers."


    E aí, L... blz?

    Faz sentido a sua teoria sim... Afinal, todo mundo q eu conheço q compra Disney, TBM compra materiais diversos de Marvel/DC (entre outros gêneros de HQs):

    Digo, pelo menos os encadernados de luxo são consumidos basicamente pelo mesmo perfil de público colecionador: Tiozões saudosistas q leram Disney na infância e querem matar a saudade agora (é bem o meu caso, rs)!

    Já as revistas mensais de linha da Disney eu até acredito q possam ter o público mais jovem como alvo (afinal, são gibis baratinhos de 5 pila)... E o tal "Ducktales" parece ter vendido bem (por causa do desenho na TV), apesar de eu achar o traço horroroso e medonho (tanto no gibi qto na TV)!

    E sendo assim, de fato: com tantas coleções aturando o mercado... fica difícil "respirar" às vezes (eu adoro GIBIS, mas sou um dos caras q não consegue dar conta do recado diante de TANTAS opções q temos nas bancas e lojas)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  46. "obrigado pela lembrança do meu blog :) , mas acho que a situação é ainda mais dramática do que foi o fim dos heróis na era premium"


    Parabéns pela matéria, beagle...

    Achei mto legal mesmo recapitular o FIM da Marvel/DC na Abril e o início da Panini na jogada... Mas concordo com vc: Tbm acho o momento atual mais dramático (até pq, não temos ainda uma NOVA editora claramente interessada em retomar a Disney - diferente da Marvel/DC q já sabíamos q iriam passar pra Panini)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  47. "Golpe forte no mercado mesmo. A Panini HOJE seria a única com cacife de botar esse material nas bancas, mas a Mythos tem os direitos da IDW que publica a Disney lá fora, então pode ser interessante."


    E aí, Lierson... blz?

    Eu lembro ter lido há uns anos atrás uma declaração pública do MSP falando q se a Disney fosse pra Panini (boato q já rolava por aí) ele pularia fora e levaria toda a turma da Mônica junto, pois não iria querer concorrência direta sob o mesmo teto!

    Pior q isso faz sentido sim, e duvido mto q a Panini queira arriscar perder o MSP (q vende mto mais q a Disney)... Mas tbm tem a "arte da negociação" e no ramo dos negócios mtas vezes a gente tem de ser mais flexível às mudanças, rs!

    Abs!

    ResponderExcluir
  48. "Um número grande dá mais moral pra revista, significa que ela tá há muito tempo no mercado"


    E aí, Leandro... blz?

    Eu só me coloquei no lugar da NOVA editora q for assumir a Disney... E não vejo como algo interessante pra uma nova editora reassumir a numeração de sua antecessora. Seria mais lógico (pelo menos dentro do meu ponto de vista) uma NOVA editora recomeçar uma NOVA história pra cada revista q for recriada!

    Abs!

    ResponderExcluir
  49. "Que notícia triste, mas sabemos que as coisas não iam bem na Abril há um bom tempo, embora os responsáveis pela editora procurassem manter a tudo custo as aparências."


    E aí, rodrigo... blz?

    De uns tempos pra cá, a Abril já não tava mais conseguindo disfarçar essas aparências... Ela demitiu mtos funcionários numa tacada só (a ponto do fato virar manchete em sites de jornalismo e economia) e a imprensa revelou tbm q a Abril devia uma quantia astronômica e impagável em dívidas (algo na casa de centenas de milhões)!

    Ela já tinha perdido até a "Playboy"... Mas eu ainda achava q pelo menos a Disney seria a última a cair nesse tiroteio (me enganei feio, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antes dos ratos e dos patos, as aranhas já tinham caído fora. Quem diria.

      Excluir
  50. "Estava fazendo a coleção Carl Barks e Don Rosa, e pegava encadernados capa dura avulsos (Pateta Repórter, Disney Cinema etc)."


    E aí, Guilherme... blz?

    Desses encadernados esporádicos da Disney eu vinha pegando bem poucos... Tenho por exemplo: "Donald 80 Anos", "A Saga do Tio Patinhas", "Contos de Natal", "Zé Carioca" (Canini), "Escoteiros-Mirins", "Mickey" (Paul Murry), e "Tesouros Disney"!

    Mtos eu pulei pq não couberam no meu orçamento e outros pq eu já tinha em versões anteriores (tipo o "Pateta Faz História", q eu comprei na coleção anterior de 20 Vol)!

    Não acho q vc tenha exagerado, pois tbm considero o BARKS um dos maiores mestres de HQs de todos os tempos (no mesmo nível ou até superior à esses q vc citou mesmo, hehe)...

    No mais... Tbm vou esperar mais um pouco pra ver o q acontece no mercado nacional: Não tenho pressa em completar nenhuma coleção e serei paciente pra ver o futuro desenrolar da Disney no Brasil!

    Abs!

    ResponderExcluir
  51. "A Abril foi minha editora de infância, SAM, HTV, Batman, Heróis em acao etc, mas começou a marcar bobeira há tempos"


    E aí, Helder... blz?

    A Abril tbm fez parte da minha infância, e na época eu nem imaginava as ATROCIDADES q ela havia cometido com os gibis Marvel q eu tanto curtia: Histórias puladas, mutiladas, adulteradas, diálogos fajutos inventados pela própria editora pra "forçar" uma cronologia própria nas histórias, etc...

    Ou seja: A Abril ainda traz boas lembranças (memória afetiva) à mtos leitores... Mas é inegável q ela destroçou com a Marvel ao longo dos anos (até terminar daquele jeito deplorável com o péssimo mix das revistas premium)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  52. "Nao compro nada da disney, mas ate eu fiquei preocupado com o pessoal que tava começando a comprar essas coleções luxuosas recentemente.."


    E aí, Adriano... blz?

    Nem me fale, eu só não considero um prejuízo ter comprado 3 dessas coleções de luxo (Barks, Rosa, e Gottfredson) q agora ficarão inacabadas... Pq pelo menos as histórias são completas e auto-contidas (podem ser lidas e curtidas sem precisar ter TUDO)!

    Mas o investimento foi mto alto... 10 Vol. de Barks (60 cada) + 5 do Rosa (80 cada) + 14 do Mickey (60 cada) = R$ 1.840 (é grana pra caramba - considerando o preço de capa)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  53. "triste fim de uma era. Disney não é minha praia há muito tempo."


    E aí, Scant... blz?

    Pois é, tbm acho q a Abril tá com os dias contados no geral... Já tinha perdido a "Playboy", agora perde a Disney tbm (um de seus maiores alicerces). Ainda resta a revista "VEJA" (q já perdeu mta credibilidade ao longo dos anos e imagino q isso se reflita tbm em perda de público)!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Parece incrível, mas a VEJA é a 4ª maior publicação jornalística semanal em circulação do mundo. Fica atrás apenas da Time, Newsweek e US News.

      Excluir
    2. E ainda o Almanaque Abril, que parou de ser publicado em 2015 e era uma referência.

      Excluir
    3. Sério, doggma?

      Não sabia q a Veja tava com essa moral toda... Particularmente, sempre achei essa revista uma merda, rs (mas claro, é só a minha opinião: nunca parei pra pesquisar as vendagens e tal)!

      Em tempo, não leio revistas do tipo... No máximo assino um jornal impresso daqui: "Correio do Povo", q mesmo assim não é aquela coisa 100% confiável e imparcial q se espera de um veículo informativo!

      Abs!

      Excluir
    4. Então, LEO, a inclinação política é outro departamento. Pra ser justo, no "mundo livre" inteiro a grande mídia tem uma agenda própria, mesmo em democracias avançadas como Estados Unidos e Inglaterra.

      Nos comentários daqui e de outros meios percebo que o leitor médio de quadrinhos não tem muita noção do quadro geral. Talvez seja culpa da falta de transparência dessas grandes corporações ou simplesmente por falta de interesse em pesquisar. Por conta do fim desse contrato, vi demais termos como "fim da Abril", "falência", etc, mas a verdade é que a Editora Abril tem publicações bem maiores que seu braço de quadrinhos Disney.

      Já o Grupo Abril é um monstro que em 2016 teve um faturamento na casa do 1 bilhão de reais. E esses números eram quatro vezes maiores em 2012. Apenas fizeram o que toda organização desse porte faz pra estancar uma sangria: enxugaram de baixo pra cima. Gibis Disney, alguns funcionários e escritórios foram os primeiros da fila.

