16/07/2021

Catarse (Projetos): "John BYRNE", "Torpedo 1936" (Vol. 2-3), "Krazy Kat", O "Chacal", e Mais...

O mercado de quadrinhos está mudando (no Brasil e no mundo) e se adaptando à novas formas de produção e interação com o público... E as plataformas de financiamento coletivo (entre elas o Catarse) tem um papel importantíssimo nessa nova maneira de se fazer e comercializar HQs!

Nesta matéria especial, listei alguns (dos inúmeros) projetos do Catarse que estão em andamento (ou que já foram finalizados - sim, eu sei q a postagem saiu com atraso, rs): "John BYRNE - O Gênio Indomável" (LIVRO), "Operação High Ways" (de John BYRNE - HQ), "Stan Lee - Sr. Maravilha" e "Arquivos Secretos da RGE" (2 LIVROS de Roberto Guedes), "TORPEDO 1936" (Vol. 2-3), "Krazy Kat" (1916-1918), "Welcome To Springville" (HQ de bang-bang), e "O Chacal" (Tony Carson)!

Confira abaixo:

"John BYRNE - O Gênio Indomável" + "Operação High Ways" (de John BYRNE) + "Stan Lee - Sr. Maravilha" + "Arquivos Secretos da RGE": DOSE DUPLA de BYRNE, com um LIVRO (biografia) e uma HQ (INÉDITA no Brasil)... O "Gênio Indomável" (de Rodrigo Talayer) é a biografia de John Byrne: Um LIVRO com mais de 500 pág com informações sobre a vida e obra do artista popularizado mundialmente nas HQs: "X-Men", "Tropa Alfa", "4F", "Mulher-Hulk", e "Superman". Entre os brindes, os apoiadores poderão adquirir desde posters até camisetas com arte do Byrne ("LINK")! Outro projeto envolvendo John Byrne é a HQ: "Operação High Ways". Ficção científica, mistério, e aventura são a tônica desta HQ da IDW, com acabamento de luxo (capa-dura, 120 pág, papel couché fosco de 115 gramas - escolhido pelo próprio Byrne, que não gosta de papel brilhoso) e várias opções de brindes (posters, prints, sobrecapa, etc). Mais detalhes e PREÇOS (conforme os brindes escolhidos) neste "LINK"! Já os 2 LIVROS do Roberto Guedes: "Stan Lee" (Biografia) e "Arquivos Secretos da RGE" (sobre os quais eu já comentei aqui no "Plantão HQ" de abril) ganharam suas CAPAS definitivas (acima) e mesmo que a campanha já tenha sido encerrada, nem todos os pagamentos foram confirmados e os interessados ainda podem ter chance de adquirir estes 2 livros que prometem ser referência sobre Stan Lee e RGE ("LINK")! 

"TORPEDO 1936" (Vol. 2-3) + "O Chacal": A Editora Figura (que recém lançou: "O Colecionador" - de Toppi - e "As Pinturas Fantásticas de Frazetta") larga no Catarse a campanha pros Vol. 2 e 3 de "Torpedo" (com o FINAL da saga do gângster Luca Torelli - um dos personagens mais violentos, cruéis, e amorais das HQs). É a 1º vez no Brasil que a obra-prima de Sánchez Abulí & Jordi Bernet é publicada e compilada na íntegra (o "Torpedo" já teve álbuns lançados pela Martins Fontes, e HQs avulsas publicadas nas revistas: "Animal" e "Canalha") nestes 3 álbuns de luxo (capa-dura, 250-260 pág, P&B, papel off-set, R$ 132 pelos 2 encadernados - ou mais, dependendo dos brindes, que incluem até um BOX exclusivo pra guardar a coleção). Particularmente, sou um grande fã do "Torpedo" desde a revista "Canalha", e classifico suas HQs como EXCELENTES e essenciais pra fãs de "Poderoso Chefão" e "Scarface" (confiram neste "LINK"). Detalhe: As capas que eu postei aqui são ambas do Vol. 2 (a editora fez uma enquete pro leitor escolher a melhor - ganhou a 1º bem acima)! Outro personagem no mesmo estilo é "Tony Carson - O Chacal" (projeto já encerrado, mas que em breve estará à venda nas lojas). Um pistoleiro sem escrúpulos (criado na versão brasileira por OTA) publicado com sucesso no Brasil nos anos 80 (pela Vecchi). A edição tem 160 pág em formato italiano e capa-cartão (R$ 36) e traz 2 HQs: "Pacto Rompido" e "Valiosos Cadáveres" ("LINK")! 