      Nos anos 80, quando os quadrinhos da Abril vendiam muito e tinham representatividade, a história seria outra, talvez.

      Excluir
    5. Verdade, doggma...

      Eu participo de um grupo grande da Disney no face (Disneyanos) e lá eu tbm percebo comentários ingênuos de leitores q comentam e tecem suas opiniões de forma emotiva por serem FÃS e apreciadores do universo Disney e falam como se os GIBIS fossem algo importante pra editora como EMPRESA. Não, infelizmente não é: GIBIS são apenas um mero negócio pra um grupo empresarial do porte da Abril e tenho certeza q a decisão de eliminar os gibis nem sequer causou remorso ou culpa no executivo q tomou essa decisão!

      Eu sou empresário tbm (guardadas as devidas proporções, é claro)... e de repente tbm me deparo com decisões q preciso tomar em nome da EMPRESA e visando o LUCRO em 1º lugar (afinal, não trabalho em nenhuma ONG e preciso pagar CONTAS altíssimas da empresa e o salário dos funcionários em dia). Falo isso, pq entendo q esse tipo de decisão q a Abril tomou é preciso ser tomada sem dó nem piedade "SE" o negócio não tiver mais como se sustentar sem dar prejuízo à empresa. Tbm entendo o amor afetivo dos FÃS (afinal, tbm sou leitor e colecionador da Disney), mas a VIDA REAL é cruel e mtas vezes sacrifícios precisam ser feitos!

      "Talvez" (quem sabe) a redação Disney da Abril tivesse algum carinho pelos gibis Disney... mas eles são (ou "eram") funcionários pagos pra fazerem aquilo q gostavam: Não tiveram voz ativa nenhuma qdo os gibis Disney acabaram e sequer se prestaram a deixar uma msg de despedida pros leitores (não vi nenhum pronunciamento do Figa ou do Maffia e nem mesmo um agradecimento pela dedicação dos leitores)!

      Abs!

      Excluir
    6. "entendo q esse tipo de decisão q a Abril tomou é preciso ser tomada sem dó nem piedade "SE" o negócio não tiver mais como se sustentar sem dar prejuízo à empresa

      É por aí mesmo, LEO. Não é "nada pessoal" como muitos leitores parecem achar que é. E a questão acaba ficando naquele clássico embate da Razão X Emoção.

      Sobre a msg de despedida que nunca veio, há que se considerar também a política interna de lá. Provavelmente são proibidos de fazer qualquer comentário. Isso é bem comum nos meios corporativos. Talvez daqui a um tempo, alguém comente algo escondido em algum podcast obscuro.

      Seja como for, é claro que os leitores mereciam. E muito. Para a linha de gibis da Editora Abril isso foi o último prego na tampa do caixão em termos de credibilidade. Final melancólico até dizer chega.

      Excluir
    7. Pois é, doggma... Tbm não vejo a questão como algo pessoal, MAS ainda acho q a Abril (como EMPRESA) deveria ter publicado uma nota oficial de despedida e agradecendo ao leitor por tudo!

      Algo simples, mas q teria amenizado esse sentimento de descaso e frieza por parte da Abril... pois agora ela ganhou a ANTIPATIA de mtos leitores (o q poderia ter sido evitado se a empresa tivesse uma postura mais digna e decente)!

      No mais, tem leitores (vejo mto isso num grupo do face dedicado à Disney q frequento) q pensam apenas com mas próprias emoções... são ingênuos demais pra se colocarem no lugar das empresas e acham q elas devem ser ONGs fazendo caridade e publicando gibis SEM obterem o lucro almejado. Esse tipo de leitor tbm é um hipócrita, pois "SE" estivesse do outro lado (se fosse DONO de uma empresa) pensaria e agiria de outra forma. É q nem aqueles caras q vivem criticando os políticos corruptos, mas "SE" estivessem lá fariam a mesma coisa: Só reclamam mesmo pq a "mamata" não tá sendo revertida pra eles, hehe!

      Abs!

      Excluir
  54. "Por outro lado, perdemos o compromisso de uma editora muito conhecida, dona da maioria das revistas de forte influência e impacto na sociedade brasileira. Uma editora que, apesar dos erros gráficos na linha dos quadrinhos, mantinha a sua persistência fiel nas publicações Disney."


    E aí, Fabiano... blz?

    Isso q vc falou é verdade: Bem ou mal, a Abril atravessou a própria História do Brasil ao longo dessas quase 7 décadas... Mantendo os gibis Disney nas bancas sob quaisquer circunstâncias e mudanças na sociedade e na economia do país. Esse é um compromisso q não sabemos se a próxima editora terá com a linha Disney!

    Tbm não sabemos se fariam um trabalho melhor q a Abril... Pois verdade seja dita: NENHUMA editora atual do mercado é perfeita e em mtas delas nos deparamos com problemas do tipo: Erros de revisão e defeitos gráficos (Salvat, Eaglemoss), preços reajustados de forma abusiva (Panini e Mythos), coleções descontinuadas e abandonadas (Pixel e Panini), péssima distribuição nas bancas (Panini, Salvat), e por aí vai!

    E nem citei as editoras menores, pq pra abraçar a Disney eu apostaria em alguma de maior cacife mesmo... Mas é fato q com TODAS poderíamos ter problemas de algum tipo. Mto embora eu seja o 1º a admitir q pelo menos pras linhas Marvel e DC: a Panini fez um trabalho mto superior ao q vinha sendo feito pela Abril com os super-heróis e hj em dia quase ninguém sente mais saudades da Abril nessa área!

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "E nem citei as editoras menores, pq pra abraçar a Disney eu apostaria em alguma de maior cacife mesmo..."

      Uma dramática virada de eventos seria se a Disney voltasse pelas mãos da Lorentz. :o)

      Excluir
    2. Hahaha... Aí no mês seguinte a Mythos tirava a Disney dela TBM, kkk!

      Abs!

      Excluir
  55. "Será que foi decisão dos donos dos direitos autorais, ou a Abril está tendo problemas com dinheiro e teve que cortar custos?"


    E aí, Gerson... blz?

    Acredito (particularmente falando) q tenha sido um problema agravado pela crise na própria Editora Abril mesmo... Afinal, já era sabido há algum tempo q a editora tava mal das pernas: com dívidas astronômicas (em centenas de milhões de reais), demitindo funcionários à rodo, cancelando ou perdendo revistas de outras linhas (Playboy), e mudando de sede pra um local menor: Ou seja, a Abril já vinha passando por mudanças q levavam a crer q estava em franca derrocada!

    Diante de uma situação assim, o corte de custos se faz necessário numa empresa em crise... E não critico a Abril qto à isso, pq tbm passei (e estou passando) por situação parecida no meu ramo de trabalho (guardadas as devidas proporções é claro, rs) e esse processo (corte de gastos e readaptação ao mercado) faz parte das decisões q uma gestão empresarial precisa adotar conforme as dificuldades q estiver passando!

    Sobre seguir a numeração das revistas... Eu só acho q uma NOVA editora vai querer construir a sua própria História a partir de agora. Fico pensando o q EU faria (me colocando no lugar de quem tiver de tomar essa decisão um dia): E acho q eu iria ZERAR todos os títulos mesmo, até pra apagar qq relação e vínculo com a editora antecessora. Mas claro, isso é apenas um PALPITE meu e o q eu faria "SE" estivesse diante dessa situação de ser um editor e ter q escolher entre manter ou recomeçar a numeração das revistas!

    De qq forma, não seria algo estranho no mercado uma NOVA editora continuar a numeração de sua antecessora... Lembrando q com o "TEX" (mensal) foi assim: A Vecchi saiu e a RGE e Mythos (q vieram depois) mantiveram a numeração vigente!

    Abs!

    ResponderExcluir
  56. "Já tenho os volumes 1 e 2 do Hulk, e tava pensando em pular o 3 porque o 4 tem mais personagens que me interessam. Acha que o 3 vai fazer muita falta, visto que as CHMS estão em ordem cronologica agora?"


    Qto à essa sua outra dúvida, Gerson...

    Eu não recomendaria pular esse Vol. 3 do "HULK"... Pois das 4 edições, acabei achando uma das melhores. Ela traz um arco fechado (em 5 partes) no El Dorado com o vilão Tyrannus (q é mto bom). Mas em matéria de "entendimento" das histórias, sim: Vc poderia pular essa sem mtas amarras caso decida partir direto pro Vol. 4 (embora eu ainda recomenda um esforço pra ter o Vol. 3 tbm)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  57. Havia pensado na mesma coisa. A MSP certamente não aceita concorrência sob o mesmo teto, o que tornará difícil a Panini publicá-las aqui. E eles vendem pelo menos cinco vezes mais (200000 vs 40000 pelo que lembro).

    Aliás, a vendagem não caiu nada desde a os anos 70, enquanto a da Disney caiu cerca de 10x (assim como parece ser o caso dos super-heróis). A última vez que fui em um sebo tinha pilhas de mais de 10 exemplares de um mesmo número da revista do cascão. Já a quantidade de Disney era bem menor, talvez 10x menor, e muita coisa anterior a 2000, enquanto Mônica a grande maioria era após 2000.

    Encadernados de Barks e Rosa continuarão a existir, a questão é se continuarão a sequência atual (acho que não).

    Também acho que o correto sobre é mesmo zerar a numeração. Mas isso é uma pequena tragédia nesse caso. pois Donald, Mickey, Zé Carioca e Tio Patinhas são alguns dos quadrinhos con numeração mais alta do mundo! Até Action Comics e Detective Comics já fizeram besteira com a numeração deles!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Kromak... blz?

      Pois é, raciocinando como EMPRESA: A Panini teria q ser mto burra pra pegar a Disney "SE" isso puser em risco a linha MSP (q vende mto mais)!

      Imagino tbm q as graphic novels do MSP tenham uma aceitação acima da média geral... E ainda tem um FILME com a Mônica q tá em cartaz aí com atores reais. Enfim, acho q nesse caso a Panini teria q abrir as pernas pro Maurício mesmo, rs!

      Abs!

      Excluir
  58. "Convenhamos que se não fosse pela incerteza quanto ao futuro das coleções em capa dura em andamento, ninguém estaria se lamentando pelo fim da Abril."


    E aí, SEMI... blz?

    Essa é a mais pura verdade, hehe... Afinal, convenhamos: A linha mensal q a Abril vinha publicando, QQ editora poderá fazer melhor e retomar tudo sem o menor prejuízo pro leitor (a não ser qto à polêmica de se manter ou não a numeração vigente)!

    Já as 3 principais coleções de capa-dura (Barks, Rosa, e Gottfredson) saíram um investimento mto alto pro leitor q fez todas até aqui... e se uma nova editora resolver retomar isso mudando formato e desconfigurando a coleção, vai ser uma bagunça (igual ao q a Panini costuma fazer qdo continua séries de outras editoras: muda tudo sem dó, cagando completamente pra opinião dos leitores q vinham colecionando, rs)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  59. "Acredito que a Panini que irá assumir as publicações Disney no Brasil. Acho isso porque a disney, para não renovar um contrato de mais de 60 anos, teria que ter alguma contraproposta na manga."


    E aí, Andre... blz?

    Eu ainda não arrisco nenhum palpite sobre a próxima editora q assumir a Disney no Brasil... Mas já posso adiantar q a Panini seria mais difícil por causa do MSP (Maurício):

    Ele declarou publicamente há um tempo atrás q não ficaria na Panini "SE" algum dia ela pegasse a Disney... Pois seria concorrência direta (pro mesmo público-alvo) debaixo do mesmo teto (faz sentido). E sendo assim, se tivesse q escolher entre um e outro, acredito q a Panini não iria querer trocar o MSP (q vende mto mais) pela Disney!

    Mas tbm existe a "arte da negociação", né? E entre empresários, o q importa é o bom andamento dos negócios (de repente, o MSP pode mudar de ideia: quem sabe)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  60. "fico pensando se (o provável mas incerto) lançamento de Espada Selvagem de Conan pela Salvat vai trazer um texto decente ou se vai reaproveitar traduções que saíram pela Abril décadas atrás com cortes gigantescos."


    E aí, Leo... blz?

    Bem, a informação q eu tenho no momento (e isso é coisa recente de 2 semanas atrás) é a de q a Salvat CONFIRMA sim a coleção da "Espada Selvagem" pra outubro deste ano... E q o motivo do adiamento teria sido pra não bater tão de frente e ofuscar o lançamento de "TEX GOLD" (a Salvat teria achado mais prudente deixar o "Tex" avançar mais um pouco antes de lançar o "Conan" nas bancas)!

    Seja como for, ainda não sei nada a respeito da tradução da "ESC"... Mas "SE" for reaproveitada de algum lugar, acho mais provável q seja da Mythos e não da Abril (até pq, imagino q a exemplo de outras coleções da Salvat, a parte editorial seja justamente da Panini/Mythos - não sei, eu teria q ver no editorial da "ESC" pra ter certeza)!

    Qto à editoras de grande porte q possam abraçar a Disney... Além da Panini (q eu acho q não iria pegar a Disney pra não perder o MSP), temos tbm a Globo (q pode querer voltar ao ramo) e a Ediouro (q tem mta bala na agulha - graças ao monopólio das palvras-cruzadas - e embora tenha largado os clássicos de HQs, poderia repensar os gibis em se tratando da Disney)!

    Bem, pelo menos essas eu acho q seriam as editoras de maior potencial e aporte financeiro pra tarefa...

    Abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem a Mythos Léo, ela é em grande parte o mesmo cerne da panini Brasil mas são editoras distintas em lançamentos, estratégias e negociação de material.
      Cesar Leal

      Excluir
    2. Tem razão, Cesar...

      A Mythos até q poderia ser uma alternativa tbm... Embora a Disney fuja bastante da linha editorial do resto das publicações. Se bem q a Mythos já se aventurou com o "Recruta Zero" e "Hagar" no passado, rs!

      Abs!

      Excluir
    3. A coleção do Rosa pela mythos custaria 140 por edição kkkkk, espero que nunca caia na mão dela!!

      Excluir
    4. Pior, hehe...

      Se em formatos menores e com menos pág a Mythos já bate na faixa dos 80 reais: Imagina no formatão e acabamento das ed. do Don Rosa?

      Abs!

      Excluir
  61. "Além do fim de uma era de quadrinhos da Disney, prevejo muitas comic shops fechando as portas devido ao efeito Amazon."


    Pior, né?

    Isso já está acontecendo... e recentemente mtas lojas (físicas e virtuais) estão fechando: Aqui no sul, por exemplo, acabamos de perder a FNAC (q fechou suas portas - sendo uma grande livraria a menos em Porto Alegre)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  62. "No meu caso eu ia começar a pegar as edições do Carl Barks e queria saber de alguém se a coleção foi completa com esses 10 volumes ou se seriam lançados mais?"


    E aí, Ronye... blz?

    Esses 10 Vol. do Barks publicados pela Abril equivalem à 1/3 da coleção no total... Prevista pra cerca de 30 Vol. ao todo! Nos EUA, a coleção ainda não foi concluída e a Abril estava perto de buscar a numeração gringa da Fantagraphics!

    Abs!

    ResponderExcluir
  63. "Triste ver nas redes sociais o caminho que impuseram as editoras, comemorando edições de luxo em overdose, que não atingiriam nunca o perfil deste quadrinho, que é o descartável, aquele que lê, empresta ou joga fora, pois essa é a essência do gibi."


    E aí, Gustavo... blz?

    É curioso isso mesmo, mas o público q coleciona Disney hj em dia parece mesmo ser o público mais velho e de maior poder aquisitivo pra pagar 60 reais num encadernado de luxo... Essas coleções mais caras são destinadas à esse perfil de leitor (entre os quais eu me incluo)!

    Pra criança, o leitor mais novo... Restam os gibis mensais de banca (na faixa de 5 pila), mas não sei até ponto um gibi é atrativo pra uma criança hj em dia: A competição com os vídeo-games (PS4), TV por assinatura (e Netflix), celulares/smarts e redes sociais, são infinitas vezes mais atrativas pra uma criança do q um gibi (creio eu)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  64. "Está cheio de adivinhos aqui. Como sabem que o problema da Abril eram as vendas? Que a culpa foi dos encadernados? Se não estivesse vendendo ela não estaria lançando mais e mais."