"Krazy Kat" (1916-1918) + "Welcome To Springville": A HQ mais importante do século XX em sua versão mais premiada: Todas pág dominicais de "Krazy Kat" (1916-1918) em uma versão de luxo (capa-dura, formato gigante, a partir de R$ 89 - conforme os brindes, que incluem aqui até uma belíssima CAMISETA azul clara - FOTO abaixo - usada por Samuel Jackson no filme: "Pulp Fiction" do Tarantino) produzida lá fora pela Fantagraphics (a coleção terá 3 Vol. ao todo, sendo que os demais estão previstos aqui pro ano que vem). A HQ que mudou a história dos quadrinhos mundiais era a leitura predileta de Chaplin, Picasso e Walt Disney. O "Mickey" (e todo gênero de "funny animals") talvez não teria existido se não fosse Krazy Kat e Ignatz (de George Herriman). Aqui no Brasil, "Krazy" foi publicado em revista própria (chamada: "Gato Maluco") entre os anos 50 e 60, e depois em aparições esporádicas em revistas tipo: "Eureka" (da Vecchi), 2 encadernados pela Ópera Graphica (em 2003 e 2007), e no mix de "Popeye" nº 1 da Pixel (em 2012)! Por FIM... "Welcome To Spingville", é uma HQ de faroeste (de Giancarlo Berardi & Renzo Calegari) estrelada por pessoas comuns em um pequeno vilarejo de fronteira. As histórias foram compiladas originalmente em 7 episódios (publicados na Itália dentro da revista "Skorpio" - entre 1977 e 1979). Aqui no Brasil, a série estrelou a revista: "História do Faroeste" (da Vecchi - em 1980). O projeto (da Editora Graphite) tem capa-dura, 160 pág, e varia a partir de R$ 70 (prévia e detalhes neste "LINK")!
 
Até+

50 comentários:

  1. Boa tarde e bom Domingo para todos! Já apoiei os dois projetos relacionados ao meu artista predileto Marvel/DC, John Byrne. Muito interessante, para nós brasileiros, essa mudança editorial em nosso mercado. Que mais iniciativas como essas possam vir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Rogério... blz?

      Eu tenho apoiado vários projetos no Catarse e em outras plataformas tbm... E acho mto válida e interessante essa nova maneira de se produzir e comercializar HQs: A possibilidade do leitor escolher os brindes q forem ofertados (a maioria deles bem interessantes pra qq colecionador), os parcelamentos, as recompensas (qdo determinado projeto atinge uma meta, ele pode ser "turbinado" com mais extras e acabamento melhor), e a interatividade maior entre leitor e criadores!

      Esses do BYRNE eu ainda não apoiei (por restrições financeiras apenas), mas pretendo... São 2 boas pedidas sim (e sou fanzasso desse ranzinza, kkk)!

      Abs!

      Excluir
    2. Oi, Léo,
      Aproveitando o assunto:
      Segundo o Autor, no Instagram, essa biografia do Byrne vai ser uma publicação limitada. Não vai ser vendido depois. Não vai pra Amazon nem vai ter cópia digital
      Então cuidem o prazo de encerramento, caso estejam interessados.

      Excluir
    3. Opa... Brigadão mesmo pelo aviso, Dr. Jones:

      Vai ser um caso parecido com o dos "Arquivos Secretos da RGE" então, q SÓ será publicado nesse projeto junto com o "Stan Lee"!

      Bem lembrado mesmo... Tem projetos q realmente NÃO são vendidos por fora depois (parece ser o caso tbm de "Krazy Kat" - já anunciado como tiragem máxima de 1000 exemplares)!

      Abs!

      Excluir
  2. Olha, desculpe a quem gosta, mas esse Tony Carson é muito trash. Desenhos ruins, roteiro com muita violência gratuita. Não se compara ao Chacal que ele substitui na Vecchi e que nem se chamava assim originalmente (era o Judas, virou Chacal por aqui).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, nunca li o "Chacal"... mas como sou fã de faroeste, pretendo conhecer a HQ pra sanar minha abstinência de bang-bang, rs!

      A violência gratuita não é problema pra mim (o bang-bang italiano era bastante TRASH e violento tbm e eu adorava - inclusive sou colecionador de filmes do gênero)... Mas acredito q vc possa ter razão tbm qto à qualidade deixar a desejar, pois o OTA nunca foi dos meus favoritos (nem na "MAD") e estou há mtos anos acostumado com a qualidade impecável dos gibis do "TEX"!

      Abs!

      Excluir
  3. "O INCRÍVEL ATAQUE DAS TERRÍVEIS ABOBRINHAS MUTANTES ZUMBIS COMEDORAS DE CÉREBRO"

    Foi através da procura por esse clássico que eu tomei conhecimento de uma tal "Catarse", sem nem ao menos saber do que a mesma se tratava na época.

    O financiamento do clássico em questão já havia se encerrado há séculos, mas a proposta que a Catarse apresentava me pareceu ser algo bastante original - e revolucionário.
    Afinal, a idéia de fomentar junto ao público interessado um patrocínio para a realização de projetos relacionados à publicação das mais variadas obras se afigurava como algo muito estimulante e animador, pois proporcionava a editores, autores e artistas de HQs uma oportunidade que lhes era vedada na indústria mainstream, democratizando efetivamente então o ingresso - e o acesso - de várias obras perante um público consumidor ávido pelas mesmas; coisa que, de outra maneira, seria praticamente impossível de ser viabilizada.