    E aí, Carlos... blz?

    Eu (particularmente) acredito q algumas coleções de capa-dura vendiam mto bem... enquanto outras vendiam mto mal. E isso fica meio visível nos ENCALHES q surgiram nas bancas, onde se viam poucas ed. do Barks (e nenhuma do Rosa) e VÁRIAS do "Mickey" (Anos de Ouro) e "Pateta Faz História" por 20 e poucos reais!

    Tbm já conversei com um editor da Abril (q é meu amigo no face) e ele me confessou q o "Mickey" vendia mto mal e q já não se tinha mais certeza se a coleção iria até o fim (em seus 37 Vol): Já se cogitava até a ideia de ir até certo ponto pelo menos pra fechar a fase de histórias mais longas do Gottfredson. PORÉM, o Barks e Rosa iam bem: E pareciam ser as coleções de luxo preferidas do público!

    Abs!

    ResponderExcluir
  65. "Acho que teremos um hiato na publicação da linha Disney no Brasil, pois mesmo que a produção fique com alguma editora já estabelecida aqui, tem um tempo de negociação, celebração de contratos, traduções, etc. Chuto pelo menos um ano..."


    E aí, João... blz?

    Concordo com vc qto à esse tempo/hiato q ficaremos (ou poderemos ficar) SEM gibis Disney nas bancas... Afinal, diferentemente do caso da Marvel qdo saiu da Abril e foi pra Panini, já sabíamos de antemão q a Abril estava pra perder os direitos pq a própria Panini (licenciadora da Marvel) queria se estabelecer por aqui e assumir ela mesma as publicações. Tbm já se esperava q fizesse o mesmo com a DC e o processo foi mto rápido pra Panini pegar e recomeçar tudo da Marvel (e pouco depois a DC)!

    Mas com a Disney é um pouco diferente... Pois ainda não se tem nada (até onde se saiba) de certo ou concreto pro futuro. QQ coisa pode acontecer com a Disney no Brasil e sabe-se lá qto tempo isso poderá demorar a acontecer!

    Eu não duvido q a Salvat venha a lançar a Coleção do Barks uma hora dessas... MAS tbm acho q seria apenas isso e não influenciaria em nada a retomada da Disney por outra editora (q possa até mesmo continuar o Barks da Fantagraphics, já q existe uma diferença gritante na colorização de uma coleção pra outra)!

    A ligação afetiva acho q iria se perder tbm... Pois com a Abril era algo q remetia à própria origem e História da editora (q começou com o "Pato Donald" nº 1). Hj em dia, qq editora q assumisse o posto teria uma visão mais "empresarial" da coisa toda (uma visão mais "fria" e voltada mais pros negócios mesmo - sem mto apego afetivo pelo produto). É como eu vejo o cenário, até pq estamos em tempos de crise econômica e vão sobreviver no ramo as empresas q forem mais "realistas" com a situação mercadológica!

    Abs!

    ResponderExcluir
  66. O declínio da Abril já era esperado. Quando a Panini assumiu as edições Marvel e DC, todos sabiam que eles já não tinham mais ideias pras revistas de linha. Nem especiais estavam lançando mais. Não sabemos o que será das milhares de coleções em capa dura saindo atualmente.

    ResponderExcluir
  67. "Uma editora que licenciasse a mesma série da Fantagraphics e publicasse no mesmo molda da Abril, dando continuidade à coleção, seria o ideal. Mas eu acho que isso é praticamente impossível de acontecer."


    E aí, Rafael... blz?

    Isso é o q eu acharia ideal tbm e esperaria q acontecesse... Afinal, hj já sabemos q o trabalho da Fantagraphics é disparado o MELHOR no mundo em termos de qualidade gráfica e colorização (é imbatível o tratamento da Fanta em suas publicações)!

    Só restaria saber se uma NOVA editora não iria querer alterar formato e tal... Vale lembrar q a Panini (por exemplo) mudou o formato de TODA a linha Vertigo qdo esta saiu da Pixel e foi pra Panini!

    Abs!

    ResponderExcluir
  68. "O que não acontecia com os quadrinhos dos últimos 5 ou 6 anos, com a encadernação “plec plec”, ou seja, uma encadernação porca e defeituosa, que se você abrir de uma vez, pode partir a revista ao meio."


    Oi, Odair... Tdo bem?

    Brigadão mesmo por estar acompanhando e curtindo o trabalho feito aqui no blog (q eu faço com o máximo de dedicação possível diante do pouco tempo livre q me resta ao final de um longo dia de trampo incessante, rs): Espero q vc curta tbm outras postagens q estou elaborando pra botar ao ar em breve!

    Esse "Disney Especial - Os Policiais" eu tbm já tive na infância... e recentemente saiu a NOVA versão (com a mesma capa mas conteúdo interno diferente):

    https://inducks.org/hr.php?image=https://outducks.org/webusers/webusers/2008/01/br_de_0034a_001.jpg

    http://hqmaniacs.com/img/revista/disneyespecial_ospoliciais_28032018.jpg

    E vc está certo com relação à péssima colagem de almanaques em formatinho da Abril... Eu até já havia comentado aqui no blog há um tempo atrás, q a Abril sempre se orgulhava tanto de estar há mais de 60 ANOS no mercado, só q deixava de considerar q nesse meio-tempo parece ter esquecido de como COLAR um simples gibi:

    Esse problema do "pléc-pléc"... acontece comigo tbm com a minha coleção de "Disney BIG" (e olha q os meus eu ainda guardo enfileirados em pé (sendo q não tem nem a desculpa de estarem empilhados um em cima do outro): Enquanto os almanaques de 84 pág q saíam até o ano passado pela Abril apresentavam o tal de "enrugamento" das pág internas!

    Ou seja: Um serviço gráfico bem PORCO mesmo pros almanaques em formatinho... O q (bem observado mesmo) já NÃO acontece com o "BIG" Italiano (q tem 500 pág e pode ser folheado tranquilamente de forma PERFEITA): Sim, já vi exemplares ao vivo na Livraria Cultura daqui e posso confirmar q é bem como vc falou mesmo!

    Abs!

    ResponderExcluir
  69. "Mas o mercado é assim logo de ajusta, acredito que ainda haja espaço para Disney e outros títulos . tomara que não seja a Panini, monopólios são perigosos e a italiana já mostrou que sabe manipular preços para cima."


    Oi, Alexandre... Tdo bem?

    Sim, eu tbm acho perigoso a Panini pegar a Disney e com isso estabelecer um monopólio ainda maior do q já possui pra mtas séries no mercado nacional... Já basta o q estamos vendo acontecer com o "Efeito Amazon" (a BOLHA de reajustes de preços q estourou no esquema q envolve a Panini - q jogou seus preços lá em cima pra compensar os descontos da Amazon: Somente as 2 empresas ganham nesse esquema e o leitor fica com gibis superfaturados no mercado)!

    No mais... Tbm consegui matar a saudade do "Manual do Escoteiro" (q era uma das minhas ed. favoritas na infância - li e reli incontáveis vezes, rs). A se lamentar tbm a falta de apenas 1 único Vol. pra completar a coleção dos "Manuais" Disney: Faltou a ed. das "Olimpíadas" pra fechar os 14 do total de manuais!

    Abs!

    ResponderExcluir
  70. "Na época, mesmo sem eu me dar conta, os dois ícones dos quadrinhos eram Paul Murry, nos desenhos do rato detetive e Carl Barks nos enredos e desenhos do Pato mais rico do mundo."


    E aí, Tadeu... blz?

    Foi a mesma coisa comigo, hehe... Aprendi a ler com os gibis Disney na década de 70, e na época o "Mickey" q eu conhecia era o Paul Murry (embora eu não soubesse o nome do artista na época, rs). Da mesma forma, os PATOS do Barks eram a principal referência em Patópolis!

    É uma pena, mas a Abril chegou a declarar q tinha planos pra uma mega-coleção do Murry tbm... E q eu faria com certeza tbm (embora hj eu tenha redescoberto o "Mickey" do Gottfredson)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  71. "registrei em uma hq, veja aqui: http://gibiarte.blogspot.com/2011/11/blog-post.html"


    E aí, Val... blz?

    Parabéns pela HQ, ficou mto legal mesmo... e quisera eu saber desenhar pra registrar momentos assim do meu início de colecionador (relembrar e transformar em arte trechos da nossa vida é um talento pra poucos: Show de bola)!

    Abs!

    ResponderExcluir
  72. "Fiquei triste com a notícia oficial da "morte" dos quadrinhos Disney pela Abril. Foram quase 70 anos de atuação no mercado, encantando gerações e marcando a infância de leitores como eu."


    E aí, Leonardo... blz?

    Sem dúvida q em quase 70 ANOS de atuação no mercado, a Disney pela Abril pegou pelo menos 3 gerações de leitores... A minha mãe tinha apenas 2 aninhos de idade qdo estreou o "Pato Donald" nº 1 da Abril (1950) e tempos depois qdo eu nasci (em 72) ela me comprava gibis Disney q foram meu 1º contato com HQs!

    Hj, passadas mais algumas décadas (estou com 46 anos)... É meu FILHO quem irá herdar minha coleção e vou começar com a linha Disney pra ele tbm (no caso, as edições q já tenho da Abril)! Ou seja, a Disney vai passando de geração pra geração e fez parte da infância de mta gente ao longo de todo esse tempo!

    Vamos ver quem irá assumir o legado da Abril agora... Eu colocaria no páreo tbm outras 2 editoras de maior porte e bala na agulha: Globo e Ediouro (apesar desta última ter abandonado o "Príncipe Valente" e os clássicos de banca: "Popeye", "Recruta Zero", "Fantasma" - Acho q com a linha Disney seria outra história por ter mais apelo comercial). Vamos ver o q o futuro nos reserva, rs! Ah, e obrigado por ter curtido esta postagem!

    Abs!

    ResponderExcluir
  73. Realmente triste ver uma gigante dos quadrinhos cair, e como muitos disseram aqui, eu também cresci lendo quadrinhos Disney e posteriormente Marvel e DC. A Ebal e a Vecchi foram antes e eu sempre achei que a Abril jamais quebraria, pois dominou as bancas por décadas, com muito quadrinho e publicações de um modo geral de muita qualidade. Lamentável para todos nós amantes da nona arte. Não comprava mais as mensais a muito tempo, mas estava fazendo as três coleções de luxo da Disney e espero que alguma editora dê continuidade a essas coleções fabulosas. Abraço meu amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Marcilio... blz?

      Depois de tanto tempo, fica difícil mesmo imaginar a Disney FORA da Editora Abril... Parecia uma daquelas coisas enraizadas uma na outra (e q estariam interligadas pra sempre)!

      Te confesso q apesar de saber há algum tempo q a Abril tava mal das pernas em outros setores e devendo milhões (demitindo funcionários, cancelando e perdendo revistas tipo a "Playboy", etc)... Ainda assim eu achava q mesmo com a casa caindo à sua volta, a Abril iria se agarrar à Disney até o fim e continuaria publicando a linha mesmo q se tornasse uma editorazinha operando num fundo de quintal!

      Ledo engano... O fim chegou mais rápido, seco, e frio do q imaginávamos!

      Abs!

      Excluir
  74. Léo, obrigado pelas suas respostas e comentários sempre inclusivos e pacientes.

    Se não for a Panini, não vejo como a Disney continuar saindo em bancas. A Abril ainda tinha a distribuição própria, o que dava uma vantagem competitiva enorme. Mythos não tem a menor condição e se não aparecer algum outro grupo grande querendo investir, algo difícil nesse momento, só vamos ter no máximo tentativas infrutíferas de curta duração. Pode ser que alguém tente uma nova estratégia, desistindo das bancas e só lançando especiais com venda pelas livrarias, especialmente as digitais.

    Quando ao produção nacional, sei que os direitos são da Disney, mas me preocupo muito com a preservação física e digitalização desse material. A própria Abril, nas mensais, só fazia trabalho porco, publicando digitalizações grosseiras do material original. Espero que a Disney tenha cópia dos originais, em preto e branco, para que a partir deles alguém possa fazer uma digitalização decente e depois colorir seguindo os originais. Quero ver especiais do Saidenberg e outros artistas e autores, como também coletâneas do peninha kid, pena das selvas, Morcego Verde, biquinho, urtigão nacional, família metralha através da histórias, morcego vermelho, zé carioca, e por aí vai.

    Lembrando que a produção do Recruta Zero nacional era sensacional e depois que saiu da Globo nunca mais uma história dessas foi republicada e isso tem décadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Carlos... blz?

      Olha, eu tava conversando com um amigo meu hj à tarde (um colecionador bem mais experiente q eu)... E ele me lembrou q entre os grupos editoriais de grande porte q "teriam potencial" pra assumir a Disney, tem a RECORD: Sim, é um grupo de grande aporte financeiro e q já publica o "Asterix" no Brasil. Ou seja, quadrinhos não seriam algo "estranho" pra Record!

      Esse é apenas 1 exemplo de editora q às vezes nem é citada nas especulações, mas q de repente pode surpreender assumindo à frente das negociações (quem sabe)?

      Qto à recuperação digital de HQs clássicas... de uns tempos pra cá a Abril despencou de qualidade de forma assustadora (haja visto o baixo padrão gráfico das histórias no mix do "Zé Carioca", por exemplo). Mas o motivo disso era corte de verba (antes quem fazia isso era o Estúdio Lua Azul - pelo q eu me lembre - e a qualidade era mto boa)! Isso pode ser bem recuperado se houver um mínimo de investimento na restauração digital e de colorização!

      Abs!

      Excluir
  75. É um momento bem triste nas Histórias em Quadrinhos aqui no Brasil, com essa notícia. Foi uma HQ do Pato Donald, que me fez entrar nesse mundo e desde de então sou fã do personagem e aprendi a gostar de todos os outros num geral e de quadrinhos também. Espero que a próxima editora a tomar posse dos títulos, que possa fazer o excelente trabalho que a Abril fazia por aqui. Mais um ciclo se fecha e infelizmente quem acaba perdendo por hora, somos nos. Como sempre parabéns pelo post Leo, você arrasa meu velho. Um forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Eduardo... blz?

      Brigadão mesmo por ter curtido a postagem... Te confesso q esse tipo de matéria (q mais parece um epitáfio, hehe) eu escrevo com certa tristeza: Não apenas por ter ficado com 3 belas coleções incompletas (Barks, Rosa, e Gottfredson) mas por ter crescido lendo Disney pela Abril:

      Meu 1º gibi Disney foi um "Pato Donald" (início da década de 70) q trazia sobrinhos dando um susto no tio com uma fantasia de "Mancha Negra", rs: E no miolo tinha uma HQ mto boa do mancha enfrentando os "7 Anões Maus" (até hj eu queria ter essa história republicada e nunca achei de novo)!

      Abs!

      Excluir
    2. Olha...lendo sobre a produção nacional...percebo cada vez mais a importância dos scans

      Excluir
    3. Bem nessas, Fábio...

      Os scans vão ser mto importantes: principalmente AGORA, enquanto não se define o futuro da Disney (e mesmo outras coleções de outras editoras q ficaram inacabadas por aí)!

      Abs!

      Excluir
  76. Salve, Léo!!!

    Enfim, cai um gigante. Mas já dava para ver que havia algo de podre no reino da Abril. Acho que o baque pegou forte foi com a saída da Caras do grupo Abril (que apesar de ser uma revista chata pra cacete trazia muitos anunciantes). E a grande quantidade de editorias para cada revista (política, esportes, ciências, feminina, automobilismo entre outras) deve dar um gasto altíssimo. Na hora de passar o facão, optaram pelos quadrinhos que deve ser menos rentável para a editora do que cancelar uma Veja (que apesar de criticada, possui muitos anunciantes).
    Se fosse apostar em um retorno da Disney, arriscaria minhas fichas na Pixel. Eles tem experiência nos três formatos: mensais fininhas para bancas (Luluzinha e Zero), o formato intermediário (Mandrake, Fantasma) e luxuosas (Flash Gordon, Princípe Valente). Exatamente, os três formatos que a Abril vinha trabalhando. Além de ter trabalhado com quadrinhos clássicos. Outro ponto seria manter toda a logistíca de distribuição e assinatura com a Abril, já que as cruzadinhas da Coquetel, apesar de produzidas por outra editora (Ediouro, dona da Pixel) fazem parte do sistema Abril Assinaturas. Ou seja, a Abril economizaria na produção e lucraria com a distribuição.
    Quanto às outras editoras, não sei se alguma terá cacife para assumir a bronca. Antes mesmo de decidir seguir ou não a numeração, a cobrança maior, com certeza, será pela continuação das coleções de luxo. E vejo poucas capazes de segurar o rojão. Além da Pixel, já citada, talvez coloque algumas fichas também na Mythos, que já está acostumada a colocar mensais nas bancas e vem se destacando cada vez mais no cenário de luxo (apesar dos preços altíssimos). E outro ponto a se considerar seria o "drible" na exigência da MSP, já que de certa forma Mythos e Panini são parceiras e a editora italiana poderia dar suporte sem assumir diretamente a linha.
    Enfim, são apenas especulações, mas, convenhamos, é até divertido criar estas teorias.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Luiz... blz?