    Antes de incentivos de financiamentos para trabalhos artístico-culturais como este da Catarse, existiram na terra brasilis os jurássicos "fanzines" e, antes destes, os paleozóicos "cordéis". Mas, a galera dessas longínquas épocas pré-internet, que ralavam pra tentar implacar alguma obra produzida artesanalmente, sofriam uma série de percalços na tentativa de conquistar admiradores para aqueles tipos de trabalhos que, por força das próprias circunstâncias, não poderiam ter pretensões maiores que aquelas.
    No entanto, o espírito que tempos depois daria origem às plataformas de financiamento do tipo Catarse já se fazia presente.
    E chegado finalmente o momento desse espírito libertário se manifestar, encontrando o seu lugar ao Sol, era então a hora de arrepiar.

    E os caras arrepiaram !
    Os títulos financiados pela Catarse muitas vezes rivalizam (quando não superam) com os das big editoras, em termos de qualidade gráfica e de conteúdo. Em alguns casos, no entanto, as tralhas oferecidas também são do mesmo naipe.
    Hahahaha!!!

    Mas, além disto tudo, ainda há a sensação de comprometimento e de parceria que cada projeto representa - o que amplia a satisfação do financiador da obra.

    Aderi entusiasticamente a essa idéia que configura o advento de uma nova realidade na produção de HQs, e já financiei alguns projetos no Catarse.
    Com a decadência editorial em curso, infiltrada por insanidades ideológicas oriundas de alienígenas androgenizados (perdoe, Bowie, nada a ver com o teu legado), o futuro para o mercado tradicional resvala rapidamente para o simples...caos.

    Minha última incursão nesses financiamentos foi para Krazy Kat, de George Harriman - um projeto da Editora Skript.
    Se dependesse das "publishing houses" tipicamente mainstreans para ter esse tipo de obra, melhor seria mudar de hobby!!!
    No meio de tanta e generalizada zumbizificação (nada a ver com o verbo "zumbizar", do "Eu sou a Mosca, do grande Raul Seixas), a questão é: qual hobby, cara-pálida???

    Que venham então mais tijoladas pela frente (no melhor sentido da expressão).

    Tony

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Tony... blz?

      Foi uma sacada genial mesmo essa dos financiamentos coletivos, hein? Pois a gente (o leitor/consumidor) se sente como PARTE do processo editorial tbm, já q acompanhamos passo-a-passo os custos gráficos pra se publicar uma HQ, torcemos e ajudamos na divulgação pro projeto q apoiamos atingir a meta estabelecida e sair do papel, e mtas vezes participamos até de etapas q antes eram restritas apenas aos editores (q é o caso da Figura, q faz votações públicas pro leitor escolher a CAPA de algumas publicações - foi o caso com "Torpedo" Vol. 1 e 2, q foram à "júri popular" pra terem suas capas definidas)!

      Tudo isso, é claro, sem falar no contato mais direto com autores e artistas, q vão nos mantendo a par do andamento dos projetos... O Roberto Guedes (autor dos livros: "Stan Lee" e "RGE") é o melhor exemplo disso, pois durante todos os meses de projeto ele manteve informações DIÁRIAS nas redes sociais sobre cada etapa (e ainda postava degustações e curiosidades sobre as obras em questão)!

      O meu primo Marsal (autor e artista de "Galícia" e "Livro dos Barcos") é outro: q viaja o mundo (de barco) produzindo seus trabalhos e mantendo o financiador atualizado sobre suas viagens e aventuras (transpostas tbm pra sua obra) e acompanhamos desde os primeiros esboços até a arte finalizada e suas ideias pros próximos projetos com base em suas experiências da vida real!

      Q seja mais q bem-vinda essa nova modalidade de se produzir e consumir quadrinhos...

      O "Krazy Kat" tá na minha mira pra apoiar (só tô esperando uma folga no cartão, rs)... Mas eu vou querer com a CAMISETA (q eu postei a foto), dessa eu não abro mão! E vc? apoiou o pacote completo com a camiseta tbm?

      Abs!

      Excluir
    2. Olá, Leo !

      Como eu tava dizendo, conheci a proposta de financiamento do Catarse quando busquei adquirir a genial HQ "O Incrível Ataque das Terríveis Abobrinhas Mutantes Zumbis Comedoras de Cérebro", uma produção independente de Tiago Holsi.

      Como sempre curti coisas das antigas, como aqueles filmes trash de terror protagonizados por Vincent Price, a perspecriva de ter um gibi que combinasse os elementos contidos em tais filmes e que potencializasse esses elementos ao extremo, sem, entretanto, deixar de apresentar uma mensagem construtiva no meio da trasheria toda, me pareceu uma perspectiva muito sedutora.
      O financiamento da tal revistinha no Catarse já havia se encerrado, mas o "efeito danoso" já tinha me causado a sua terrível repercussão. Haha!!!
      Logo, passei a ficar atento a esse lance original que se afigurava como um novo horizonte no que concerne ao mercado de publicações de livros e de HQ's.