      Hahaha, tbm já especulei bastante por aqui em relação à esse assunto, rs... E no fim das contas, minhas apostas continuariam sendo exatamente iguais às suas: O grupo Ediouro/Pixel!

      E pelas mesmas razões q vc citou... Eles já tem experiência com todos os formatos necessários pra comportar a linha Disney (desde formatinhos até capa-duras), conseguem distribuir suas publicações (palavras-cruzadas) pra todo o país, e tem bala na agulha pra assumir o investimento (sim, até onde sei, a Ediouro ganha milhões com o monopólio das cruzadas)!

      Ok, ela parece ter se decepcionado e abandonado as HQs pela baixa adesão do material clássico q vinham publicando... Mas a DISNEY tem BEM mais apelo comercial do q o "Valente", "Fantasma", e "Recruta Zero", então o papo agora seria outro com a Disney!

      Enfim... continuam sendo meras especulações, hehe: Mas tbm acho divertido bolar essas teorias (buscando uma base de fundamento pra elas, rs)!

      Abs!

      Excluir
    2. Ediouro é péssima, bicho. Péssima! Torça para que não role!

      Excluir
    3. Nem me fale, Hunter...

      A Ediouro consegue ser ainda mais arrogante q a Abril... ao deixar séries inacabadas por aí e nem sequer dar a mínima satisfação pro leitor (nem mesmo um canal de comunicação decente ela possui pra isso)!

      Ela ainda prometeu um "Príncipe Valente 2" e o Vol. 3 do "Flash Gordon" (q encerra o plot principal com o "Imperador Ming")... Mas já começo a duvidar do cumprimento dessas promessas com o silêncio barulhento da editora qto à isso!

      Ter a Ediouro na jogada... seria trocar 6 por meia-dúzia e continuar com a possibilidade de nunca completar as 3 coleções principais q a Abril deixou no ar!

      Abs!

      Excluir
  77. Blz Leo.........triste mesmo pensei que os formatinhos ainda teriam vida errei feio.. formatinho era excelente podia ler em qualquer lugar levar ao banheiro, ler tomando banho, comendo um lanche sem me preocupar em molhar, rasgar era pratico e simples apesar da qualidade das historias deixar a desejar.....só a lamentar mesmo.

    ResponderExcluir
  78. Leo deixa perguntar esses Hellblazer origens que a panini está lançando agora a edição 7 está diferente da antiga em papel jornal pergunto porque estava no hotsite da panini e li isso.......Jack Burton perguntou Fabiano, a história da edição 250 que saiu no encadernado não é a do Jamie Delano, mas sim a do Dave Gibbons. No sumário consta o título certo (Carteado de Natal, roteiro Jamie Delano e arte do David Lloyd) mas a história que saiu foi outra, com roteiro de Dave Gibbons e arte do Sean Phillips, que também saiu na edição 250.
    reposta do Fabiano Denardin Oi, Jack. Tudo bem? Infelizmente a história saiu trocada no Origens 7.
    Nesse novo volume 7 origens com papel melhor saiu correta a historia?....saberia dizer.
    E outra pergunta por favor esse origens 8 saiu pela panini no papel jornal ou é inédita?.........valeu Leo e obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Ronny... blz?

      Difícil essa, hein? Até pq, comprei a série "ORIGENS" até o Vol. 5 apenas (em pisa-brite)... Mas fui pesquisar pra vc e encontrei o MESMO problema em AMBAS as versões: Pisa-brite e LWC. No "Guia dos Quadrinhos" consta a seguinte NOTA nas 2 versões:

      Feliz ano novo, caralho!

      Personagens: John Constantine
      Roteiro: Dave Gibbons
      Arte: Sean Phillips
      Cores: Sean Phillips
      Letrista: Daniel de Rosa
      Tradutor: Fabiano Denardin - ‘Fd; Oggh’, Guilherme da Silva Braga
      Publicada originalmente em Hellblazer (1988) n° 250/2009 - DC (Vertigo)
      Nota: Apesar de constar no índice a história "O carteado de natal", no miolo veio outra totalmente diferente.

      Título original: "Happy New Fucking Year".
      8 Páginas

      Qto ao Vol. 8... A Panini sacaneou o pessoal q comprou em pisa-brite nessa, pois o tal Vol. 8 SÓ existe na versão LWC!

      Abs!

      Excluir
    2. No volume 8 foi incluída a história correta, do Delano.

      Excluir
    3. Obrigado Emerson...

      Excluir
  79. Se a Panini ou quem quer que seja assumir as publicações Disney vcs acreditam que isso pode perdurar por mais 68 anos ? Pode perdurar sequer pelos próximos 20 anos ? Acho bem improvável.
    A fórmula para manter cada personagem dentro das suas características originais já se esgotou faz tempo - e para todos eles. Daí o artifício de se ficar elaborando inúmeras tramas forçadas a fim de manter vivos personagens que, por terem perdido as suas características essenciais por pura incompetência de roteiristas e desenhistas, há muito já estão soterrados como foram originalmente concebidos. A antiga geração já sacou isso e simplesmente abandonou a mesa por considerar que o prato principal já foi servido. Quem alimenta seus cérebros com material "requentado", isto é, mais recente, é exatamente a galera que chegou tarde ao banquete e não se incomoda muito com o que encontra, posto que ignora o que foi servido antes. E falando em matéria de quadrinhos, seria necessário uma tremenda reformulação geral pra poder superar ou mesmo igualar o legado que precedeu aquilo que temos atualmente.
    Portanto, pra quê levar à cabo, por exemplo, a continuação da numeração de uma publicação que só fazia sentido do ponto de vista afetivo e relacionado aos fatores históricos desde o seu lançamento por uma determinada editora ? Levar adiante algo que fatalmente irá ser interrompido novamente ? Os tempos são outros. Vide esse caso esdrúxulo dos "colecionadores de lombadas". A molecada atual vive e pensa (quando pensa) na era do descartável. Sequer têm vínculos afetivos com as atuais e, de modo geral, horrorosas HQs mensais posto que, assim como elas, suas afetividades também são coisas descartáveis. É uma gente superficial, movida a selfies e toda sorte de efemérides.
    O sistema incutiu essa mentalidade nas novas gerações bitoladas. Daí que houve a necessidade de alternativas que resgatassem um pouco do antigo legado. E essas alternativas foram muito bem representadas através dos encadernados e coisas como as "Coleções Históricas". Isso, de fato, resgata um pouco da essência daquilo que hoje tornou-se mera encheção de linguiça. Afinal, a indústria não pode parar. E elas não param - seja a indústria Farmacêutica (pra quê descobrir a cura das doenças se podemos continuar lucrando com elas ?), a de Alimentos (continuemos viciando os trouxas em nossos produtos químicos), a do Cinema (o ritmo deve ser mantido acelerado e num fôlego só pra não dar tempo de ninguém refletir sobre a qualidade) e a dos Quadrinhos (o conteúdo é uma merda ? Mete então um papel maneiro, uma capa anabolizada e deixa que tudo se resuma em formar lombadas).
    As editoras nacionais, em sua maioria, não respeitam os leitores, subestimam a sua inteligência e exploram os seus suados recursos. Muitos leitores, por sua vez, se submetem a tudo isto com resignação.
    Entretanto, chega dessa idéia do "Matem-me, por favor". É necessário se libertar das falsas esperanças que surgem a cada novo lançamento feito por essas editoras nacionais.