      Nessa mesma época, fiquei sabendo que o clássico poema "O Corvo", de Edgard Allan Poe, havia sido brilhantemente quadrinizado pelo artista Leander Moura, e isso envolveu também um financiamento via Catarse. Essa obra já tinha sido encerrada igualmente no Catarse, mas, como a qualidade do trabalho era de um nível condizente com o do clássico poema, procurei saber se ainda teria como adquirir a obra em questão. O próprio Leander Moura, entrou em contato comigo e se prontificou a me entregar um exemplar pessoalmente!
      Isso pra mim foi equivalente ao financiamento, porque além da obra, o Leander ainda me enviou um brinde.
      E o outro trabalho dele, "Os Gatos de Ulthar", adaptação do conto de H. P. Lovecraft, eu financiei diretamente pelo Catarse.

      Não dá pra evitar a repercussão que esse tipo de iniciativa provoca, dado a diferença entre os modelos de relação autor/editora e público-leitor que existe.
      No Catarse, ainda não me deparei com nenhum aborrecimento, e qualquer problema que possa ser apontado envolvendo questões relacionadas a essa proposta, não desmerece propriamente a idéia em questão, até porque as grandes editoras também sempre oferecem inúmeros problemas pra tirar o sono ou atormentar os sonhos dos leitores.
      Portanto, concordo quando vc diz que "Foi uma sacada genial mesmo essa dos financiamentos coletivos".

      Em suma, a coisa ainda está nos seus primórdios, e eu espero que o conceito trazido por essas plaraformas de financiamentos evolua vigorosamente, já que não dá mais para sermos eternamente dependentes dos caprichos e vítimas dos desleixos das grandes editoras, que sempre ditam (e nos impoem) normas, títulos, preços, formatos e todas as suas condições a bel prazer - muitas vezes, de modo até irresponsável (cancelando títulos antes do prazo ou fazendo um péssino trabalho de revisão, por exemplo).

      Quanto à camiseta do Krazy Kat, na época em que apoiei esse financiamento, eu fiquei com tanto receio de perder a obra impressa que juntei meus últimos caraminguás a fim de estar entre os 200 primeiros (e, assim, ter direito aos brindes exclusivos), que nem considerei a hipótese de levar a camiseta, já que ela é adquirida à parte.
      Mas, sem dúvidas, a camiseta tem todo um estilo CULT, além de ser um item que dificilmente perderá o status de camiseta exclusiva que ninguém mais tem...

      P.S.: merda, Leo!!!
      Agora eu quero a camiseta também!!!
      Hahahaha!!!

      Tony

      Excluir
    3. E aí, Tony... blz?

      Eu era fanzaço dos filmes do Vincent Price tbm, sendo meus favoritos dele os 2 da série do "Dr. Phibes" (classicões da "Sessão de Gala" dos bons tempos, rs)!

      "fiquei sabendo que o clássico poema "O Corvo", de Edgard Allan Poe, havia sido brilhantemente quadrinizado pelo artista Leander Moura"

      Putz, essa eu perdi... Q rateada a minha em ter demorado demais pra me enturmar com esse lance de Catarse (nem quero pensar na quantidade de projetos fantásticos q eu deixei passar)!

      Os projetos q eu já apoiei até agora foram:

      -Torpedo 1936 Vol. 1, 2, e 3!
      -As Pinturas Fantásticas de Frazetta
      -Esquadrão Vitória (sátira nacional dos "Vingadores")!
      -Galícia e Livro dos Barcos (2 belíssimas obras do meu primo Marsal)!
      -Sr. Maravilha + Arquivos Secretos da RGE
      -O Doutrinador
      -Efeito Placebo

      Deve ter mais coisa q não tô lembrando de cabeça agora, mas de todos esses, só tive problemas com o "Efeito Placebo" (demora e enrolação da editora com desculpas esfarrapadas)... Mas isso não tira o mérito dos financiamentos coletivos no geral: Q viram pra ficar e estão apenas "nos seus primórdios" (como vc mesmo disse)!

      E putz... Desculpe ter botado pilha na camiseta (juro q não tô ganhando nenhuma "beira" por fora pra incitar esse desejo consumista nos outros, kkk)!

      Abs!

      Excluir
  4. Olá, Léo!

    Já aderi ao financiamento de Krazy Kat. A lamentar, os seis meses de espera para recebimento do conteúdo. Adquiri na Amazon (e aguardo a chegada) do primeiro número de Torpedo 1936. Se eu gostar, comprarei os outros dois volumes, via Catarse.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Tadeu... blz?

      O "Krazy" vai ser demorado mesmo... mas tenho certeza q valerá mto a pena, pois é um material revolucionário em todos os sentidos e mto à frente de sua época!