    Resumindo : Carl Barks e Don Rosa novamente por aqui, pra mim, precisará ser algo absolutamente excepcional na qualidade e no preço pra eu adquirir novamente.

    Abs !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Antonio... blz?

      Não, eu definitivamente NÃO acredito q nenhuma nova editora aguente outros 68 ANOS publicando Disney (e eu nem estaria VIVO até lá mesmo, rs)!

      Sem falar q a situação AGORA é completamente diferente do q há quase 70 anos atrás... Afinal, estamos à beira da EXTINÇÃO da mídia impressa (q não sabemos se no geral irá durar mtos anos)!

      Em 20 anos a situação já deverá ser bastante crítica ("SE" os gibis durarem até lá)...

      Seja como for, a Disney não sobreviveria novamente sem alternar o material Clássico com o NOVO... Somente com um ou com outro eu não acho q ela se sustente, e alternar AMBOS q nem a Abril vinha fazendo parece ser o ideal (eu só ficaria nos clássicos e repetécos mesmo, mas sei q a molecadinha nova prefere as coisas mais moderninhas, q nem a NABA do desenho atual dos "Ducktales", q pra mim é intragável)!

      Abs!

      Excluir
    2. Leo, não acho que a mídia impressa irá acabar. A mídia digital ainda estimula muita pirataria e a cada HQ que é comprada na mídia digital, inúmeras cópias da mesma são baixados de graça pela Internet. Acabar a mídia impressa inclusive prejudicaria o próprio mercado de HQs e afins, afinal esse tipo de mídia vive da exposição em bancas, livrarias e comic shops, sem eles o pessoal pela mídia digital que não iria consumir e daí viria a falência das HQs que não tivessem ao menos filmes, séries ou animações como "propaganda".

      Excluir
    3. Bem, "acabar de vez"... talvez (com sorte) não acabe mesmo, mas a tendência é (naturalmente) se reduzir cada vez mais a dissidência de livros, revistas, e jornais impressos nas bancas!

      Eu sei pq sou assinante E anunciante/patrocinador de um jornal impresso aqui do sul (onde compro espaço publicitário pro meu curso) e acompanho os gráficos e tiragens desse jornal: Ele sobrevive basicamente de migalhas e hj não é sequer uma sombra do poder de influência q já teve um dia! Alguns impressos já foram cancelados por aqui (O "SUL" é um jornal q abandonou a versão impressa e agora só existe digital, por exemplo)!

      Abs!

      Excluir
  80. Vamos ser sinceros aqui, a Abril sempre tratou mal a linha Disney! Durante anos foi a galinha dos ovos de ouro da editora, mas ela pouco fez para valorizá-la. Alguns capas duras nos anos 70, uma produção local significativa, mas quase toda limitada a histórias curtas (procurem no INDUCKS quantas histórias brasileiras têm mais de 20 páginas...) e ficou por aí.

    Quando o Plano Collor derrubou as vendas nos anos 90, a Abril nada fez para tentar recuperar, mesmo durante a relativa prosperidade do Plano Real (quando novas editoras de quadrinhos surgiam a cada mês!). A Abril ainda publicava Disney como se fosse nos anos 1960! Revistas em formatinho com histórias selecionadas aleatoriamente, muitas dessas as PÉSSIMAS histórias de exportação (código S) ou os Mickey do Paul Murry que ela já tinha publicado várias vezes antes. Nenhum crédito de autores. Cortes e reformatações a granel (até essa altura, quase todas as histórias italianas de três tiras por página eram reformatadas para o "padrão Abril" de quatro tiras por página!). Foi necessária uma campanha de leitores na Internet na altura da virada do milênio para convencê-la a creditar histórias e a publicar material novo, como o do Don Rosa! Eu sei, estava lá!

    Ainda assim, ela continuou sem fazer esforços para tentar formatos diferentes (isso enquanto a revista WITCH, em formato americano e com brindes, vendia horrores!), continuou republicando resmas de histórias fracas sem critério em vez de procurar material raro inédito, reduziu a produção nacional quase a zero e insistiu no abominável visual do "Zé funkeiro" que TODO MUNDO detestava. Diabos, ela nem preservava as próprias histórias! Muitas se perderam e as que eles republicavam normalmente vinham com traços pixelizados e cores esmaecidas (sinal claro de serem tiradas de revistas antigas escaneadas...) e muitas vezes com o texto original fortemente adulterado.

    Só há POUCOS anos que ela se tocou de que poderia fazer edições de livraria com o melhor material da Disney que poderia ao mesmo tempo ter qualidade e dar retorno financeiro. Mas aí já era tarde.

    Portanto, a editora fez por merecer perder a linha. E além de tudo é uma tremenda ingratidão, já que durante mais da metade da sua história, foi a linha Disney quem manteve as finanças da Abril estáveis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Hunter... blz?

      Eu sou relativamente "novato" (por assim dizer) com a linha Disney... Digo, eu a conheci na infância pq tive bastante coisa publicada nos anos 70 e 1º metade dos 80 (inclusive o "Disney Especial" completo do nº 1 ao 85): Mas depois de ter abandonado a coleção em 1985, só voltei com a linha Disney a partir de 2009 (qdo vi o "BIG" nº 1 na banca e resolvi matar a saudade, rs)!

      Ou seja: Passei batido por todo esse período mais tenebroso q vc relatou... Embora eu tenha corrido atrás depois de pesquisar a respeito (no INDUCKS principalmente) e constatar tudo q vc falou. De fato, encontrei na pesquisa revistas com nº de pág brutalmente reduzidas (q estampavam o preço de 1 real na capa) e o tal "Zé Fankeiro" (ou Pagodeiro) dos anos 90 (q durou várias capas da época mesmo - q tosqueira, hehe)!

      Bem, de 2009 pra cá (1 década RE-colecionando Disney)... A 1º coisa q percebi na relação Disney-Abril foi a demora gritante da editora em competir no território dos encadernados de luxo dirigidos à um público mais segmentado (e q compra além das bancas de jornais): A Abril levou mto tempo mesmo pra entrar num terreno já dominado pela Panini e MSP (q tinham uma puta vantagem em relação à Abril por já estarem bem acomodadas nas livrarias e com vendas pela internet). A Abril demorou demais e ainda foi com mta sede ao pote (mtas coleções sendo lançadas ao mesmo tempo e mal divulgadas - algumas ed. dos "Anos de Ouro de Mickey" sequer tinham sinopse oficial, rs)!

      Enfim... Restou um final amargo em q a editora não se prestou nem a emitir uma nota de despedida e/ou agradecimento aos leitores q a acompanharam até aqui. Hj eu vi a última ed. do "Zé Carioca" nas bancas: não tem NADA no final, apenas o "FIM" estampado na última história, seguida dos anunciantes e acabou. Nem mesmo um simples "ADEUS" ou "Valeu por tudo, pessoal", hehe!

      Abs!

      Excluir
    2. Falta de consideração até o fim. Essa é a Abril!

      Excluir
    3. "Abril demorou demais e ainda foi com mta sede ao pote (mtas coleções sendo lançadas ao mesmo tempo e mal divulgadas"..
      Exatamente minha opinião no caso (falei exatamanete isso em um drops no Quadriláteros) Ela ignorou a possibilidade por anos a fio e acabou indo com muita sede ao pote. Só coloco como outro ponto além dos que vc apontou o fato de uma das coleções de luxo (pateta faz história) ter sido lançada muito próxima a outra recente, muito pouco tempo para o publico renovar interesse ainda mais que por melhor que seja não é barks nem os patos... triste
      Cesar Leal

      Excluir
    4. Tem razão, Cesar...

      O lance do "Pateta" foi outro erro estratégico da Abril, pois a coleção anterior era tão recente q eu mesmo nem tinha terminado9 de ler, hahaha (sério, ainda tem algumas ed. da versão anterior na PILHA de leituras atrasadas - por isso nem cogitei pegar a nova versão de luxo)!

      Mais rápido q isso... só a panini mesmo ao relançar o "monstro" do Alan Moore em LWC pouquíssimo tempo após ter lançado em pisa-brite, rs!

      Abs!

      Excluir
  81. Perfeita síntese de uma lambança que perdurou por décadas.
    Quando finalmente a Abril resolveu apresentar algo decente com relação aos três lançamentos da Disney recentemente publicados, apenas consumaram a lambança e a incompetência ao deixar as coleções incompletas.