      Acho q o pior nem é a demora de um projeto, desde q qdo chegar a hora ele saia dentro do prazo... O problema mesmo q eu vejo, é qdo um projeto extrapola o prazo previsto e a editora fica enrolando o apoiador (dizendo coisas do tipo: "esta semana a gráfica manda" - e passa 1 MÊS e NADA). Tô tendo esse problema com o projeto "Efeito Placebo" (com o "Lagarto Negro"), q eu cheguei a divulgar aqui no blog na época: Passou o prazo e a editora nem pra dar uma satisfação sobre o atraso)!

      Enfim... Qto ao "Torpedo", acredito q vc vá curtir sim, pois é uma das minhas HQs favoritas de todos os tempos!

      Abs!

      Excluir
    2. Já apoiei vários projetos do Catarse, especialmente os que envolvem a Bonelli. O atraso na entrega do produto adquirido é um problema que os editores terão de resolver - ou a credibilidade do negócio fica ameaçada (e o financiamento de novos projetos idem). Como também o custo de envio é do comprador, que o paga antecipadamente - o que resolve um dos nós da logística das editoras "normais" -, a demora cria um capital de giro que pode ser vital para a sobrevivência do editor. Porém, é garantido às custas do leitor-apaixonado, que não vê o prazo acordado ser cumprido. Como todo modelo de negócio, é preciso ajustes para não "matar" o empreendimento. Alvaro

      Excluir
    3. "O "Krazy" vai ser demorado mesmo... mas tenho certeza q valerá mto a pena, pois é um material revolucionário em todos os sentidos e mto à frente de sua época!"

      Nem é bom que se tenha afobação com essa obra, já que o processo de tradução de Krazy Kat é muito mais complicado que o da maioria das HQ's, considerando-se as várias sutilezas da linguagem original empregada por Harriman na consecução do seu trabalho.
      Portanto, se a tradução de uma obra desse porte ainda não foi completamente realizada, é temerário pretender que os responsáveis pela sua publicação apressem o ritmo. Além do mais, o letreiramento também foi concebido para ser idêntico ao do George Harrison e, pelo que me consta, a responsável por essa etapa da execução do projeto gasta até quatro horas pra finalizar uma única página.

      Tony

      Excluir
    4. P.S. : onde se lê "George Harrison", leia-se "GEORGE HERRIMAN".

      Bem que eu achei que melancia que comi no almoço estava já meio passada...

      Só por isso, vou ouvir então "Rising Sun", do grande compositor, cantor e guitarrista.
      Ah, e ex-Beatles também.

      Tony

      Excluir
    5. "O atraso na entrega do produto adquirido é um problema que os editores terão de resolver - ou a credibilidade do negócio fica ameaçada (e o financiamento de novos projetos idem)"


      Concordo plenamente, Alvaro...

      Eu tô tendo esse problema com a editora do projeto "Efeito Placebo", q tá atrasada mais de mês e só enrola dizendo q o material tá vindo da gráfica. É a 1º vez q tenho um problema do tipo num financiamento, mas isso abala a confiança da gente sim!

      Abs!

      Excluir
    6. "P.S. : onde se lê "George Harrison", leia-se "GEORGE HERRIMAN"


      Bem q eu achei estranho um ex-Beatle estar envolvido com uma HQ tão clássica, rs...

      Mas concordo contigo: Devemos deixar o pessoal trabalhar com calma na tradução desse material, não vamos querer nenhuma cagada nível pirinini, né? kkk!

      Abs!

      Excluir
  5. Oi Leo!

    O Catarse é como ir na feira sem dinheiro, você vê tanta coisa boa e interessante e não pode levar nada!

    No meu caso, eu levarei o Krazy Cat, e estes dois livros imprescindíveis do Roberto Guedes, os demais eu terei de deixar passar!

    Basicamente, meu orçamento de HQS está quase todo comprometido até o final do ano, sobrando pouco espaço para acrescentar algo mais na lista além dos Marvel Vintage do Capitão, Incal, e o DC Vintage do Esquadrão Suicida, fora as ESC!

    Este ano está sendo muito difícil para comprar HQs, além do efeito recessivo de dois anos de pandemia, o aumento de preço das edições foi ônus a mais muito grande para o colecionador!

    Eu até não posso reclamar porque comprei os omnibus do Conan da Panini\Mythos, Hulk- A Encruzilhada, Dan Brand, Sonja, Bran Mak Morn, Incal, o Superman do Byrne, as ESC, dentre outros; mas tive de abrir mão de outros em prol desses, não podendo comprar tudo que me interessa e sai publicado no momento!

    Enfim, não tem como fugir, e o negócio é continuar lutando para tirarmos cada vez mais algum ítem da nossa lista de desejos e passá-los para a estante!!

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Elcio... Tdo bem?

      Hahaha, bem nessas: Parece mesmo uma "feira livre"... com trocentas opções e o cara tá com a carteira vazia na hora, kkk!

      Me sinto assim às vezes, pois no Catarse tem LIVROS e HQs mto interessantes e a vontade q dá é de apoiar TUDO q é bom (tirando as inúmeras tranqueiras q tem junto, ainda sobra MUITA coisa boa)... Mas aí eu lembro q o cartão tá estourado e aí começa a fase de "seleção" do q apoiar e do q deixar de lado por questões orçamentárias, rs!

      O "Krazy Kat" eu tô tentando juntar uma grana pra pegar a CAMISETA junto (pena q eu já perdi o fac-símile, q era apenas pros 500 primeiros apoiadores)... Mas os 2 LIVROS do Guedes eu apoiei logo q o projeto foi pro ar (e ainda vem junto uma HQ com as primeiras histórias do "Meteoro"- personagem criado pelo autor e q eu sempre quis ler)!

      Já q vc falou do seu orçamento comprometido... O meu funciona assim: Eu não tenho renda fixa, o pessoal acha q eu sou milionário por ser dono de uma rede de academias aqui em POA (5 ao todo), hehe. Mas esquecem q academia tem vários funcionários, professores, equipamentos q precisam de manutenção mensal, contas altíssimas de luz com ar-condicionado (q ficam em torno dos 5 dígitos - mais caro do q o aluguel das lojas), marketing (mto panfleto impresso e impulsionamentos nas redes sociais), e fora as dívidas rolando mês a mês com os bancos (empréstimos, acordões, etc). Na real, sobre grana CONTADA pra gastar com GIBIS (ainda mais q em 1º lugar vem os gastos pra manter a casa e a família)!

      Mesmo assim, tenho conseguido parcelar bastante coisa no cartão... Semana passada gastei 300 conto na loja daqui, mas fiz em 5 vezes e esta semana terei q ficar sem comprar nenhuma HQ pra compensar esse excesso, rs. Foi-se o tempo em q comprava gibi à vista (hj em dia só faço isso se o desconto for MTO BOM)!

      Esse 2º ano de pandemia eu considero q seja a RESSACA do AUGE do vírus no ano passado... pois o povo ainda tá com pouco capital de giro e com medo de se aglomerar (e com razão, pois ainda tem gente morrendo mesmo após o andamento das vacinações. Mas vamo q vamo, né? Pelo menos nunca peguei esse vírus maldito (e já tomei a 1º dose da vacina)!

      "comprei os omnibus do Conan da Panini\Mythos, Hulk- A Encruzilhada, Dan Brand, Sonja, Bran Mak Morn, Incal, o Superman do Byrne, as ESC, dentre outros"

      Desses aí... Fiquei com: "Conan OMNIBUS 2" (Panini), "Sonja", "Bran Mak Morn", e o "Super" do BYRNE (o "Incal" eu já tenho pela Devir, só o 1º encadernado)!

      Abs!

      Excluir
  6. E aí, Leo, beleza.
    Do Catarse, estou apoiando apenas Ronin Americano da Skript, escrita pelo Peter Milligan, e a versão revisada do livro da Trajetória Marvel no Brasil.

    Tenho evitado um pouco esse tipo de coisa porque não tenho tido muita sorte em alguns apoios, onde demoram tempos para lançar e SEMPRE o fulano tem algum problema. Impressionante.
    Lembrando que a Mythos tentou o Catarse para um gibi do Manara (esqueci o nome agora), mas além de não atingir o objetivo, foi duramente criticada. Segundo alguns, editora não devia fazer Catarse, pois deveria bancar seu próprio acervo.

    Abraço;

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Lierson... blz?

      Puxa, valeu pela dica, amigo... Não tinha visto esse "Ronin Americano", mas já entrou pro meu radar, hehe!

      Q pena esses problemas q vc relatou... Até agora nunca tive nenhum problema com os projetos q apoiei (mais de 10 até o momento), A NÃO SER com o "Efeito Placebo" (Lagarto Negro), q já passou do prazo e a editora só enrola (já faz 1 mês q me disseram q tavam recebendo da gráfica)!

      Qto à Mythos... Bem, eu acho q o Catarse devia ser aberto à TODAS as editoras (grandes ou de pequeno porte), pois não é pq a editora é grande q ela vai querer tomar prejuízo com HQs de pouco apelo comercial. O Catarse poderia ajudar a deslanchar projetos mais obscuros da Marvel e DC tbm, q normalmente a panini não se arriscaria a lançar pelas vias "normais"!

      Enfim, só uma observação da minha parte mesmo... Já q vejo os financiamentos coletivos daqui pra frente como sendo algo "INEVITÁVEL" (como diria o "Thanos", kkk)!

      Abs!

      Excluir
  7. Falando em faroeste, tem Colt 45 do Shimamoto, embora eu não tenha certeza se vai ser financiado: Colt 45

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando um autêntico TITÃ em matéria de amplo conhecimento sobre quadrinhos, do porte de QUIOF THRUL, se manifesta, a gente presta atenção.

      Tony

      Excluir
    2. E aí, Quiof... blz?

      Valeu mesmo pela dica, amigo... "Colt 45" acabou me passando na hora (são mtos projetos bons e a gente até se perde no meio deles, hehe). Mas já tá anotado e vou pesquisar pra ver se dá tempo de apoiar ainda (esse merece)!

      Abs!