    No que me concerne, NUNCA MAIS compro mais NADA dessa editora. Nada que ela publica atualmente me fará nenhuma falta.
    E que a sua queda sirva como exemplo para as demais neste país, pois a história já comprovou que a próxima pode muito bem vir a ser qualquer outra delas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Antonio... blz?

      Da Abril não tem mais nada q me interesse mesmo fora a finada linha Disney... Assim, essa é uma editora q pra mim está (literalmente) morta e enterrada agora!

      E a Abril terminou de forma fracassada sim: Deixando 3 grandes coleções incompletas e sem ao menos publicar uma nota final oficial de despedida e agradecimento aos leitores pelo tempo em q acompanharam a editora: Uma empresa q não tem esse mínimo de consideração pelo seu público faz por merecer o fim deprimente q teve (pq será q toda empresa arrogante qdo cai, tenta cair de nariz empinado ainda por cima? Tomar no cú mesmo, rs)!

      Abs!

      Excluir
    2. Até ficou de babaquice no final tentando esconder o que já estava consumado. MUITA arrogância!

      Excluir
  82. Oi, Léo. Infelizmente essas coleções ficarão pelo caminho, pelo visto. O jeito vai ser ir atrás das publicações da Fanta...

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Rodrigo... blz?

      Da mesma forma q o "Príncipe Valente" (q por coincidência tbm é da Fanta lá fora)... Ainda vou esperar mais um pouco pra ver como ficará a situação da Disney no Brasil. Pois toda essa merda q aconteceu foi mais um TIJOLO na construção da ideia q eu ando tendo de partir de vez pras importadas e mandar um FODA-SE em letras garrafais pra todas as editoras nacionais!

      Abs!

      Excluir
  83. Isso tava claro desde do adiamento do sexto volume do Don Rosa, mas os fãs mais fanáticos não queria admitir tal derrocada. E vou sentir falta da coleção do Floyd,pq querendo ou não teremos Barks e Rosa na integra cedo ou tarde por aqui e o delay das histórias do Casty só aumentara com esse cancelamento. Abs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Artur... blz?

      Qdo tiraram o "Don Rosa 6" da pré-venda de forma abrupta e sem maiores explicações, eu já tinha sentido o drama, rs... Em seguida vieram os encalhes nas bancas e ficou evidente q a merda já tava feita, hehe!

      E vc tem razão, qq editora q pegue a Disney: é quase certo q retomam Barks e Rosa... Mas o "Mickey" do Gottfredson é mais difícil (até pq, essa é uma coleção q ninguém escondia q vendia mal - apesar de ser excelente e uma das minhas favoritas de todas)!

      Abs!

      Excluir
    2. To lendo ela aos poucos e a partir de 1936 o nível da histórias atinge um nível de excelência que e difícil superar.

      Excluir
  84. Olá, Leo!

    Recebi essa notícia com muita melancolia, desde que o Planeta Gibi a divulgou. (por sorte, o link para a matéria apareceu na minha TL do Facebook)
    Apesar de ter parado de colecionar gibis Disney quando comecei a colecionar mangás pra valer, em 2010, (embora eu tenha chegado a adquirir um Disney Mega vol.5 que estava em promoção numa banca de minha cidade em 2016, e uma edição aleatória do encadernado de Carl Barks) os quadrinhos Disney contribuíram de forma absurda para minha formação como leitor, e inclusive como autor e artista.
    Até bateu um certo arrependimento de ter colocado minha coleção Disney em Hiatus, lá atrás. Meu desejo de adquirir os encadernados que saíram só cresceu, ainda mais.
    E espero do fundo do meu coração que uma nova Editora assuma, embora eu tenha um certo medo de que essa nova editora seja a Panini. A multinacional italiana já possui Maurício de Souza, Marvel, DC/Vertigo, Star Wars, tomou The Walking Dead da HQM, e ainda publica uma grande fatia dos mangás mais populares. Quase um monopólio, que se aproximaria ainda mais de se concretizar caso a editora passe a se tornar responsável pelos quadrinhos Disney, também. Minha experiência com a editora se resume a um ou outro encadernado capa dura da Marvel/DC/Vertigo que adquiro quando o dinheiro dá, e, claro, aos mangás.
    Felizmente ela não tem monopólio sobre mangás (além dela, pelo menos umas cinco editoras também publicam esta categoria: JBC, NewPOP, Devir, Pipoca e nanquim, Darkside) mas mais da metade do que tem saído no Brasil, é da Panini, e talvez por isso a editora venha adotando posturas arrogantes quanto às inúmeras reclamações dos leitores (Um exemplo, é quanto ao fato dos primeiros volumes dos mangás da Panini esgotam em poucos meses, enquanto os da NewPOP, uma editora infinitamente menor, nunca esgotam já que ela sempre os reimprime). Como não compro outros tipos de quadrinhos da editora tão ativamente, não sei ao certo se a situação é a mesma, mas se com a Abril a publicação de quadrinhos Disney já tinha seus problemas, tenho medo de piorar com a Panini... Claro que uma resposta concreta para isso, só observando a realização desta possibilidade, pra saber.
    Acho que se for pra torcer, torcerei para a Salvat, embora eu só tenha um encadernado desta editora, e não acompanhe efetivamente o trabalho dela. Mas a Panini me parece ter mais chances, pelo fato de possuir Marvel e Star Wars, que pertencem à Disney.
    Quanto a numeração, particularmente não ligo se recomeçarem os se manterem, já que dificilmente uma história começa em um número e continua no outro.
    Enfim, espero que logo mais em Julho uma nova casa dos quadrinhos Disney, no Brasil, seja revelada.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Antonio... Tdo bem?

      Eu tbm reconheço q aprendi a ler e tive meus primeiros contatos com gibis através da Disney pela Abril (no início dos anos 70)... E tbm não gostei do fato da editora ter pedido a linha Disney (ainda mais pq eu vinha fazendo essas coleções principais de capa-dura e fiquei com as coleções incompletas agora)!

      Porém, acredito q em breve já teremos uma NOVA editora assumindo a Disney no Brasil... E embora tbm não me agrade a ideia de monopólio, infelizmente é preciso admitir q tirando a Panini, não vejo nenhuma outra editora com igual potencial e recursos econômicos pra assumir a Disney (q atualmente exige um alto investimento em encadernados de luxo, q editoras menores e de pouca bala na agulha não se arriscariam a lançar)!

      Assim, considerando a parte estrutural de uma editora q comporte a linha Disney e consiga publicar uma série de encadernados de capa-dura e coleções extensas q nem a do BARKS (prevista pra uns 30 Vol), a Panini acaba sendo a mais "provável" entre as poucas opções q restam (a Pixel tá largada às traças, a Devir tem ritmo mto lento de lançamentos, e a Salvat não tem sequer uma equipe editorial - e só publica coleções fechadas da Europa q são editadas aqui pela própria Panini, q leva uma porcentagem dos lucros da Salvat, hehe)!

      Enfim, vamos ver quem se apresentará pra assumir a Disney nos próximos meses... mas a Panini acaba sendo uma das mais prováveis mesmo (até por já ter demonstrado interesse nisso)!

      Abs!

      Excluir
  85. Gente, desculpa a minha ignorância, não entendo muito bem do assunto, mas me diz uma coisa, por favor, a Abril deixando de continuar lançando as HQ`s da Disney, prejudica também os exemplares já lançados? Pergunto pq quero muito iniciar minha coleção da Disney- edição de luxo, mas com essa notícia fiquei com medo de não haver mais exemplares depois de um certo tempo (ou seja, esgotarem). Se puderem me informar, agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Ana... Tdo bem?

      Sim, infelizmente a Abril encerrou toda e qq atividade relacionada à gibis da Disney... Nenhuma revista ou coleção terá mais continuidade e nem republicação de materiais q já foram lançados!

      Mas acredito q ainda se encontre praticamente todos os encadernados de luxo q já saíram... Peneirando bem na internet, ainda deve ser possível encontrar todos (e com preços promocionais ainda por cima, hehe)!

      No mais... Embora nenhuma editora tenha se revelado ainda sobre assumir a Disney no Brasil, eu acredito q até o ano q vem a linha Disney seja retomada de alguma forma por outra editora!

      Abs!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...