      Excluir
    3. "Quando um autêntico TITÃ em matéria de amplo conhecimento sobre quadrinhos, do porte de QUIOF THRUL, se manifesta, a gente presta atenção."


      Verdade... É uma honra termos por aqui um verdadeiro mito do colecionismo (e meu amigo de longa data no fêisse, rs)!

      Abs!

      Excluir
  8. Olá Léo.
    O Catarse tem atraído muito meu interesse ultimamente. Acho incrível como as pequenas editoras estão fazendo um trabalho muito superior ao das grandes editoras no quesito qualidade por meio do Catarse, como grandes exemplos temos as editoras Clepsidra e Clock Tower que lançam obras impecáveis.
    Fico sempre atento nos materiais lançados referentes a Robert E. Howard e também de Lovecraft. O último que apoiei foi "Os fungos de Yuggoth" um poema de Lovecraft que será lançada pela Editora Sebo Clepsidra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente dica essa do "Os Fungos de Yuggoth", da Clepsidra.
      Espero que ninguém mais venha com dicas tão boas quanto essa pois, do contrário, vou acabar ficando duro bem antes do prazo convencional de todo mês.

      Tony

      Excluir
    2. E aí, Zarko... blz?

      Uma ótima dica mesmo essa dos "fungos de Yuggoth"... não sabia do projeto (essa me passou, hehe) mas vou tentar pegar na rebarba qdo for lançada oficialmente nas lojas (já anotei na minha lista de "pendências", rs)!

      E uma editora q eu já virei fã é a novata: Figura... Q tá lançando os álbuns do "TORPEDO 1936", "O Colecionador" (de Toppi), e "As Pinturas Fantásticas de Frazetta" (q eu já recebi e ficou belíssima a edição - disparada uma das melhores do ano)!

      Abs!

      Excluir
    3. "Espero que ninguém mais venha com dicas tão boas quanto essa"


      Tbm espero, Tony...

      Não há cartão e nem limite de crédito q aguente, kkk!

      Abs!

      Excluir
  9. Léo, a Zarabatana lançou agora a campanha para o novo Lucky Luke também. Tomara que desta vez consiga lançar todas as edições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Daniel... blz?

      Pô, q ótima notícia essa... Eu peguei aquela edição q saiu há anos atrás e achei q tivesse morrido por ali (passou tanto tempo). Ainda bem q o "Lucky" foi reativado, rs!

      Abs!

      Excluir
  10. Fala , Léo!
    Realmente a diferença nestes projetos é o envolvimento e "amor" dos produtores, como no caso deste livro do Byrne(que apoiei) e também no livro da trajetória da Marvel no Brasil (A. Morgado).

    Portanto os projetos agradam muito, pois o sistema "de fã para fã"
    resulta em edições como os leitores "gostariam de ver".

    abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Victor... blz?

      Pois é, digo o mesmo pra dedicação e empenho do Roberto Guedes com seus 2 livros (Stan Lee + RGE)... Diariamente o autor nos mantinha informado no fêisse sobre o andamento do projeto e ainda presenteou os leitores com um aumento de pág no livro da RGE (qdo a meta original foi ultrapassada). São ações assim q nos motivam a embarcar nesses projetos!

      Abs!

      Excluir
  11. olha...um bem bacana que faltou e acho que vai agradar os leitores do blog é esse aqui

    TOPPI: Fábulas do Velho Mundo

    https://www.catarse.me/toppi?ref=ctrse_explore_projects_we_love&project_id=135196&project_user_id=1073070

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ótima pedida tbm, Fábio...

      Valeu mesmo pela dica (mais um pra lista de "pendências", hehe)!

      Eu comprei "O Colecionador" (do Toppi) q saiu pela Figura no mês retrasado... Bom saber q tão recuperando a obra do Toppi (artista q finalmente tá tendo o merecido reconhecimento no Brasil)!

      Abs!

      Excluir
  12. Putz... que capa feia do caralho essa do livro do Stan Lee do Roberto Guedes. É pra assustar criancinha???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. puts, também achei, capa medonha, ficou parecendo um palhaço do mal

      adilson

      Excluir
    2. E aí, MARVETE... blz?

      Particularmente falando, eu preferia mil vezes a 1º capa q foi divulgada e q eu já havia postado aqui no blog:

      https://1.bp.blogspot.com/-39iOGybyyCo/YGaXUwFwE8I/AAAAAAAAjj0/KaOxwTbk_ScRIv__aRrQSo-ONmqdCSH-gCLcBGAsYHQ/s2048/Stan%2BLee.jpg

      Mais bonita, discreta, e "clean"... Mas continuo ansioso pra ler o conteúdo de qq forma, pois sei q o Guedes é um dos poucos escritores q reconhece as qualidades do Stan Lee (ele fazia a diferença na Marvel nos tempos áureos da editora)!

      Abs!

      Excluir
    3. Sim, o Roberto Guedes é foda (uma verdadeira referência quando o assunto são quadrinhos), mas essa capa ai ficou mesmo feia pra cacete. Péssima escolha. TNC.

      Excluir
    4. O Roberto Guedes escreveu o melhor livro sobre HQs q eu já li em toda a minha vida: "A Era de Bronze dos Super-Heróis" (da HQM)... Cara, esse livro realmente é fóda demais da conta (pra ler e reler várias vezes)!

      Abs!

      Excluir
  13. Vários lançamentos bacanas no Catarse. Já apoiei a biografia do Byrne. Agora estou avaliando se pego Welcome to Springville e o High Ways.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, Guilherme... blz?

      Vou ter q esperar virar meu cartão no mês q vem pra ver quais novos projetos irei apoiar (já zerei meus créditos por ora, rs)... Mas esses 3 tão na minha mira tbm, sem dúvida!

      Abs!

      Excluir
  14. Meus cumprimentos mestre Leo e amigos!

    Assunto interessante a se abordar que o instrumento de campanhas de financiamento. E o Catarse tomou conta do meio quadrinhístico pois trata-se da maneira mais acessível de trazer a tona materiais que não entram nem entrariam no radar das editoras comerciais.

    Desses exemplos colocados na postagem, participei dos dois projetos do Byrne, e apesar das criticas do faroeste Chacal, mais por saudosismo dos tempos da Editora Vechi. Lamentei não ter pego o livro sobre a RGE, mas quem sabe vá numa Amazon da vida.

    Então é isso. Já tô no aguardo da próxima matéria. Um abraço e até!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E aí, LEPM... blz?

      Brigadão mesmo por ter curtido a postagem (nesta madrugada já deve ter atualização de novo aqui no blog, hehe)!

      O assunto é interessantíssimo mesmo, pois o financiamento coletivo é algo q veio pra ficar e estamos vivenciando desde já essa revolução no mercado editorial (e q futuramente deve se expandir até pra editoras maiores - talvez as grandes façam seus financiamentos particulares em plataformas próprias até: é como eu imagino)!

      Aliás, a Panini tem feito algo "parecido/similar" à isso q é a VENDA EXCLUSIVA de certos encadernados em seu site oficial... A pré-venda em local próprio configura praticamente uma espécie de financiamento coletivo. Fizeram isso com "As Tiras do Aranha" e o "OMNIBUS do 4F"!

      Qto ao livro da RGE... Infelizmente, ele não será vendido à parte depois (segundo o próprio autor), e pra adquirí-lo, só pegando no COMBO junto com o "Stan Lee"!

      Abs!

      Excluir
    2. Bom dia, Leo. Mais uma vez, parabéns pelo aniversário dos 10 anis do Blog. Sem sombra de dúvidas, é o melhor blog de quadrinhos do Brasil. Em relação à pré-venda, o Senhor Adolfo Aizen, da saudosa Ebal, já usava esse sistema em relação às edições especiais do Príncipe Valente, Flash Gordon e Tarzan, nas décadas de 70 e 80.Um grande abraço e tudo de bom para Vc e para a sua Família.

      Excluir
    3. Brigadão mesmo, Eduardo... Fico feliz q vc e outros leitores estejam curtindo as postagens aqui do blog (q é feito pra vcs mesmo, rs)!

      E agora q vc falou, realmente: lembrei dessas táticas da EBAL pra certas edições especiais... A Vecchi tbm usou algo assim (um cupom pra pedidos exclusivo pelos correios) pro "Tex - O Ídolo de Cristal" (um álbum gigante em capa-dura). Pra vc ver, até as editoras mais antigas já experimentavam novos meios pra evitar o prejuízo e atingirem um público ainda mais do q nas bancas normais, rs!

      Abs!

      Excluir
  15. Também ando meio desanimado com a Cartase. Teve uns projetos que eu apoiei que o autor enrolava na hora dos envios... Era sempre uma desculpa. Isso é broxante. Porra, se não sabem honrar os compromissos então não lancem nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, é mto chato mesmo qdo a gente faz a nossa parte em apoiar um projeto e percebe q do outro lado não existe o mínimo de respeito e dedicação com o leitor/financiador... Infelizmente, esse lado ruim do financiamento existe tbm!

      Abs!

      Excluir
  16. Gibis de faroeste raíz são sempre uma boa pedida. Não trazem as frescuras e as boiolagens lacratórias dos gibis/panfletos Marvel/DC.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade... "TEX" não tem nada disso e sempre se manteve SEM mudanças de conduta ou opção sexual (e taí desde 1948, bombando cada vez mais nas bancas e com 15 títulos regulares se revezando nas bancas)!

      Abs!

      Excluir

POR FAVOR, LEIA ANTES de POSTAR:

O "Submundo-HQ" é um blog que preza a amizade e a boa convivência entre os usuários... Assim, NÃO serão aceitos por aqui comentários que incluam:

1) Ofensas pessoais e falta de respeito em geral!
2) Manifestações e militâncias POLÍTICAS (de qq tipo)!
3) SPAM e links de divulgação gratuita de compra/venda de HQs!

Obrigado, e seja sempre bem-vindo ao "Submundo"...

Até+

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...